' '

21 de ago de 2014

POPEYE inédito pela Pixel

SUPER POPEYE é o novo especial da Pixel, com lançamento oficial na Bienal do Livro de SP (que começa amanhã, no Anhembi). 

A revista, no entanto, traz HQs inéditas, lançadas pela americana IDW a partir de abr/2012 — diferentemente dos outros especiais similares da Pixel, que compilam material clássico de LULUZINHA, BOLINHA, FANTASMA, MANDRAKE e RECRUTA ZERO

Tal série teve repercussão e vendas suficientes para tornar o título periódico nos EUA, além de encorajar a IDW a lançar título paralelo, em circulação desde ago/2012, com produções antigas do marinheiro — intitulado, justamente, CLASSIC POPEYE

Veja capa e release a seguir.





SUPER POPEYE VOL. 1
Pixel, King Features Syndicate, ago/2014.
Revista eventual, formato 17 x 24 cm, 128+4 páginas, capa cartonada, lombada quadrada, miolo em couché, R$ 19,90.
RELEASE: Quase dez anos antes de Superman e seus derivados começarem a povoar o mundo dos quadrinhos, um protótipo de super-herói mostrava sua força na tira Thimble Theater, de Segar. Popularizado pelos desenhos animados e filmes exibidos no cinema e na TV, Popeye se tornou um dos ícones mais queridos da cultura pop, e há 85 anos vem alegrando várias gerações. Mas é nos quadrinhos, onde surgiu, que encontrou sua expressão máxima.

Criado em 1929 por Elzie Chrisler Segar, que faleceu prematuramente, Popeye teve inúmeros continuadores nas tiras de jornais e gibis. Mas esta versão moderna, de 2011, criada por Roger Langridge e seus parceiros, é a melhor de todas desde a criação original. Aqui, todos os elementos das histórias clássicas retornam no seu melhor estilo... É um Popeye retrô com jeito moderno, que a Pixel se orgulha de trazer para seus leitores.


Por E. Rodrigues

PLANETA GIBI COMIC SHOP
Comprar seus gibis aqui é muito mais gostoso!

18 comentários:

  1. Sensacional! Cheguei a colecionar essas novas da Popeye da IDW, porem infelizmente o título ja parou de sair ha alguns meses nos EUA, restando apenas o Popeye Classics ainda em circulação. Sabem informar quando estará a venda aqui no Rio de Janeiro? Abraços a todos.

    ResponderExcluir
  2. Mais um quadrinho que deveria ser barato pra atrair o máximo de publico possível, mas preferiram investir no formato luxo pra lucrar um mundo sem vender tanto. Ai, ai....

    ResponderExcluir
  3. O título ficou meio estranho, mas gostei do formato de luxo! Eu esperava hqs clássicas, mas vou comprar mesmo assim para ver como q é essa nova fase do personagem! É bom saber q agora a revista será dedicada somente ao Popeye, sem aquele mix de tirinhas! Gostaria que lançassem tb, uma coleção especial de luxo com a turma do Gasparzinho (eu colecionava as mensais da turma Harvey pela Pixel). Nesse especial poderia conter um mix de Gasparzinho, Riquinho e Brasinha, entre outros personagens da turma!

    ResponderExcluir
  4. Se a revista mensal com o Popeye tivesse só ele ou não tanto mix (teve revista dele em que sessenta por cento era mix), e se as capas fossem mais atraentes, provavelmente seria muito mais vendida.

    ResponderExcluir
  5. Caso essas revistas com títulos clássicos tivessem vendas expressivas não teriam sido canceladas. Isso é Fato. Falando nisso, pelo visto o título de Pica-Pau tambem foi cancelado, né...? Nunca mais vi em bancas aqui no Rio de Janeiro. Abraços a todos.

    ResponderExcluir
  6. Bom, Luluzinha comprei os números iniciais quando a Pixel relançou. Agora compro apenas os especiais de luxo dela.

    ResponderExcluir
  7. o povo gosta de pagar caro por material velho e obsoleto

    ResponderExcluir
  8. O material deste primeiro especial do Popeye é inédito e de ótima qualidade. Tenho ele aqui nas revistas da IDW.

    ResponderExcluir
  9. Concordo contigo.apenas acho que deveria ter Popeye também a quem não quer um encadernado megaluxuoso. Só resta uma opção: pagar caro. Não ha nenhuma outra opção. Uma pena!

    ResponderExcluir
  10. Quem pode, compra e mata as saudades.
    Quem não pode, senta lá e chupa o dedo.

    ResponderExcluir
  11. Ô, que beleza, uma HQ com essa qualidade e por um precinho camarada. O duro é a distribuição da Pixel, mas se bem que as uktimas chegaram facil por aqui.

    ResponderExcluir
  12. Prefiro pagar 20,00 numa revista com alto padrão de qualidade gráfica do que 5,00 numa revista com um papel de péssima qualidade.

    ResponderExcluir
  13. Ô, Marcelo! Tudo bem que o preço é convidativo. É mesmo. Não tiro tua razão. é muito bom pagar baratinho e ter um exemplar bonito na estante, não é mesmo? Acredito que essa seja a tua ideia.

    Mas você já parou pra pensar que nem todo mundo gostar desse formato especial? Daí você pode pensar: "Como não gostar? Uma edição caprichada, com tanta páginas e custando uma ninharia?" Pois é.... mas enfim... alguns não gostam de arroz com feijão, outros não gostam de batatinha frita, e há homens que não gostam de mulheres. Então, é meio irracional essa questão de "gostar de", mas ela existe.

    Você acha esse lançamento uma grande pérola. Ok... Tem razão. Mas esse é voce. Acredito que muitos concordam contigo. Mas há um porém ai. E aqueles que gostam de ir à banca e procurar pelo padrão tradicional de gibi? Quando a Pixel anunciou Mandrake e Fantasma, logo pensei que fosse nesse padrão mais simples que seriam publicados. Mas depois veio a informação de que eram edições mais encorpadas e com tato especial. Tá ok. certamente agradou a um grande público. Mas e àqueles que queriam um retorno regular do personagem nas bancas? Como é que ficam? Não ficam, né?

    A questão nao é dinheiro. A questão não é pensar "Nossa! Mas compensa comprar essa edição que custa poucos reais e tem acabamento especial e um mundo e páginas. A questão é que nem todo mundo gosta "dessa cara" de publicações.

    Eu defendo um retorno de personagens às bancas para que o leitor tenha opção de compra. Infelizmente nao é viável,mas fazer o que? Eu bato na tecla. Acho sempre importante lembrar dessa possibilidade.

    É triste ver um lançamento desses e as pessoas contentes e pouco se lixando para os outros. A Marvel tem opções de encadernados e mensais. A DC também. A MSP tem as revistas simples de banca e também veio com os encadernados e edições especiais. Até a Pixel nos permite essa opção de escolha com Luluzinha e Bolinha. ela oferece as edições simples e também algumas especiais que lançam de vez em quando.

    A questão é simplesmente essa. Diversificar e acrescentar títulos de bancas, padrões simples e regulares. Não estou dizendo para não fazerem edições especiais. Mas sim, que o consumidor possa ter uma escolha.

    Talvez eu esteja sendo utópico, mas é o que eu sinto.

    Boa leitura pra você. Certamente vai se divertir. Eu vou ficar chupando o dedo. Não é pelo preço, pois já comprei e compro revistas em quadrinhos com um custo-benefício muito menor do que esse. Mas é a questão "da cara" dela.

    Boa diversão!

    ResponderExcluir
  14. Pela qualidade gráfica, o preço desta edição especial do Popeye não está cara.

    Mas respondendo apenas por mim, eu não compraria (e não comprarei).

    Não pelo preço, mas por falta de interesse nesse tipo de material.

    ResponderExcluir
  15. Marcelo, eu não comprava Pica-pau, mas considerando q os gibis eram feitos de fotogramas dos desenhos animados clássicos, em 70 edições, acho q já se esgotaram os cerca de 200 episódios do desenho...

    ResponderExcluir
  16. Seria ótimo se as revistas do Pica-Pau trouxessem os quadrinhos clássicos da Gold Key, mas creio que devam ter se perdido com o tempo. Abraços a todos.

    ResponderExcluir
  17. Amigo sabe onde acho essa HQ em SP capital? Não acho em local nenhum, nem nas melhores livrarias...

    ResponderExcluir
  18. Nas bancas do Centro (Praça da República, por exemplo) e da Paulista têm.

    Sds.

    ResponderExcluir

ANTES DE COMENTAR, POR FAVOR, LEIA:

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de quem os escreve e não refletem necessariamente a opinião do Planeta Gibi.

Não publicamos comentários que:
• Incluam quaisquer e-mails ou links;
• Mencionem outro estabelecimento que comercialize quadrinhos.
• Incluam ofensas e palavrões;

Atenção:
Os comentários aqui postados podem ser encaminhados para os editores que, eventualmente, poderão publicá-los nas revistas; caso não concorde com isso, explicite sua negativa no próprio comentário. Obrigado.