' '

29 de ago de 2012

Superpato meio inédito em ALMANAQUE DOS SUPER HERÓIS

Produzida pelos mestres Guido Martina e Massimo De Vita, O Segredo das Terras Áridas saiu no Brasil há quase trinta anos, em ALMANAQUE DO SUPERPATO #2. Agora, será o principal destaque de ALMANAQUE DOS SUPER HERÓIS DISNEY #4. Mas com significativo diferencial. Da primeira vez, a aventura foi recortada e remontada de forma a caber em 26 páginas. O leitor brasileiro poderá agora apreciá-la na íntegra, pela primeira vez, em suas 53 páginas. Isso mesmo: mais do que o dobro de páginas. O gibi sai primeiro nas regiões Sudeste e Sul, no dia 20 de setembro.


ALMANAQUE DOS SUPER-HERÓIS DISNEY #4
Editora Abril — lançamento em 20/set/12
revista semestral, 84 páginas cor, formatinho 13,4 x 19 cm
lombada quadrada, capa cartonada, R$ 4,95





ALMANAQUE DOS SUPER-HERÓIS DISNEY foi lançado pela Editora Abril em dez/10. Em jan/84 houve uma primeira série deste título, em edição única.

Editor: Paulo Maffia
Indexação auxiliar: Inducks



Por E. Rodrigues

8 comentários:

  1. Que mutilação!!!! Imagino o tanto de atrocidades que foam feitas com diversas HQs ao longo de todos esses anos.

    ResponderExcluir
  2. E pensar q nos anos 80 eu era enganado pela Abril e não sabia, rs.

    ResponderExcluir
  3. putz sacanagemmmm, quantas mais eles nao fazem isso hoje em dia pra caber nesses gibizecos de ferias, sabe e' tanto titulo e tanto gibi que passa a ser sacanagem ate', deveriam acabar com essas coisinhas de 1 real e 99, e focar mais nos almanaques, pois eu mesmo nao compro esses pequenos, nao ha dinheiro que chegue, antigamente o tio patinhas tinha 100 paginas e agora tem 80 e nao cabe nada, tudo isso pra ficarem enchendo linguica nos gibizecos de ferias, minie, pateta e tudo mais.

    ResponderExcluir
  4. Opa... peraí: a Abril não remonta mais quadrinhos. Isso era prática comuníssima nos anos 1970 e 80 porque seguia-se o padrão de 4 tiras por página das HQs americanas e brasileiras. Dava uma uniformidade aos gibis. (Ao passo que a Itália remontava as HQs brasileiras e americanas para 3 tiras por página, igualmente distorcendo conteúdo, diga-se.)

    ResponderExcluir
  5. pratica comunissima??? nunca ouvi falar disso??, mas tem muitas historias atuais que parecem cortadas, isso parece sim, e continuo achando que e' gibi demais, titulo demais, e isso bolso nenhum aguenta, poderiam muito bem reduzir isso a almanaques simplesmente, depois reclamam que nao vendem, logico como ja disse e repito aqui a molecada nao compra disney, os papais da molecada nao compram disney pra eles, entao quem compra, nos, os velhos, quando vao perceber isso nao sei? pra atrair a molecada precisa de marketing, distribuir brindes com as revistas como faz topolino na italia, propagandas na TV como tinha antigamente com chamadas, chamadas nas bancas com posters indicando as revistas, coisa que nao existe, sabe o que acontece e' o contrario as revistas disney ficam escondidas na banca e uma de cada ainda por cima, se vc conseguir pegar e' sortudo, agora MSP como sempre tem 1000 nas bancas, dai as vendas dele serem maiores e volta e meia ele da brindes tambem nas dele, coisa que disney nem com reza faz mais.

    ResponderExcluir
  6. Bem, sim, era prática comum, e toda vez que a Abril republica algo que antes havia saído remontado/recortado ela anuncia (vide História e Glória da Dinastia Pato e a origem do Superpato em seu especial de 40 anos: isso, por exemplo, foi divulgado ostensivamente; nos encadernados da Dinastia Marcelo Alencar dava bastante destaque para o fato, aliás).

    Quanto aos diferentes formatos, a Abril já explanou várias vezes que pretende, assim, atingir públicos diferentes. Quanto à estratificação dos leitores, não detenho esses números para discutir aqui. E sem isso, vira tudo achismo ou inferência baseada apenas no universo que me cerca.

    Quanto aos brindes, sim, Topolino é revista brindeira. Assim como Recreio, Carros e Princesas. E todas essas revistas têm preço elevado. Não há brinde de graça em revista. E MSP não distribui brinde nenhum (coleciono todos os títulos). Mesmo os Grande Almanaque, que vinham com badulaques, há tempos e tempos abandonaram a prática (e sem baixar o preço, frise-se — sinal de que talvez ali o brinde fosse brinde mesmo).

    E. Rodrigues


    ResponderExcluir
  7. Valhe uma informação acerca dos brindes da Topolino. Sim, eles não saem de graça.

    ENTRETANTO, a revista vai para as bancas com duas opções ao leitor. Você pode comprar a revista com o preço normal dela e não levar o brinde, ou comprar a revista, pagar uns euros a mais e levar o brinde.

    Acho muito importante esse detalhe, pois isso mostra que não é 8 ou 80. Não é "Ou você paga mais ou não tem a revista naquela semana".

    Se a pessoa não se interessa pelo brinde, ou não quer pagar a mais, seja por não pode ou não quer mesmo, ela simplesmente leva somente a revista.

    O brinde é opcional. Algo pensado no público que aceita pagar mais, por algo colecionavel.

    -------------

    Quanto ao assunto do post, não tenho muito a dizer. Só um "ótimo e é assim que tem que ser". A HQ no caso não é uma das minhas prediletas dessa fase do Superpato e seu Almanaque. Eu gosto muito de uma outra que parodia um dos filmes do Indiana Jones e nunca foi republicada... saiu nesses almanaques solo do Superpato.

    Mas acho correto a Abril ir aos poucos republicando no formato mais original, AINDA QUE, muita coisa que sai nos almanaques, sai com essa remodelação/mutilação. A Abril não está fazendo isso em TODA republicação... esse caso do Superpato é uma exceção, e não a regra geral.

    ResponderExcluir
  8. Quem é acostumado a ler histórias de super-heróis está acostumado a esses cortes e mutilações que a Abril fazia. Lembro de uma vez em que eles pegaram 4 edições originais(cada uma com 22 páginas) e transformaram em 15)
    enfim. reli essa história ainda outro dia qdo comprei o Almanaque do SuperPato no Sebo.vai ser bom ler a história completa.

    ResponderExcluir

ANTES DE COMENTAR, POR FAVOR, LEIA:

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de quem os escreve e não refletem necessariamente a opinião do Planeta Gibi.

Não publicamos comentários que:
• Incluam quaisquer e-mails ou links;
• Mencionem outro estabelecimento que comercialize quadrinhos;
• Incluam ofensas e palavrões; fujam do tema em questão.

Atenção:
Os comentários aqui postados podem ser encaminhados para os editores que, eventualmente, poderão publicá-los nas revistas; caso não concorde com isso, explicite sua negativa no próprio comentário. Obrigado.