' '

23 de set de 2016

Capa de DISNEY BIG de outubro. E mais...

A Abril divulgou anúncio de DISNEY BIG #41, que chega às bancas em meados de outubro com mais da metade de suas 308 páginas ocupada pela saga inédita Star Tranko, O Retorno (como o Planeta Gibi já havia adiantado aqui). 

Em dezembro, outra inédita notável estará no almanacão bimestral, a paródia de Dom Quixote. Tal produção, a 7ª das chamadas Novas Paródias Disney, saiu no início do ano na Itália. E em novembro, por sinal, será publicada por lá a 8ª, Frankenstein, com direito a capa variante de TOPOLINO.



  

 

A segunda saga de Star Tranko, inédita e completa, estará em DISNEY BIG #41 (out/2016).

Star Tranko estreou em MICKEY #872-874 (abr-jun/2015) numa aventura de 96 páginas divididas em 3 partes, com roteiro de Bruno Enna e desenhos de Andrea Freccero, Marco Mazzarello e Alessandro Perina.

Uma nova saga foi iniciada em julho na Itália, com os episódios La regina gelida (44 páginas), Zona neutrale (34), La trappola (34) e Verso casa (58). Suas 170 páginas ocuparão mais da metade do gibi brasileiro. O roteiro é novamente assinado por Enna. Os desenhos são de Perina.

INÉDITA EM DEZEMBRO: DOM QUIXOTE

 

  

A paródia de Dom Quixote foi publicada na Itália em maio último. 

E suas 94 páginas estrearão no Brasil em DISNEY BIG #42 (dez/2016), lembrando os 400 anos da morte de seu autor, Miguel de Cervantes (1547-1616).

A graphic novel integra a lista das chamadas Novas Paródias Disney (veja abaixo a lista completa) e tem roteiro de Fausto Vitaliano (DonaldDuplo) e desenhos de Claudio Sciarrone (PK).

TODAS AS NOVAS PARÓDIAS DISNEY

 

Visual "ligeiramente" alterado do Pato Donald, que levou a Disney a vetar a republicação de Lo Strano Caso del Dottor Ratkyll e di Mr. Hyde.


O Planeta Gibi adora listas. Então aqui vai mais uma: todas as graphic novels que a Itália identifica como "Novas Paródias Disney", de Novecento a Metrópolis.

1
A Lenda do Pianista do Mar
La Vera Storia di Novecento, 44 páginas.
Roteiro de Tito Faraci, desenhos de Giorgio Cavazzano.
Adaptação de Novecento, de Alessandro Baricco (1994).
Itália: TOPOLINO #2737 (2008) e em diversas republicações.
Brasil: MICKEY #794 (2008), DISNEY JUMBO #5 (2013), DISNEY DE LUXO #7 CINEMA (2015).

2
Drácula de Bram Ratoker
Dracula di Bram Topker, 72 páginas.
Roteiro de Bruno Enna, desenhos de Fabio Celoni.
Adaptação de Dracula, de Bram Stoker (1897).
Itália: TOPOLINO #2945-2946 (2012) e em diversas republicações, como DISNEY D'AUTORE #4 FABIO CELONI (2014).
Brasil: PATETA [3ª série] #17-18 (2012), DISNEY DE LUXO #7 CINEMA (2015).

3
Moby Dick
Moby Dick, 71 páginas.
Roteiro de Francesco Artibani, desenhos de Paolo Mottura.Adaptação de Moby-Dick or The Whale, de Herman Melville (1851).
Itália: TOPOLINO #3003-3004 (2013), MOBY DICK (2013), TOPOLINO LIMITED DE LUXE EDITION #8 (2016).
Brasil: TIO PATINHAS #580 (2013), DISNEY DE LUXO #7 CINEMA (2015).

4
Lo Strano Caso del Dottor Ratkyll e di Mr. Hyde
72 páginas.
Roteiro de Bruno Enna, desenhos de Fabio Celoni.

Adaptação de Strange Case of Dr Jekyll and Mr Hyde, de Robert Louis Stevenson (1886).
Itália: TOPOLINO #3070-3071 (2014), TOPOLINO LIMITED DE LUXE EDITION #1 (2014).
Brasil: inédita.
Notas: a Disney vetou a republicação dessa HQ por considerar que ela desfigura Donald (aqui, ele é o Monstro). A edição #3071 de TOPOLINO tem capa variante com um lenticular com efeito holográfico. Tal lenticular, avulso, acompanhou a edição de luxo gigante vendida exclusivamente no festival de Lucca de 2014. Intitulada TOPOLINO LIMITED DE LUXE EDITION, tal publicação apresenta uma versão em p&b da obra, diferentemente da colorização regular mostrada em TOPOLINO.

5
A Ilha do Tesouro
L'Isola del Tesoro, 93 páginas.
Roteiro de Teresa Radice, desenhos de Stefano Turconi.
Adaptação de Treasure Island, de Robert Louis Stevenson (1881-2).
Itália: TOPOLINO #3094-3096 (2015), TOPOLINO LIMITED DE LUXE EDITION #6 (2016).
Brasil: MICKEY #876-877 (2015).

6
Pé na Estrada
On the Road, 65 páginas.
Roteiro de Fausto Vitaliano, desenhos de Paolo Mottura.
Adaptação de On the Road, de Jack Kerouac (1957).
Itália: TOPOLINO #3109 (2015), TOPOLINO LIMITED DE LUXE EDITION #5 (2015).
Brasil: MICKEY #880-881 (2015-6).

7
Le Fantastiche Avventure di Don Pipotte e del Suo Fedele Scudiero Miguel Topancho
94 páginas.
Roteiro de Fausto Vitaliano, desenhos de Claudio Sciarrone.Adaptação de El Ingenioso Hidalgo Don Quijote de la Mancha, de Miguel de Cervantes (1605).
Itália: TOPOLINO #3155-3157 (2016).
Brasil: inédita (DISNEY BIG #42, dez/2016).

8
Duckenstein
Roteiro de Bruno Enna, desenhos de Fabio Celoni, em produção.
Adaptação de Frankenstein or The Modern Prometheus, de Mary Shelley (1818).
Itália: TOPOLINO #3179 (2016).
Brasil: inédita.

9
Metropolis
Roteiro de Francesco Artibani, desenhos de Paolo Mottura.
Adaptação de Metropolis, de Thea von Harbou (1925).
Itália: em produção.


Por Edenilson Rodrigues. 
Fontes: Acervo Planeta Gibi, Banco de Dados Planeta Gibi, divulgação.
Publicado originalmente em 9/ago/2016. Atualizado pela última vez em 23/set/2016.




22 comentários:

  1. Só digo uma coisa: Uau!!! é isso que queremos... sagas inéditas enchendo as páginas dos quadrinhos Disney, com histórias fantásticas... chega de rerererepublicações... tem tanta história inédita no Brasil, para que ficar REpublicando tanto material (recentemente lançado ou não) em revistas como o Disney Especial, o Big, capa dura,etc... E essas graphic novels são um colírio para os olhos... pena serem lançadas em formatinho... poderiam lançar diretamente em capa dura especial... mas... enfim... sei que a política é agradar todos os bolsos...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Na boa, acho que o melhor formato para essas histórias, que são especiais mas que podem ter novos episódios, seria formato grande (tipo americano), capa cartonada e papel bom, parecido com os volumes que a Pixel lança. Fica em um meio termo de preço e tamanho, comportando sagas de diferentes quantidades de páginas e podendo ser adicionadas facilmente com um novo volume. Infelizmente, já fiz essa pergunta ao Maffia aqui mesmo no Planeta Gibi e recebi um solitário "Não!"...

      Excluir
    2. Concordo. Já pensei nisso. A Abril bem q podia apostar em gibis formato americano e papel lwc ou couche, em capa dura ou cartonada, cerca de 130 pgs. a preco médio de R$ 25; assim como a Pixel ou a Panini (no caso da Panini, ela ainda consegue praticar o preço citado em alguns capas duras). Hqs mais longas do Casty, por exemplo, seria uma boa! Mas já achei um milagre a Abril apostar nos cpas duras, ainda q tardiamente.

      Excluir
    3. Se essas histórias forem publicadas no formato americano, os italianos que começaram a publicar Disney em formatinho

      Excluir
  2. Disney Big se perdeu completamente. A revista que servia para ter um apanhado de republicações e até sagas republicadas vem tendo cada vez mais páginas inéditas.
    Que pena... seria pedir muito que essa saga fosse uma edição temática ou que a colocasse nas mensais... oh vida...

    ResponderExcluir
  3. E pensar que Disney Big um dia teve Perdidos nos Andes, várias histórias bacanas de Giorgio Cavazzano, Massimo De Vita, Vicar, Don Rosa, Gerson Teixeira...

    ResponderExcluir
  4. Eu gostei demais por ser inédita. Não acho que Disney Big precise ter só republicações.

    E talvez seja apenas saudosismo meu. Mas Disney em formato americano.. espero que NEVER. hehe

    ResponderExcluir
  5. Pelo menos agora estão diversificando um pouco. Eu tinha a coleção completa do Big e parei de comprar por causa das histórias do Superpato e DD. Eu até tento, mas não consigo ir além da 3ª página.
    zzzzzzzzzzz

    ResponderExcluir
  6. Sobre as inéditas pode vir, claro que esses "monstros" italianos sempre faz ficar um pouco com pé atrás.

    História italiana quando é ruim, ou quando você não gosta, ela é a pior de todas, pois ela ocupa um número do páginas considerável.
    Essa saga aí, o recado já foi dado, são 170 páginas!
    Boa sorte para todos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Algumas histórias do Superpato eu gosto. Mas, de uns tempos pra cá, resolveram investir tanto no universo dele que nem parece mais um super-herói parodiando pelo Donald. Aventuras muito longas e com um viés sério demais pra mim, que estou acostumado a ver os super-heróis Disney em clima de paródia.

      Excluir
    2. Você disse tudo! Sou nostálgico, mas aberto às novas histórias, porém algumas produções italianas (olha que sempre gostei delas) têm extrapolado. Talvez fosse melhor criarem outros personagens ao invés de desconstruir os tradicionais de patopolis. Por exemplo, Mogli, havita, lobinho... São Disney, mas não são do núcleo patopolense, portanto não são histórias forçadas e com transgressões ao histórico e caráter do personagem. As sátiras da Disney sempre foram legais pois traziam a realidade ao mundo da fantasia com bom humor... Mas superpato atual tangencia a violência do universo Marvel (nada contra esses quadradinhos, pois também leio) com enredos muito sérios, como você disse. Enfim, tenho filtrado conforme meu gosto pessoal. O bom é que tem gibi para quase todos os gostos ultimamente.

      Excluir
    3. Graças a Deus tem gibis pra todos os gostos ainda... mas que a produção italiana anda um tanto sem graça, isso anda. Eu costumo gostar, Mas, de uns tempos pra cá, Algumas coisas não me chamam a atenção. Quando compro revistinha Disney, quero o universo Disney de sempre. Claro que as vezes é bom uma há que surpreende mas as vezes andam errando a não. E temos que nos considerar sortudos, pois a equipe da Abril até faz uma boa seleção de histórias. Ouvi dizer que em alguns países da Europa as escolhas de histórias são ruins.

      Excluir
    4. Onde escrevi "Uma há que surpreende", na verdade, quis dizer "Uma HQ que surpreende". Foi erro do corretor automático do aparelho.

      Excluir
    5. Eu tenho ai impressão que muitos parecem nem gostar da Disney, aí estão trabalhando ali e tratam de inventar coisas que aproximam de outros universos. Muito da Itália eu vejo tão descaracterizado que tenho dificuldade ali para reconhecer como Disney.

      Não significa que eu sou fechado para novidades, um Biquinho por exemplo foi uma novidade, foi um personagem novo, criado no Brasil e que vejo uma base, tem uma coerência, encontra uma imagem de um "Peninha pequeno", uma peste. Na maioria das histórias segue se relacionando com os demais patos.

      Já um Novo SuperPato, DD e versões são núcleos totalmente novos, muitas vezes é só o Pato Donald para dizer que aquilo é "supostamente" Disney.

      Excluir
    6. Eu gosto muitos das HQs secundárias que colocam nas mensais. Tá certo que algumas sao5 bombinhas, mas muitas delas sao5 legais e mostram muito mais da atmosfera dos quadrinhos Disney do que uma mega saga DD ou Superpato. Outro que não vejo a menor graça é Fantomius.

      Excluir
    7. E esse corretor não ajuda mesmo...kkkm

      Excluir
  7. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  8. Somos dois, Fantomius nem compro Tio Patinhas faz tempo. Mas já escrevi aqui, a Abril está dando tanto destaque para ele no Tio Patinhas, que acharia melhor trocar de nome e passar a ser gibi do Fantomius.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Uma hora é Fantomius, outra é um mapa de Patopolis que abocanha várias edições... é por isso que as mais compradas por mim ultimamente tem sido Donald, Mickey e Pateta.

      Excluir
    2. Este comentário foi removido pelo autor.

      Excluir
    3. Fantomius é excelente. Mas gosto é gosto...

      Excluir
  9. Queria ver isso em formato amerino :(

    ResponderExcluir

ANTES DE COMENTAR, POR FAVOR, LEIA:

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de quem os escreve e não refletem necessariamente a opinião do Planeta Gibi.

Não publicamos comentários que:
• Incluam quaisquer e-mails ou links;
• Mencionem outro estabelecimento que comercialize quadrinhos;
• Incluam ofensas e palavrões; fujam do tema em questão.

Atenção:
Os comentários aqui postados podem ser encaminhados para os editores que, eventualmente, poderão publicá-los nas revistas; caso não concorde com isso, explicite sua negativa no próprio comentário. Obrigado.