' '

23 de fev de 2014

Número 500: quem chegou lá

De todos os gibis que chegam às bancas (e são muitos), apenas oito conseguiram a proeza de atingir ou superar a 500ª edição ininterrupta. 

PATO DONALD, MICKEY, ZÉ CARIOCA, TIO PATINHAS, CASCÃO e CHICO BENTO ganharam em jun/2011 a ilustre companhia de MÔNICA e TEX. E em fev/2014, um quarto título clássico da MSP se incluiu no panteão, CEBOLINHA. Este post presta singela homenagem a essas edições históricas. 

Mas... Dos nove gibis em circulação que atingiram ou ultrapassaram a barreira das 500 edições, nem todos tiveram oportunidade de mostrar o tal número na capa. Repare... 


Este O PATO DONALD com o número 500 na capa (de 6/jun/61) pode ser considerado hoje apenas a edição #489 do gibi do pato. Isso porque, desde a edição #479, o gibi cedia todos seus números ímpares para ZÉ CARIOCA

Mas, a bem da verdade, a Editora Abril não considerava que ZÉ CARIOCA fosse um título independente. O expediente de continuava identificando a revista, formalmente, como O PATO DONALD. Só em agosto de 1970 é que a editora passou a registrar os dois títulos distintamente — mas eles continuaram a dividir a numeração por muitos anos mais. 



Descontadas as edições ímpares de ZÉ CARIOCA, este O PATO DONALD #522 (7/nov/61) é a 500ª edição "pura" do personagem. 



ZÉ CARIOCA #1477, de 27/fev/80: é isso mesmo! Esta é a 500ª edição do gibi do papagaio, considerando que ele já começou num número 479 e só teve números ímpares, desde então. 



MICKEY #500 foi uma edição modesta, lançada em plena crise econômica do ínicio dos anos 1990. Júlio de Andrade, que foi editor desses quadrinhos na época, resumiu bem a situação para o Planeta Gibi

"A coisa estava preta na época, pois o plano Collor tinha atingido o país um ano antes, com o confisco da poupança e todos ainda tentávamos sair da pindura geral. A situação política estava começando a piorar. Meses depois vem a denúncia do irmão do Collor e, no ano seguinte, a renúncia. Ninguém realmente estava muito preocupado com os quadrinhos, muito menos se o Mickey chegava a essa edição..." 



Este CASCÃO #386 (Editora Globo, out/01), somado aos outros 114 da Editora Abril, adivinhe... é o #500 da revista do adorado personagem. Exatamente a mesma matemática funciona para...



...CHICO BENTO #386, de nov/01. Essas altas numerações foram atingidas bem antes de MÔNICA porque (para quem não se lembra) CASCÃO e CHICO BENTO foram quinzenais durante muitos de seus primeiros anos. Diferentemente do tratamento distinto que as revistas de Mauricio vêm tendo na Panini, porém, na fase Editora Globo não se deu a menor bola para essas marcas. 



TIO PATINHAS #500, mar/07. Muito antes desta edição comemorativa chegar às bancas, já havia rebuliço entre os leitores e colecionadores curiosos. Afinal, já estávamos com tudo na era da internet. 

Excepcionalmente com lombada quadrada (saudade...) e 164 páginas, a 500ª edição de TIO PATINHAS veio cheia de curiosidades e com uma excelente seleção de HQs. 



Entrando para a seletíssima galeria de capas #500, MÔNICA #54 (formalmente) usou expediente muito comum nos gibis norte-americanos de heróis, que têm suas numerações constantemente reiniciadas, mas quando a soma de todas as edições atingem uma centena multiplicada, não hesitam em ostentá-la, orgulhosamente, na capa. 

Esta MÔNICA #500 trouxe mais do que o invejável número estampado na capa: leia mais aqui

Além disso, a Panini lançou uma revista com conteúdo idêntico, porém com capa especial metalizada e miolo em couché — mesmo tratamento seria dado pela editora, depois, para CEBOLINHA #500. 



TEX #500, jun/11, o mais bem sucedido gibi de faroeste já editado no Brasil. A edição saiu toda em cores, trazendo a aventura Os Demônios da Noite, da dupla Boselli e Ticci, que figura entre as mais espetaculares aventuras recentes do ranger. 

Além disso, assim como a edição #400, TEX #500 trouxe um caderno avulso com todas as capas lançadas, desde a #1. 

O italiano Claudio Villa assinou a capa, que emula um dos pôsteres do clássico Rastros de Ódio, com John Wayne — como bem registrado pelo Blogue do Tex



Em fev/2014, foi a vez de CEBOLINHA: 168 edições pela Abril (fev/1973 a dez/1986) + 246 pela Globo (jan/1987 a dez/2006) + 86 pela Panini (jan/2007 a fev/2014) = 500 números. 

Assim como ocorrido em MÔNICA #500, a edição inteira trouxe quadrinhos alusivos à comemoração. 

Curioso foi a editora registrar na capa que se tratava de uma "edição de aniversário" (referência mantida na capa da versão luxo do gibi). De fato, a revista chegou à sua 500ª edição no momento em que completou 41 anos de lançamento. 

EM BREVE...

Em jan/2015, MAGALI também somará 500 números. Apesar de lançada muitos anos depois de CEBOLINHA e já pela Editora Globo, em fev/1989, por muito tempo circulou quinzenalmente, o que acelerou sua numeração

Vale notar que depois dessa muito provável edição especial outra a seguirá, pois em abril muitos títulos de Mauricio chegarão à centésima edição exclusivamente pela Panini. Difícil imaginar que tais edições não serão comemorativas.

WHAT IF...?



E se a soma da quantidade de edições de diferentes séries e editoras fossem aplicadas à Marvel? Bem, HOMEM-ARANHA estaria neste mês em sua edição #520. Isso, considerando seus títulos principais. Vamos conferir: 70 números pela Ebal, 33 pela Bloch, 49 pela RGE, 205 + 17 pela Abril, e 143 + 3 pela Panini. Portanto, a edição aí de cima é a 500ª regular do aracnídeo (Panini, jun/2012). [Com correção providencial do MacGaren.]



SUPERMAN (ou SUPER-HOMEM), por sua vez, já teve sua edição #500 brasileira há muito tempo. Como a Ebal lançou 388 números da revista, coube à Abril tal honraria (que passou em brancas nuvens, no entanto, em out/1993). A revista principal do homem de aço, a propósito, atinge neste mês sua 743ª edição brasileira (além das 388 da Ebal, foram mais 220 pela Abril e, até agora, 135 pela Panini). 

É sabido que a Ebal, no entanto, manteve séries paralelas da revista, como SUPERMAN EM CORES, SUPERMAN EM FORMATINHO e SUPERMAN BI. Se estas fossem também computadas, estaríamos agora no #968 (muito mais próximos da comemoração de uma milésima edição, enfim).



Você tem esta edição de BATMAN? Saiba que ela pode ser considerada o 500º número brasileiro da revista do homem-morcego. De novo, aqui cabe certa licença poética, dadas as séries paralelas da Ebal. Mas se considerarmos apenas os títulos principais... Vejamos: somando-se as 322 pela Ebal com as 149 das várias séries da Abril, temos 471 edições. Logo, este #29 da Panini (abr/2005) é o #500. (E há 6 meses, poderia-se ter comemorado o #600, com Batman 2ª Série #15!)

E OS TÍTULOS FORA DE CIRCULAÇÃO?

Segundo o Guia dos Quadrinhos, os seguintes títulos, todos fora de circulação, também ultrapassaram as 500 edições:

1- O TICO-TICO, O Malho: 2097 (1905-1962)
2- SUPLEMENTO JUVENIL, Grande Consórcio de Suplementos Nacionais: 1654 (1934-1945)
3- O GLOBO JUVENIL, O Globo/RGE: 2095 (1937-1954)
4- MIRIM, Grande Consórcio de Suplementos Nacionais/A Noite: 1225 (1937-1948?)
5- A GAZETINHA, A Gazeta: 563 (1937-1939)
6- GIBI, O Globo: 1739 (1939-1950)
7- O GURI, Diário da Noite/O Cruzeiro: 668 (1940-1962)
8- SELEÇÕES JUVENIS, La Selva: 628 (1953-1968)



Por E. Rodrigues & Rivaldo Ribeiro
Postado originalmente em 7/jun/2011.
ATUALIZADO: CEBOLINHA passa a frequentar o clube dos 500+. Incluídos os tópicos "Em breve..." e "What If...?" 




PLANETA GIBI COMIC SHOP
Comprar seus gibis aqui é muito mais gostoso!
Clique aqui e confira.

37 comentários:

  1. Parabéns à Mônica que tem seu gibi atingindo essa fabulosa marca de 500 edições. Na verdade, Maurício de Sousa é um trabalhador talentoso e bem sucedido, desde as primeiras tiras nos jornais, na década de 60. Parabéns Mônica, parabéns e obrigado, Maurício.

    ResponderExcluir
  2. Pessoal!

    É mesmo e eu nem tinha me tocado que Monica estava já com 500 gibis, também com essa besteira de ficar reiniciando só podia dá nisso.

    Isso pra mimé insegurança do senhor mauricio, se os pesonagem são bons e já cairam no gosto do publico não é um numero continuado que vai mudar algo.
    Essa fase da globo eu só peguuei o comecinho, e depois dei um fim nas revistas, alem de ruinzinhas eu já não tinha mais tempo nem tesão de ler, veio faculdadede, casamento, essas coisas que fazem a gente deixar os gibis para depois...
    Hoje estou voltando, mas meu foco ainda é os da Abril, carooooosss e raros.

    Tex 500 també, não cuto muito, mas vou pegar este especial, tex é outro que é muito bom (pra quem curte)tanto que as editoras nunca reiniciaram a numeração.

    Pato 500 não tenho, mickey, tio patinhas eu tenho.
    esse zé eu tenho, cascão e chico não.

    Parabens ao personagens e ao planeta gibi pela excelente e inédita homenagem.
    Como eu sempre digo e sou mal interpretado:
    Vocês tem o padrão globo, o resto são record, rede tv, sbt...

    os postes de voces a gente ver que são pensados, tudo na medida, a gente ver tesão.

    parabens mesmo!

    Vinicuis Andrade

    hoje de plantão aqui no quartel, e assistindo esse jogo escodidinho.

    ResponderExcluir
  3. Parabéns pro TEX:

    essa será minha 1º ed. de nº 500 (não tenho nenhuma das outras)!!!

    TEX merece: é um personagem mto bem trabalhado em todos os seus + de 60 anos de existência!!!

    pena q o brinde será o mesmo da ed. 400 (q eu tbm temho) só q com 100 capas a mais!!!

    mas tá valendo assim mesmo: é um gibi obrigatório!!!

    ResponderExcluir
  4. "MÔNICA #500 traz mais do que o invejável número. Aguarde..."

    ???:p

    ResponderExcluir
  5. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  6. Amo muito a edição 500 do Patinhas! Foi muito caprichada no conteúdo. É uma pena que as 1as. séries dos respectivos gibis do Pateta e do Peninha tenham sido bruscamente interrompidas no no.56, faltando 44 edições para chegar a um "mísero" no. 100... Mais bem sucedidos foram o gibi da Margarida, que passou dos 250, e o do Urtigão, que quase chegou a 200.

    ResponderExcluir
  7. Primeiramente parabéns ao Planeta Gibi por estar sempre nos presenteando com essas matérias maravilhosas. Tex e Mônica já têm lugar garantido no meu armário.

    Será que Mandrake e Tarzan chegaram a alcançar o número 500, somando as séries que chegavam a um certo número e depois reiniciavam? Estou com essa dúvida.

    ResponderExcluir
  8. E as revistas dos heróis da DC e da Marvel? Não sei se, juntando as publicações da Abril e da Panini, somam-se 500 edições, mas creio que publicações como Superman (contando ainda as edições como Super-Homem) e Homem-Aranha estejam bem perto disso.

    ResponderExcluir
  9. Ah, mas aí não tem graça... a gente só tá falando de gibis que efetivamente chegaram à edição #500. TEX e Turma da Mônica não mudaram de linha ou de estrutura quando trocaram de editora. Superman etc. sofreram várias intervenções e interrupções. Aí já não seria mais a revista completando 500 edições, e sim o personagem com 500 edições.
    E.Rodrigues

    ResponderExcluir
  10. Mas assim mesmo a lista não aumentaria muito... dos heróis, acredito que Superman e Batman já tenham batido essa marca e o Aranha está prestes a conseguir o mesmo feito.
    O Fantasma até chega perto, mas não tem publicação regular a muito tempo...

    ResponderExcluir
  11. parabens monica #500 logicamente comprarei esta ediçao

    ResponderExcluir
  12. MICKEY #500 não e modesto,modesto e o número#500 de Chico Bento,Cascão,Zé Carioca,e O Pato Donald.

    ResponderExcluir
  13. Tambem acho que o Mickey 500 não é modesto. Comprei num sebo e acho bem interessante. Hoje comprei a Monica 500 e vi que tinha 2 revistas diferentes. Comprei a especial bem mais caprichada.

    ResponderExcluir
  14. Não sei com as pessoas só falam que MIckey#500,por que não falam que o Zé Carioca,Chico-Bento,Cascão,e Pato Donald são modestas com simples capas,simples conteúdo,e Mickey#500 com nome do gibi e número dourados,uau que massa curti muito

    ResponderExcluir
  15. Atualmente o único gibi que ultrapassou as 500 edições initerruptas é o Gibi do Tex? Sou colecionarod e possuo todas do TEX completas.

    ResponderExcluir
  16. O Sidney Gusman comentou num post no Facebook, que a Magali vai ter uma edição especial no nº 500.

    ResponderExcluir
  17. Na verdade, vocês esqueceram as 70 edições do Aranha pela Ebal. Logo, o Aracnídeo chegou na número 500 na edição 126 da Panini.

    ResponderExcluir
  18. O Sidney Gusman afirmou no Facebook que estão estudando pra comemorar as 500 edições do Chico Bento e do Cascão, talvez relançando a antiga edição e adicionando conteúdo inédito, quem sabe.

    Ps: Wellington Verdan, Mickey e Tio Patinhas foram os primeiros a comemorar, de maneira correta (sem ter que fazer cálculos na numeração) as 500 edições.

    Depois foi Tex, e depois de Tex quase que com certeza será outra revista de Tex, a Tex Coleção, que em cerca de 7 anos já chegará no número 500 também, já que é quinzenal e está em cerca de 350 números atualmente.

    ResponderExcluir
  19. Claro, MacGaren. Supermancada nossa. Já corrigido no texto e capa do #500 devidamente incluída.
    Abs.
    E.Rodrigues

    ResponderExcluir
  20. Zagor também está perto do 500, se considerarmos que, só nos gibis regulares/mensais ele já passou do 420 (somando Record, Globo, Vecchi e as duas séries regulares da Mythos), e se contarmos o monte de histórias inéditas espalhadas em outros títulos (Gigante, Especiais etc.) acho que ele já está quase na trave do 500...

    ResponderExcluir
  21. Excelente matéria... só nessa atualização teve uns erros de digitação, um do Cebolinha ser o quinto título clássico da MSP se incluiu à marca, na verdade é o quarto.

    E o outro é q são 41 anos de lançamento do gibi do cebolinha. Estranho mesmo colocarem edição de aniversário da revista, visto q foi lançada em janeiro/73.

    ResponderExcluir
  22. Erros corrigidos, Marcos. Valeu.

    ResponderExcluir
  23. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  24. Desses só comprei o Mickey 500, o Tex 500 e a Mônica 500. Todos em sua época de lançamento nas bancas! Mickey 500 não tenho mais! Agora irei comprar Cebolinha 500 lançado nesse mês! Tex, pra dizer a verdade, não comprei nem por ser a edição 500, mas por ser colorido! De todos esses títulos, só coleciono Mickey (a partir da edição lançada de uns 3 anos pra cá)! De todos esses, tenho Cebolinha nº 01 (Abril) em boas condições que adquiri em um sebo a preço de bananinha (não é nem de banana, mas daquelas balas de banana, rs)!

    ResponderExcluir
  25. Se for para somar todas as edições, inclusive as extras, especiais etc, então, Tex é a mais editada no Brasil, pois temos que somar o Tex Gigante, anual, almanaque, edição histórica, coleção, Histórias Clássicas, Tex e os Aventureiros, colorido, férias, o novo Gigante Colorido... Ufa! faltou algum?

    ResponderExcluir
  26. tantos 500... mas a Disney ultrapassou dos 500! já tá em volta do número 1212 ou mais!

    ResponderExcluir
  27. Uma Correção: A Edição 500 do Zé Carioca foi a 1467 (1979) e não a 1477 (1980).

    ResponderExcluir
  28. Raul, a informação do artigo está correta. A edição com número de capa 1477 é a 500ª.

    ResponderExcluir
  29. Se o Zé Carioca chegou em um número 467 e só com números ímpares, é óbvio que a edição 500 seria a 1467:
    Como eles pulavam os números pares ao invés de somarmos 500, somamos 1000:
    467 + 1000 = 1467
    Logo a edição de 1979 é a verdadeira 500, a 1477 seria a 505.

    ResponderExcluir
  30. ZC começou no 479, no entanto.

    ResponderExcluir
  31. Não. É o 1477 (você está desprezando o próprio #479 na sua conta). Isso não é um palpite. É uma certeza.
    Abs.

    ResponderExcluir
  32. Nossa, é uma conta tão simples!

    Inclusive o Inducks, o maior site de referência de gibis Disney do mundo adotou essa contagem.

    Basta abrir qualquer planilha de excel digitar 479, 481 e arrastar [linha 1 e 2, claro].
    Exatamente na linha 500 estará o número 1477.

    Outra solução melhor ainda, mas essa é para quem possui a coleção completa, só que demora muito mais.
    Pegue a edição 479 e comece a contar uma a uma, quando chegar em 500 gibis você estará exatamente a edição 1477.

    ResponderExcluir
  33. Planeta Gibi gosto muito dos seus posts, mas não consigo descobrir o porque a 1477 é a 500, eu segui a sugestão das planilhas que o Rivaldo Ribeiro mandou, e a 500 foi a 1479, assim a 1477 é a 499. Já fiz todas as contas, mas até agora só caiu a 1479 como 500.

    ResponderExcluir
  34. Raul, é fácil: toda edição de ZÉ CARIOCA terminada em zero equivale a uma edição cujo número de capa termina em 7 (isso, claro, para a fase em que a revista só tinha números ímpares).

    Assim:
    Edição #0 equivaleria a ZC #477 (não existem, pois ZC começou na edição seguinte, 479)

    Edição #10 = ZC #497
    ...
    Edição #20 = ZC #517
    ...
    Edição #50 = ZC #577
    ...
    Edição #100 = ZC #677
    ...
    Edição #200 = ZC #877
    ...
    Edição #300 = ZC #1077
    ...
    Edição #400 = ZC #1277
    ...
    Edição #500 = ZC #1477

    Há diversas outras maneiras de se chegar a esse número.

    ResponderExcluir
  35. Agora entendi o meu erro. Muito obrigado Planeta Gibi.

    ResponderExcluir

ANTES DE COMENTAR, POR FAVOR, LEIA:

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de quem os escreve e não refletem necessariamente a opinião do Planeta Gibi.

Não publicamos comentários que:
• Incluam quaisquer e-mails ou links;
• Mencionem outro estabelecimento que comercialize quadrinhos.
• Incluam ofensas e palavrões;

Atenção:
Os comentários aqui postados podem ser encaminhados para os editores que, eventualmente, poderão publicá-los nas revistas; caso não concorde com isso, explicite sua negativa no próprio comentário. Obrigado.