' '

6 de jul de 2012

VELHO OESTE: o maior Disney de inéditas já lançado aqui

Por E. Rodrigues

Oito aventuras longas e inéditas recheiam o especial Disney deste mês, VELHO OESTE —a maioria assinada por grandes mestres italianos, como Marco Rota, Rodolfo Cimino, Guido Martina e Carpi. Nunca antes tivemos edição assim por aqui, com tantas páginas inéditas. O Tesouro de Serra Leone abre o volume e dá o tom: uma busca ao tesouro no Oeste, com Patinhas duelando com Patacôncio e Metralhas. Publicada primeiro na Itália, em 1999, a história foi produzida por Bruno Sarda (criador do Indiana Pateta) e Alessandro Gottardo. A seguir, a lista completa do conteúdo.


DISNEY VELHO OESTE
edição especial, 308 páginas cor, formato 13,4 x 19 cm, lombada quadrada, capa cartonada especial, R$ 16,00


Il tesoro di Sierra Leone
I TL 2260-1, 50 páginas
Publicada primeiro em mar/99
Com Tio Patinhas, Irmãos Metralha e Patacôncio
Roteiro de Bruno Sarda, desenhos de Alessandro Gottardo

Topolino e la banda dei rubamandre
I TL 915-C, 32 páginas
Publicada primeiro em jun/73
Com Mickey, Horácio, Pateta, Clarabela, Minnie e João Bafo-de-Onça
Trama de Abramo Barosso, roteiro de Giampaolo Barosso, desenhos de Marco Rota

Paperino cacciatore di... "tagliette"
I TL 982-A, 37 páginas
Publicada primeiro em set/74
Com Pato Donald, Gastão, Huguinho Zezinho e Luisinho
Roteiro de Rodolfo Cimino, desenhos de Giancarlo Gatti

Zio Paperone e il latte... rosa
I TL 1461-A, 32 páginas
Publicada primeiro em nov/83
Com Tio Patinhas, Batista, Donald e sobrinhos
Roteiro de Rodolfo Cimino, desenhos de Francesc Bargadà Studio 


Wha's Happ'nin', Dood?
D 99172, 40 páginas
Publicada primeiro em dez/04
Com Pato Donald e sobrinhos
Roteiro de Dave Rawson, desenhos de Antoni Bancells Pujadas

Zio Paperone e il papiro dei faraoni d'America
I TL 1204-A, 35 páginas
Publicada primeiro em dez/78
Com Tio Patinhas, Pato Donald e sobrinhos
Roteiro de Guido Martina, desenhos de Giovan Battista Carpi

Topolino e Orazio e la vacanza muggente
I TL 2106-1, 36 páginas
Publicada primeiro em abr/96
Com Mickey, Minnie, Horácio, Clarabela, João Bafo-de-Onça
Roteiro e desenhos de Giuseppe Zironi, arte-final de Massimiliano Calò

Paperino e la favolosa R.C.
Episódio 3 de Era Uma Vez no Oeste
I TL 1138-B, 38 páginas
Publicada primeiro em set/77
Com Pato Donald, Tio Patinhas, Peninha, Prof. Pardal, Huguinho, Zezinho e Luisinho, Patacôncio
Roteiro de Guido Martina, desenhos de Guido Scala


Imagens adicionais: Inducks / Outducks




EM 2012:
#1 — abril: A História de Patópolis   leia mais aqui
#2 — maio: Disney Futebol 2012   leia mais aqui
#3 — junho: Disney Olímpico  leia mais aqui
#4 — julho: Disney Velho Oeste 
#5 — agosto: Disney Terror [308 páginas inéditas]
#6 — setembro: Zé Carioca 70 Anos [Parte 1, 308 páginas]
#7 — outubro: Zé Carioca 70 Anos [Parte 2, 308 páginas]






36 comentários:

  1. Eu tenho dois sentimentos conflitantes em torno da edição de Velho Oeste.

    Primeiro eu adorei a edição ser toda inédita e finalmente ter dado espaço as produções italianas de grande porque e até mesmo antigas que não tem a menor chance de sair nas edições raquíticas. Acho que merecemos mais publicações assim por aqui.

    Mas o conflito também surge porque sei que o publico nacional é meio conservador, careta e até mesmo teimoso, culpa da glorificação a Escola Carl Barks que existe por culpa da Editora Abril que vangloreia demais esse autor e deixa o resto de lado. Então acho que não precisaria necessariamente abrir um especial completamente com italianas, podia amaciar o público devagar, poderia ter colocado uma 100 páginas de HQ dinamarquesas, essas menores que vemos por aí. Ou até menos, mas que conseguisse criar um dinamismo e variedade que é característica das nossas publicações.

    Meu medo é que ir nessa linha muito extrema afaste os cricris de plantão.

    Porém, me parece que a Abril seguiu a linha de alguns encadernados Europeus. Talvez seja o caso do volume ter sido comprado de forma completa (como ocorreu com Essencial Disney), permitindo assim que 300 páginas de quadrinhos inéditos fossem apenas 3 reais mais caro que uma BIG de repetecos. Então a seleção de HQs vem pronta e fechada, sem poder selecionar individualmente a seleção e aprimorar ao nosso público. Mas essa é apenas a minha impressão, não sei se foi isso que aconteceu.


    De qualquer forma estou muito animado com esse especial, eu pagaria com o maior prazer por um especial de 16 reais mensal só com material inédito, independente dele ser todo italiano ou misto. Acho que é esse espaço que precisa ser aberto com maior frequencia no Brasil.

    ResponderExcluir
  2. O bom de volumes assim é que permitem justamente a publicação de HQs longas, que não cabem ou que ocupam muito espaço nas mensais.

    O fato de haver predominância de produção italiana não deve afastar os leitores porque há, nesta edição, uma pluralidade interessante de estilos — e boa parte deles bem familiar aos apreciadores das grandes aventuras que saíam nas épocas áureas de Tio Patinhas e Almanaque Disney, nas décadas de 1970 e 80.

    Abs.

    E.Rodrigues

    ResponderExcluir
  3. eu ainda nao estou me conformando da Historia do Dracula de mickey nao sair na de horror, assim confirmado pelo Mafia para mim, uma pena mesmo. Acho que nao so deveria sair como seria bonito se a capa fosse do mesmo, no auge que hoje os vampiros se encontram pelas series e sagas por ai afora. Perderam essa oportunidade, disse que sera publicado em pateta, com certeza dividido, ou seja teremos que gastar ainda mais se quisermos ver essa historia tambem, acho que numa tentativa de alavancar a venda de pateta pelo jeito, pois a meu ver os gibis que vendem mais sao dos patos, eu mesmo sou fa dos patos e nao deixo de comprar pato donald e tio patinhas.

    ResponderExcluir
  4. Eu também não sou nem um pouco a favor de pegar uma HQ em partes semanal italiana e picotá-la no formato mensal nas nossas revistas anêmicas.

    ResponderExcluir
  5. Olha, esse especial do Velho Oeste será um marco, um divisor de águas. Na verdade, é tudo o que pedimos há tanto tempo... Inéditas a um preço justo com encadernação e formato apropriados. Se conseguirmos emplacar alguns especiais assim, pode ser o começo de um novo título, que acredito seria até melhor que o antigo Disney Especial. Isso é resultado de um trabalho muito sério e competente do Paulo Maffia e de sua equipe. Coisa linda...

    ResponderExcluir
  6. Concordo com o Paulo, é um marco, que pode ser bem aceito ou não pelo público.

    Eu, particularmente, gosto de HQs italianas, mas acho meio injusto com um consumidor um volume só com elas, pq as Hqs italianas, mesmo longas, "passam rápido", parece que a gente tá pagando mais por menos quadrinhos, rsrsrsrs.

    Eu, particularmente, e isso é um gosto bem pessoal, não gosto nem de HQs de velho oeste nem de terror, mas se os temas são esses, claro que comprarei, e claro que foi feito algum tipo de pesquisa de mercado que mostra que esses temas irão vender.

    Bem, vamos esperar pra ver, e torcer.

    ResponderExcluir
  7. Essa parece ser bem legal! Já se sabe quanto vai custar?

    ResponderExcluir
  8. O Almanaque Disney não vai voltar não?

    ResponderExcluir
  9. Vai custar 16 reais. A capa é especial. Almanaque Disney voltar acho totalmente improvável.

    ResponderExcluir
  10. Muito bom. Muitas páginas, histórias inéditas e o melhor: predominando os Patos\o/. vou comprar com toda certeza. o Ponto fraco vai ,novamente pra capa mequetrefe...

    ResponderExcluir
  11. Muito boa essa edição especial, histórias bem legais e apesar de tudo gostei da capa. O que me deixou decepcionado foi ver que não há histórias de dois dos maiores mestres disney: Carl Barks e Don Rosa. Gostaria de saber o que levou a Editora Abril a não selecionar histórias dos mestres citados acima.

    ResponderExcluir
  12. Não há HQs de Barks ou Rosa inéditas no Brasil.

    ResponderExcluir
  13. Especiais Temáticos de inéditas no formato BIG podem realmente firmar posição e cair no gosto do público. A escolha dos temas e a seleção das hqs é o grande desafio. De cara já temos duas jóias como "Velho Oeste" e "Terror". Considerando que o tema Natal é garantido, e temos ainda nas bancas Futebol 2012, acho que não custa nada darmos idéias e sugestões de temas para o futuro: Duelos, Disney Sagas, Mascotes, Vilões Disney, etc... Sei que o certo seria encaminhar as sugestões para a Abril no atendimento, mas, quero compartilhar com os amigos daqui do blog...

    ResponderExcluir
  14. Na minha opinião o melhor modelo de temas é como este do Velho Oeste, que segue o modelo de encadernados europeus, tais como esse:

    http://coa.inducks.org/publication.php?c=de%2FLTBSP&pg=img&num=1

    (vejam as ultimas capas no final da pagina e lá estará o de faroeste).

    Temas que situam-se sobre cenários, plots e backgrounds para as histórias. O que eu não curtia em Disney Especial era exatamente os temas, sempre voltados a HQs de "personas", Os isso, Os aquilo... as histórias fechavam em cima de uma caracteristica de personalidade e ficavam quase sempre a mesma coisa. Tinha similiaridades demais num só volume.

    Quando você situa um background, um tema como selva, cozinha, terror, faroeste, espaço... as personalidades mudam de HQs pra outros. O cenário é o mesmo, mas a criatividade tem maiores limites para diversificar.

    Acho que funciona muito melhor assim, especiais com base na cenografia, na situação do conto.

    ResponderExcluir
  15. Eu entendi o que vc disse thiago, embora n concorde, mas tem muitos disney especial que eram como vc sugeriu.

    Vc sugeriu espaço, tivemos DE astronautas
    Cozinha - tivemos cozinheiros
    Terror e faroeste - tivemos tb

    Férias, Marinheiros (mar), Garimpeiros, Circo, Alunos x prof., aventuras no fundo do mar, caça ao tesouro, etc

    ResponderExcluir
  16. sim, a linha de diferenciação é nublada em certos temas... mas eu ainda prefiro um especial Velho Oeste do que Cowboys e Vaqueiros. Prefiro um Ficção Especial do que Astronautas.

    A semântica é fina e tênua, mas pra mim ela existe...

    ResponderExcluir
  17. Eu prefiro o disney especial mesmo, acho que tem uma temática bem gostosa, e tem coisas lá que nunca conseguiriamos reunir com base na cenografia, como os ricaços, os inesquecíveis ou os rivais.

    ResponderExcluir
  18. Lançamento DO ANO. Finalmente a Abril fazendo por merecer aquele Mickey dourado que ganhou...

    ResponderExcluir
  19. Para mim, título bom tem que remeter ao inconsciente direto baseado na figura dos personagens principais, ou a um tema forte, definido e específico. Generalizar no tema, é não tematizar. "Terror" é um tema direto e reto. "Aventuras em Patópolis" é tema genérico, e a pessoa pode pensar,,, "E se tiver hqs daqueles personagens que não gosto muito?" Tematizar é aglutinar hqs com conforto emocional para quem vai ler. Quem escolheu comprar vai curtir, quem não tiver a fim do que ve na capa, não leva. Por isso a necessidade de temas populares (pra vender), ao invés de grandes temas eruditos.

    ResponderExcluir
  20. Conteúdo bem variado, material mais recente, material antigo, e de várias épocas. Talvez valha o preço de capa, apesar que só vou decidir mesmo se compro, apenas quando pegar a revista em mãos.

    ResponderExcluir
  21. Aqui no chegou nem o numero 1 - Historia de Patópolis...

    ResponderExcluir
  22. Me arrisco a dizer que a Abril vai dar um belo tiro no pé com essa coleção Velho Oeste, bem como com a Disney Olímpico. Dei uma folhada na banca desta última e não quis gastar meu dinheiro com um conteúdo 90% italiano de má qualidade. De que adianta lançar uma porrada de páginas inéditas com histórias fraquíssimas. Nos últimos 3 anos tenho todas as revistas Disney publicadas pela Abril, porém depois de ter comprado a mais fraca das Disney Big (15) até agora e o péssimo Disney Jumbo N: 2 recheados de italianas antigas de qualidade duvidosa comecei a repensar e não vou mais comprar esses gibis por comprar. Comecei pelo descarte de Disney Olímpico e pelo jeito vai ser assim com o Faroeste, bem como futuras Disney Big ou Jumbo. No meu caso, diferente da maioria que escreveu nesse post, eu prefiro qualidade do que quantidade. Sou um apreciador da escola Barks, mas nem por isso deixo de gostar de HQ's italianas quando estas tem qualidade. Porém isso está bem difícil ultimamente. Estou riscando da minha lista de compras os volumes de Mickey, Pateta e Minnie pela péssima qualidade das hqs italianas. Só não paro com o Tio Patinhas também por ter a coleção completa deste personagem. Espero que o Maffia não siga unicamente a opinião de adoradores de HQ's italianas e comece a repensar na seleção das histórias. Sem mais.

    ResponderExcluir
  23. ^Falou,falou...não disse sua preferência e só críticou...seu papo foi totalmente descartável,kkk,pense nas edições futuras,amigo,de sugestões e opiniões e saiba que tudo pode mudar,se a preferência é maior de HQs italianas,o editor só esta querendo agradar e quem sabes não te agrade também!;)

    ResponderExcluir
  24. O que o amigo acima falou, Xandro, é que não adianta publicar "qualquer" italiana, pois ele acha que tem muita coisa ruim lá. Se for pra ficar só nas italianas, estilo essencial, que sejam italianas de qualidade.

    Eu concordo com ele em parte, mas acho que as italianas que saem em pateta, mickey e minnie são, em sua maioria, bem legais.

    ResponderExcluir
  25. Para mim, o que faz a hq ser boa não é sua nacionalidade, mas o entretenimento que ela proporciona. Existem boas e médias hqs Disney de qualquer origem. Quanto aos autores, é claro que Barks é insuperável, mas sua obra está toda publicada e sempre retorna em publicações aqui e acolá. Entendo o argumento apresentado, mas isso não tira o brilho desses especiais e Jumbos, de forma alguma. O público dos quadrinhos Disney é diversificado, e acredito que em sua maioria estão vibrando com esse especial Olímpico e do Velho Oeste. Pontualmente algum leitor pode não se interessar, como ocorre com qualquer publicação em bancas... Por fim quero dizer que a escola italiana é excelente, apresentando grandes mestres do passado e artistas contemporâneos com a garra e o talento que o trabalho requer. Enquanto que na América, fiel aos clássicos, as publicações minguam nos pontos de vendas, ou desaparecem.

    ResponderExcluir
  26. A Disney italiana produz hqs aos borbotões e também ousa fazer hqs Disney fugindo dos padrões americanos, mas é fato que quanto mais se ousa e se produz, maiores são as chances de se cometer erros (a Globo não chegou ao patamar televisivo de excelência a que chegou sem produzir e ousar muito e, consequentemente, errar também). Muito material fraco é produzido por eles, mas muito material bom ou mesmo excelente tem deixado de ser publicado por aqui, então, nada mais justo que publicar esses especiais focados em hqs italianas principalmente. Quanto à qualidade do conteúdo desse especial do "Velho Oeste", caberá a cada leitor avaliar dentro dos seus próprios critérios do que considera bom, ruim ou razoável. Quem for muito exigente talvez se decepcione, mas quem tiver a procura de uma leitura prazerosa e despretensiosa provalmente vai se divertir.

    ResponderExcluir
  27. Apenas um mero comentário. Embora eu não curta muito essas HQs italianas mais atuais, o mix das duas edições da Jumbo estavam bem equilibrados. E com material bem acima da média. Quanto a Jumbo, e isso também vale pra Mega, reclamar desses especiais é um absurdo, já que pela quantidade de páginas, e pela variedade do material publicado no mix, ainda assim, a compra dessas revistas "tijolões" é um ótimo negócio! E pelo menos da minha parte, curti mais de 90% do mix da Jumbo, e 100% do mix da Mega, ou seja, para mim, em termos de Disney, foram os melhores lançamentos do ano! (Mas eu concordo em algo, existe sim uma predominância das HQs italianas no universo Disney). - Talvez sejam mais em conta, ou mais fáceis de serem negociadas, mas isso também nem dá pra gente reclamar tanto assim, já que no meio de tantas porcarias, sempre saem bons arcos. Sejam eles produzidos na Itália, Dinamarca, França, onde for!

    ResponderExcluir
  28. Bem, eu entendo q hoje, as hqs disney são produzidas quase q exclusivamente pela Dinamarca e pela Itália, por isso, o mix sempre inclui as duas! Itália faz hqs ou sagas mais longas, e por vezes até mais complexas, e Dinamarca, geralmente, histórias mais curtas, mais humorísticas! Não tem como fugir de ambos (e cá pra nós, gosto muito de Casty, das dinamarquesas, as melhores são as dos Patos)!!!

    ResponderExcluir
  29. Só reforçanto também que vem saindo muita HQ com CARA DE ITALIANA, mas que não é italiana (são HQs dinamarquesas que seguem o padrão italiano de cores e layout de páginas).

    Tem sempre que ficar de olho nos codigos das historias. Se a HQ parece italiana, mas tem a letra "D" no codigo, ela não é italiana.

    HQs que estão em Minnie e Pateta mensal por exemplo, as vezes fingem ser italianas, mas são dinamarquesas (e por isso são fracas, o universo do Mickey da Dinamarca é fraquíssimo se comparado com o italiano, algo que não ocorre com a familia Pato na Dinamarca).

    Tem que tomar muito cuidado com isso... Eu já acho que vem saindo muita HQ fake-italiana por aqui que não conduz com a real qualidade dos italianos.

    ResponderExcluir
  30. Sempre gostei mais das Italianas(as do Cavazzano mesmo sou fã)...mais de 2012 pra cá confesso que tenho curtido muito mais as HQs dinamarquesas!!;)

    ResponderExcluir
  31. Caro Xandro, se você achou meu comentário descartável faça como eu faço com os seus, ignore-os :)

    ResponderExcluir
  32. Kkkkk...que é isso amigo,não quis ofender,abçs!;)

    ResponderExcluir
  33. Essa não! Já não bastavam as italianas originais, agora há também as italianas genéricas, made in Danmark! Essas histórias deveriam vir em tarja preta, alertando o leitor para prováveis contra-indicações e reações alérgicas!

    Mas, falando (um pouco) seriamente, o fato dos especias atuais terem predominância de histórias italianas se deve ao óbvio fato de que a produção daquele país é maior e há muito material totalmente legal que não foi publicado no Brasil até hoje. Será que tem alguém aí que ainda precisa ser esclarecido quanto a isso? Dá um tempo...

    Nada mais justo que a Abril tentar tirar esse atraso. Além do mais, quadrinhos italianos de Velho Oeste são patrimônio daquele país, muito além das HQs Disney (como vocês sabem) com Tex e Ken Parker. Tendência que começou lá no Western Spaghetti, lembram?

    Dinarmarca fazendo história de Velho Oeste? Pelo amor de meus filhinhos!!!

    Giuliano Gemma! Sergio Leone! Ennio Morricone! Acorda, cambada!

    ResponderExcluir
  34. Pessoal do Planeta Gibi, adquiri hoje um gibi com defeito ( http://calisota.forumeiros.com/t187p375-topico-nacional-das-bancas#12826 ), gostaria de perguntar a vocês qual o procedimento para pedir outro para a editora.

    ResponderExcluir
  35. vamos ser sinceros!
    eu achei o preço desses especiais mensais alto demais.
    tá certo que a capa tem alguns efeitos especiais e são HQs inéditas, mas achei muito caro, assim como o HORROR.
    comprei os dois, adorei o VELHO OESTE, mas o HORROR deixou um pouco a desejar.
    assim, o JUMBO acaba sendo o mesmo preço com praticamente o dobro de páginas.
    a capa chama a atenção, sim está certo, mas a acapa não é tudo. Mesmo a capa do JUMBO não tendo efeitos e as HQs não serem inéditas será sempre meu gibi Disney preferido pelo seu tamanho e quantidade de HQs.
    ainda prefiro o JUMBO e acho muito caro os especiais.
    Valeu

    ResponderExcluir

ANTES DE COMENTAR, POR FAVOR, LEIA:

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de quem os escreve e não refletem necessariamente a opinião do Planeta Gibi.

Não publicamos comentários que:
• Incluam quaisquer e-mails ou links;
• Mencionem outro estabelecimento que comercialize quadrinhos;
• Incluam ofensas e palavrões; fujam do tema em questão.

Atenção:
Os comentários aqui postados podem ser encaminhados para os editores que, eventualmente, poderão publicá-los nas revistas; caso não concorde com isso, explicite sua negativa no próprio comentário. Obrigado.