' '

11 de jul de 2017

Guia Planeta Gibi COLEÇÃO CARL BARKS DEFINITIVA

Este guia apresenta a COLEÇÃO CARL BARKS DEFINITIVA, que está sendo lançada pela Editora Abril: lista dos títulos, capas, detalhes e curiosidades. Também são listados, para acompanhamento, os volumes já publicados nos EUA e que estão programados para sair aqui. Este guia recebe atualizações a cada lançamento; há muitos comentários e notas por vir (vide menu acima).






◼ CONTEÚDO:

• Lista de edições
• Carl Barks disponível em nossa loja
• Notas
• Capas, detalhes e curiosidades
• Próximos lançamentos
• Volumes por vir
• Galeria de Imagens Adicionais
• Links

COLEÇÃO CARL BARKS DEFINITIVA
título
período
# BR
EUA
1
Pato Donald: O Tesouro do Pirata
1942-43
NL
2
Pato Donald: Tempo Quente no Alasca
1943-45
NL
3
Pato Donald: O Terror do Rio
1945-46
NL
4
Pato Donald: Os Tigres Reais
1946-47
NL
nov/2017
5
Pato Donald: Natal nas Montanhas
1947
8
nov/2013
out/2016
6
Pato Donald: O Segredo do Castelo
1948
2
jun/2013
ago/2016
7
Pato Donald: Perdidos nos Andes
1948-49
1
dez/2011
jan/2017
8
Pato Donald: Em Busca do Unicórnio
1949-50
3
mai/2014
abr/2017
9
Pato Donald: O Papagaio Contador
1950
5
mai/2015
jul/2017
10
Pato Donald: O Vil Metal e os Vilões
1951
6
mai/2016
2018
11
Pato Donald: O Trenzinho da Alegria
1951-52
dez/2012
2018
12
Tio Patinhas: Nadando em Dinheiro
1952-54
jul/2012
set/2017
13
Pato Donald: A Noite das Bruxas
1952-53
7
set/2015
2018
14
Tio Patinhas: As Cidades do Ouro
1954-55
nov/2014
fev/2017
15
Pato Donald: A Cidade-Fantasma
1953-55
4
set/2016
2018
16
Tio Patinhas: A Coroa Perdida de Gêngis Khan
1956-57
mai/2017
?
17
Pato Donald: O Segredo de Hondorica
1955-56
set/2017
?
18
Pato Donald: A Mina Perdida do Perneta
1956-57
mai/2018
...
* # BR: ordem de lançamento no Brasil.    •    NL: volume ainda não lançado nos EUA.


◼ DISPONÍVEL EM NOSSA LOJA:

Veja aqui alguns destaques de títulos diversos com HQs de Carl Barks disponíveis agora em nossa loja. Nosso estoque é renovado com frequência. Visite-nos sempre.

Veja aqui especificamente edições de O MELHOR DA DISNEY: AS OBRAS COMPLETAS DE CARL BARKS disponíveis.

Veja aqui especificamente edições Disney originais em inglês que temos disponíveis.

◼ NOTAS:

1- Esta coleção é produzida e organizada pela editora americana Fantagraphics em ordem cronológica de publicação original das HQs. 

2- Ainda assim, a editora não mistura num mesmo volume histórias protagonizadas por personagens diferentes: as HQs do Pato Donald ficam em volumes distintos daqueles que trazem HQs do Tio Patinhas. 

3- E, ainda assim, dentro do mesmo volume as HQs são mostradas na ordem que a editora considera atraente. 

4- Por fim, os volumes não são necessariamente publicados na ordem sequencial numérica. Por exemplo, a Fantagraphics optou por iniciar a coleção pelo volume 7, com as HQs do Pato Donald originalmente publicadas entre 1948 e 1949 — talvez por ele conter Perdidos nos Andes, que seria a história preferida do próprio Barks. 

5- A Editora Abril replica de capa a capa cada volume e cada detalhe da coleção original — e tampouco os lança em ordem numérica. 

6- A numeração oficial dos volumes está impressa em seus expedientes. 

7- As HQs Disney que Barks roteirizou e desenhou foram publicadas originalmente entre 1942 e 1967, num total de quase 700 histórias (incluindo muitas gags de uma página) em cerca de 6.300 páginas. 

8- Como cada volume apresenta, em média, 200 páginas de histórias, a coleção terá 32 volumes, pelo menos.

9- Barks roteirizou outras HQs, sobretudo dos Escoteiros Mirins, que foram desenhadas por outros artistas. Anos depois, muitas delas foram refeitas por artistas que melhor seguiram seu traço, como Daan Jippes. Também há HQs e tiras que creditam a Barks apenas o argumento, tendo sido roteirizadas e desenhadas por artistas diversos. Não está claro que a Fantagraphics prosseguirá a coleção com essas histórias — que encheriam mais uns 6 volumes.

10- As HQs são mostradas em suas versões restauradas, já acrescidas de páginas eventualmente censuradas, e com paleta de cores o mais próximo possível de suas publicações originais. 

11- Dentre os extras, reproduções de capas e muitas páginas de curiosidades e explicações ilustradas. 

12- Lilian Mitsunaga criou a fonte que se assemelha ao letreiramento original para uso na versão brasileira.

13- Os volumes da versão brasileira têm formato 16,1 x 23,7 cm, lombada quadrada, capa dura com reserva de verniz, miolo em papel off white colorido e são distribuídos em bancas e livrarias

14- Os originais americanos têm formato 19 x 26 cm. A redução na versão brasileira reflete inclusive em seu preço de capa: R$ 59,90 contra R$ 94,47 do americano (U$ 29.99). Valores base 28/jan/2017.

◼ CAPAS, DETALHES, DESTAQUES, CURIOSIDADES:


 

★ 6    1948
PATO DONALD: O SEGREDO DO CASTELO
Out/2016, 232+4 páginas.
Diante de uma crise financeira, o Tio Patinhas recruta Donald, Huguinho, Zezinho e Luisinho para uma viagem ao castelo do clã Mac Patinhas a fim de encontrar um tesouro de família guardado por um fantasma disposto a tudo para protegê-lo. Em seguida, Donald, confiante em seu conhecimento adquirido assistindo a filmes de faroeste, torna-se o xerife do Vale Balaço para combater ladrões de gado. Adicione a essas tramas uma expedição à África em busca da borboleta mais rara do mundo e uma corrida de foguete à Lua, entre outras aventuras, e você tem mais de 200 páginas de histórias em quadrinhos para sua diversão neste volume. E não perca a primeira aparição do enervante primo sortudo do Pato Donald, o Ganso Gastão!

 O Segredo do Castelo (The Old Castle's Secret) inaugurou o gibi O PATO DONALD (Editora Abril, #1-3, jul-set/1950). 

 A leitura prévia de O Segredo do Castelo permite uma melhor compreensão da sensível Uma Carta de Casa, de Don Rosa.

 Os Caçadores da Borboleta Perdida (Darkest Africa) e O Xerife do Vale Balaço (Sheriff of Bullet Valley) são outros clássicos deste volume.

• A Visita do Primo Gastão (Wintertime Wager) marca a estreia do personagem — de quem Barks não gostava, diga-se.

• A Abril lançou este volume simultaneamente com o fac-símile do Manual do Tio Patinhas   — que, assim como seu original de 1972, trouxe de brinde uma Moeda Número Um metálica.



 

★ 7    1948-49
PATO DONALD: PERDIDOS NOS ANDES
Ago/2016, 240+4 páginas.
De 1942 a 1966, Carl Barks foi o mais prolífico e adorado roteirista e desenhista das histórias do Pato Donald, Tio Patinhas e demais habitantes de Patópolis. PATO DONALD POR CARL BARKS: PERDIDOS NOS ANDES é o primeiro lançamento de uma série de volumes dedicados a recuperar a obra de Barks, com cores restauradas de acordo com a paleta de época, letreiramento que reproduz o trabalho do autor e de sua esposa Garé Williams e textos explicativos inéditos com informações nunca antes compiladas.

• Assim como nos EUA, a coleção começou a sair no Brasil por este volume. 

• O lançamento oficial aconteceu na Bienal do Livro de São Paulo e dava de brinde uma caneca de porcelana ilustrada com os elementos da capa para aqueles que adquirissem o volume juntamente com o fac-símile do Manual do Prof. Pardal. A mesma caneca, depois, foi brinde no lançamento de um serviço de assinaturas da editora, o GoBox.

 Perdidos nos Andes! (Lost in the Andes!) era considerada por Barks sua obra mais tecnicamente perfeita. Em 1989, Don Rosa produziu uma sequência, Volta a Quadradópolis (Return to Plain Awful).

• Os célebres ovos quadrados da HQ se tornaram referência constante, sobretudo para os leitores — não por acaso, há alguns anos a editora escandinava Egmont até distribuiu como brinde em uma de suas revistas uma forminha para reproduzi-los em casa (veja foto na Galeria de Imagens Adicionais, abaixo)!

Na África (Voodoo Hoodoo) e A Árvore de Natal Dourada (The Golden Christmas Treesão outros clássicos deste volume.

 Reimpresso em jun/2017.

Veja aqui imagens de todas as HQs deste volume, além de outras páginas e a imagem da caneca acima citada.



 

★ 8    1949-50
PATO DONALD: EM BUSCA DO UNICÓRNIO
Jan/2017, 224+4 páginas.
Há um unicórnio solto por aí e o Tio Patinhas quer o bicho de qualquer jeito! Então, Donald e os meninos embarcam em uma busca arriscada rumo a uma terra distante. (Mas, se você captura um animal mítico, o que faz com ele?) De volta a Patópolis... como uma simples cartinha para o Papai Noel poderia provocar não só uma acirrada “guerra de travesseiros de dinheiro” entre Donald e Patinhas, mas também uma estrondosa batalha de escavadeiras a vapor? Decidido a se tornar um homem de negócios vencedor, Donald aceita o desafio de fazer uma venda impossível para os índios mais isolados da América do Norte. O genial Carl Barks mais uma vez nos surpreende e nos delicia com suas desventuras emplumadas de humor ácido e afiado. Confira você mesmo! Prefácio de Jeff Kinney, autor de Diário de um Banana.

• Além de Em Busca do Unicórnio (Trail of the Unicorn), este volume apresenta os clássicos Carta para Papai Noel (Letter to Santa), O Felizardo do Polo Norte (Luck of the North) e A Terra dos Ídolos (Land of the Totem Poles). 

Carta para Papai Noel é sempre lembrada por mostrar algo raro: Tio Patinhas gastando dinheiro! Sua página de abertura é, no mínimo, espetacular.

Veja aqui imagens de todas as HQs deste volume.



 

★ 15    1953-55
PATO DONALD: A CIDADE FANTASMA
Fev/2017, 248+4 páginas.
Ninguém habita a cidade de Último Suspiro há anos — com exceção de um fantasma teimoso que está de olho em quatro visitantes indesejados: Donald e os trigêmeos. Da cidade fantasma para um submarino particular, com o qual o Tio Patinhas e seus sobrinhos buscam um tesouro naufragado... em plena véspera de Natal. Do submarino para uma estação de trem que está prestes a receber 10.000 perus recém-nascidos, estressados e famintos! E que vão ficar aos cuidados do Donald. Curta estas e muitas outras histórias estreladas pela Família Pato e seus amigos, incluindo o genial Professor Pardal, o irritantemente sortudo Ganso Gastão e a charmosa, porém às vezes temperamental, Margarida.

• Este volume é composto por 19 HQs de 10 páginas publicadas originalmente em WALT DISNEY'S COMICS AND STORIES, além da HQ em que Donald ensina os sobrinhos a empinar pipas com segurança e que saiu originalmente num gibi institucional de uma companhia elétrica americana.

• Curiosamente, há uma gag de uma página que nunca vimos listada  entre as obras de Barks — o Inducks, por exemplo, credita seus desenhos a Tony Strobl. A conferir as notas explicativas da edição.

• Comentário do Diretor de Redação Sergio Figueiredo: Há uma matéria de 30 e poucas páginas, repleta de armadilhas de tradução e referências obscuras à cultura popular americana, capaz de levar o mais sagaz dos editores à loucura. Mas Marcelo Alencar fez um belo trabalho e facilitou a minha vida. Aos leitores, eu digo-lhes e vos digo: há informações inacreditáveis. Painéis e pranchas que vocês nunca viram. Explicações de fatos ocultos há mais de 60 anos. Não há nada no mercado de quadrinhos que chegue perto desse A Cidade-Fantasma. Se vocês não comprarem por míseros 59,90, a musa da literatura vai assombrá-los para o resto da vida.



 

★ 9    1950
PATO DONALD: O PAPAGAIO CONTADOR
Abr/2017, 216+4 páginas.
Donald corre atrás de um papagaio para recuperar o segredo do cofre do Tio Patinhas – e, caso falhe, o quaquilionário ficará sem um tostão. Na sequência, um cientista louco rapta Donald e os meninos, arrastando-os para o deserto com o objetivo de descobrir uma cidade perdida, ignorando o perigo à espreita dentro dela. De volta ao lar, é Tempo de Férias, uma das melhores aventuras de Barks, na qual Donald enfrenta o fogo que devasta a floresta para salvar seus sobrinhos e a própria vida! E não é só! São mais de 200 páginas de surpresas, diversão, humor e aventura com as melhores histórias em quadrinhos, comentadas pelos maiores especialistas no assunto.

• Ladrões-protótipos dos Irmãos Metralha têm destaque em O Papagaio Contador (The Pixilated Parrot), publicada quase 2 anos antes de O Vil Metal e os Vilões (Terror of the Beagle Boys), que marca a estreia oficial da famigerada quadrilha (vide galeria de imagens adicionais, abaixo).

• O volume inclui clássicos absolutos como Meu Reino por uma Ampulheta e Pérsia Antiga.


 

★ 10    1951
PATO DONALD: O VIL METAL E OS VILÕES
Jul/2017, 232+4 páginas.
Um navio desaparece no mar, e Donald parte para o resgate. Mas de quem ele terá que recuperar a embarcação? Um milagre vindo das alturas! Quando um ciclone carrega a fortuna do Tio Patinhas e faz chover dinheiro à vontade, Donald fica milionário. E o mundo todo junto com ele! De férias na Riviera Francesa, Donald e os meninos entram em um frenético e perigoso jogo de espiões. E mais: a primeira aparição dos terríveis Irmãos Metralha e dos virtuosos Escoteiros Mirins!

• Este volume marca as estreias dos Irmãos Metralha (HQ título desta edição) e dos Escoteiros Mirins (Operação São Bernardo).

• Destaque também para as excepcionais O Agente Secreto, com Donald e sobrinhos envolvidos numa trama de espionagem em Côte d'Azur, e Na Velha Califórnia, com uma viagem de volta no tempo.

◼ PRÓXIMOS LANÇAMENTOS:


★ 13    1952-53
PATO DONALD: A NOITE DAS BRUXAS
Set/2017, 224+4 páginas.
This volume kicks off with “Trick or Treat" ― a comic-book version of the classic Disney animated short, with nine pages restored ― and includes Barks’s favorite, “Omelet,” where Donald Duck becomes…a chicken farmer?! Our lead-off story, “Trick or Treat,” is the master cartoonist’s adaptation of the Donald Duck cartoon of the same name ― with nine pages added back in from the originally truncated version! Then, Donald is convinced that Huey, Dewey, and Louie’s toy gun can really put people into a hypnotic spell ― so he tries it out on Uncle Scrooge! Hijinks abound as Uncle Scrooge plants pots of gold at the foot of a rainbow to see who will handle the money best ― Donald, Gladstone, or the nephews. Also, one of Barks’s own personal favorites, “Omelet” ― the story of Donald’s slapstick misadventures as a chicken farmer (?!). Nineteen stories, plus bonus features, each meticulously restored and newly colored. Insightful story notes by an international panel of Barks experts.




★ 5    1947
PATO DONALD: NATAL NAS MONTANHAS
Nov/2017, 216+4 páginas.
Scrooge McDuck is now such a fixture in the Disney universe that few remember Carl Barks had been writing and drawing Donald Duck stories for half a decade before he cooked up the miserly multiplujillionaire ― for what he thought would be a one-time Christmas yarn involving Donald, the nephews, Scrooge in a bearskin, and (inevitably) a couple of real bears. “Christmas on Bear Mountain” is one of Barks’s funniest holiday stories and a true landmark in comics history, and offers a fascinating look at a rough-edged, genuinely nasty character whom Barks would soon soften... Scrooge aside, there’s plenty of fun to be had in this volume. In “Volcano Valley” Donald and the Nephews end up stuck in Volcania, a south-of-the-border country inhabited by sombrero-wearing, siesta-addicted Volcanians. Other long-form adventures include the self-explanatory “Adventure Down Under,” as well as one of Barks’s most atmospheric thrillers, the West Indies-based “Ghost of the Grotto,” which includes a lovely night-time sequence drawn in Barks’s trademark silhouettes and a giantoctopus- vs.-hot-chili-peppers throwdown that climaxes in an explosive splash panel. The book is rounded off with seven of Barks’s hilarious 10-pagers, and as with the previous volumes, Walt Disney’s Donald Duck: Christmas on Bear Mountain has been scanned from crisp vintage art and meticulously colored to match the original printing’s warm, simple hues, and features abundant critical and historical notes penned by some of duckdom’s finest experts.

◼ POR LANÇAR:

★ 1    1942-43
PATO DONALD: O TESOURO DO PIRATA
EUA: ainda não lançado, cerca de 240+4 páginas. Subtítulo a confirmar.

Pluto Salva o Navio (Pluto Saves the Ship) foi publicada em 1942, em p&b. Trata-se da primeira HQ de Barks que se tenha registro. Em 1981, ele creditou o argumento à editora Eleanor Packer; o roteiro a ele mesmo, Jack Hannah (diretor de mais de 70 curtas de animação) e Nick George (outro animador dos Estúdios Disney). Quanto aos desenhos, Barks afirmou não se lembrar do nome do artista, também da equipe de animações.

• Nos EUA, os gibis do Pato Donald, Mickey e Tio Patinhas — entre outros — primeiro surgiram como edições eventuais de FOUR COLOR COMIC, título da editora Dell, para só depois se desgarrarem e ter numeração independente, ainda que não reiniciada. Pois O Tesouro do Pirata (Donald Finds Pirate Gold) saiu no #9 do tal título — o primeiro, de 28, estrelado pelo pato. Vários artistas dos Estúdios Disney são apontados como autores da trama, que foi reaproveitada de um curta de animação abandonado (Morgan's Ghost). Quanto aos desenhos, ficaram a cargo de Jack Hannah e Carl Barks. É, portanto, a primeira HQ Disney desenhada por ele.

★ 2    1943-45
PATO DONALD: TEMPO QUENTE NO ALASCA
EUA: ainda não lançado, cerca de 240+4 páginas. Subtítulo a confirmar.

★ 3    1945-46
PATO DONALD: O TERROR DO RIO
EUA: ainda não lançado, cerca de 240+4 páginas. Subtítulo a confirmar.

★ 4    1945-46
PATO DONALD: OS TIGRES REAIS
EUA: ainda não lançado, cerca de 240+4 páginas. Subtítulo a confirmar.




★ 11    1951-52
PATO DONALD: O TRENZINHO DA ALEGRIA
EUA: dez/2012, 240+4 páginas.
Anchored by the Dickensian “A Christmas for Shacktown,” this volume collects the universally beloved comics adventures of Donald Duck, his nephews Huey, Dewey and Louie, and his Uncle Scrooge. It focuses on the early 1950s, universally considered one of Barks’s very peak periods. Originally published in 1951, “A Christmas for Shacktown” is one of Barks’s masterpieces: a rare 32-pager that stays within the confines of Duckburg, featuring a storyline in which the Duck family works hard to raise money to throw a Christmas party for the poor children of the city’s slums (depicted by Barks with surprisingly Dickensian grittiness), and climaxing in one of the most memorable images Barks ever created, the terrifying bottomless pit that swallows up all of Scrooge’s money. But there’s lots more gold to be found in this volume (literally), which features both the “The Golden Helmet” (a quest off the coast of Labrador for a relic that might grant the finder ownership of America, reducing more than one cast member to a state of Gollum-like covetousness) while “The Gilded Man” features a hunt for a rare stamp in South America—two more of Barks’s thrilling full-length adventure stories. But that’s less than half the volume! This volume also features ten of Barks’s smart and funny 10-pagers, including a double whammy of yarns co-starring Donald’s insufferable cousin (“Gladstone’s Usual Very Good Year” and “Gladstone’s Terrible Secret”), as well as another nine of Barks’s rarely seen one-page Duck gags… all painstakingly recolored to match the original coloring as exactly as possible, and supplemented with an extensive series of notes and behind-the-scenes essays by the foremost Duck experts in the world.





★ 12    1952-54
TIO PATINHAS: NADANDO EM DINHEIRO
EUA: jul/2012, 240+4 páginas.
Uncle Scrooge classics for all ages! Since Fantagraphics’ first release in this series focused on Donald Duck, it is only right that the second focus on Carl Barks’s other great protagonist, and his greatest creation: The miserly, excessively wealthy Scrooge McDuck, whose giant money bin, lucky dime, and constant wrangles with his nemeses the Beagle Boys are well-known to, and beloved by, young and old.This volume starts off with “Only a Poor Old Man,” the defining Scrooge yarn (in fact his first big starring story) in which Scrooge’s plan to hide his money in a lake goes terribly wrong. Two other long-form classics in this volume include “Tralla La La” (also known as “the bottlecap story,” in which Scrooge’s intrusion has terrible consequences for a money-less eden) and “Back to the Klondike” (Barks disciple Don Rosa’s favorite story, a crucial addition to Scrooge’s early history, and famous for a censored bar brawl that was restored in later editions). Each of these three stories is famous enough to have its own lengthy Wikipedia page.Also in this volume are the full-length “The Secret of Atlantis,” and over two dozen more shorter stories and one-page gags.Newly recolored in a version that combines the warm, friendly, slightly muted feeling of the beloved classic original comic books with state-of-the-art crispness and reproduction quality, the stories are joined by another volume’s worth of extensive “Liner Notes,” featuring fascinating behind-the-panels essays about the creation of the stories and analyses of their content from a world’s worth of Disney and Barks experts.

• Nos EUA, os gibis do Pato Donald, Mickey e Tio Patinhas — entre outros — primeiro surgiram como edições eventuais de DELL FOUR COLOR. Pois a HQ título deste volume, Nadando em Dinheiro (Only a Poor Old Man) saiu na edição #386 dessa revista. Tio Patinhas estrelaria mais duas edições dela antes de ter seu próprio gibi — cuja edição inicial é a #4, já que a editora considerou as edições avulsas antes lançadas.




★ 14    1954-55
TIO PATINHAS: AS CIDADES DO OURO
EUA: nov/2014, 240+4 páginas.
Collects further Carl Barks Uncle Scrooge/Donald Duck stories ― including the one that inspired Raiders of the Lost Ark. Uncle Scrooge takes Donald and the nephews on a perilous trek in search of the fabled seven cities of gold! This is the Scrooge story famous for providing Steven Spielberg and George Lucas with inspiration for parts of Raiders of the Lost Ark. Speaking of gold and movies, James Bond fans might recognize in “The Mysterious Stone Ray” a gimmick that was later used in Goldfinger ― Uncle Scrooge’s pores fill with gold dust from his money bin. It makes him ill so he goes on vacation, which turns into a rescue mission for a sailor stranded on an island with some very mysterious baddies. Also, Scrooge decides to run for Treasurer of Duckburg, but it seems the only way to get votes is to spend a lot of money. (Sound familiar?) And you know what Uncle Scrooge thinks of that! Carl Barks delivers another superb collection of clever plot twists, laughout- loud comedy, and all-around cartooning brilliance.




★ 16    1956-57
TIO PATINHAS: A COROA PERDIDA DE GÊNGIS KHAN
EUA: mai/2017, 232+4 páginas.
There are underground civilizations, exotic locales, and a race for pirate gold in the latest collection of world-famous Donald Duck and Uncle Scrooge comics. Worried about an earthquake that might swallow his money bin, Uncle Scrooge digs deep to secure his fortune ― and discovers an underground civilization! Introducing the Terries and Fermies ― the subterranean critters who can make earthquakes! Of special note, our presentation of this story restores two pages that were cut from its original publication. Then, Scrooge shanghais Donald, Huey, Dewey, and Louie to the Himalayas to help him recover “The Lost Crown of Genghis Kahn.” And when Scrooge is hypnotized to go back in time and learn the location of a pirate’s buried treasure, he thinks he’s got a clear shot ― until he learns that Donald is also on the trail. And the race is on! Full-color illustrations throughout.




★ 17 1955-56
PATO DONALD: O SEGREDO DE HONDORICA
EUA: set/2017, 200+4 páginas.
When Uncle Scrooge loses some vital papers in a plane crash in the jungles of Hondorica, he sends Donald and his nephews to rescue them. But wily cousin Gladstone Gander gets wind of the expedition and decides to get there first ― to claim the reward for himself! Then Donald becomes a sales agent for the Break & Bruise Insurance Co. and sells a policy to Uncle Scrooge. But Scrooge is determined to collect, so Donald has to become his bodyguard to protect him from harm. And when the Junior Woodchuck boys are challenged by the Chickadee Patrol girls to build a wilderness bridge, Donald’s efforts to help put him in danger ― and the boys have to choose between rescuing him and winning the contest.




★ 18 1956-57
PATO DONALD: A MINA PERDIDA DO PERNETA
EUA: abr/2018, 192+4 páginas.
In our title story, Uncle Scrooge, Donald, and the nephews are hot on the trail of a pair of old saddlebags filled with gold nuggets. Then, Donald dons a suit of armor with a rubber sword for a costume party, but he embarrasses Daisy and becomes the object of scorn and ridicule ― until a pair of lions break free! And when Gyro Gearloose invents a virtual reality headset, Donald and the boys find themselves menaced by fearsome creatures on other worlds. Carl Barks delivers another superb collection of imaginative exuberance, high-concept hijinks, and all-around cartooning brilliance.

...



 GALERIA DE IMAGENS ADICIONAIS:


Tio Patinhas & cia. por Carl Barks (1977).



 

Esquerda: Storyboard de Barks (jul/1971) para As Águias do Monte Calvo (Eagle Savers), desenhada por Kay Wright e publicada em out/1971 nos EUA (e uma única vez no Brasil, em ZÉ CARIOCA #1051, dez/1971). Daan Jippes a redesenhou muitos anos depois, com arte muito mais fiel ao rascunho de Barks (vide DISNEY DE LUXO 12 ESCOTEIROS MIRINS, 2016).

Direita: Os protótipos de Irmãos Metralha de O Papagaio Contador (The Pixilated Parrot, jul/1950). A quadrilha só seria "oficializada" em nov/1951, em O Vil Metal e os Vilões (Terror of the Beagle Boys).



Homenagem de Daan Jippes (1976). Tempos depois, o artista aproveitaria elementos dessa ilustração para uma capa do gibi holandês do Pato Donald.


  

Model sheets da década de 1950 de Barks. Huguinho, Zezinho e Luisinho foram criados em 1937 por Al Taliaferro (que chegou a ser parabenizado por isso pela Disney, em memorando). Em 2017, portanto, completam 80 anos.



Forma para se fazer ovos quadrados que veio de brinde com gibi europeu! Veio com folheto de instruções (nunca seguidas), obviamente ilustrado com referências a Quadradópolis. Algo como quebre aqui um ovo, feche e jogue na água fervente.


 

Esquerda: Vovó Donalda e os meninos em Três Patinhos na Lagoa (Donald's Grandma Duck, 1950, roteiro de Chase Craig, desenhos de Barks). A matriarca da Família Pato foi criada em 1943 por Bob Karp e Al Taliaferro — assim como Gansolino (em 1938).

Direita: ilustração de Don Rosa que antecedeu a reapresentação de Em Busca do Unicórnio (Trail of the Unicorn, 1950) na francesa PICSOU MAGAZINE (#326, mar/1999).


  


Acima e abaixo: fotos do magnífico especial gigante (24 x 33 cm) lançado originalmente em homenagem aos 80 anos de Barks, em 1981, e cuja 2ª edição (a das fotos) celebrou os 40 anos do Tio Patinhas, em 1987. Foi idealizado por George Lucas e Gary Kurtz, produtores de Star Wars. Kurtz conversou com Barks, que gostou da ideia de ver algumas de suas HQs clássicas pintadas da forma e nas cores como as imaginou originalmente. E o trabalho foi feito à mão pelo artista australiano Peter Ledger (1945-1994), especialmente convidado para o projeto. Uma obra ímpar, lançada em tiragens limitadas. 

   


 VEJA TAMBÉM:

• Veja aqui o Guia Planeta Gibi COLEÇÃO CARL BARKS DEFINITIVA.
• Veja aqui o Guia Planeta Gibi DISNEY DE LUXO.
• Veja aqui o Guia Planeta Gibi DISNEY MANGÁ.
• Veja aqui o Guia Planeta Gibi DonaldDuplo.
• Veja aqui o Guia Planeta Gibi Pateta Faz História.
• Veja aqui o Guia Planeta Gibi A HISTÓRIA DO FILME EM QUADRINHOS.


► Por Edenilson Rodrigues.
► Fontes: divulgação, Acervo Planeta Gibi, Banco de Dados Planeta GibiDisney A to Z: The Official Disney Encyclopedia (EUA, Dave Smith, Disney Editions, 5ª edição, 2016), THE COMPLETE CARL BARKS DISNEY LIBRARY (EUA, Fantagraphics, 2011-...), INTÉGRALE CARL BARKS (França, Glénat, 2010-...), UACK! (Itália, Panini, 2014-...; periódico), site Barks (compilado por Daniel van Eijmeren), site Inducks, site Grand Comics Database, UNCLE $CROOGE: HIS LIFE & TIMES (EUA, Celestial Arts, 2ª edição, 1987).
► Fotos: Planeta Gibi.
► Publicado originalmente em 26/jan/2017.
► Atualizado pela última vez em 11/jul/2017.




22 comentários:

  1. Linda demias a coleção planeta gibi desde que foi lançada essa coleção capa dura e Carl barks tenho comprado 10 volumes de cada e um primor de coleção parabéns a todos por proposiona essa alegria há todos fã dos gibis Disney

    ResponderExcluir
  2. Parabéns pela excelente matéria!!!!
    Carl Barks, simplesmente, o melhor entre os melhores. O "Pelé" dos quadrinhos!!!
    Tadeu Olivetti

    ResponderExcluir
  3. Esse especial pintado a mão bem que poderia ser publicado por aqui em cememoração aos 70 anos da criação do Tio Patinhas. Seria um presente para os fãs.

    ResponderExcluir
  4. Acredito que a Abril poderia tomar a iniciativa de ampliar a coleção caso a Fantagraphics não o faça, e incluir as HQs roterizadas pelo artista.

    ResponderExcluir
  5. Excelente matéria! Realmente a melhor coleção da Abril. Boa sugestão, João Vicente, que acrescento uma coisa: publicação das telas e esboços destas. Parece que há uma obra em alemão sobre isso.

    ResponderExcluir
  6. Ótimo guia! Só faltou informar as dimensões da edição americana: 26 cm x 19 cm.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Este guia, como anotado em seu primeiro parágrafo, é uma obra em andamento. A informação sobre o formato da edição americana foi incluída (em "NOTAS"), assim como a inevitável comparação entre preço de capa de ambas as versões.

      Muitas informações, notas e imagens por vir.

      Abs.

      Edenilson.

      Excluir
  7. Uma coleção fantástica!

    ResponderExcluir
  8. Fantástico e maravilhoso post falando sobre uma coleção fantástica e maravilhosa também ! Parabéns por tantas informações ! No aguardo de todas essas edições serem lançadas ! Parabéns também, é claro, a Editora Abril e sua equipe !

    ResponderExcluir
  9. Denilson bom dia gostaria de sabe vão ser lançada a coleção de 37 volumes em capa dura que foi anunciado aqui pelo planeta pois não saiu mas nunhuma nota sobre detalhes só ser falou que o primeiro volume será o número 31?

    ResponderExcluir
  10. Paulo Vasconcellos:
    Coleção imperdível! A gag de 1 página do nº15 é uma informação nova para mim também. O desenho é de fato de Tony Strobl. De acordo com o Inducks(*), a gag foi provavelmente escrita por Barks. A informação é de Kim Weston- um dos maiores especialistas do planeta em Barks. (*): "Tennis watcher Kim Weston says writ CB".

    ResponderExcluir
  11. Ansioso para "Trick or Treat" (que segundo o Maffia, já está em produção, então deve ser o próximo após "A Cidade Fantasma") e para Natal nas Montanhas. Também que muito o primeiro volume do Tio Patinhas, mas esse só vem próximo ano.

    ResponderExcluir
  12. Gosto muito da coleção, mas acho que se perde uma grande oportunidade de ter traduções mais fiéis. Exemplo: "Only a Poor Old Man" não deveria ser "Nadando em Dinheiro". A tradução literal é "Apenas um pobre e velho homem", podendo ser adaptado para "Um pobre e velho pato". Outra coisa que gostaria de ver, mas imagino que não verei, seria o sobrenome do Tio Patinhas como McPato, e não McPatinhas... mas isso é outra história.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. acredito que estão respeitando os titulos das historias quando originalmente sairam no Brasil.

      Excluir
  13. Esta coleção do Barks é perfeita, uma obra prima em todos detalhes: colorido original, impressão, layout das páginas, letreiramento, tamanho, critério nas escolhas das histórias e PRINCIPALMENTE O PAPEL: FOSCO. Para mim, o trabalho mais bem elaborado até hoje publicado da obra de Barks. A Abril acertou em fazer igual ao original americano.
    João Belo

    ResponderExcluir
  14. Uma dúvida:
    Esta coleção trará as mesmas histórias da coleção "As Obras Completas de Carl Barks" de formato americano que vinha em caixas???? Obrigado!

    ResponderExcluir
  15. Pelo menos a Disney na Abril não coloca logomarca, selo, insignia, logotipos, insossas legendas, gravuras, spammers, trashing covers, heráldicas, códices e outras mumunhas na capa - coisas chatérrimas e próprias de quem compartilha MUITO de edições antigas ( scans ) na WEB...afe! Prefiro original SEMPRE!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Em busca do unicórnio possui uma citação horrenda de um jornalista americano no canto superior direito... sei que a Abril somente seguiu o original mas bem que podiam ter ignorado, ficou mt feio.

      Excluir
  16. Uma dúvida: essa coleção trará apenas os volume protagonizados por Donald e Tio Patinhas? Porque Barks fez algumas poucas histórias com outros personagens. As do Professor Pardal, por exemplo, davam pra um ou dois volumes.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Também tinha esta dúvida, mas nos últimos volumes publicados aqui vimos (e veremos) histórias da Vovó Donalda. Também houve histórias do Tio Patinhas nos volumes do Donald. Quanto ao Pardal, realmente dá pra fazer um ou dois volumes com ele.

      Excluir
    2. Pois é, vi que em "O Papagaio Contador" tem uma história da Vovó Donalda. A diferença que Barks fez pouquíssimas histórias dela, que não davam nem pra um volume, por isso acho que nesse caso é provável que as histórias dela venham no meio dos volumes do Donald, assim como as histórias da Margarida, que também foram bem poucas e não daria pra fazer um volume.

      Quanto a histórias do Tio Patinhas, na verdade não há nenhuma nos volumes do Donald. Acontece o seguinte: no início de cada história, Barks colocava um "letreiro" com o nome do personagem principal dela, e por muito tempo ele praticamente só usou o nome do Pato Donald, mesmo quando claramente outros personagens eram os principais. Porém, mesmo nesses casos onde os personagens principais eram outros, a história foi intitulada como uma história do Pato Donald, e por tanto elas são publicadas nos volumes dele.

      A história "Operação São Bernardo" (1951), por exemplo, que a é a primeira história dos Escoteiros Mirins, tem o letreiro inicial de "Pato Donald", e por isso sairá nos volumes do Donald. Apenas em 1970, com a história “Peril of the Black Forest” (A Floresta Negra Em Perigo), depois de já ter feito mais de 10 histórias com os personagens, é que Barks começou a intitular as histórias como “Escoteiros Mirins” e não mais como “Pato Donald”. O mesmo vale para o Tio Patinhas, que apesar de ser criado em 1947, só teve histórias com seu nome a partir de 1952, mesmo sendo protagonista em algumas do Donald.

      Excluir

ANTES DE COMENTAR, POR FAVOR, LEIA:

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de quem os escreve e não refletem necessariamente a opinião do Planeta Gibi.

Não publicamos comentários que:
• Incluam quaisquer e-mails ou links;
• Mencionem outro estabelecimento que comercialize quadrinhos;
• Incluam ofensas e palavrões; fujam do tema em questão.

Atenção:
Os comentários aqui postados podem ser encaminhados para os editores que, eventualmente, poderão publicá-los nas revistas; caso não concorde com isso, explicite sua negativa no próprio comentário. Obrigado.