' '

9 de jun de 2015

65 Anos Bem Contados: 1981-1990 (Parte 2 de 4)

Continuando com os anos 1980... ZÉ CARIOCA ganha independência definitiva de PATO DONALD: as edições #1751 marcam o início de fases distintas para ambas as revistas, pela primeira vez desde sempre. 

E ainda: depois de quase um ano fora de circulação, EDIÇÃO EXTRA volta, em novo estilo...  Reestreiam os almanaques Disney... Quadrinhos Star geram várias revistas, como THUNDERCATS... MARGARIDA estreia seu próprio gibi (e vende mais do que o DONALD)... A Abril rompe com Mauricio e os gibis da Turma circulam pela última vez com a árvore na capa em dez/1986, mas... 


Página de ZÉ CARIOCA #1751, de 24 de maio de 1985: a primeira edição totalmente emancipada do título PATO DONALD. Também a primeira com 44 páginas, mas ainda quinzenal. No mês seguinte, o gibi exibiria na capa um histórico e inédito número par pela primeira vez. 

Enquanto isso, o PATO ganhava um formato bem maior (e ótimo), aumentava de 36 para 84 páginas (excelente), passava de quinzenal para mensal (compreensível). E focaria num outro público, mesclando quadrinhos com reportagens e afins, sobretudo relacionados à música, ao rock nacional (hmm...). Na verdade, a editora preparara o título para circular paralelamente à revista tradicional quinzenal, mas a iniciativa naufragou na última hora. Veja mais sobre isso aqui


O GRANDE ALMANAQUE DE FÉRIAS estreou em jul/1985 (anúncio em ZC #1754) em formato pouco maior do que o americano. Na edição seguinte, substituiu o "Férias" do título por "Natal". E foi assim, trocando de título nos meses de novembro, até a derradeira edição #18 (dez/1992). 

O gibi inspirou claramente o similar da Turma da Mônica. Primeiro, na própria Abril, com o SUPERALMANAQUE DO MAURICIO (fev/1986), uma edição única, no mesmo formato do similar Disney, mas com algumas páginas a menos. Tal SUPERALMANAQUE ganharia um segundo número, mas já na Editora Globo (jul/1987). Depois, o título viraria o ALMANACÃO DE FÉRIAS TURMA DA MÔNICA (desde jan/1988, e até hoje publicado pela Panini, justamente como GRANDE ALMANAQUE DE FÉRIAS TURMA DA MÔNICA)


O anúncio acima é exemplar da nova fase de PATO DONALD (publicado no #1753, ago/1985). Não há registro anterior de calhau de revista que não fosse infanto-juvenil ou educativa nas páginas de PD ou ZC

A revista Bizz, antes dessa edição #1, teve um número zero, desde sempre bastante disputado no mercado paralelo. Depois do cancelamento da revista mensal, a Abril lançava de tempos em tempos especiais com a marca Bizz a fim de assegurar sua propriedade — tal como fez durante anos a fio com a marca DIVERSÕES JUVENIS (e, claro, a RGE/Globo fez com GIBI)


Mais um exemplo de série que extrapolou a quantidade de edições programadas e pré-anunciadas devido ao seu sucesso de vendas (outros casos são DUCKTALES, EDIÇÃO DE LUXO e PATETA FAZ HISTÓRIA, pelo menos). AS MELHORES PIADAS [MSP] teria apenas 6 números (como visto em ZC #1757, ago/1985). 

Acabou ganhando periodicidade mensal e continuou a circular mesmo quando a Turma se mudou para a Editora Globo (mas com o título alterado para AS GRANDES PIADAS). Também inspirou coleção idêntica com os personagens Disney, iniciada em jan/1986

Clique para ampliar

Primeira seção de cartas de PATO DONALD (#1754, set/1985) desde aquela que o título publicava na longínqua década de 1950


Em abr/1985, EDIÇÃO EXTRA parou de circular (#165 PATETA). E olha que curioso: seis meses depois, entrou em seu lugar SELEÇÃO DISNEY, uma revista temática; uma versão com menos páginas daquilo que viraria DISNEY ESPECIAL dali a um ano; ou, ainda, exatamente a mesma coisa que se tornaria a própria EDIÇÃO EXTRA em seu retorno, em 1986 (exceção feita ao número de reestreia, todo inédito)! A página acima é de ZÉ CARIOCA #1763 (7/nov/1985). 

SELEÇÃO DISNEY durou 49 edições, até set/1993. Pouco antes de sua estreia, a Abril havia lançado um encadernado de encalhe com o mesmo título e o mesmíssimo logotipo. E alguns anos depois do cancelamento do periódico, a editora iniciou uma série de encadernados de encalhes (que durou 30 volumes) exatamente com o mesmo título


Mauricio não perdeu a piada: ROQUE SAMBEIRO saiu em jan/1986, quando a novela ainda estava no ar (Roque Santeiro foi exibida pela Globo entre 24/jun/1985 e 22/fev/1986). Essa foi a primeira edição da série AS MELHORES PIADAS depois daquelas seis inicialmente programadas (anúncio em ZC #1768, do dia 21)

Clique para ampliar

A Turma da Pata Lee foi assim anunciada em PATO DONALD #1759 (25/jan/1986). O Estúdio da Abril deu uma repaginada nos personagens (inclusive trocando o sobrenome da personagem, antes conhecida por aqui como Pata Ieié, pelo da roqueira mais famosa do país) e os relançou com significativo sucesso


Página de ZÉ CARIOCA #1770 (21/fev/1986) anunciando a volta da EDIÇÃO EXTRA, depois de 10 meses de hiato. Novo letreiro, nova estrutura (84 páginas e lombada quadrada), nova linha editorial: saem as edições com os nomes de personagens e entram as temáticas. Igualzinha a SELEÇÕES DISNEY, vai entender... Aqui, a estreia de uma criação brasileira, o CLUBE DOS HERÓIS DISNEY, numa edição excepcionalmente toda inédita. 

O Clube, que completa 30 anos em 2016, foi reformulado na Itália e se tornou o Ultraheroes (série que chegou a ganhar título periódico nos EUA e que aqui ocupou as páginas de AVENTURAS DISNEY). 

Mauricio aproveitaria depois a ideia da EDIÇÃO EXTRA (lamentavelmente abandonada pela Abril) para lançar, já na Panini, a TURMA DA MÔNICA EXTRA


Bem antes de estrear essa sua revista em quadrinhos, ALEGRIA já tinha sua revista de atividades, a ALEGRIA E COMPANHIA (eventualmente com HQs). Uma criação coletiva dos Estúdios Abril, o gibi durou 57 números, até jul/1989. A página acima é de ZÉ CARIOCA #1772 (21/mar/1986)


O gibi acima foi o primeiríssimo a trazer o nome de TINA no título. A edição #10 de AS MELHORES PIADAS foi anunciada na segunda capa de ZÉ CARIOCA #1763 (25/mai/1986)


Zé Carioca foi o primeiro personagem a ganhar um almanaque na segunda fase desses gibis da Disney, iniciada em mai/1986. Anunciado no próprio gibi do papagaio, edição #1763, do dia 25


THUNDERCATS ganhou seu primeiro título na Abril em mai/1986 (visto em ZC #1778, 5/jun/1986). Sob o mesmo selo QUADRINHOS STAR, da Marvel, a editora lançou:

A TURMA DE MORANGUINHO | ASTERÓI | FIDO (6 edições, set/1985-jul/1986)
HE-MAN (32 edições e 2 especiais, jan/1986-ago/1988)
THUNDERCATS (30 edições e 2 especiais, mai/1986-mar/1989)
URSINHOS CARINHOSOS | FIDO | EWOKS (12 edições, jul/1986-mai/1988)
URSINHOS CARINHOSOS (6 edições, fev/1989-jul/1989)
EWOKS (6 edições, fev/1989-jul/1989)
MISTY (9 edições, ago/1986-abr/1987)


O anúncio do ALMANAQUE DO MICKEY #1, publicado em ZC #1781 (21/jul/1986), já informava quais outros personagens Disney ganhariam seus títulos. Curiosamente, o ALMANAQUE DOS ESCOTEIROS-MIRINS só viria no ano seguinte; o DA MARGARIDA, no final de 1988! Parece-nos, também, que os almanaques Disney foram muito usados em 1987 para ajudar a tapar o rombo deixado pela saída dos gibis de Mauricio de Sousa


MARGARIDA vai lá e dá os retoques femininos finais ao logotipo de seu gibi #1. PATO DONALD não deixa por menos, e aparece pintando de cor-de-rosa o letreiro de sua edição #1765, que chegou às bancas uma semana depois (acima, página de ZC #1782, de 31/jul/1986). Veja as capas lado a lado aqui


Wuzzles e Ursinhos Gummi, séries de animação da Disney então exibidas pela Globo, ganharam muito mais do que os álbuns de figurinhas acima (anúncio em ZC #1789, 6/nov/1986): em 1988 dividiram ao meio a EDIÇÃO EXTRA #181 (ago/1988), cada turma ficando com uma capa.

Dica para quem gosta de tarefas (quase) impossíveis: encontrar por aí o raríssimo gibi Disney promo NESTLÉ TRAP'S APRESENTA WUZZLES, de 1987 (estamos devendo um post sobre ele).

Wuzzles durou apenas uma temporada, originalmente de 1985. Os Ursinhos, bem mais, indo de 1985 até 1991, por mais de 60 episódios


Os 20 anos do gibi do Zé foram comemorados com uns seis meses de atraso (já abordamos no capítulo anterior). E, como vemos acima, com seus 25 anos foi pior ainda: à beira de completar 26!


Muito curioso. O anúncio acima, da derradeira MÔNICA pela Editora Abril, de dez/1986, não teria absolutamente nada demais... se não tivesse saído em jan/1987, em ZÉ CARIOCA #1793 (do dia 2)! Esta foi umas das últimas vezes que um gibi abriliano de Mauricio de Sousa foi anunciado numa publicação da editora (vide capítulo seguinte!)

Na sequência, iremos até 1989 (quando a Abril Vídeo lançou os primeiros VHS com Clássicos Disney no Brasil...)


Por E. Rodrigues & Rivaldo Ribeiro
Publicado originalmente em 18/jan/2011




10 comentários:

  1. Eu tinha esse gibi da Monica, nao sabia que era o último da Abril. A Agenda, apesar de pequena, era muito boa.
    Abraços. FabianoCaldeira.

    ResponderExcluir
  2. Pô, eu até gostava dessa fase "jornalística" de Pato Donald da metade da década de 80. Lembro que eu era pequeno na época e muito de meu interesse pela música nasceu exatamente nessa fase da revista. Era uma estratégia até certo ponto ousada, mas que durou menos de um ano. Quando folheio uma edição atual da francesa Picsou Magazine lembro muito daquela fase.

    ResponderExcluir
  3. Roque Sambeiro,kkk,como eu queria ver essa edição!:D

    ResponderExcluir
  4. Se não me engano, o formato "jornalístico" do Donald começou logo depois de o do Mickey acabar, não? Quando o Donald passou a ser mensal, o Mickey virou quinzenal.

    ResponderExcluir
  5. Exatamente, Alexandre. Mickey passou de 84 para 44 páginas, e de mensal a quinzenal, bem na edição #393 (jun/85). E assim, foi ele que passou a fazer par com Zé Carioca.
    E.Rodrigues

    ResponderExcluir
  6. [Enquanto isso, o Pato ganhava um formato bem maior (e ótimo), aumentava de 36 para 84 páginas (excelente), passava de quinzenal para mensal (compreensível). E focaria num outro público, mesclando quadrinhos com reportagens e afins, sobretudo relacionados à música, ao rock nacional (hmm...)]

    Esta fase do gibi do Donald foi boa demais para prosperar... Chuif. Aliás, as edições desta fase (1751 a 1764) são dificílimas de serem achadas. Na minha coleção faltam os nos. 1751, 1758, 1759 e 1764. Chuif.

    [Mauricio não perdeu a piada: Roque Sambeiro saiu em jan/86, quando a novela ainda estava no ar (Roque Santeiro foi exibida pela Globo entre 24/jun/85 e 22/fev/86).]

    O almanaque do Recruta Zero (RGE) também teve uma ótima paródia sobre esta nada, nada infantil novela das 8...

    [A Turma da Pata Lee foi assim anunciada em Pato Donald #1759 (25/jan/86). O Estúdio da Abril deu uma repaginada nos personagens (inclusive trocando o sobrenome da Pata Ieié pelo da cantora) e os relançou com significativo sucesso]

    A Rita Lee parece ser uma fã dos patos, então, a homenagem foi válida. Em tempo: aquele tal Tio Papudo nunca apareceu em nenhuma história da Turma da Pata Lee, certo? Digo isso porque ele não dá as caras em nenhuma das (várias) histórias que eu possuo desta turma. Não seria ele suposto para ser tio do Parceiro e não da Pata Lee?

    [Aqui, a estreia de uma criação brasileira, o Clube dos Heróis Disney, numa edição excepcionalmente toda inédita.]

    Uma das melhores edições da revista Edição Extra Disney! Hilariante do começo ao fim. Aliás, os cartunistas Italianos não conseguiram superar a nossa gangue Disney de super-heróis com a saga Super Hero Squad.

    ResponderExcluir
  7. [Margarida estreia seu próprio gibi (e vende mais do que o Donald)...]

    A repaginação dela foi muito bem-sucedida porque foi muito bem-feita. O pessoal dos States não gostou muito da idéia mas tiveram que se calar diante do sucesso do gibi, que durou 257 edições. Nunca uma pata chegou tão longe nos quadrinhos!

    ResponderExcluir
  8. A revista Thudercats da Star Comics (divisão da Marvel) tinha, como trunfo, as estórias desenhadas pelo argentino José del Bo (que trabalhou também na DC).
    Moranguinho, Asterói, Fido e Ursinhos Carinhosos, na Star Comics, traziam estórias desenhadas pelos mesmos quadrinhistas da Harvey Comics: Moranguinho teve estórias desenhadas por Howard Post e Warren Kremer; Asterói e Fido traziam a arte de Warren Kremer; e Ursinhos Carinhosos tiveram estórias desenhadas por Howard Post.

    ResponderExcluir
  9. Nosso comentarista-enciclopédia!

    Abs.

    E. Rodrigues

    ResponderExcluir
  10. Por coincidência comprei ontem no sebo a Edição Extra Clube dos Heróis Disney, que tive quando criança. Tá na fila da leitura :)
    Lembro também da edição do Recruta Zero com a sátira do Roque Santeiro. O Zero era o "Roque Swampeiro" por causa do quartel Swampy... hehehe

    ResponderExcluir

ANTES DE COMENTAR, POR FAVOR, LEIA:

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de quem os escreve e não refletem necessariamente a opinião do Planeta Gibi.

Não publicamos comentários que:
• Incluam quaisquer e-mails ou links;
• Mencionem outro estabelecimento que comercialize quadrinhos.
• Incluam ofensas e palavrões;

Atenção:
Os comentários aqui postados podem ser encaminhados para os editores que, eventualmente, poderão publicá-los nas revistas; caso não concorde com isso, explicite sua negativa no próprio comentário. Obrigado.