' '

27 de dez de 2013

Gibis Disney em janeiro 2014

A equipe do Planeta Gibi retribui os votos recebidos por seus amigos, leitores e clientes e deseja a todos Boas Festas e um excelente 2014! 

EXCLUSIVO. Vamos dar uma geral nas atrações dos gibis Disney mensais de janeiro. 

PATO DONALD (re)vive um cientista desastrado e ainda traz um William van Horn inédito. 

ZÉ CARIOCA traz a inédita Não Está no Gibi, de Denise Ortega e Herrero, com cores de Fernando Ventura. E ainda resgata uma HQ roteirizada por Canini e publicada antes somente em 1981. 

MICKEY, além da série Cowboys e Zumbis, recupera Latrique, uma criação de Osborne e Gottfredson, numa produção dinamarquesa recente. 

TIO PATINHAS conclui A Última Aventura. E ainda tem uma inédita do mestre Vicar. 

PATETA destaca Superpateta numa saga espacial.

MINNIE tem, além da misteriosa HQ de abertura, uma produção de Casty especialmente para a comemoração da edição #3000 de TOPOLINO.

Veja muito mais a seguir.



PATO DONALD #2427
Revista mensal, edição #1791, formato 13,4 x 19 cm, 48+4 páginas cor, R$ 3,20, distribuição nacional. Dia 6.
Capa: Arild Midthun (D26041).

Donald atuando como cientista? O leitor não tem boas recordações disso... HQ dinamarquesa publicada há pouco na Europa, de Terje Nordberg e Arild Midthun. 

Um William van Horn inédito vem na sequência.

Depois, desventuras de Donald em seu ingrato emprego na fábrica de margarina (com desenhos do mestre Vicar).

O desenhista Midthun volta à carga na comédia que fecha a edição, com um desastrado Donald "super-herói" contra Silva. Roteiro de Tormod Løkling.
O PATO DONALD foi lançada em julho de 1950, sendo uma das mais antigas revistas brasileiras em circulação contínua. A Editora Abril a considera oficialmente como sua primeira publicação (antes, em maio daquele ano, o editor Victor Civita lançara RAIO VERMELHO, mas como Editora Primavera). O gibi estreou em formatão, tipo magazine. A partir do #22, adotou o formato de aproximadamente 13,5 x 21 cm, que acabou instituindo o jargão "formato Pato". Em jan/61, seu título na capa passou a alternar-se semanalmente entre O PATO DONALD e O PATO DONALD APRESENTA ZÉ CARIOCA — ainda naquela década simplicado para ZÉ CARIOCA, que ficava com a numeração ímpar. Na edição #1470, outro marco: a revista ganhou uma capa em papel couché e teve seu formato reduzido em 2 cm, inaugurando o popular "formatinho", logo adotado por outras publicações de quadrinhos, inclusive de outras editoras, como a RGE (hoje Globo). Em jun/85, no #1751, finalmente a revista voltou a ter numeração independente.


ZÉ CARIOCA #2392
Revista mensal, edição #1278, formato 13,4 x 19 cm, 48+4 páginas cor, R$ 3,20, distribuição nacional. Dia 6.

Não Está no Gibi é o destaque desta edição. HQ brasileira inédita com roteiro de Denise Ortega, arte de Carlos Herrero e cores de Fernando Ventura.

Depois, temos Donald e Peninha (A Máquina de Fazer Doidos, de 1978), o vilão Sr. X (num roteiro de Canini, publicado antes somente em 1981) e Peninha & Biquinho.

Mais duas histórias com o papagaio recheiam a revista, Uns Quilinhos a Mais (1991) e Tão Invadindo o Meu Espaço (1997).
ZÉ CARIOCA surgiu como um mero subtítulo da revista O PATO DONALD #479 (jan/61). E assim seguiu, alternando-se semanalmente com o PATO, por todas suas edições ímpares. No final da década de 1960, a menção ao gibi do amigo desapareceria da capa e de seu expediente, mas a numeração compartilhada seguiria até jun/85, quando ZÉ CARIOCA #1752 chegou às bancas — o primeiro número par da revista. A partir daí, o gibi manteve sua circulação independente.


MICKEY #857
Revista mensal, formato 13,4 x 19 cm, 48+4 páginas cor, R$ 3,20, distribuição nacional. Dia 6.
Capa: Luiz Podavin (inédita).

A Noite do Diablero, mais uma aventura da série Cowboys e Zumbis & Outros Bichos, abre esta edição. 

Depois, uma história de capa e espada com Mickey, Minnie, Pateta, Bafo e Mancha. Da série italiana Vamos ao Cinema?

Latrique, personagem surgido há quase 80 anos nas tiras de Ted Osborne e Floyd Gottfredson, estrela a HQ que fecha o gibi.
MICKEY foi lançado pela Editora Abril em out/52. Com mais de 60 anos, portanto, ocupa o honrado posto de segundo gibi brasileiro mais antigo em circulação (o primeiro é O PATO DONALD). Possui uma notável legião de colecionadores, atraída sobretudo pela mítica raridade de suas cem primeiras edições.


TIO PATINHAS #583
Revista mensal, formato 13,4 x 19 cm, 80+4 páginas cor, R$ 4,95, distribuição nacional. Dia 6.
Capa: Alessandro Perina (IC TL 2988).

A Última Aventura, saga de Francesco Artibani e Alessandro Perina iniciada na edição de dezembro, é aqui concluída, como parte das comemorações do cinquentenário da revista TIO PATINHAS.

Prof. Pardal e Lampadinha surgem em seguida, numa produção dinamarquesa assinada por Lars Jensen e Francisco Rodriguez Peinado. À Lampadinha é atribuída função ingrata...

Vicar desenha o roteiro do casal McGreal que fecha o gibi. Não estaria a caixa forte do velho Patinhas precisando de uma reforma?
TIO PATINHAS foi lançada pela Editora Abril em dez/63 com o título ALMANAQUE TIO PATINHAS. Esse prenome seria abandonado em out/70, na edição #64 — não por acaso, em seguida a Editora Abril lançaria o ALMANAQUE DISNEY, que viria a herdar seções clássicas da revista do velho muquirana, como Maravilhas da Natureza e Zoo Disney. Inicialmente com periodicidade irregular, somente em mai/66, na edição 10, TIO PATINHAS se tornou mensal — cabe registrar que, exatamente como ocorrido com ZÉ CARIOCA, TIO PATINHAS também era considerada uma edição avulsa de O PATO DONALD (como registrado no prefixo de capa de seus primeiros números e, mais claramente, em seus expedientes). Outra curiosidade é um fato ainda desconhecido por muitos: a edição #9 foi publicada com duas capas diferentes — uma delas foi recolhida e hoje é mais rara do que a própria #1.


PATETA #33
Revista mensal, formato 13,4 x 19 cm, 48+4 páginas cor, R$ 3,20, distribuição nacional. Dia 6.
Capa: Corrado Mastantuono (IC DBIG 64).

Superpateta invade o gibi de seu alter-ego mais uma vez. Num acidente ocorrido durante o reparo de um satélite em órbita da Terra, o poderoso atrapalhado acabará envolvido com alienígenas não tão bem intencionados... Roteiro de Stefano Ambrosio e desenhos de Alessandro Perina.

Seguem-lhe duas produções dinamarquesas. Noel van Horn põe Pateta e Mickey a filosofar sobre devaneios. E Per Hedman e Jorge David Redo colocam bandidos para atrapalhar nossos amigos na prática do snowboard.
PATETA teve sua terceira série lançada pela Editora Abril em jun/11. As séries anteriores tiveram 56 edições (entre set/82 e out/84) e 26 edições (entre set/04 e dez/06).


MINNIE #33
Revista mensal, formato 13,4 x 19 cm, 48+4 páginas cor, R$ 3,20, distribuição nacional. Dia 6.

Qual seria o mistério da casa de layout mutante? Minnie e Mickey encontram a explicação no sótão. De Stefan Petrucha e Xavier Vives Mateu.

Quem não se apieda de um viralatas abandonado na chuva? Pluto certamente não. Sobretudo quando seu dono decide trazer o espertinho para dentro. De Maya Åstrup e Angel Rodriguez.

Mais uma das produções especiais para TOPOLINO #3000. Aqui, assinada por Casty e com toda a turma do camundongo, incluindo aparição de Esquálidus.
MINNIE teve esta série lançada pela Editora Abril em jun/11. A série anterior teve apenas três edições, num interessante formatinho diferenciado, chamada MINNIE POCKET LOVE.



DISNEY JUMBO #7
Revista quadrimestral, formato 13,4 x 19 cm, 512+4 páginas cor, lombada quadrada, capa cartonada, R$ 17,00, distribuição setorizada (dia 14 em Sudeste e Sul).
Capa: Alessandro Perina (Itália, 2012).

Veja aqui o índice completo desta edição, que traz, dentre muitas outras HQs, a primeira saga com o agente DonaldDuplo.


DISNEY JUMBO foi lançado pela Editora Abril em jan/12. Derivado de DISNEY BIG, o gibi provocou polêmica antes mesmo de chegar às bancas: sua capa original, desenhada por Carlos Mota e salpicada de personagens clássicos Disney, foi engavetada e substituída, de última hora, por outra, mais modesta. Suas 516 páginas lhe garantiram o título de maior gibi Disney brasileiro (e o de maior gibi da Editora Abril, e talvez até o maior gibi vendido em bancas de qualquer outra editora) de todos os tempos. Mas isso durou pouco: logo depois a Abril lançaria MEGA DISNEY, com nada menos que 804 páginas e o subtítulo "A Maior Revista em Quadrinhos Disney do Mundo". 


Editor: Paulo Maffia
Indexação auxiliar: Inducks



Por E. Rodrigues

PLANETA GIBI COMIC SHOP
Comprar seus gibis aqui é muito mais gostoso!

4 comentários:

  1. E o Disney Temático desse mês?

    ResponderExcluir
  2. E as edições de capa dura , ja sabem quanto vai ser e quando vao lançar?

    ResponderExcluir
  3. Artur, a Abril informa que saem em janeiro, sem preço divulgado até o momento.
    Abs.

    ResponderExcluir
  4. De Janeiro pretendo levar a Jumbo. Adorei o novo visual!

    ResponderExcluir

ANTES DE COMENTAR, POR FAVOR, LEIA:

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de quem os escreve e não refletem necessariamente a opinião do Planeta Gibi.

Não publicamos comentários que:
• Incluam quaisquer e-mails ou links;
• Mencionem outro estabelecimento que comercialize quadrinhos;
• Incluam ofensas e palavrões; fujam do tema em questão.

Atenção:
Os comentários aqui postados podem ser encaminhados para os editores que, eventualmente, poderão publicá-los nas revistas; caso não concorde com isso, explicite sua negativa no próprio comentário. Obrigado.