' '

12 de jun de 2012

Morre o Homem Abril Cláudio de Souza, aos 84

Por E. Rodrigues  

Morreu no último dia 7, aos 84 anos, Cláudio de Souza, um dos mais próximos assessores de Victor Civita —desde logo após a fundação da Editora Abril, em 1950, até 1975. A informação foi publicada hoje na Folha de S. Paulo (leia abaixo o texto integral). A importância de Cláudio nas publicações da editora, sobretudo na linha infantojuvenil, foi registrada pelo jornalista Gonçalo Júnior no livro O Homem Abril (Opera Graphica). Desde a ideia de um superalmanaque de republicações (o DISNEY ESPECIAL, que se tornaria o produto mais rentável da editora por tempos) até o batismo de Huguinho, Zezinho e Luisinho são creditados a ele.


CLÁUDIO DE SOUZA (1928-2012)
O 7º funcionário da editora Abril
ESTÊVÃO BERTONI
DE SÃO PAULO


Huey, Dewey e Louie, os três sobrinhos do pato Donald, só ficaram conhecidos no Brasil como Huguinho, Zezinho e Luisinho porque assim Cláudio de Souza os chamou. O paulistano fez parte da equipe da editora Abril que lançou a revista "O Pato Donald" no país, em 1950.

Filho de um imigrante português dono de uma torrefação de café na capital paulista, Cláudio fez direito na USP. Antes de se formar em 1952, começou como assistente pessoal do empresário Victor Civita (1907-1990), que acabara de fundar sua editora.

Tornou-se o funcionário de número sete da Abril, na qual ficaria por 25 anos em cargos de administração, como contam os familiares. No começo, tinha mais dois empregos: na rádio Gazeta, como locutor, e numa pequena editora.

Na Abril, onde chegou a ser um dos vice-presidentes, comandou, entre outros, o departamento de publicações infantojuvenis e fundou a revista "Placar", cujo nome foi ideia sua. Era apaixonado pelo São Paulo FC, do qual foi um dos sócios-fundadores.

Por ter começado muito jovem na empresa que ajudou a erguer, sentia-se um pouco como se fosse um filho de Victor Civita, de acordo com a família. Suas histórias estão no livro "O Homem Abril - Cláudio de Souza e a História da Maior Editora Brasileira de Revistas", de Gonçalo Júnior.

Ainda trabalhou para a BBC, em Londres, e teve a própria editora, a London Press.
Era um homem reservado, formal, educado e workaholic. Adorava literatura policial.
Viúvo desde 2006, morreu na quinta (7), aos 84, devido a um câncer. Teve quatro filhos, nove netos e uma bisneta.


(Folha de S. Paulo, 12/jun/12)

4 comentários:

  1. Entrei na Abril pelas mãos dele. Voz tonitroante, porte de inglês, bigodes com as pontas para cima, olhos azuis cristalinos. Daquelas pessoas do tipo "ame-o ou deixe-o". Fez as Infantis virarem um negócio lucrativo, ajudando a "pagar" a Veja e muitas outras publicações deficitárias. Lançou os Manuais Disney, os Grandes Duelos, criou o chamado Centro de Criação (ou Escolinha Disney, mais tarde os Estúdios Abril), Diversões Escolares, Diversões Juvenis, etc etc. Ao lado do Kato, do Iga e mais tarde do Primaggio, um de meus Mestres.

    ResponderExcluir
  2. Um gênio... aliás, grandes gênios da Disney estão morrendo em 2012.

    ResponderExcluir
  3. Meus sentimentos aos familiares. Mais um gênio que se vai. Sentirei sua falta Grande Mestre. Pena que sua visão não é compartilhada pelos burocratas de hoje. Disney Especial foi sem dúvida um dos Gibis que mais deixaram saudades. Ele foi encerrado por culpa da péssima seleção de história que só pioraram ao longo dos anos 90.

    ResponderExcluir
  4. Um homem de visão, que fez muito pela Disney no Brasil. Recortei o obituário dele no jornal, guardarei em alguma edição especial.

    ResponderExcluir

ANTES DE COMENTAR, POR FAVOR, LEIA:

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de quem os escreve e não refletem necessariamente a opinião do Planeta Gibi.

Não publicamos comentários que:
• Incluam quaisquer e-mails ou links;
• Mencionem outro estabelecimento que comercialize quadrinhos;
• Incluam ofensas e palavrões; fujam do tema em questão.

Atenção:
Os comentários aqui postados podem ser encaminhados para os editores que, eventualmente, poderão publicá-los nas revistas; caso não concorde com isso, explicite sua negativa no próprio comentário. Obrigado.