' '

24 de jul de 2012

PATO DONALD #2409 e 2410: encontro com Tintim e mais

PATO DONALD de agosto traz Bombom Sorriso, criação de Corrado Mastantuono, pela primeira vez em destaque por aqui. A HQ é emblemática porque mostra os patos contracenando com criações do belga Hergé (1907-1983), mais notadamente Tintim. A abertura, porém, ficou reservada para a arte de Marco Rota numa história que faz alusão a Donnie Brasco, filme de Mike Newell de 1997, com Johnny Depp e Al Pacino no elenco. Em setembro, o gibi mostra Peninha numa das HQs "mudas" do italiano Enrico Faccini, além de Daan Jippes, Arild Midthun e mais. Tudo inédito. Confira preview a seguir.


PATO DONALD #2409
Editora Abril — lançamento em 3/ago/12
mensal, edição 1773, 52 páginas cor, formato 13,4 x 19 cm, R$ 3,20
distribuição setorizada

capa: Francisco Rodriguez Peinado
Donnie Fiasco
De Jens Hansegård (roteiro) e Marco Rota (desenhos)
Dinamarca, 2007 (publicada primeiro em 2012)


Bombom Sorriso e o Artista Liberado
De Corrado Mastantuono
Itália, 2003

EM SETEMBRO:



PATO DONALD #2410
Editora Abril — lançamento em 5/set/12
mensal, edição 1774, 52 páginas cor, formato 13,4 x 19 cm, R$ 3,20
distribuição setorizada

capa: Arild Midthun (desenho) e Donizeti Amorin (cores)

A Esquisitice que Veio do Céu
De Byron Erickson (roteiro) e Arild Midthun (desenhos)
Dinamarca, 2008 (publicada primeiro em 2012)
O Dueto do Desastre
De Daan Jippes
Dinamarca, 2010 (publicada primeiro em 2011)
Competição Canina
De Enrico Faccini
Itália, 2010
A Noite do Olho Rosa
De Terry LaBan (roteiro) e Tino Santanach Hernandez (desenhos)
Dinamarca, 2008 (publicada primeiro em 2012)




>>> Compre esta e outras edições de PATO DONALD aqui, no Planeta Gibi Comic Shop

O PATO DONALD foi lançada em julho de 1950, sendo uma das mais antigas revistas brasileiras em circulação contínua. A Editora Abril a considera oficialmente sua primeira publicação (antes, em maio daquele ano, o editor Victor Civita lançara RAIO VERMELHO, mas como Editora Primavera). O gibi estreou em formatão, tipo magazine. A partir do #22, adotou o formato 13,5 X 21 cm, que acabou instituindo o jargão "formato Pato". Em jan/61, seu título na capa passou a alternar-se semanalmente entre O PATO DONALD e O PATO DONALD APRESENTA ZÉ CARIOCA —ainda naquela década simplicado para ZÉ CARIOCA, que ficava com a numeração ímpar. Na edição #1470, outro marco: a revista ganhou uma capa em papel couché e teve seu formato reduzido em 2 cm, inaugurando o popular "formatinho", logo adotado por outras publicações de quadrinhos, inclusive de outras editoras, como a RGE (hoje Globo). Em jun/85, no #1751, finalmente a revista voltou a ter numeração independente.



Editor: Paulo Maffia
Indexação auxiliar: Inducks
Imagens das capas europeias: Inducks / Outducks




     


Por Rivaldo Ribeiro

12 comentários:

  1. Achei bem legal essas dois gibis do Pato Donald, espero que apareçam mais histórias assim.

    ResponderExcluir
  2. otimassss, nao vejo a hora de comprar.

    ResponderExcluir
  3. O gibi do Pato Donald é ótimo. Essas hqs especiais prometem agradar e muito. Estou na espera...

    ResponderExcluir
  4. Pecado não ter chamada de capa para a HQ de Mastantuono com o Tintin. Saindo de forma escondida dentro da edição de agosto, perdendo a oportunidade de atrair novos leitores pela pecualidade da pequena homenagem ao personagem de Hergé.

    Outro pecado é publicar a HQ com o Bombom Sorriso (agora é acostumar com o nome oficial nacional) sem a sua origem. Outro personagem saindo por aqui de forma atropelada, sem qualquer cuidado editorial...

    ResponderExcluir
  5. Simpático o nome brasileiro do Bum Bum. Vamos nos acostumando...

    Talve tenha dado problemas com herdeiros do Hergé e não tenha rolado a capa por isso. Se não foi por essa razão, é cretinice mesmo, rs

    ResponderExcluir
  6. Uma edição melhor que a outra!!!:O

    Os gibis/quadrinhos Disney são os melhores das bancas atualmente!!;)

    Concordo com o Thiago devia ter chamada...

    E valeu PGblog por ter amostrado as páginas em HQs de cada edição e também as capas originais,muito legal,abçs!:D

    Xandro.

    ResponderExcluir
  7. Simplesmente imperdivel o crossover entre Donald e Tintim. Só acho q deveria sim, ter pelo menos uma chamada na capa, essa é uma história muito especial e com ctz, poderia atrair até não-leitores, principalmente se tivesse sido lançada ano passado junto com o filme! Acho q a Abril deveria pensar nesses "detalhes"...

    ResponderExcluir
  8. Poxa, eu só não tinha reparado nos nomes... Tantã e Limu, o q significa q esse não é um crossover oficial, mas uma paródia, porém, tá valendo!!!

    ResponderExcluir
  9. Também não havia reparado. Então tá explicada a falta de capa (talvez)... Até porque os direitos do Tintin no Brasil estão com a Companhia das Letras.

    ResponderExcluir
  10. Também fiquei boiando nesse tal de Bombom, que nunca tinha ouvido falar.

    ResponderExcluir
  11. Bombom Sorriso foi uma ótima escolha de nome para o pato feioso, engraçadíssimo e mega carismático criado pelo genial Corrado Mastantuono! A estréia está um "pouquinho" mega atrasada, tendo em vista que ele surgiu em 1997 (!!!), mas tudo bem... O importante mesmo é que ele por aqui chegou. E, de quebra, ainda publicaram uma matéria especial com uma mega entrevista com o Sr. Mastantuono falando sobre a sua carreira e sua brilhante criação. Bons ventos o tragam, Bombom Sorriso!

    ResponderExcluir
  12. Em tempo: o Bombom Sorriso já tinha aparecido anteriormente por aqui nas edições 550 e 558 da revista mensal do Patinhas, mas em hqs onde ele fez apenas uma pequena participação e ainda sem um nome oficial. Na Itália ele já foi usado em cerca de 30 hqs, sendo que a maioria delas foi escrita e desenhada pelo seu criador.

    http://coa.inducks.org/character.php?c=Bum+Bum+Ghigno&view=4&c1=date

    ResponderExcluir

ANTES DE COMENTAR, POR FAVOR, LEIA:

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de quem os escreve e não refletem necessariamente a opinião do Planeta Gibi.

Não publicamos comentários que:
• Incluam quaisquer e-mails ou links;
• Mencionem outro estabelecimento que comercialize quadrinhos;
• Incluam ofensas e palavrões; fujam do tema em questão.

Atenção:
Os comentários aqui postados podem ser encaminhados para os editores que, eventualmente, poderão publicá-los nas revistas; caso não concorde com isso, explicite sua negativa no próprio comentário. Obrigado.