' '

27 de out de 2012

ZÉ CARIOCA 70 ANOS: índice completo (e Gibicon)

Hoje, 27/out, o editor Paulo Maffia apresenta o especial ZÉ CARIOCA 70 ANOS no Gibicon #1, em Curitiba. O evento será às 16h, no Paço da Liberdade (veja abaixo o índice completo do volume 1, acrescido da prévia antes aqui postada). Ontem, no mesmo espaço, editores (Maffia e Sidney Gusman) e criadores (Jean Galvão, Chico Lam e Leandro Robles) discutiram a importância dos quadrinhos infantis na cultura, educação e mercado, ressaltando o papel de facilitador de acesso das crianças a temas intrinsecamente chatos ou complexos (possibilitando a abordagem de forma
mais leve, atrativa e frequentemente divertida para esse público) e, claro, a porta de entrada que os gibis vendidos em banca são, de fato, para um mercado adolescente e adulto de quadrinhos.

O Planeta Gibi perguntou a Gusman como a MSP lida com o patrulhamento do politicamente correto. Citamos a republicação recente de HQ de Chico Bento que teve quadros alterados para eliminar de cena o personagem nu, banhando-se numa lagoa.

O editor citou outros exemplos similares e sintetizou que vivemos num momento extremamente chato (de patrulhamento ideológico) onde essas alterações e situações são resultado da pressão da própria mídia (e da sociedade, acrescentaríamos), exemplificando com a ação sistemática do Instituto Alana, que se coloca como defensor último dos interesses da criança e, nessa obsessão, ignora que a) cabe aos pais a primazia de impor limites aos filhos e b) criança consegue distinguir uma HQ de uma página de propaganda sem precisar, para tanto, que haja uma inscrição "informe publicitário".


ZÉ CARIOCA 70 ANOS VOLUME 1
edição especial, 308 páginas cor, formatinho 13,4 x 19 cm, lombada quadrada, capa cartonada com relevo e hot stamp, R$ 16,00

Capa: Luiz Podavin
Lançamento: dia 29 de outubro de 2012
Distribuição regional



AS 104 PÁGINAS DOMINICAIS:
Como Almoçar de Graça
Como Encontrei Meu Grande Amor
A Cantora de Ópera
Aventura na Amazônia
O Grande Cavaleiro
Esse Zé Não Tem Jeito Mesmo
147 páginas, por Hubie Karp (roteiro), Bob Grant e Paul Murry (desenhos), Dick Moores e Karl Karpé (arte-final). Publicada originalmente entre 11/out/42 e 01/out/44. Publicada na íntegra e na sequência pela primeira vez no mundo
O Rei do Carnaval
12 páginas, por Carl Buettner
A Volta dos 3 Cavaleiros
8 páginas, por Chase Craig (roteiro) e Carl Buettner (desenhos)
Você Já Foi à Bahia?
48 páginas, de Walt Kelly. Publicada no Brasil pela primeira vez na íntegra
A Volta de Zé Carioca
10 páginas, de Luis Destuet. Supostamente a primeira HQ produzida para um gibi Disney brasileiro. Publicada antes somente em O PATO DONALD #165 (4/jan/55)
A Volta de Zé Carioca
13 páginas, de Jorge Kato. A primeira HQ estrelada por Zé Carioca produzida por um brasileiro. Publicada originalmente em O PATO DONALD #434 (1/mar/60)
A Confusão com o Canário Caubi
5 páginas, de Al Hubbard (desenhos, em parte substituídos por arte de Joge Kato) e Fred Abranz (arte-final). A terceira HQ da fase "Zé Fraude". Sua versão original, com Mickey, permanece inédita no Brasil
Um Festival Embananado
7 páginas, de Waldyr Igayara de Souza (roteiro e desenhos) e Izomar Guilherme (desenhos)
Os Três Cavaleiros e a Guerra dos Juke-Boxes
28 páginas, de Abramo Barosso (argumento), Giampaolo Barosso (roteiro) e Giovan Battista Carpi (desenhos). Inédita no Brasil

Gato de Sete Quedas
3 páginas, de Waldyr Igayara de Souza (roteiro e desenhos)
Pondo Banca
3 gags de uma página cada, de Waldyr Igayara de Souza (roteiro e desenhos) 
O Pescador
gag de uma página, de Waldyr Igayara de Souza (roteiro e desenhos)
Dia do Professor
gag de uma página, de Waldyr Igayara de Souza (roteiro e desenhos)








O volume 2, programado para final de novembro, continua a seleção cronológica de histórias e se encerra com duas HQs brasileiras inéditas, produzidas especialmente para esta ocasião.

Leia nosso texto sobre os 70 anos do papagaio aqui.


Por E. Rodrigues e Rivaldo Ribeiro

9 comentários:

  1. Ontem foi um dia muito nobre em termos de histórias em quadrinhos, com o lançamento do Zé Carioca 70 anos e da Graphic do Astronauta.

    Ambas maravilhosas, embora com direções e propostas diferentes: uma homenageando o passado, e outra com olhos para o futuro e uma nova etapa para os personagens do Maurício de Souza.

    Só uma coisa me preocupa: na revista do Zé tem a capa do número 2, que englobará as décadas de 70 a 00; e na capa teremos o Zé com o visual dos anos 90. Torço para que ele não seja usado nas duas histórias novas que integrarão o especial.

    ResponderExcluir
  2. Hmm... então pode começar a rezar para N. Sra. do Bom Senso...

    ResponderExcluir
  3. Nº 2, anos 70 a 00? Provavelmente só comprarei a primeira edição então... não gosto do Zé com aquele visual moderninho... e com aquelas cores moderninhas então, piorou!!!

    ResponderExcluir
  4. Talvez eu compre por causa do Zé dos anos 80, que eu adorei. E vou ter que engolir o papagaio na versão moderna, horrível...

    ResponderExcluir
  5. Apesar do Zé de Boné, acho que a próxima edição vai ter bastante material aproveitável.

    Particularmente sempre achei que a "era de ouro" não só do Zé mas das histórias brasileiras da Disney foi mais ou menos de 73 a 88, período que será bastante explorado no número 2 do especial. Além disso, fica a curiosidade para ver as duas histórias novas.

    ResponderExcluir
  6. ja comprei o meu, ta sensacional.

    ResponderExcluir
  7. Se o especial perpassa todas as fases do Zé, tem que ter aquela em que usou o horrível boné pra trás. Esse foi o visual dos longínguos anos 90. Alguém tem receio que a Abril o ressuscite em 2012? Ainda mais com a conhecida rejeição dos leitores? Dá um tempo...

    Tinha muita história legal, apesar do péssimo guarda-roupa daquela época. Culpa de um Real estável e valorizado que possibilitou a turma da Vila Xurupita a incrementar o visual, quando eles ainda não estavam acostumados a gastar dinheiro com essas coisas!
    Então, de uma vez por todas, não se preocupem.

    ResponderExcluir
  8. Olha pelo o que eu fiquei sabendo, infelizmente as tais duas histórias inéditas do Zé são com o horrível visual da 90 a 00. Ou seja, não vale a pena. Só fico com o primeiro mesmo, pelas antólogicas fotos de Wal Disney no Rio e o papagaio num avião da 2ª guerra e as histórias raras.

    ResponderExcluir
  9. Não gostei do traço das história inéditas divulgadas na imprensa e que vi aqui no Planeta Gibi.Espero que a Abril melhore, as coisas.Espero mesmo.

    ResponderExcluir

ANTES DE COMENTAR, POR FAVOR, LEIA:

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de quem os escreve e não refletem necessariamente a opinião do Planeta Gibi.

Não publicamos comentários que:
• Incluam quaisquer e-mails ou links;
• Mencionem outro estabelecimento que comercialize quadrinhos;
• Incluam ofensas e palavrões; fujam do tema em questão.

Atenção:
Os comentários aqui postados podem ser encaminhados para os editores que, eventualmente, poderão publicá-los nas revistas; caso não concorde com isso, explicite sua negativa no próprio comentário. Obrigado.