' '

30 de out de 2012

MAD completa 60 anos e ganha capa da Ilustrada

Lembrando os 60 anos da MAD, a Folha de S.Paulo dedicou hoje a capa de seu caderno de cultura e variedades à revista, seminal da linha debochada e sem limites — onde depois beberiam produtos tão díspares como as sátiras cinematográficas do trio ZAZ (como Apertem os Cintos... O Piloto Sumiu!) e a renovação do humor na televisão (como TV Pirata). No Brasil, MAD foi primeiro levada às bancas pela Vecchi, em 1974. E ali viveu sua fase de ouro, que perdurou por certo tempo também na Editora Record. Seus períodos seguintes, na Mythos e (atualmente) na Panini, registram um melancólico declínio criativo da produção nacional. 

3 comentários:

  1. A produção nacional de humor, em HQ, é boa. A MAD é uma boa revista, ainda. O problema é que ninguém mais compra! Ao menos, falo isso baseado no que vejo, em boatos e informações de jornaleiros. Uma pena.

    ResponderExcluir
  2. Nunca fui fã da revista Mad, apesar dos grandes nomes presentes no editorial.Comprei uma edição que tinha na capa o programa global Sai de Baixo,grande suceso televisivo dos anos 90.Se não me engano o ano era 1998, na realidade 1996 em julho.Seja como for vender revista em quadrinhos no Brasil é muito dificil.

    ResponderExcluir
  3. Sou fanático por esta revista desde que ela estreou aqui no Brasil, em 74.
    Era editada pela Vecchi.

    ResponderExcluir

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de quem os escreve e não refletem a opinião do Planeta Gibi.

O comentário NÃO SERÁ publicado quando incluir:

• Quaisquer ofensas, agressões ou termos pejorativos;
• Quaisquer links ou e-mails;
• Qualquer menção a outro estabelecimento que comercialize quadrinhos;
Assunto alheio ao tema da postagem em questão.