' '

16 de nov de 2015

DINASTIA PATO chega nesta semana

O especial capa dura HISTÓRIA E GLÓRIA DA DINASTIA PATO ainda nem foi lançado e já restam pouquíssimos exemplares na pré-venda que fazemos aqui, em nossa loja virtual (agradecemos por isso nossos clientes, que conhecem e muito prezam nossas embalagens super reforçadas e protegidas). 

Prometido pela Editora Abril para sair no final desta semana, o volume inclui a saga original e todos os seus capítulos extras e spinoffs. Uma edição definitiva, inédita no mundo, ainda contextualizada pelo editor Paulo Maffia, o jornalista Marcelo Alencar e o italiano Alberto Becattini — especialista em HQs Disney, curador da coleção dedicada à obra completa de Gottfredson. 




HISTÓRIA E GLÓRIA DA DINASTIA PATO
[DISNEY DE LUXO #8]
Editora Abril, Walt Disney, 19/nov/2015.
Publicação avulsa, formato 15,6 x 23 cm, 448+4 páginas cor, lombada quadrada, capa dura, miolo couché, R$ 59,90.
Compre aqui na pré-venda do Planeta Gibi.









O Planeta Gibi lista a seguir todos episódios deste especial e muitas curiosidades que os envolvem.

Primeiro Episódio
Tio Patinhas e o Ribombo Lunar
Storia e gloria della dinastia dei paperi: Zio Paperone e il rimbombo lunare
Roteiro de Guido Martina, desenhos de Romano Scarpa, cores de Giorgio Cavazzano.
Com Tio Patinhas, Donald, Professor Pardal, Huguinho, Zezinho e Luisinho.

Publicado originalmente em TOPOLINO #749 (5/abr/1970), 42 páginas.

Publicado no Brasil parcialmente (31 páginas) em TIO PATINHAS #108 (jul/1974), TIO PATINHAS DE OURO #1 (jun/1979), DISNEY ESPECIAL #100 (mai/1987) e DISNEY ESPECIAL REEDIÇÃO #100 (out/1997). Publicado no Brasil na íntegra em HISTÓRIA E GLÓRIA DA DINASTIA PATO #1 (set/2009).

Curiosidades: nas edições brasileiras antes de 2009, os episódios foram remontados pela Abril de três para quatro tiras por página, daí a notável diferença de folhas que cada capítulo ocupou nos gibis daqui. Além disso, a censura imperou: vários quadros foram alterados ou simplesmente eliminados. Vivia-se o auge da repressão da ditadura militar. O episódio foi primeiramente intitulado aqui O Segredo do Baú.

      


Segundo Episódio
Os Papiros de Pah-Tih-Nhas
Paperina e i papiri del Pah-Peh-Rheo
Roteiro de Guido Martina, desenhos de Giovan Battista Carpi.
Com Tio Patinhas, Donald, Professor Pardal, Huguinho, Zezinho e Luisinho, Metralhas e Margarida.

Publicado originalmente em TOPOLINO #750 (12/abr/1970), 35 páginas.

Publicado no Brasil parcialmente (26 páginas) em ALMANAQUE DISNEY #38 (jul/
1974), TIO PATINHAS DE OURO #1 (jun/1979), DISNEY ESPECIAL #100 (mai/1987) e DISNEY ESPECIAL REEDIÇÃO #100 (out/1997)Publicado no Brasil na íntegra em HISTÓRIA E GLÓRIA DA DINASTIA PATO #1 (set/2009).

Curiosidades: os gibis originais italianos traziam de brinde, cada um, as moedas citadas na história. Em 1977, a Espanha também agraciou os leitores da saga com coleção semelhante.  


      



Terceiro Episódio
Os Sestércios de César Pateticus
Petronius Paperonius e i sesterzi di Pippus Augustus
Roteiro de Guido Martina, desenhos de Giovan Battista Carpi.
Com Tio Patinhas, Donald, Huguinho, Zezinho e Luisinho, João Bafo-de-Onça, Pateta, Metralhas e Patacôncio.

Publicado originalmente em TOPOLINO #751 (19/abr/1970), 30 páginas.

Publicado no Brasil parcialmente (20 páginas) em MICKEY #262 (ago/
1974), TIO PATINHAS DE OURO #1 (jun/1979), DISNEY ESPECIAL #100 (mai/1987) e DISNEY ESPECIAL REEDIÇÃO #100 (out/1997)Publicado no Brasil na íntegra em HISTÓRIA E GLÓRIA DA DINASTIA PATO #1 (set/2009).

Curiosidades: este episódio foi inicialmente intitulado aqui Ave, César Pateticus. A edição de MICKEY que primeiro o apresentou trouxe um pôster exclusivo da saga. O brinde media 40 x 54 cm (veja imagem abaixo).

      

Clique para ampliar


Quarto Episódio
As Libras Esterlinas da Trisavó Donalda
Paperon McPaperon e le sterline di Trisnonna Papera
Roteiro de Guido Martina, desenhos de Romano Scarpa e cores de Giorgio Cavazzano.
Com Tio Patinhas, Donald, Huguinho, Zezinho e Luisinho, Professor Pardal, Pateta, Metralhas e Patacôncio.

Publicado originalmente em TOPOLINO #752 (26/abr/1970), 31 páginas.

Publicado no Brasil parcialmente (23 páginas) em 
TIO PATINHAS #109 (ago/1974), TIO PATINHAS DE OURO #1 (jun/1979), DISNEY ESPECIAL #100 (mai/1987) e DISNEY ESPECIAL REEDIÇÃO #100 (out/1997)Publicado no Brasil na íntegra em HISTÓRIA E GLÓRIA DA DINASTIA PATO #1 (set/2009).

Curiosidades: 
este episódio foi inicialmente intitulado O Tesouro e o DragãoDinastia Pato foi a segunda saga Disney cuja publicação aqui se deu em títulos diferentes (TIO PATINHASALMANAQUE DISNEY e MICKEY). Cerca de dois anos antes, em 1972, esses títulos já haviam se unido para apresentar A Caça ao Tesouro (que foi republicada uma única vez, em TIO PATINHAS DE OURO #2, 1979).

      


Quinto Episódio
O Rei da Arena
Paperin de la Scalogna e il re dell'arena
Roteiro de Guido Martina, desenhos de Giovan Battista Carpi.
Com Tio Patinhas, Margarida, Gastão, Donald, Huguinho, Zezinho e Luisinho e Minnie.

Publicado originalmente em TOPOLINO #753 (3/mai/1970), 29 páginas.

Publicado no Brasil parcialmente (21 páginas) em ALMANAQUE DISNEY #39 (ago/
1974), TIO PATINHAS DE OURO #1 (jun/1979), DISNEY ESPECIAL #100 (mai/1987) e DISNEY ESPECIAL REEDIÇÃO #100 (out/1997)Publicado no Brasil na íntegra em HISTÓRIA E GLÓRIA DA DINASTIA PATO #1 (set/2009).

Curiosidades: este episódio foi inicialmente intitulado aqui O Grande ToureiroO colecionador fervoroso sabe que para ter TODOS os gibis brasileiros com a Dinastia precisa também ir atrás de DISNEY ESPECIALÍSSIMO #3 e #29, cujas encadernações trouxeram, respectivamente, DE #100 e DER #100.

      


Sexto Episódio
Donald e o Fora-da-Lei de Pensacola
Storia e gloria della dinastia dei paperi: Paperino e il fuorilegge di Pensacola
Roteiro de Guido Martina, desenhos de Romano Scarpa e arte-final de Giorgio Cavazzano.Com Tio Patinhas, Patacôncio, Metralhas, Donald, Huguinho, Zezinho e Luisinho. 

Publicado originalmente em TOPOLINO #754 (10/mai/1970), 31 páginas. 

Publicado no Brasil parcialmente (23 páginas) em TIO PATINHAS DE OURO #1 (jun/1979), DISNEY ESPECIAL #100 (mai/1987) e DISNEY ESPECIAL REEDIÇÃO #100 (out/1997)Publicado no Brasil na íntegra em HISTÓRIA E GLÓRIA DA DINASTIA PATO #2 (out/2009).

Curiosidades: a Abril pulou este episódio quando publicou a saga pela primeira vez. Somente em TIO PATINHAS DE OURO #1, cinco anos depois, é que os leitores brasileiros puderam conhecê-lo (e foi então intitulado O Corsário Mascarado). 



Sétimo Episódio
Os Canhões do Mississípi
Zio Paperone e i cannoni del Mississippi
Roteiro de Guido Martina, desenhos de Romano Scarpa e arte-final de Giorgio Cavazzano.
Com Mickey, Pateta, Tio Patinhas, Pato Donald, Huguinho, Zezinho e Luisinho, Irmãos Metralha e Patacôncio.

Publicado originalmente em 
TOPOLINO #755 (17/mai/1970), 38 páginas.

Publicado no Brasil parcialmente (20 páginas) em MICKEY #263 (set/
1979), DISNEY ESPECIAL #100 (mai/1987) e DISNEY ESPECIAL REEDIÇÃO #100 (out/1997)Publicado no Brasil na íntegra em HISTÓRIA E GLÓRIA DA DINASTIA PATO #2 (out/2009).

Curiosidades: quando inicialmente publicado aqui (com o título No Mississípi), a Abril cortou nada menos que suas oito páginas de abertura. A edição de MICKEY que nos apresentou este episódio também deu um pôster de brinde, porém não referente à saga (e sim contendo uma HQ em formato gigante, chamada Uma Aventura Antiga de Mickey, compilando tiras de Floyd Gottfredson).

 


Oitavo Episódio
Tio Patinhas e o Ouro do Klondike
Zio Paperone e l'oro del Klondike
Roteiro de Guido Martina, desenhos de Romano Scarpa e arte-final de Giorgio Cavazzano.
Com Tio Patinhas, Patacôncio, Pato Donald, Huguinho, Zezinho e Luisinho. 

Publicado originalmente em TOPOLINO #756 (24/mai/1970), 39 páginas. 

Publicado no Brasil parcialmente (16 páginas) em TIO PATINHAS #110 (set/1979), DISNEY ESPECIAL #100 (mai/1987) e DISNEY ESPECIAL REEDIÇÃO #100 (out/1997)Publicado no Brasil na íntegra em HISTÓRIA E GLÓRIA DA DINASTIA PATO #2 (out/2009).

Curiosidades: impressionantes treze páginas desse episódio (antes chamado de O Segredo do Tesouro) foram cortadas pela Abril quando a  saga saiu primeiramente aqui (e também em todas suas republicações antes de 2009).

 


Episódio Extra Brasileiro
A Quinta Mosqueteira
Desenhos de Euclides K. Miyaura.
Com Margarida, Pato Donald, Peninha, Huguinho, Zezinho e Luisinho, Tio Patinhas, Gastão e João Bafo-de-Onça.

Publicado originalmente em DISNEY ESPECIAL #100 (mai/1987), 21 páginas. 

Republicada em ZÉ CARIOCA #2346 (abr/2010). Não republicada na edição em formato americano de 2009. 
Inédita na Itália. 

Curiosidades: quando a Abril escolheu a saga para comemorar a centésima edição de DISNEY ESPECIAL, em 1987, havia um pequeno detalhe: a revista tinha 228 páginas e a obra, tal qual já havia sido remontada e publicada em TIO PATINHAS DE OURO #1, menos de 200. A solução foi algo polêmica: um capítulo "5.5" foi criado por aqui mesmo para ocupar as páginas que sobravam. 

O episódio, desenhado por Euclides Miyaura, em muito destoava do traço italiano. Ainda assim, pequenas referências a ele foram feitas em outros capítulos, a fim de inseri-lo adequadamente na trama. 

A escolha de Margarida como sua protagonista não foi à toa: ela tinha acabado de ganhar título próprio, com estrondoso sucesso comercial e repercussão midiática. 

Quando DISNEY ESPECIAL REEDIÇÃO atingiu também seu número 100, repetiu-se a dose (claro) de reeditar a Dinastia. Ocorre que a revista já havia diminuído sua quantidade de de páginas e esse episódio brasileiro foi deixado de lado.

No entanto, e apesar de toda a saga ter sido repintada para o DER, aparentemente ninguém na Abril notou que ali permaneceram as referências ao capítulo brasileiro, então suprimido. Veja imagens desse descuido no final deste post. 

Quando a Abril relançou em 2009 a Dinastia em formato americano, em dois volumes, também optou por não incluir ali este episódio, que acabou saindo meses depois numa edição de ZÉ CARIOCA (quando ocorreu sua primeiríssima republicação desde então).

O episódio permanece inédito na Itália, onde a saga foi criada.



Episódio Extra (II Bis)
Petronius Patinius e a Invasão dos Bárbaros
Petronius Paperonius e la calata dei barbari — episodio extra (II bis)
Roteiro de Alberto Savini, desenhos de Andrea Freccero.
Com Tio Patinhas, Pato Donald, Huguinho, Zezinho e Luisinho, Professor Pardal, Gastão, Irmãos Metralha, Bafo e Maga Patalójika.

Publicado originalmente em 
TOPOLINO #2569 (22/fev/2005), 66 páginas.

Publicado no Brasil na íntegra em HISTÓRIA E GLÓRIA DA DINASTIA PATO #2 (out/2009).

Curiosidade: este capítulo extra, dividido em duas partes, foi produzido e publicado na comemoração dos 35 anos da saga original.

       


Spinoff 1
A História da Dinastia Pato: As Aventuras do Pato Canhoneiro
I paralipomeni della dinastia dei paperi: Le avventure di Paperin cannoniere
Roteiro de Giorgio Figus, desenhos de Valerio Held.

Publicado originalmente em TOPOLINO #2027 (4/out/1994), 31 páginas.

Publicado no Brasil na íntegra em ALMANAQUE DISNEY #294 (jan/1996).

Curiosidades: será a primeira vez que essa aventura ganhará republicação no Brasil. A Itália não a incluiu em sua edição "definitiva" da saga, lançada em 2009 como o segundo volume do hoje encerrado título TESORI DISNEY.


Spinoff 2
[Crônicas da Dinastia Pato: A História de um Pato Ateniense]
I paralipomeni della dinastia dei paperi: Le vicende di un papero ateniese
Roteiro de Giorgio Figus, desenhos de Valerio Held.

Publicado originalmente em TOPOLINO #2097 (6/fev/1996), 40 páginas.

Inédita no Brasil.

Curiosidade: A Itália tampouco incluiu essa HQ na citada edição de TESORI DISNEY.


Seis... Sete... Oito moedas!


Os sobrinhos acham seis moedas no segundo episódio da primeira publicação brasileira, em ALMANAQUE DISNEY #38 (1974)...


...Mas em TIO PATINHAS DE OURO #1 (1979), o episódio O Corsário Mascarado seria publicado pela primeira vez. Então aumentou-se uma moeda na fala dos sobrinhos...


...E em DISNEY ESPECIAL #100 (1987), contou-se uma moeda a mais, referente à Quinta Mosqueteira. O problema é que DISNEY ESPECIAL REEDIÇÃO #100 (1997) suprimiu o episódio brasileiro, mas manteve o balão sem alteração! (Vide as curiosidades do Episódio Brasileiro, acima)


Sete moedas sobre a mesa, em quadrinho de ALMANAQUE DISNEY #38. Ué!? Mas eles não tinham acabado de mencionar seis moedas?


O mesmo quadrinho em DISNEY ESPECIAL REEDIÇÃO, mostrando por engano a oitava moeda desenhada especialmente para o DISNEY ESPECIAL (com seu capítulo brasileiro)


"E assim, a sétima moeda..." de novo, a publicação original brasileira esqueceu-se de apagar a referência a O Corsário Mascarado. O quadrinho saiu assim em TIO PATINHAS #110 (1974) e em TIO PATINHAS DE OURO


Quadrinho de DISNEY ESPECIAL REEDIÇÃO: a moeda fantasma da Margarida



Nota: 
A Editora Abril não identifica oficialmente os encadernados capa dura sob um título de coleção, tampouco os numera sequencialmente. O título e a numeração atribuídos pelo Planeta Gibi têm finalidade meramente referencial.

SOBRE PEDIDOS E SEGURANÇA DE TRANSAÇÃO
loja virtual Planeta Gibi Comic Shop está no ar desde nov/2006. 

Desde meados de 2015 é hospedada no UOL, empresa do Grupo Folha, que garante toda a a segurança e confidencialidade das transações.

Os pagamentos podem ser feitos via PagSeguro, ferramenta também do UOL que permite o uso de cartões de crédito ou a emissão de boletos bancários, à escolha do cliente. Nessa modalidade, toda a transação é conduzida automaticamente pelo UOL, dentro de seus elevados padrões de segurança e automação.

O cliente também pode optar pelo pagamento direto, via depósito em contas correntes fornecidas no fechamento do pedido. Trabalhamos com Banco Itaú, Bradesco, Banco do Brasil e Caixa Econômica Federal.

SOBRE EMBALAGENS, POSTAGENS E ENTREGA
Embalagem:
Planeta Gibi toma toda a precaução na hora de embalar sua compra para que as revistas não sofram avarias no transporte e entrega. Um volume em capa dura, por exemplo, é protegido para impedir amassados em suas pontas.

Modalidades de entrega:
O cliente, ao efetuar seu pedido, pode optar pelas seguintes modalidades de entrega, todas a cargo da ECT (Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos); os prazos de entrega são aqueles estimados pelos próprios Correios, que são igualmente responsáveis por cumpri-los:
a) 'PAC': modalidade simples de postagem
b) 'Sedex': modalidade expressa de postagem
c) 'Outros envios': modalidade simples e econômica de postagem (as revistas são despachadas pelos Correios como “impresso registrado módico” ou “carta registrada”, dependendo das regras dos Correios em conformidade com o peso total da embalagem a despachar)

Rastreamento de entrega:
Seja qual for a opção de postagem feita pelo cliente, ele receberá o código de rastreamento fornecido pelos Correios e o link onde poderá acompanhar as etapas de entrega. A opção "outros envios" não permite o acompanhamento passo a passo (apenas confirmações de postagem e entrega).

SOBRE PRÉ-VENDAS
O cliente que incluir em sua compra um item que esteja em pré-venda deve estar ciente de que a postagem somente será feita quando tal item for disponibilizado pela editora. Se incluir itens cujas datas de lançamento forem diferentes, a postagem ocorrerá apenas quando o último item for lançado.

A data de disponibilização de item em pré-venda é fornecida pela própria editora e pode sofrer alterações. No caso de item da Editora Abril, atrasos de lançamentos são raros, mas podem ocorrer.


Por E. Rodrigues & Rivaldo Ribeiro







33 comentários:

  1. Vou comprar certo! Para mim é o que de melhor a Itália produziu.

    ResponderExcluir
  2. Me lembro como fiquei feliz quando ganhei na minha saudosa infância um exemplar já usado de Disney Especial 100, que compilou os primeiros capítulos da Dinastia Pato. Inclusive ainda tenho a revista. Gostaria que os dizeres dos balões de diálogos fossem os mesmos daquela edição, pois dá gosto de ler as frases muito bem feitas, mas claro que atualizaram para as gírias de hoje, mas faz parte.

    ResponderExcluir
  3. ATENÇÃO PESSOAL! "História e Glória da Dinastia Pato" em capa dura lançada agora em Novembro de 2015 está com sérios problemas de impressão, principalmente nas páginas 205, 237, 267, 268 e 269, onde vários quadros tem partes do desenho faltando.

    Além disso, várias páginas tem problemas menores de impressão, como números de página borrados, quadros com manchas na impressão, diferença gritante de cores entre personagens na mesma página ou na página seguinte... enfim... Qualidade de impressão muito baixa pelo preço que está se pagando.

    Falando com amigos de todo o Brasil percebe-se que este problema é generalizado e, infelizmente, parece afetar todas as edições à venda atualmente.

    Tentamos contato com a Abril através da página dela no Facebook e e-mail, mas até o momento não tivemos retorno.

    Aparentemente ela agiu de má fé, pois uma simples conferência nos impressos teria mostrado que o problema era geral e que a edição não tinha qualidade suficiente para ser enviada para venda aos consumidores finais.

    ResponderExcluir
  4. Pessoal do Planeta Gibi, poderiam por favor enviar este problema para a Abril e buscar um posicionamento deles?

    Se precisarem de fotos exemplo do problema, posso disponibilizar.

    ResponderExcluir
  5. Tou puto essa bosta da abril aí fala que teve que ser feitas os capas duras aqui nessa bosta de Brasil pq aqui o matérial seria de ótima qualidade ,que qualidade e essa com tanta merda feita a abril tem.que fecha mesmo já começou com a revista playboy. Falta o resto não querer mas que abril fassa suas capas.

    ResponderExcluir
  6. Outra coisa: porque as histórias não estão organizadas em ordem cronológica?

    A ultima história, por exemplo, se passa na Grécia antiga, depois do fechamento do arco.

    Não tem a menor graça ler uma revista assim, sem continuidade na história. Se existe uma linha do tempo, por que não segui-la?

    foge a minha compreensão essa lógica dos editores da Abril.

    ResponderExcluir
  7. Mas não, daqui a pouco vem os defensores acomodados e omissos, a dizer que se não fosse a abril, que não sei mais o que, é etc. olha, tem que mudar, chega!!! Parem de tanto abuso com os leitores, não vamos parar de cobrar, vamos ser persistentes, pois o próprio planeta veio dizer que a impressão estava perfeita, temos os comentários printeados, então vamos parar de fazer vista grossa, não estamos querendo nada de graça, estamos pagando caríssimo por um material de qualidade e não o temos, chega abril, chega!!!!

    ResponderExcluir
  8. Estão pagando caríssimo?? Tem certeza?? Acho que falta informação do que rola por ae acerca de encadernados capa dura no Brasil. Cobrar se faz necessário sempre. Mas tem que saber primeiro o que vai cobrar. E não sei os outros, falo por mim. Meto pau quando tenho que meter. Rasgo elogios quando tenho que elogiar. Simples. Tem gente que critica por gosto ou oportunismo. Se o encadernado custasse dez reais e fosse lancado simultaneamente em todo o Brasil, ainda fariam muitas críticas.

    ResponderExcluir
  9. Eu agora na dúvida, acho que não vou mais comprar. Eu iria comprar pensando em ter uma edição definitiva e não ser trolado com esses problemas aí.

    O pior de tudo é que não tem como escolher, vem fechado... Se eu pudesse abrir para olhar e comprar...

    ResponderExcluir
  10. Melhor não comprar mesmo. Eu não comprei nenhum ainda. Pode ser que eu compre, mas... Sabemos bem que esses erros existem e não são tao incomuns assim na Abril.

    ResponderExcluir
  11. Pois é, já é um costume ter edições com uma impressão vagabunda, papel vagabundo em mensais, big, jumbo e outras... Mas no final sempre engolimos.
    Mas se começarem a fazer isso com Capa Dura ninguém vai aceitar calado, pois perderá todo o sentido da proposta. Eles que não brinquem que o papo será outro. Já dá para notar o tom aí dos comentários.

    Eu agora vou esperar e ficar de olho nos acontecimentos... Espero que o problema seja resolvido logo, pq eu realmente estava bem interessado. Mas também paciência, não vou jogar dinheiro fora também.

    ResponderExcluir
  12. Tá vendo só, sempre tem um pra dizer que somos reclamoes e etc. mas fica e vive sempre conformado, caríssimo sim meu caro, 60 reais não é qualquer coisa não, até porque são de fato mais de 200 reais só de encadernado, é um quarto de um salário mínimo, talvez não seja pra vc, a vida inteira, devido amarmos os quadrinhos Disney, estamos engolindo as besteiras da abril, mas felizes pelos quadrinhos, claro, porém está chegando num momento crítico, onde nosso grito vai ecoar até mesmo fora do Brasil se preciso for, infelizmente por aqui e nem pela abril não somos atendidos de modo satisfatorio, essas revistas defeituosas devem ser todas recolhidas, pode ter certeza, qualquer dia desse teremos uma voz forte, e não abafada como acontece por aqui!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nem vou me dar o trabalho de responder a quem não quer prestar atenção no que escrevo. Acho que não se deve gastar dinheiro suado com isso. Eu não gasto. Mas cada um e cada um. Gaste um dinheiro que não tem e fique reclamando então. Eu sou pobre. Não tenho porque ficar comprando esse tipo de produto. Mais pobre ainda e quem compra sem poder e agora fica choramingando.

      Excluir
  13. Fabiano Caldeira, basta comparar o preço dos capa dura da Disney/Abril com as publicações mensais em capa dura da DC e Marvel, por exemplo. Fazendo a conta do preço por página impressa (visto que a quantidade de páginas é diferente entre as publicações) você vai ver que o preço das outras editoras está variando entre 3% a 10% mais baratas que a Abril.

    Além disso, temos que comparar também a qualidade. Mesmo que os preços fosse os mesmos, nunca vi em nenhuma dessas publicações, de forma generalizada como aconteceu com a Abril, problemas de impressão, falhas nos desenhos e diferenças de cores dentro da mesma página.

    Me desculpe mas, HQs e Gibis não são produtos de primeira necessidade. Assim sendo, são classificados como supérfluos e/ou produtos de luxo. Comparando o preço de um capa dura com o de uma publicação mensal, o capa dura se torna ainda mais caro. Seu publico alvo é, com certeza, o de colecionadores, que se dispõe a pagar somas muito maiores por um capa dura do que o publico médio e, com certeza, é por isso que a tiragem de capas dura é limitada e muito menor do que a de uma publicação mensal.

    Feita a colocação de que os capa dura são voltados para colecionadores, que geralmente são mais exigentes do que o publico mediano, é lugar comum dizer que a qualidade do produto a venda deve ser melhor e com menos erros.

    Isto posto, neste caso específico da "História e Glória da Dinastia Pato" em capa dura lançada agora em Novembro de 2015, temos diversos problemas de qualidade, como por exemplo os problemas de impressão nas páginas 205, 237, 267, 268 e 269, onde vários quadros tem partes do desenho faltando e sem as cores corretas. Além disso, várias páginas tem problemas menores de impressão, como números de página borrados, quadros com manchas na impressão, diferença gritante de cores entre personagens na mesma página ou na página seguinte.

    Lembrando que o problema acima é geral e está em TODAS as edições e que poderia ter sido evitado com uma simples atividade de conferência das impressões antes da venda.

    Vou aproveitar a oportunidade e somar à lista de problemas o fato desta edição estar menor do que as Capa Dura anteriores, o que, mais uma vez, mostra a falta de padronização e qualidade nas publicações "de luxo" da Abril. Novamente, para um colecionador, é importante que as coleções façam sentido e estejam padronizadas. Mais uma vez vou usar uma comparação: a coleção de 120 (CENTO E VINTE) capas dura da Marvel histórica e a coleção de 60 (SESSENTA) capas dura da DC tem todos os mesmo tamanho. Sem contar as publicações da Vertigo, Dark Horse, dentre outros, que sempre tem o mesmo tamanho.

    A Abril não conseguiu lançar nem DEZ capas dura com o mesmo tamanho. Isso deve mostrar alguma coisa, não?

    Não sei se esses problemas são o suficiente para que você "meta o pau", mas para mim e inúmeros outros colecionadores de todo o Brasil (com quem mantenho contato frequente) é só mais uma prova da baixa qualidade dos produtos e atividades que a editora Abril está fazendo com suas publicações de luxo no Brasil.

    Apenas para encerrar e deixar claro meu ponto de vista, caso ainda não tenha me expressado bem o suficiente, para mim e meus colegas colecionadores é INACEITÁVEL que um produto capa dura histórico, para coleção seja vendido com graves erros de impressão em diversas páginas por R$59,90, mais caro do que publicações de outras editoras e até mesmo, em pior estado que publicações anteriores da própria Abril.

    Continuo esperando um posicionamento oficial da Abril sobre o assunto.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi. Eu te respondi em uma postagem mais recente do Planeta Gibi. Um abraço. Tudo de bom.

      Excluir
  14. Alguém me disse em algum lugar (talvez aqui no PG mesmo), que considera os capa-duras da Abril caros, pq os capa-dura da Panini e Mythos, por exemplo, tem a gramatura do papel miolo, maior! Bem, que seja, pela quantidade de páginas, não acho q os capa-duras da Abril sejam caros, mas acho q a gráfica contratada, independente da gramatura do papel que use, tem que ter competência para entregar quatrocentas páginas com qualidade de impressão e muito bem encadernadas! Afinal, quem tem coragem de desembolsar R$ 60 num gibi, merece no mínimo, qualidade!!!

    ResponderExcluir
  15. Ah Marcelo Borba e Knowledge, só pra constar, comprei um desses capa-duras, e veio a tal da nota transparente! 40% do valor total, veio destacado como imposto direto! Quem disse que no Brasil, livros não tem impostos?!

    Entendo também que a Abril não pôde contratar gráficas asiáticas devido ao aumento absurdo do dólar (em julho do ano passado, quando fui no Paraguai, tava R$ 2,30). Por esses dias, chegou a mais de R$ 4! Logo, teve que se virar com as gráficas brasileiras (talvez a sua própria ou alguma outra baratinha), lembrando que os serviços gráficos também aumentaram, porque papel e tinta, por exemplo, seguem a cotação do dólar!

    No entanto... Pô, Abril, eu penso assim: aumente um pouco o produto se necessário, mas não desconte na qualidade, não reduza páginas! Isso vai deixar o consumidor mais insatisfeito do que pagar um pouco a mais!

    ResponderExcluir
  16. Caros, não é preciso ser um engenheiro da NASA pra garantir a qualidade de uma impressão em gráfica (afinal, existem muito mais gráficas do que engenheiros espaciais).

    Todas as gráficas de qualidade trabalham com um conceito simples: provas de qualidade. Vou explicar (quem sabe a Abril adota esse processo das próximas vezes).

    1. Quem está comprando as impressões manda a arte para a gráfica;
    2. A gráfica imprime algumas cópias de exemplo e manda de volta para o cliente;
    3. O cliente revisa e pede correções quando necessário (podem ocorrer problemas nas cores, foco, quantidade de pontos na impressão e etc);
    4. As idas e voltas das correções acontecem quantas vezes forem necessárias até terem qualidade;
    5. Depois que a impressão é aprovada, começa a produção em massa;
    6. O cliente faz verificações da qualidade por amostragem e aprova ou não o trabalho entregue;

    Considerando que TODAS as edições de História e Glória vieram com erro, está claro que não houve processo de controle de qualidade.

    Vejam bem: o problema não tem nada a ver com o custo do dólar, nem com a produção no Brasil. O problema é a falta de controle de qualidade por parte da Abril (ok, em parte é culpa das gráficas também, que também não fizeram controle de qualidade do que elas mesmas entregaram).

    O custo pro consumidor final (R$ 60,00) é alto? Sim, é alto. Mas eu, como colecionador, pagaria esse preço sem problemas se fosse um produto de qualidade. Esse é o ponto. Ninguém aqui está pedindo para baixarem os preços. Estamos simplesmente falando que pagar R$ 60,00 e receber um produto de baixa qualidade é dar um tapa na cara dos clientes.

    ResponderExcluir
  17. Foi o q eu disse quanto ao preço, mas a alta do dólar teria influenciado na mudança de gráfica sim, pq isso foi afirmado, o q não quer dizer q os asiáticos sao melhores q nós. Os brasileiros também tem condições (e obrigacao) de fazer um bom serviço gráfico.

    Aliás, a Abril já foi bastante xingada, mas e a grafica? Eu não comprei nenhum dos quatro capa.duras q saíram por último, mas se foi a grafica Abril, então a editora merece ser xingada ainda mais, mas se foi alguma gráfica terceirizada, então divulguem o nome, por favor, pq seria interessante divulgar também, quem é a incompetente q fez o serviço porco!!

    ResponderExcluir
  18. Fabiano Caldeira, não é questão de gastar dinheiro que não tem. É questão de comprar um produto e ele vir com defeito.

    Nenhum produto comprado com defeito é aceitável, seja ele uma revista, livro, geladeira, celular, televisão...

    Ninguém aqui compraria um notebook arranhado. Nem um livro faltando páginas.

    Porque um gibi faltando desenhos deveria ser aceitável?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Você não leu minha resposta na postagem mais recente. Pena.... Vocês duplicam seus comentários nas postagens daqui, mas só ficam olhando um lugar só. Um abraço de paz.

      Excluir
  19. fabiano, nao importa se duplicam ou nao, se olham em um so lugar ou nao, o que importa e a palhaçada que essa editora anda fazendo com os colecionadores, te garanto que tem muita gente calada e que nao e encrenqueiro como a gente, mas esta morrendo de raiva desse descaso editorial.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Concordo contigo. Só informei ao colega que eu respondi ao comentário que ele pos lá. Aí a pessoa poe o dela lá, mas só me lê aqui. Não que eu esteja preocupado em ser julgado. Só tive a considerar de informar. Logo nem essa consideração eu terei. Pois cansa ter consideração e isso ser só de uma única mão. Um forte abraço.

      Excluir
  20. e tem mais uma coisa, se atravez desse recurso "democratico" que e o planeta do gibi, nao alcançarmos respostas satisfatorias e um minimo de providencia ou um minimo de retrataçao por parte da abril, vamos fazer um movimento nacional, e vamos fazer nossa voz ser ouvida no exterior, de modo que esse contrato de exclusividade e permanente que a abril detem, começara a ser questionado, isso nos garantimos. se naoi querem fazer direito, tem quem quer, e tem mais, esse papo de reciprocidade nao cola, pois nunca ganhamos gibis todos os meses de graça, pagamos por eles, caros ou baratos, pagamos por eles. ate porque se nao fosse os quadrinhos, como ja dizia o ja falecido "civita pai"...."se nao o a revista do pato donald, teriam ido a bancarrota"....por isso os quadrinhos no brasil por parte da abril tinha que ser mais bem tratados.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Façam mesmo. Só sejam responsáveis no que vão falar. Mas sou a favor.

      Excluir
  21. Oi, pessoal. Comprei hoje minha cópia de HEGDDP e só agora vi as reclamações de vocês (e com razão). Alguém sabe qual o posicionamento da Abril quanto ao fato? Existe a possibilidade de um recall?

    ResponderExcluir
  22. Até aqui silêncio total, retiraram os anúncios do grupo e só.

    ResponderExcluir
  23. Vi o amigo perguntando sobre o recall, um amigo nosso fez a reclamação na abril e a resposta deles foi que tudo é sujeito a defeitos(como se fosse normal) e que a revista esta excelente como esta é que não existe nenhuma possibilidade de devolução ou troca, pois todas estão do mesmo jeito (defeituosas). Em outras palavras a abril está pouco se lixando pra nós colecionadores. Lamentável sermos tratados assim com todo esse descaso. Só nos resta fazer a Disney nos EUA saber o que está acontecendo por aqui a anos e que a nação disneyana estará prestes a fazer um boicote aos produtos dessa editora caso não nos levem a sério! Tem muita gente disposta a isso, e tem muitos já fazendo.

    ResponderExcluir
  24. Hum, mas se for falar para da Disney do USA que vai fazer boicote, ameaça boicote a própria Disney dos Estados Unidos junto, também aproveita e coloca no meio os patrocinadores da editora, esse grupo aí do boicote se puder ameaçar a editora que vai mandar mensagem para os patrocinadores dela dizendo que vai boicota eles junto, aí é mais gostoso ainda...

    ResponderExcluir
  25. Decepcionante essa atitude da Abril.

    ResponderExcluir
  26. Tava com medo desses erros mas recebi a minha hoje e pessoalmente são totalmente toleráveis, não ia me dar ao trabalho de trocar. Ams reprovo a atitude da Abril.

    ResponderExcluir
  27. gustavo basso... esses erros só são toleráveis pq com certeza a abril vai deixar tudo como está. Pelo menos a gente reclamando faz "um barulho", mas o ideal mesmo é termos o recall.

    Comprei a minha edição na quarta feira dessa semana e realmente me sinto incomodado de ter um "produto" de luxo com tantos defeitos.

    Por menos que isso eu já troquei ou até mesmo substitui tempos depois edições das coleções da Salvate, por exemplo que estavam com pequenos amassados nas capas.

    E isso só nas capas, imagina esses erros que estão dentro dessa edição da abril.

    Se pudesse eu trocava a minha com maior prazer, mas pelo que li aqui, se todas estão assim, então a abril realmente mandou o controle de qualidade dela "às favas" e isso é muito triste :(

    ResponderExcluir
  28. E só pra complementar meu comentário ai de cima... eu comprei achando que esse defeito fosse só em algumas edições, se eu tivesse visto antes que foram em todas não teria jogado meu dinheiro fora :(

    ResponderExcluir

ANTES DE COMENTAR, POR FAVOR, LEIA:

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de quem os escreve e não refletem necessariamente a opinião do Planeta Gibi.

Não publicamos comentários que:
• Incluam quaisquer e-mails ou links;
• Mencionem outro estabelecimento que comercialize quadrinhos.
• Incluam ofensas e palavrões;

Atenção:
Os comentários aqui postados podem ser encaminhados para os editores que, eventualmente, poderão publicá-los nas revistas; caso não concorde com isso, explicite sua negativa no próprio comentário. Obrigado.