' '

2 de jan de 2013

Pixel traz BRASINHA de volta

BRASINHA, há mais de 30 anos longe das bancas brasileiras, acaba de ser lançado pela Ediouro/Pixel, aumentando a linha de clássicos da Harvey Comics que a editora reeedita nas mensais GASPARZINHO e RIQUINHO. BRASINHA segue o padrão dessas (e também de LULUZINHA e BOLINHA, personagens criados por Marge e hoje integrantes do catálogo da mesma Classic Media que administra as criações da Harvey): formatinho, 52 páginas coloridas, R$ 3,10. Veja as capas de todas as edições atuais desses títulos a seguir. 
   

BRASINHA  #1
Pixel / Ediouro, Harvey Comics / Classic Media — jan/13
mensal, 48+4 páginas cor, formato 13,5 x 19 cm, R$ 3,10

Séries regulares anteriores no Brasil: 
O Cruzeiro, 132 edições, de 1962 a 1972 
Vecchi, 90 edições, de 1974 a 1982


....................................................................................................................
TAMBÉM DA HARVEY:


GASPARZINHO #6
Pixel / Ediouro, Harvey Comics / Classic Media — jan/13
mensal, 48+4 páginas cor, formato 13,5 x 19 cm, R$ 3,10


RIQUINHO #6
Pixel / Ediouro, Harvey Comics / Classic Media — jan/13
mensal, 48+4 páginas cor, formato 13,5 x 19 cm, R$ 3,10


....................................................................................................................
LANÇADOS NO FINAL DO ANO, TAMBÉM DA CLASSIC MEDIA:



LULUZINHA #22
Pixel / Ediouro, Classic Media — dez/12
mensal, 48+4 páginas cor, formato 13,5 x 19 cm, R$ 3,10



BOLINHA #20
Pixel / Ediouro, Classic Media — dez/12
mensal, 48+4 páginas cor, formato 13,5 x 19 cm, R$ 3,10


Por E. Rodrigues

23 comentários:

  1. Um comentario rápido e rasteiro sobre o lançamento de mais um classico dos quadrinhos:
    Aplausos.
    Pixel eu te amo.

    ResponderExcluir
  2. Só faltava o Brasinha mesmo! Vai pro cofre!

    ResponderExcluir
  3. Eu já compro, além de tudo da Disney, o Recruta Zero, Popeye, Bolinha, Luluzinha, Gaparzinho e agora acho que vou encarar também o Brasinha.

    ResponderExcluir
  4. Rapaz... não imaginei que a Pixel tivesse a coragem de re lançar o Brasinha... um personagem fantástico há muito esquecido.
    A Pixel tem feito um trabalho excelente nesse revival dos quadrinhos.

    ResponderExcluir
  5. A Pixel está de parabéns com o lançamento dos clássicos. Assim como o Ludy, eu já vinha colecionando Disney e agora tb coleciono os clássicos da Pixel. Na minha opinião Bolinha e Luluzinha são os melhores, pq as histórias são inteligentes e pq são os únicos gibis da linha infantil em bancas q me faz rir! Quanto ao Brasinha, assim q vi na banca, já comprei!

    ResponderExcluir
  6. Se a Pixel acompanha este espaço gostaria de parabenizar a mesma por estar relançando todos os clássicos que nós mais novos (que temos menos de 30 anos) não pudemos acompanhar em seu auge.
    Estão fazendo um belíssimo trabalho e espero que estejam vendendo bem, pois a editora está merecendo, vide o respeito de lançar ao consumidor todos os títulos bem organizados e com um preço interessante.
    Parabéns e continuem assim.

    ResponderExcluir
  7. Alguém sabe se o Bolinha #20 já saiu? Não ainda pela Tijuca (RJ).

    ResponderExcluir
  8. Em São Paulo já saiu. Já tem disponível na loja virtual do Planeta Gibi, também.

    ResponderExcluir
  9. Vou comprar várias edições e distribuir na porta da Igreja Universal.

    ResponderExcluir
  10. A Pixel deveria aproveitar a onda e relançar a fantástica turma HB. Que saudades de Zé Colméia, Jetsons, Manda-Chuva, Flintstones...

    ResponderExcluir
  11. A Pixel podia lançar também a Bolota e a Brotoeja.

    ResponderExcluir
  12. VocÊ pode ma passar o link do Bolinha #20 na lojinha? Não achei ainda.

    ResponderExcluir
  13. Renato, mil perdões. Enganei-me. Bolinha teve algum problema de distribuição. Já contatamos o editor Daniel Stycer, que nos prometeu uma resposta para breve (está verificando com a distribuidora Dinap).

    E. Rodrigues

    ResponderExcluir
  14. Valeu, amigos!
    Isso deve ser obra da Turma da Zona Norte, kkk

    ResponderExcluir
  15. Parece que estamos revivendo os tempos áureos não só da Abril, como também da Rio Gráfica (hoje Editora Globo), O Cruzeiro e Vecchi.

    ResponderExcluir
  16. Cheguei a dar uma conferida em Luluzinha 22 e em Bolinha 20. E nestas duas edições, encontrei estórias da Lulu e do Bolinha desenhadas por John Stanley, que foram editadas originalmente numa mesma revista: Marge's Little Lulu 31 (Dell Comics, dezembro de 1950). As estórias são as seguintes:

    - Em Luluzinha 22: Bebê Chorão;
    - e em Bolinha 20, a do aniversário do Bolinha.

    ResponderExcluir
  17. E também em Luluzinha 22 - só que no terreno da Harvey Comics -, encontrei uma estória de uma página da Bolota, que foi desenhada por Sid Couchey (que faleceu no comecinho do ano passado).
    Sid Couchey é um artista da Harvey Comics bastante lembrado por desenhar boa parte das estórias da Bolota e da Brotoeja.
    Ele também desenhou algumas estórias do Riquinho.
    O design dele primava por ter um toque bem cômico.

    ResponderExcluir
  18. Rodinei, muito bacanas suas informações, como de costume.

    A fonte de todas essas HQs de Lulu e Bolinha que a Pixel vem publicando é a coleção que a Dark Horse editou até recentemente, trazendo, justamente, toda a obra de John Stanley (boa parte em parceria com Irving Tripp) para os títulos Little Lulu e Tubby (deste, na verdade, não tenho certeza se chegaram a publicar tudo; depois vou checar).

    Abs.

    E. Rodrigues

    ResponderExcluir
  19. Com relação a Bolota, Brotoeja e Tininha, elas vem sendo publicadas nas revistas do Riquinho e da Luluzinha.

    ResponderExcluir
  20. Parabéns a Ediouro por trazer os bons tempos de volta. Eu liguei para eles e fiz algumas críticas construtivas em relação a qualidade do acabamento das revistas e imagino que alguns leitores também devem ter percebido que: (1) As capas das revistas são muito finas e por mais que voce leia com cuidado é fácil amassa-las por serem de pouca gramatura. (2) A capa sempre vem menor que o miolo, é como se faltasse uma tira ou em cima ou embaixo da capa, o que dá a entender que está sendo guilhotinada separadamente do miolo ao invés de tudo junto. (3) O número do exemplar vem escrito de forma muito técnica junto ao código de barras, o ideal seria vir separado, destacado com contornos mais cômicos pois todo colecionar gosta sempre de estar conferindo a numeração e também fica mais atrativo as crianças.
    (4) melhorar a intensidade das cores no miolo(sobre o papel jornal) pois assim a revista fica mais alegre sem aquele aspecto desbotado. Outras sugestões seria a Pixel abrir espaço para propagandas de terceiros(alimentos, roupas, brinquedos, etc) além de contribuir financeiramente com a revista, evita propagandas muito repetitivas e toma aquele ar dos bons tempos dos quadrinhos. Agora muito importante é a pixel, ao passar dos anos, nunca relaxar com a qualidade e nunca diminuir as páginas dos gibis, assim como fez a editora abril, que por causa dessa prática acabou condenando ao fim seus quadrinhos. Leitores e colecionadores gostam de qualidade. Em termos de material gasto na impressão de uma HQ, o custo é muito barato, na casa dos poucos centavos, não é uma pequena melhora na qualidade que vai gerar prejuíso. No final da revista tem os telefones de contato, um deles é o (21) 3882 8300, sugiro aos
    leitores que liguem lá e peça pra falar, de preferencia, com o editor chefe Daniel Stycer e façam essas cobraças, só assim vai surtir algum efeito.

    ResponderExcluir
  21. Bom eu só tenho uma dúvida se estão relançando os episódios daquela época ou se estão criando novos episódios o relançamento sim seria de fato maravilhoso porque resgataria o clima de uma época nos encantaria e mataria saudades e eu compraria tudo agora se estão criando novos episódios é bom e válido mais para nós adultos que éramos crianças na época continua a sdaudade

    ResponderExcluir

ANTES DE COMENTAR, POR FAVOR, LEIA:

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de quem os escreve e não refletem necessariamente a opinião do Planeta Gibi.

Não publicamos comentários que:
• Incluam quaisquer e-mails ou links;
• Mencionem outro estabelecimento que comercialize quadrinhos;
• Incluam ofensas e palavrões; fujam do tema em questão.

Atenção:
Os comentários aqui postados podem ser encaminhados para os editores que, eventualmente, poderão publicá-los nas revistas; caso não concorde com isso, explicite sua negativa no próprio comentário. Obrigado.