' '

12 de jun de 2013

Gibis da DC Cartoon voltam às bancas no mês que vem

EXCLUSIVO: A Editora Abril voltará a publicar dos gibis da DC Comics da linha Cartoon Network. As novas edições devem chegar às bancas já no mês de julho. Até aqui, a editora havia lançado 3 edições de cada título — BATMAN, OS BRAVOS E DESTEMIDOS, LIGA DA JUSTIÇA SEM LIMITES, AS AVENTURAS DO SUPERMAN e OS JOVENS TITÃS (leia abaixo os textos de Maurício Muniz publicados pelo Planeta Gibi às épocas desses lançamentos, em set/11, dez/11 e abr/12). Em tempo: títulos e estrutura serão mantidos; numeração será continuada.



BATMAN — OS BRAVOS E DESTEMIDOS #1
Editora Abril — set/11
Formato 13,4 x 19 cm, 104+4 páginas cor, capa cartonada, lombada quadrada, R$ 7,95.

Nas décadas de 1960 e 1970, uma das revistas em quadrinhos mais importantes de Batman era The Brave and the Bold, que a cada edição unia o Homem-Morcego a algum outro herói da editora para juntos enfrentarem um mesmo inimigo. Escrita em sua maior parte pelo lendário Bob Haney e desenhada por Jim Aparo, a série tornou-se um clássico, com tramas sempre muito criativas. No Brasil, a série original foi publicada durante anos pela EBAL em revistas como SUPERDUPLAS, BATMAN e BATMAN EM CORES. A DC tentou ressuscitar a série algumas vezes ao longo dos anos, mas nenhuma da novas versões teve carreira longa.

Em 2008, décadas após o final da versão mais famosa da série em quadrinhos, a DC resolveu levar o conceito de The Brave and the Bold para a TV, numa série animada que surpreendeu os fãs de Batman. Após duas séries de sucesso que traziam visões mais sombrias do herói, o novo desenho — chamado no Brasil de Batman: Os Bravos e Destemidos — apostava em um tom mais leve, com aventuras bem-humoradas nas quais o herói de Gotham deixa de lado seu perfil de Cavaleiro das Trevas e enfrenta monstros, alienígenas e vilões com os planos mais mirabolantes.

A revista homônima, que a Abril lança nas bancas, traz os primeiros seis números do título em quadrinhos que a DC lançou baseada na série da TV. As aventuras não adaptam episódios do desenho mas são, na verdade, histórias inéditas que seguem de perto a estrutura e a fórmula dos desenhos. Cada episódio da TV tem início com um prólogo que serve como uma miniaventura, na qual Batman e um outro herói resolvem um caso em dois ou três minutos. Após a abertura, vem a aventura principal na qual o Homem-Morcego atua ao lado de um outro herói diferente do que apareceu antes.

Nas histórias da edição especial em quadrinhos, acontece o mesmo. Cada aventura tem um prólogo de uma ou duas páginas na qual Batman enfrenta perigos ao lado de heróis mais convencionais do panteão da editora, como Superman e Mulher-Maravilha, e também de   outros mais inusitados como Homem-Hora, o Tanque Fantasma e até Sugar e Spike, antigos personagens infantis da editora. Já nas aventuras que se seguem, Batman se une a outros heróis que já deram as caras no desenho animado, como Aquaman, Arqueiro Verde e Besouro Azul. Uma da histórias mais interessantes faz uso de vários heróis históricos da DC. Graças a sua união com Kid Eternidade, o garoto que consegue trazer à vida qualquer herói do passado, Batman é auxiliado pelo Príncipe Viking, Cavaleiro Andante e o caubói Vigilante.

Esta divertida edição é escrita por Matt Wayne, roteirista de desenhos animados de Scooby-Doo! e Danny Phantom, e de J. Torres, de Batman Strikes e Jovens Titãs. Entre os desenhistas estão Andy Suriano, Carlo Barbieri e Phil Moy.


BATMAN — OS BRAVOS E DESTEMIDOS #2
Editora Abril — dez/11 (data de expediente: jan/12)
Formato 13,4 x 19 cm, 104+4 páginas cor, capa cartonada, lombada quadrada, R$ 7,95.

Durante anos, a imagem do herói Batman foi a de um herói taciturno e violento que usava as sombras da noite como aliadas. Mas o desenho animado Batman: Os Bravos e Destemidos joga por terra, de maneira inteligente e divertida, esse perfil mais realista do homem-morcego. Sai de cena o “Cavaleiro das Trevas” e surge um Batman que parece advindo do seriado de TV dos anos 1960, estrelado por Adam West, ou das histórias repletas de elementos de ficção científica e fantasia da década de 1950.

A segunda edição dos quadrinhos inspirados pelo desenho segue essa tendência, colocando Batman em cenários inusitados nos quais trabalha ao lado de parceiros pouco convencionais em histórias muito criativas.

Em uma delas, o herói encontra uma das superequipes mais estranhas dos quadrinhos, a Patrulha do Destino. Formada por personagens estranhos como Mulher-Elástica, Homem-Robô, Homem-Negativo e Mutano, a equipe foi criada em 1963 e já apareceu ao lado de Batman no desenho animado. Aqui, a equipe foi sequestrada por um inimigo misterioso e Batman precisa encontrá-la e resgatá-la, missão na qual tem a ajuda do adolescente Mutano (que é também membro dos Jovens Titãs). A diferença de personalidade entre os dois heróis dá origem a alguns bons momentos da história.

Em outra história, Batman viaja até o oriente, onde atua ao lado dos heróis Augusto General de Ferro, Talentoso e Perfeito Médico e Arqueiro Celestial. Com seus nomes incomuns, os três são membros dos Dez Grandiosos, equipe de superfuncionários do governo chinês que defende seu país de ameaças poderosas. O grupo foi criado para a linha de quadrinhos da DC em 2005 pelo roteirista Grant Morrison. Aqui, os heróis esbarram no homem-morcego enquanto investigam aparecimentos e ataques do Yeti, o abominável homem das neves, em montanhas chinesas.

E o que acontece quando Batman é transformado em um monstro-morcego gigante graças às maquinações de seu inimigo, o cientista louco Dr. Hugo Strange? Descontrolado, o bat-monstro sai por Gotham City causando uma onda de destruição e o único que pode salvar a cidade e o herói é o menor combatente do crime no universo DC: o diminuto Elektron.

Um destaque da edição é o encontro de Batman com o Homem-Gato, um novo super-herói uniformizado que surge em Gotham para combater o crime. Juntos, os dois heróis investigarão uma estranha onda de crimes e enfrentarão inimigos clássicos do Homem-Morcego, como Coringa, Pinguin, Charada e Duas-Caras.

Os roteiros da edição são de J. Torres (de BATMAN STRIKES e NOVOS TITÃS) e Landry Walker (DISNEY ADVENTURES e OS INCRÍVEIS). Os desenhos ficam por conta de J. Bone (de SPIDER-MAN e BATMAN/SPIRIT), Carlo Barbieri (de DEADPOOL e IMPULSO) e Eric Jones (de TRON e SUPERGIRL).


BATMAN — OS BRAVOS E DESTEMIDOS #3
Editora Abril — abr/12
Formato 13,4 x 19 cm, 104+4 páginas cor, capa cartonada, lombada quadrada, R$ 7,95.
Para a maior parte dos leitores de quadrinhos, a faceta mais conhecida do herói Batman é a de “Cavaleiro das Trevas”: um justiceiro que age nas sombras de maneira dura e violenta contra os criminosos. Mas não é esta a versão apresentada no desenho animado Batman: Os Bravos e Destemidos, onde Batman é mostrado como um aventureiro boa-praça. Neste terceiro volume de aventuras baseadas no universo do desenho animado, o herói encontra aliados e vilões inusitados.
Na primeira aventura, Batman e o Arqueiro Verde unem forças para perseguir as Presas Assustadoras, três exímios lutadores de artes marciais que usam as máscaras —e os nomes— de Raposa, Tubarão e Abutre. Os criminosos estão em busca de uma arma que pode torná-los quase invencíveis e a missão do Homem-Morcego e de seu amigo é impedir que se apossem dela.

Depois, durante o Natal, Batman é transportado para fora da Terra momentos antes de o planeta ser destruído. Último habitante ainda vivo de nosso mundo, o herói é levado até o longínquo planeta Rann, lar do astronauta Adam Strange. Ali, ele descobre que uma onda de antimatéria está varrendo o universo e colocando em perigo toda a existência. Junto a Strange, Batman precisa descobrir como reverter a destruição de seu mundo e ainda salvar tudo que já existiu... inclusive o próprio Natal.

Na terceira aventura da edição, Batman sofre um acidente durante uma aventura e quebra a perna direita. Imobilizado em uma cadeira de rodas por vários dias, como o protetor de Gotham City poderá defender sua cidade de todos os criminosos que a assolam? É aí que alguns amigos de Batman adotam o uniforme do herói e tomam seu lugar. Mas quatro homens-morcego cruzando a cidade é a solução ou isso vai apenas criar mais confusão?

A seguir, Batman descobrirá que a amizade entre dois combatente do crime pode ser bastante complicada. O herói se une à Caçadora, outra vigilante de Gotham, para rastrear um misterioso vilão, o Sr. Câmera. Mas tudo se complica quando a heroína acusa Batman de não dar atenção à sua amizade e até evitá-la. E quando parece que as coisas não podem piorar, o verdadeiro e arrepiante segredo do Sr. Câmera é revelado!

Na última aventura, Batman une-se ao Flash para investigar um roubo ocorrido em uma joalheria. Mas, em vez de trabalharem juntos no caso, os dois heróis decidem iniciar uma disputa para ver qual dos dois conseguirá primeiro descobrir quem é o culpado, capturá-lo e reaver o que foi roubado. Mas essa “corrida” guarda algumas surpresas para os dois justiceiros.

Esta divertida edição tem roteiros de J. Torres, Sholly Fisch e Landry Q. Walker. Os desenhos são de Carlo Barberi, Eric Jones e Robert Pope.



LIGA DA JUSTIÇA SEM LIMITES #1
Editora Abril — set/11
Formato 13,4 x 19 cm, 104+4 páginas cor, capa cartonada, lombada quadrada, R$ 7,95.

A divisão de animação da Warner Bros. obteve um grande sucesso em 2001 com a série Liga da Justiça, que mostrava sete dos heróis mais importantes da DC — Batman, Superman, Mulher-Maravilha, Flash, Lanterna Verde, Caçador de Marte e Mulher-Gavião — unindo forças e formando uma equipe capaz de enfrentar qualquer ameaça. A série, produzida por Bruce Timm e Paul Dini, teve uma aceitação tão grande que, em 2004, foi criada a série Liga da Justiça sem Limites, que mostrava uma verdadeira legião de super-heróis unindo-se à equipe. Os sete membros fundadores deixavam de ser o centro das atenções e seu lugar era tomado por personagens do segundo e terceiro escalões da editora, como Arqueiro Verde, Aquaman, Elekton, Sr. Destino, Gavião Negro, Astek, Sr. Milagre, Capitão Marvel, Vixen e Zatanna entre (literalmente) dezenas de outros.

Nessa animação, que teve trinta e nove episódios, é que se baseia o lançamento da Editora Abril, a edição especial LIGA DA JUSTIÇA SEM LIMITES. As tramas são de autoria de Adam Beechen, uma das mais interessantes vozes do mercado de quadrinhos atual. Os roteiros de Beechen já foram bastante elogiados em seus trabalhos para a TV (em desenhos como Jovens Titãs, Os Anjinhos e Ben 10) e para os quadrinhos (em títulos como CONTAGEM REGRESSIVA PARA A CRISE INFINITA e WILDCATS). As cinco histórias contidas aqui têm um tom épico com tramas divertidas e, principalmente, inteligentes, nas quais os membros da Liga se veem frente a ameaças que não podem ser vencidas apenas pela força bruta, mas também pelo uso do cérebro.

Em uma das histórias, um poderoso trio de inimigos dos Lanternas Verdes chega à Terra e John Stewart lidera Arqueiro Verde, Tornado Vermelho e Fogo na luta contra eles. Em outra, um grande número de membros da Liga enfrenta uma invasão das forças do vilão Darkseid, mas a vitória final dependerá de um ato de suprema coragem da Supergirl. Talvez o maior destaque da edição seja a aventura em que o detetive Questão precisa descobrir qual membro da Liga da Justiça teve sua mente controlada e tentou destruir o quartel-general da equipe com uma poderosa bomba. Para isso, ele faz visitas a vários inimigos da equipe, entre eles o calculista Lex Luthor. As outras histórias mostram a Liga lutando no passado ao lado do Rei Arthur para salvar Camelot e uma divertida missão conjunta entre Batman e o Rastejante, herói criado por Steve Ditko, um dos pais do Homem-Aranha.

Os desenhos da edição ficam a cargo de Carlo Barbieri (DEADPOOL) e Ethen Beavers (STAR WARS).


LIGA DA JUSTIÇA SEM LIMITES #2
Editora Abril — dez/11 (data de expediente: jan/12)
Formato 13,4 x 19 cm, 104+4 páginas cor, capa cartonada, lombada quadrada, R$ 7,95.

Considerada como a melhor série em desenhos animados da DC Comics, Liga da Justiça sem Limites agradou os fãs do universo de super-heróis da editora ao colocar sob os holofotes alguns personagens pouco conhecidos, mas de grande potencial.

A segunda edição das aventuras em quadrinhos inspiradas no desenho, lançada pela Abril, segue essa tendência de maneira primorosa. Escritas por Adam Beechen (de ROBIN e BATMAN DO FUTURO, entre outros títulos), as histórias apresentam visões e versões um tanto inusitadas dos personagens, longe do padrão das histórias convencionais.

A edição abre com uma aventura da Liga na Atlântida, onde a equipe é convidada de honra de Aquaman para o Dia Anual da Coroação. O ponto de vista mostrado é o da heroína adolescente Sideral (nos quadrinhos da linha normal, membro da Sociedade da Justiça), que considera Aquaman um idiota afetado e sem muita utilidade para a Liga. Já o rei dos mares, por sua vez, acha que Sideral ainda é uma heroína sem experiência e de segunda categoria. Mas a animosidade inicial dos dois precisa ser deixada de lado quando um antigo e poderoso demônio, capaz até mesmo de vencer Superman, volta à vida e planeja destruir toda a raça humana.

Outra história mostra Jay Garrick, o primeiro Flash (conhecido no Brasil como “Joel Ciclone”) frente a duas difíceis missões: salvar toda a Liga da Justica, aprisionada pelo Mestre dos Espelhos, e provar que é o Flash original a um garotinho desconfiado.

O Tornado Vermelho é tanto o astro quanto o oponente dos heróis na terceira história da edição. Quanto o andróide com poderes ciclônicos é controlado por um misterioso inimigo da Liga, inicia uma onda de destruição que coloca em risco não apenas o mundo, mas também sua amizade com os membros da Liga. Vale menção também a participação um tanto assustadora de Batman na trama, quando deixa claro que não se deve tentar prejudicar a Liga da Justiça.

Vibro, herói hispânico que teve pouco destaque até mesmo na linha de quadrinhos convencionais, estrela uma aventura onde a crítica social tem lugar. O rapaz tenta fazer com que seu irmão caçula abandone Los Lobos, uma gangue de marginais de rua que está prestes a se meter com um perigoso cientista maluco, o Dr. Silvana.

O destaque da edição fica para a história Rumo ao Limbo, que traz todos os grandes personagens místicos da editora unindo-se para uma viagem perigosa em outro plano astral. Zatanna, Desafiador, Sr. Destino, Zauriel, Etrigan e outros deverão enfrentar três poderosos demônios que dominaram o Reino do Limbo e impedem que inúmeras almas possam alcançar o descanso final. A missão não parece das mais difíceis, mas a equipe descobrirá que pode haver um traidor em seu meio.

Com seus roteiros inteligentes e divertidos, esta edição — desenhada pelo mexicano Carlo Barbieri (de DEADPOOL e IMPULSO) — é uma boa pedida para todos os fãs dos personagens da DC e dos bons quadrinhos.


LIGA DA JUSTIÇA SEM LIMITES #3
Editora Abril — abr/12
Formato 13,4 x 19 cm, 104+4 páginas cor, capa cartonada, lombada quadrada, R$ 7,95.

Com histórias que unem boa caracterização de personagens e interessantes reviravoltas, o roteirista Adam Beechen tornou-se um nome de destaque mo mercado de quadrinhos atual. E são dele quatro das ótimas aventuras contidas no terceiro volume de LIGA DA JUSTIÇA SEM LIMITES.

Na primeira história do volume, desenhada por Carlo Barberi, um grupo de jovens membros da Liga —entre eles Esmaga-Átomo, Nuclear e Supergirl— é obrigado a passar a noite de Natal em plantão no satélite da equipe para monitorar possíveis ameaças. E é exatamente o que acontece, quando o vilão Viga foge da prisão e dá início a uma onda de destruição que esses jovens heróis podem não ser capazes de impedir.

Em outra aventura, também ilustrada por Barberi, o satélite da Liga da Justiça é invadido por uma outra equipe de super-heróis. São os Combatentes da Liberdade, grupo liderado pelo patriótico Tio Sam, que vai à base da Liga em missão secreta para o governo. Convencidos de que a Liga pode representar um perigo para os Estados Unidos, os militares americanos enviam os Combatentes para roubar os arquivos de computador da Liga. Mas um encontro casual revelará a verdadeira intenção de Tio Sam e companhia e uma grande luta terá início.

Depois, é a vez do Superman viver uma grande aventura ao lado de um dos maiores fãs da Liga da Justiça. Ao tentar ajudar os habitantes do planeta Tamaran, o Homem de Aço é sequestrado pelos perigosos psions para tornar-se cobaia em seus experimentos. Perdido, isolado e privado de seus poderes, com uma raça de seres amorais e inescrupulosos em seu encalço, o herói só pode contar com a ajuda de um estranho taxista espacial, um admirador da Liga que viaja pelo tempo e pelo espaço para levar seus passageiros até qualquer destino onde precisem chegar. Os desenhos dessa tensa história são de Ethen Beavers.

Na quarta aventura da edição, a Mulher-Maravilha, o Homem-Elástico e o caubói moderno, o Vigilante, são transportados através do tempo para velho oeste americano graças às maquinações do vilão, Comandante do Tempo. Lá, os heróis do presente unem-se a justiceiros lendários como Jonah Hex, El Diablo e Bat Lash para salvar a vida de um jovem criminoso que será muito importante para o futuro de um certo membro da Liga da Justiça. A arte fica por conta de Gordon Purcell.

Finalmente, em uma história escrita por Paul D. Storrie e desenhada pelo veterano Rick Burchett, o leitor acompanha a entrada de Mary Marvel, irmã do Capitão Marvel, para a Liga da Justiça. Tendo a Supergirl como guia, a jovem Mary descobrirá porque cada membro da equipe é tão importante e porque cada talento especial ajuda a fazer da Liga uma força imbatível a favor da Lei e da Ordem. 


AS AVENTURAS DO SUPERMAN #1
Editora Abril — set/11
Formato 13,4 x 19 cm, 112+4 páginas cor, capa cartonada, lombada quadrada, R$ 7,95.

O ano era 1996 e, após o sucesso da série animada de Batman, produzida por Bruce Timm e Paul Dini, a Warner resolveu produzir uma outra, dedicada às aventuras do Homem de Aço. O desenho apresentou Superman ao público desde a sua origem, mostrando a destruição do Planeta Krypton e como o pequeno Kal-El torna-se seu único sobrevivente. Ele chega como bebê à Terra e cresce como Clark Kent, que se torna repórter do jornal Planeta Diário e defende a cidade de Metrópolis e a Terra das mais variadas ameaças. A série durou quatro anos, foi um grande sucesso e teve várias indicações aos prêmios Emmy e Annie, este último considerado o Oscar dos quadrinhos.

Como era natural, a DC Comics lançou uma série em quadrinhos baseada no desenho animado, que seguia sua concepção visual e o estilo mais leve de suas histórias. Foi nesse título de características mais infantis que se destacou o roteirista escocês Mark Millar, que no futuro se tornaria um dos maiores astros dos quadrinhos. Anos antes de escrever sucessos de crítica e público como AUTHORITY, WOLVERINE, OS SUPREMOS, QUARTETO FANTÁSTICO e chegar aos cinemas por meio de obras como Kick-Ass e O Procurado, Millar escreveu algumas das melhores histórias da série. E são essas histórias que chegam ao Brasil agora na edição AS AVENTURAS DO SUPERMAN.

A história principal da edição começa de forma impactante: o milionário Bruce Wayne é feito refém pelo Chapeleiro Louco, que exige que Batman venha salvar o playboy. O que o vilão não sabe é que o indefeso Wayne é o próprio Batman e, para salvar ele e outros prisioneiros, Superman vai a Gotham City, onde precisa unir forças à Batgirl para descobrir onde se esconde o Chapeleiro Louco.

Em outra história, o duende da quinta dimensão, Sr. Mxyzptlk, bola um plano infalível para vencer o Superman. Ele viaja ao passado e impede que o jovem Clark Kent transforme-se em super-herói. Outra trama — uma das mais elogiadas da carreira da revista — aprofunda-se nos motivos pelos quais o industrial e cientista Lex Luthor odeio tanto o Homem de Aço e os limites aos quais está disposto a chegar para derrotá-lo. É um ótimo e aprofundado estudo de um grande personagem. Numa história que envolve o poderoso Darkseid, monarca do planeta Apokolips, o fotógrafo Jimmy Olsen, jovem amigo de Superman, é vítima de um acidente que faz com que troque de corpo com o herói de Krypton, o que causa grande confusão e muitos perigos quando Jimmy precisa enfrentar as forças do maligno alienígena. Finalmente, a última história da edição mostra o mercenário Lobo unindo-se a Bizarro, o clone defeituoso e abobalhado de Superman, para criar muitas confusões em Metrópolis.

Emulando à perfeição a série animada, a tônica que domina essas histórias são a aventura e o humor, com roteiros de alta qualidade desenhados pelo veterano Mike Manley e pelo brasileiro Aluir Amancio. Uma edição imperdível para os fãs de Superman e dos quadrinhos de qualidade.


AS AVENTURAS DO SUPERMAN #2
Editora Abril — dez/11 (data de expediente: jan/12)
Formato 13,4 x 19 cm, 112+4 páginas cor, capa cartonada, lombada quadrada, R$ 7,95.

Mais rápido do que uma bala e mais poderoso do que uma locomotiva, Superman foi o primeiro super-herói dos quadrinhos. Seus poderes incríveis e aventuras fantásticas conquistaram sucessivas gerações de leitores desde que surgiu em 1938. Um desses fãs é o roteirista Mark Millar (de OS SUPREMOS e O PROCURADO), que tem no homem de aço seu personagem favorito. São de Millar quatro das cinco histórias publicadas nesta edição.

Reunião de Família, desenhada pelo brasileiro Aluir Amâncio, é uma saga em duas partes que traz uma série de eventos chocantes para Superman. Após impedir a explosão de um reator de antimatéria dos Laboratórios S.T.A.R., o herói é lançado um ano no futuro. Nesse tempo em que ficou fora, a humanidade amadureceu e aprendeu como seguir em frente sem a presença de um super-herói para salvá-la o tempo todo. Não bastasse sentir-se inútil e perdido, as coisas ainda pioram para Superman quando sua mãe kryptoniana, Lara, surge um dia dizendo que a capital de Krypton foi salva da destruição do planeta e ela o procura há anos. Poderia ser apenas um sonho ou alucinação, mas logo fica claro que tudo que acontece ao redor do herói é real. O final dramático envolverá Supergirl, Lex Luthor, Lois Lane, vários supervilões de Metrópolis e até Jor-El, o pai biológico de Superman.

Já na história Clark Kent É Superman e Eu Posso Provar, o herói recebe mensagens ameaçadoras de alguém que afirma saber seu segredo. Com muito suspense e surpresas aos montes, a história faz referências à serie cinematográfica de Superman, estrelada por Christopher Reeve, com a presença de um personagem que apareceu apenas no cinema. Os desenhos são de Neil Vokes (de ROBOTECH e AS AVENTURAS DO MÁSKARA).

Outra história escrita por Millar é Refúgio, desenhada pelo veterano Mike Manley (de CAPITÃO MARVEL e CAPITÃO AMÉRICA), na qual Superman enfrenta um novo e poderoso inimigo: um antigo demônio fugido do Egito, capaz de migrar de um corpo humano para outro e fazer com que este obedeça à sua vontade. Não demora para que o demônio deixe claro que sua intenção é dominar o corpo de Superman, o ser mais poderoso do mundo. Com a ajuda do Sr. Destino, um ás dos conhecimentos sobrenaturais, Superman tentará escapar de uma terrível sina. Mas será que tudo é mesmo o que parece? Um conto genial, com final surpreendente.

A edição é complementada por Lois Lane, a Namorada de Sullivan. O roteirista é David Michelinie, um dos nomes mais importantes da Marvel nas décadas de 1980 e 1990, quando escreveu as aventuras do Homem-Aranha e criou, com Todd McFarlane, o vilão Venom. Em sua história, desenhada por Neil Vokes, um vilão com poderes hipnóticos ataca o jornal Planeta Diário. Em meio a um confronto com Superman, os poderes do vilão afetam Lois Lane, que passa a corresponder ao amor secreto de Ben Sullivan, o zelador do jornal, causando uma série de confusões.

Grandes aventuras para o maior super-herói dos quadrinhos, com tramas que irão agradar a todos os fãs do personagem.


AS AVENTURAS DO SUPERMAN #3
Editora Abril — abr/12
Formato 13,4 x 19 cm, 112+4 páginas cor, capa cartonada, lombada quadrada, R$ 7,95.
Superman mantém-se como um dos maiores ícones dos quadrinhos desde 1938, quando foi criado. Embora muitos roteiristas considerem difícil escrever aventuras para um personagem tão poderoso e virtualmente indestrutível, isto não parece ser problema para Mark Millar, que trouxe muita imaginação e ótimas tramas à revista baseada na série animada do herói.
Na história Nunca Brinque com os Brinquedos do Homem-Brinquedo o Homem de Aço precisa impedir uma onda de assaltos e roubos cometidos por sofisticados brinquedos. O maior suspeito parece ser Winslow Schott, o estranho Homem-Brinquedo, mas o problema é que Schott está na prisão. Será que outro criminoso está usando seus métodos para cometer os crimes? E o que acontecerá se o Homem-Brinquedo resolver se vingar daqueles que mancharam sua “honra”?

Em Este é um Trabalho para o Superman, a história mais surpreendente da edição, acompanhamos o herói em um noite atarefada, na qual enfrenta terroristas; salva estudantes presos em uma mina subterrânea; tenta impedir a execução de um inocente na cadeira elétrica; resgata astronautas e até procura por um cãozinho perdido. Uma aventura que mostra a dedicação do herói a seu planeta adotivo.

Já em Clark Kent: Inimigo Público, a cidade de Metrópolis ganha um novo e violento criminoso... um criminoso muito parecido com Clark Kent, repórter do Planeta Diário e, secretamente, a outra identidade de Superman. Uma vez que não consegue provar sua inocência frente às provas e testemunhas de seus crimes, Clark é aprisionado. Mas isso não impedirá o herói de sair em missões secretas à noite e tentar descobrir quem é o misterioso personagem que vem aterrorizando a cidade.

O Parasita é o grande vilão em Se Eu Dominasse o Mundo. Se o vilão já é perigoso graças à sua habilidade de sugar os poderes alheios, o caos total se instala no planeta quando ele absorve os poderes fantásticos do Sr. Mxyzptlk, o duende de outra dimensão que vem à Terra periodicamente para incomodar Superman. Capaz agora de alterar a realidade a seu prazer, o Parasita cria um mundo bizarro onde todas as suas vontades se concretizam. Superman precisará usar o cérebro para salvar a Terra.

A última história da edição, Reunião, tem roteiro do veterano Evan Dorkin em parceria com Sarah Dyer e mostra a volta de Brainiac, o vilão que foi um dos maiores responsáveis pela destruição de Krypton. Mas, desta vez, ele surge com uma aparência surpreendente e o Homem de Aço precisará da ajuda de sua prima Supergirl para vencê-lo. Os desenhos das histórias ficam a cargo de Terry Austin, Brett Blevins e do brasileiro Aluir Amancio.


OS JOVENS TITÃS #1
Editora Abril — set/11
Formato 13,4 x 19 cm, 104+4 páginas cor, capa cartonada, lombada quadrada, R$ 7,95.

A equipe dos Jovens Titãs surgiu em 1964, uma época em que os jovens norte-americanos começaram a se rebelar contra as convenções da sociedade e a exigir que suas vozes fossem ouvidas e levadas em consideração. A primeira aventura dos personagens surgiu na edição 54 da revista THE BRAVE AND THE BOLD, quando Robin, Kid Flash e Aqualad uniram-se contra um inimigo em comum. A história foi bem aceita e logo surgiram outras histórias com os Titãs, nas quais outros heróis, como Ricardito (parceiro do Arqueiro Verde) e Moça-Maravilha, uniram-se à equipe. Finalmente, o grupo ganhou seu título próprio em fevereiro de 1964. O título duraria até 1978, mas com várias pausas em sua publicação ao longo do caminho.

Em novembro de 1980, a revista DC COMICS PRESENTS #26 trouxe de volta os Titãs em uma nova formação, na qual aos antigos membros Robin, Kid Flash e Moça-Maravilha uniram-se alguns heróis nunca vistos antes: Estelar, uma princesa alienígena; Zatanna, uma feiticeira cujo pai é um demônio; e Ciborgue, dono de um corpo metálico cheio de recursos. A equipe também era integrada por Mutano, um jovem de pele esverdeada e capaz de se transformar em qualquer animal que fora, no passado, membro da Patrulha do Destino, outro grupo de heróis da década de 1960. Essa nova equipe, que logo ganhou título próprio, teve aventuras brilhantes criadas pelo roteirista Marv Wolfman e o desenhista George Pérez. A revista se transformou em um grande sucesso e foi, durante muito tempo, a mais vendida da editora.

Foi nessa versão dos anos 1980 que o produtor Glen Murakami se baseou para criar o desenho animado Jovens Titãs, em 2003. Kid Flash e Moça-Maravilha não faziam parte da equipe, mas Robin e os outros membros foram mantidos e viveram várias aventuras contra vilões saídos tanto dos quadrinhos como criados especialmente para o desenho. Com um dinâmico tema de abertura cantado pela dupla japonesa Puffy AmiYumi, a série durou três anos e apresentou estes heróis e o universo da DC a toda uma nova geração de crianças e adolescentes.

No mesmo ano em que o desenho estreou, surgiu também a revista em quadrinhos TEEN TITANS GO!, que apresentava novas histórias inspiradas pelo universo da série da TV. Escritas por J. Torres, autor indicado ao prêmio Eisner por seu trabalho nos quadrinhos, as histórias colocavam os heróis contra os mais variados inimigos. Algumas das melhores histórias criadas para a revista estão no especial OS JOVENS TITÃS, lançado pela Abril Jovem. Em uma delas, os Titãs enfrentam um inimigo sobrenatural que comanda uma invasão de zumbis. Em outra, são levados ao mundo virtual dos vídeogames para lutar contra perigos muito reais. Os Titãs também são obrigados a enfrentar o amigo Mutano, quando ele se transforma num monstro gigante descontrolado ao melhor estilo “Godzilla”. X, um vilão surgido no desenho animado, também dá as caras em uma aventura cheia de ação e mistério. Mas, apesar da variedade de histórias, a maior constante da edição é o humor, seja nos diálogos divertidos e cheios de referências à cultura pop, seja nas charadas e piadas que são apresentas de forma muito criativa em paralelo às narrativas.

Os desenhos desta edição imperdível para os fãs ficam à cargo de Todd Nauck (HOMEM-ARANHA, YOUNGBLOOD), Mike Norton (FUGITIVOS, ARQUEIRO VERDE) e Sean Galloway (X-MEN).


OS JOVENS TITÃS #2
Editora Abril — dez/11 (data de expediente: jan/12)
Formato 13,4 x 19 cm, 104+4 páginas cor, capa cartonada, lombada quadrada, R$ 7,95.

Como todo super-herói, os Jovens Titãs enfrentam terríveis vilões no seu dia-a-dia. Mas isso não quer dizer que não possam manter o bom-humor e se divertir no processo. Nas aventuras da TV (e agora nos quadrinhos), a equipe tem uma formação parecida com a mostrada na série muito bem-sucedida dos personagens lançada na década de 1980, quando era escrita por Marv Wolfman e desenhada por George Perez.

A nova edição lançada pela Abril traz cinco aventuras dos heróis adolescentes. Na história principal desta edição, os Titãs enfrentam o vilão Katarou, que rouba uma joia mística dona de estranhos poderes. Durante a batalha, um acidente com a joia causa um efeito inesperado e os poderes e características físicas dos Titãs são trocados. Ciborgue fica com a habilidade de transformar-se em animais, Estelar ganha um corpo semibiônico, Mutano adquire poderes místicos, Ravena torna-se uma exímia lutadora e Robin passa a voar e a lançar raios pelas mãos. Agora, os Titãs precisarão acostumar-se a seus novos poderes para vencer o inimigo e achar um meio de voltarem ao normal.

Em outra história, o Natal chegou... Mas antes que possam aproveitá-lo, os Titãs precisam vencer Billy Múltiplo, um vilão capaz de criar várias cópias de seu corpo, transformando-se em uma verdadeira quadrilha de um homem só. A trama é passada em uma loja de departamentos, onde Billy Múltiplo tenta roubar os presentes comprados por vários clientes.

Outra data comemorativa que os heróis “enfrentam” é o Dia dos Namorados. Desta vez, os problemas começam quando Ciborgue recebe uma enorme descarga elétrica durante uma aventura e passa a agir estranhamente, tornando-se quase um morto-vivo sem vontade própria. As coisas só pioram quando Estelar tenta ajudar o amigo em um encontro romântico, ao mesmo tempo em que a ciumenta vilã Jinx — que tem uma queda por Ciborgue — resolve atrapalhar o encontro.

Depois, graças a seus poderes especiais que lho permitem virar qualquer animal, Mutano torna-se um astro em Hollywood, onde trabalhará em um filme sobre um herói das selvas. Mas, enquanto se dedica à nova carreira no cinema, começa a sentir-se isolado, já que perde todas as aventuras que os Titãs estão vivendo.

A edição fecha com uma história especial, onde os Titãs e a Patrulha do Destino (grupo do qual Mutano já fez parte) unem-se para contar histórias tristes, engraçadas e cheias de curiosidades sobre o passado do jovem de pele esverdeada.

Os roteiros das histórias são de J. Torres (de X-MEN UNLIMITED e LEGIÃO DOS SUPER-HERÓIS NO SÉCULO 30). A arte fica por conta de Todd Nauck (HOMEM-ARANHA, YOUNGBLOOD) e Mike Norton (FUGITIVOS).


OS JOVENS TITÃS #3
Editora Abril — abr/12
Formato 13,4 x 19 cm, 104+4 páginas cor, capa cartonada, lombada quadrada, R$ 7,95.

Unindo ação e bom-humor, a série animada dos Jovens Titãs tornou-se um grande sucesso entre os jovens do mundo todo, com histórias que exploravam o universo da DC de maneira inovadora e divertida. As aventuras de Robin, Mutano, Ravena, Ciborgue e Estelar continuam agora na terceira edição especial da Editora Abril, que traz seis histórias escritas por J. Torres.

Os Titãs se envolvem com um misterioso apresentador de TV quando se tornam convidados da nova sensação da telinha, o programa Quem Quer Torta?. Nele, os heróis realizam estranhas tarefas para ganharem deliciosas tortas como recompensa. Mas estaria um conhecido inimigo por trás desse esquema maluco? Para resolver o mistério, os Titãs precisarão da ajuda da heroína Abelha. Os desenhos são de Mike Norton.

Em uma aventura curta mas cheia de adrenalina, que traz a arte estilizada de Scott Iawashi, Aqualad e Ricardito enfrentam um perigoso monstro do Mar e o vilão que o comanda.

Outra história curta e com arte impressionante —desta vez, de Francisco Herrera— traz Mutano e Ciborgue às voltas com o maníaco Dr. Luz, um vilão que já causou muitos problemas para o grupo no passado.

Na história que dá capa à edição, Robin começa a agir de maneira estranha. Seus companheiros não sabem o que há de errado com ele até que surge, vindo do futuro, o herói Asa Noturna, uma versão mais velha de Robin. Com a ajuda deste “membro-honorário”, a equipe enfrentará um inimigo de outra época e o próprio Robin, que teve sua mente dominada. A arte é de Todd Nauck.

Nauck volta também para a próxima aventura, na qual super-heróis adolescentes começam a desaparecer ao redor do mundo. Quando o mesmo acontece com Mutano, os Titãs resolvem investigar e descobrem que seu amigo e outros seres poderosos foram levados para uma arena de gladiadores secreta onde deverão lutar até a morte em um jogo mortal. Os Titãs partem para o resgate!

A diversão termina com uma estranha partida de baseball! Não é um jogo qualquer, pois nele os Titãs enfrentam um grupo de novos e velhos inimigos em uma disputa que tem, como prêmio, as vidas das centenas de pessoas que os assistem. Com um final surpreendente, a história tem arte de Mike Norton.


Textos de Maurício Muniz, editor da Gal Editora e do blog  Antigravidade: Cultura Pop e Bom Humor, exclusivos para o Planeta Gibi.


Por E. Rodrigues

14 comentários:

  1. A melhor notícia dos últimos tempos. Vamos sugerir se eles não lançam em formato americano! Seria muito melhor do que aquelas famigeradas encadernações malditas da Abril!
    Agora só resta esperar se Scooby-Doo iria tambem para a Abril, uma vez que a Panini está faltando com o respeito com os leitores desse famoso título. Abraços a todos.

    ResponderExcluir
  2. Comprei Batman 1 na intenção de colecionar e comprar tb os outros titulos, mas desisti por causa da pessima encadernação! Agora q estão aprendendo a encadernar (com Disney Temático, após tanta reclamação), espero q a linha DC tb tenha uma boa encadernação. Vi outros fãs da DC reclamando disso tb e espero q a Abril capriche dessa vez!

    ResponderExcluir
  3. Mudando um pouco de assunto, gostaria de saber se o mangá GEN, publicado pela editora Abril parou de sair, e se foi cancelado ???

    ResponderExcluir
  4. Sobre GEN, vide comentários no checklist Variados deste mês. Lá tem a informação do Planeta Gibi e a de um leitor. Vocé vai ter que optar entre "GEN está cancelado" e "GEN está suspenso enquanto Kingdom Hearts circular" (como Kindgom Hearts é um sucesso de vendas, tudo indica que a Abril vai continuar publicando todo o material disponível, indo além das 4 edições do primeiro arco).

    Abs.

    E. Rodrigues

    ResponderExcluir
  5. Também tive a mesma intenção do companheiro Jefferson Leite em 2011, mas desisti devido a qualidade do gibi e preço. Apesar de colecionar as publicações da Panini, prefiro o conteúdo mais light de "Batman e os Bravos Destemidos". Torço para Abril vir com uma publicação melhor, já estou na banca aguardando.

    ResponderExcluir
  6. Gostei desta notícia, e bem na hora que eu já estava com saudades destas coleções. Tomara que julho chegue logo,rs.

    ResponderExcluir
  7. Scooby-Doo é uma vergonha! Tenho as nove primeiras revistas dessa nova série mensal, mas elas chegam às bancas com até dois meses de atraso.

    Uma pena!

    ResponderExcluir
  8. Gostei muito de saber disso!!!
    Planeta Gibi gostaria de saber como é a distribuição desses DC Comics da linha Cartoon. É anual? e é setorizada ou distribuição nacional!?
    A capa é cartonada!?

    Bruno...

    ResponderExcluir
  9. A informação preliminar é que voltarão os 4 títulos, exatamente na estrutura que tinham (vide acima, abaixo de cada capa).

    Quanto à periodicidade e distribuição, a primeira leva era para ter sido estabelecida como trimestral e tinha distribuição setorizada. Não temos informações ainda de periodicidade e distribuição desse retorno.

    E. Rodrigues

    ResponderExcluir
  10. Só espero que a numeração recomece no #4. Zerá-la seria um disparate.

    E a encadernação é ruim mesmo. As páginas ficam todas enrugadas.

    ResponderExcluir
  11. Também acredito que GEN está cancelado.... pq o pessoal reclama muita da encadernação que é ruim.. que o preço não justifica o preço afinal... a informação não é minha e sim do site do JBOX... sempre dou um toque ou furo pra eles noticiar..apenas dei noticia pra eles e falaram que iam atrás da informação

    Jbox.com.br Vamos averiguar isso, Felipe Ab. Valeu pelo toque!
    Curtir · Quarta às 15:00

    Jbox.com.br Corremos atrás: GEN está em stand-by por conta da publicação de Kingdom Hearts, Felipe Ab. Qualquer novidade informaremos.



    Mas acredito que está cancelado.. pq duvido que GEN vende bem

    ResponderExcluir
  12. Vamos torcer para GEN continuar a sair, um dos melhores mangás do momento, e não merece cancelamento.

    ResponderExcluir
  13. O Planeta Gibi mantém a informação que publicou sobre GEN.

    ResponderExcluir
  14. Por favor, alguma notícia sobre o Scooby-Doo? Pergunta lá na Paninni se vai parar de sair por favor. Abraço.

    ResponderExcluir

ANTES DE COMENTAR, POR FAVOR, LEIA:

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de quem os escreve e não refletem necessariamente a opinião do Planeta Gibi.

Não publicamos comentários que:
• Incluam quaisquer e-mails ou links;
• Mencionem outro estabelecimento que comercialize quadrinhos;
• Incluam ofensas e palavrões; fujam do tema em questão.

Atenção:
Os comentários aqui postados podem ser encaminhados para os editores que, eventualmente, poderão publicá-los nas revistas; caso não concorde com isso, explicite sua negativa no próprio comentário. Obrigado.