' '

28 de jun de 2012

ESSENCIAL DISNEY #18 — Donald e Seu Carro 313

Por E. Rodrigues & Rivaldo Ribeiro

O 313, charmoso automóvel do Pato Donald, apareceu pela primeira vez em jan/37, no curta Don Donald (aquele em que também estreou a Margarida, então chamada de Donna). Em 1º de julho do ano seguinte, debutou nos quadrinhos na tira diária de Donald (assinada por Bob Karp e Al Taliaferro). Mas foi só em 22/mar/40 que apareceu emblematicamente emplacado (noutra tira da dupla — veja abaixo, ambas inéditas nos gibis publicados pela Abril). No texto de Marcelo Alencar, mais curiosidades. Confira.


Donald e Seu Carro 313

Por Marcelo Alencar. Antes mesmo de planejar o visual do Donald, Walt Disney atribuiu a ele um temperamento explosivo e uma voz esganiçada, quase ininteligível, emprestada pelo ator Clarence Nash (1904-1985). Quando o personagem ganhou seus primeiros esboços, no início de 1934, recebeu também o uniforme de marinheiro, ícone que o acompanha até hoje. 

A última das marcas registradas desse astro Disney demorou um pouco mais para surgir. Foi no desenho animado Don Donald, dirigido por Ben Sharpsteen (1895-1980) em janeiro de 1937, que o pato trocou seu burrico por um conversível de linhas arredondadas, banco traseiro retrátil e motor agonizante. 

O automóvel estreou nos quadrinhos em 1º de julho de 1938, na tira de jornal do Donald, então desenhada por Charles Alfred “Al” Taliaferro (1905- 1969), mas só foi emplacado com o número 313 em março de 1940. 

A sequência de algarismos, aliás, acendeu uma polêmica entre os leitores, pois muitos especularam que aquela seria a data de nascimento do pato (o primeiro 3 representaria o mês de março e o 13, o dia). Os Estúdios Disney trataram de confirmar o boato. No livro Donald Duck, de 1979, a pesquisadora Marcia Blitz relata que a origem do personagem foi oficializada em uma edição do boletim Disneynews, segundo o qual “o Pato Donald veio ao mundo numa noite tempestuosa de março, numa sexta-feira 13 para ser exato”. 

Por falar em tempestuosidade, a relação entre Donald e seu possante transita entre o amor e o ódio devido às constantes panes do veículo. Num dia a rebimboca quebra, no outro a parafuseta solta e, por fim, o radiador abre o bico – o que se transforma num drama, pois o carro foi originalmente montado, peça por peça, pelo próprio dono (como atesta Keno Don Rosa numa HQ de 1987) e não há mais como substituir esses componentes, recolhidos da carcaça de outros carangos do tempo da vovó. 

Batizado pelo mestre roteirista Carl Barks de Belchfire Runabout 1934 (algo como Arrota-Fogo por Aí modelo 1934), esse automóvel único guarda semelhanças com um veículo de verdade: o American Bantam Roadster, fabricado em 1938 – modelo favorito do comediante Buster Keaton (1895–1966). 

E, como que para confirmar a vocação da Disney para as contradições, o 313 não é o mesmo em todas as histórias. Para os italianos, sua pintura bicolor rubro-azulada já virou tradição. Não muda mais. Para o restante do mundo, no entanto, a carenagem é vermelha e ponto final. 

Nesta edição, você tem a oportunidade de conferir as duas versões. Por fim, vale lembrar que, desde 1969, o calhambeque do Donald incorporou um novo papel à sua pacata trajetória de transporte familiar: equipado pelo Prof. Pardal com dispositivos que o fazem lançar colunas de fumaça e despejar óleo na pista, o 313 exibe um enigmático X em suas placas quando tem ao volante o vingador conhecido como Superpato. Como podemos ver neste volume, até segredos de super-herói esse valente carrinho tem que guardar.

O Segredo do 313
Roteiro: Fabio Michelini
Desenhos: Massimo De Vita
Produzida em agosto de 1995
O velho conversível deixa seu proprietário no caminho com uma frequência preocupante. Depois de perder o enésimo compromisso por causa de problemas mecânicos, Donald desabafa com o Professor Ludovico – e conta como adquiriu seu carro enquanto participava de uma filmagem no México. Valorizada por cores vivas, esta trama remete ao desenho animado Don Donald, que marcou a estreia do 313 nas telas de cinema. HQ publicada uma única vez no Brasil, em TIO PATINHAS 373, de 1996.
O Carro da Moda
Roteiro: Giampaolo Barosso
Desenhos: Giorgio Bordini
Produzida em abril de 1964
Os patopolenses estão trocando de automóvel como quem muda de roupa. Para não ficar atrás do primo Gastão, Donald decide acompanhar a moda. Para começar, compra um compacto europeu em que ele mal acomoda as pernas. Depois, escolhe um colosso que dá novo significado à expressão banheira ambulante. E o 313? Ele não tem vez? Uma HQ de quase 50 anos, até hoje inédita no Brasil.
O Carro Autônomo
Roteiro: Fabio Michelini
Desenhos: Giorgio Cavazzano
Produzida em abril de 2000
Donald administra uma oficina mecânica e atende uma clientela fiel. Mas seus dias parecem estar contados: Tio Patinhas está lançando uma linha de veículos capazes de diagnosticar e consertar os próprios defeitos. Será esta a aposentadoria compulsória de todos os mecânicos? É o que vamos conferir nesta HQ inédita!
Os Riscos Automobilísticos
Roteiro: Margherita Carrer
Desenhos: Salvatore Deiana
Produzida em junho de 2007
O sol quente e a cama macia prometem ao Donald uma tarde preguiçosa nesta história inédita. A Margarida, no entanto, tem outros planos. Ela toma emprestado o 313 e, sem desconfiar da existência dos dispositivos usados pelo Superpato, acaba acreditando que o veículo precisa de uma revisão completa – o que certamente vai comprometer a identidade secreta do maior herói de Patópolis.
A Vida Secreta do 313
Roteiro: Janet Gilbert
Desenhos: José Maria Millet Lopez
Produzida em janeiro de 2007
Mais uma vez na oficina, o 313 experimenta novas sensações nas mãos de um jovem adepto da velocidade e da diversão movida a gasolina. Inédita no Brasil.

Editora Abril, coleção em 20 volumes semanais, 100 páginas cor, formato 14,7 x 20,7 cm, R$ 10,00
Editor: Paulo Maffia
Introduções das HQs: Júlio de Andrade, Filho / Rivaldo Ribeiro / Marcelo Alencar

Desde que surgiram, nos anos 1930, os quadrinhos Disney foram sendo construídos com personagens e situações marcantes que imprimiram lembranças indeléveis em nossa memória. Formou-se em torno de cada um deles – Mickey, Donald, Patinhas e tantos outros – uma mitologia tão rica e complexa que ela passou a ser automaticamente reconhecida aos olhos do mundo. Com o passar do tempo, tornou-se desnecessário explicar a quem quer que fosse que Mickey namora a Minnie, que seu melhor amigo é o Pateta e que ele tem embates colossais com dois vilões que amamos odiar: Mancha Negra e João Bafo-de-Onça. Igualmente dispensável tornou-se apresentar Donald – sujeito irritado, azarado, que não consegue manter um emprego – ou o Tio Patinhas, sempre acossado pelos terríveis Irmãos Metralha, pelo milionário rival Patacôncio e, principalmente, pela Maga Patalójika, determinada a roubar a primeira moeda do velho muquirana para fazer com ela um amuleto e transformar-se assim na bruxa mais poderosa do mundo. Nesta nova grande coleção da Editora Abril, reunimos os assuntos prediletos que orbitam o universo Disney. Assim, ao se deparar com títulos como Tio Patinhas versus Maga Patalójika, Os Problemas Domésticos do Pateta e Os Infinitos Azares do Pato Donald, você sabe exatamente o que esperar: histórias que mostram a natureza dos personagens, os hábitos, o comportamento recorrente, as brigas, as rixas, os desafios, os laços de família e amizade. A cada volume, um novo tema. Em cada tema, uma formidável compilação de histórias em quadrinhos, clássicas e inéditas, que, acreditamos, serão tão preciosas para você quanto a Número Um é para o Tio Patinhas ou o 313 para o Pato Donald. Mais que preciosas, essenciais. 

A COLEÇÃO:
#1 — 9/mar: Tio Patinhas Versus Maga Patalójika
#2 — 9/mar: Donald e seus Sobrinhos
#3 — 16/mar: Os Problemas Domésticos do Pateta
#4 — 23/mar: Tio Patinhas e a Moeda Número Um 
#5 — 30/mar: Mickey e Minnie
#6 — 6/abr: Donald e seus Primos
#7 — 13/abr: Mickey Versus Mancha Negra
#8 — 20/abr: As Grandes Aventuras do Superpateta
#9 — 27/abr: Tio Patinhas Versus Irmãos Metralha
#10 — 4/mai: Mickey Versus João Bafo-de-Onça
#11 — 11/mai: Donald e Margarida
#12 — 18/mai: Os Passatempos Malucos do Pateta
#13 — 25/mai: As Grandes Viagens do Tio Patinhas
#14 — 1/jun: Mickey e Pluto
#15 — 8/jun: Os Infinitos Azares do Pato Donald
#16 — 15/jun: Pateta e seus Antepassados
#17 — 22/jun: Tio Patinhas Versus Patacôncio
#18 — 29/jun: Donald e seu Carro 313
#19 — 6/jul: O Detetive Mickey
#20 — 13/jul: Donald e seus Empregos que Não Duram









As tiras citadas no texto de abertura deste post (clique para ampliar)


13 comentários:

  1. onde encontro pra venda o disney mega?? nao consegui nas bancas nem na loja do pg?

    ResponderExcluir
  2. Fico contente que a Editora Abril tenha trocado a história "313 E A Identidade Mecânica" que saiu em 2007 no Brasil (e que está no volume espanhol do tema) pela HQ "O Segredo do 313" que jamais havia sido republicado e é infinitivamente mais emblemática e importante para a temática da edição. Uma excelente decisão.

    Eu li essa HQs em 1996 mesmo e admito que é uma das que mais me recordo com o Donald e seu carrinho. Adoro o traçado e as cores dela. Na ocasião ela saiu naquele papel especial, lindaço, que marcou época nas publicações disney por aqui. Apenas não sabia que ela realmente remetia as origens verdadeiras do 313, baseado na animação Don Donald. Muito legal mesmo. Parabens a Abril pela decisão de colocá-la nesta coleção, pois esta sim é realmente uma HQ essencial.

    Mudando de assunto, gostaria de saber se o Planeta Gibi não tem a pretensão de promover a Disney Olímpico... pois hoje é dia 29 e nada do site mostrar o sumário ou até mesmo revelar a comunidade quanto vai custar a revista. O site sempre mostra as Bigs e Jumbos da vida por aqui, achei muito estranho passar o lançamento do novo especial e não ter tido qualquer matéria sobre conteúdo e preço. Sei que o PG não tem qualquer vínculo (oficial) com a Editora Abril, nem mesmo a obrigação de fazer o anuncio, mas também deixo aqui meu desabafo e frustação com a própria editora jurássica, que não revela em seus canais oficias nem mesmo o preço de tal revista. Acabei descobrindo que ela custa R$ 15,95 por um membro do Calisota ontem a tarde que conseguiu a informação... Essa falta de tato editorial com os meios modernos,digitais e sociais que o departamento da Abril Jovem possui é revoltante, inclusive isso foi papo essa semana do Podcast Brainstorm que contou com a presenção de dois jornalistas (um da Editora Globo e um da Abril - diretor da superinteressante) e rolou umas reflexões legais sobre o assunto, vale a pena aos curiosos:

    http://www.brainstorm9.com.br/30578/braincast9/braincast-22-veiculos-papel-ao-ipad/

    ResponderExcluir
  3. ^!!:o

    Gostei demais da capa deste volume!;)

    ResponderExcluir
  4. Bacana esse será mais um dos imperdíveis volumes de Essencial Disney. Que coleção legal, pena que está acabando...

    ResponderExcluir
  5. Thiago,

    O post do Disney Olímpico irá ao ar até segunda-feira. Foi um impedimento pessoal meu que não me permitiu que o fizesse antes, ok?

    (O diretor da Superinteressante não é justamente o Dimas, responsável também pela Mundo, por Recreio e todos os quadrinhos da Abril?)

    E.Rodrigues

    ResponderExcluir
  6. A capa mais bonita de todas até agora. ótimo volume. Só inéditas.

    Já comprei o volume 3 de ED aqui em Salvador, falta 1 e 2. Quem for setorizado dá um pulo na banca antes que acabe.

    ResponderExcluir
  7. Ao ver a lista de HQs, n gostei do fato de terem REPETIDO a saga dos aneis olimpicos (+ de 1/3 da revista) que já saiu em aventuras disney há 4 anos... tanta coisa boa pra sair, logo isso... (que é uma saga boa, mas que foi publicada um dia desses).

    Nada das olimpiadas de londres tb, n sei se tem material desse tipo no mundo, mas tudo que remete a uma olimp especificamente se refere à pequim ou atenas.

    Gostei de ter pateta esportivo. Adoro ele. Odiei ter indiana goof, sorte que é uma HQ curta.

    Enfim, fiquei feliz com a seleção até a última "HQ" e suas páginas que sairam aqui um dia desses.

    ResponderExcluir
  8. Sobre essencial, achei uma ótima tb a republicação do segredo do 313.

    ResponderExcluir
  9. O mesmo que o sergio disse acima em relação a saga dos anéis. Vou esperar a noticia em si sair por aqui pra reclamar com todas as minhas forças no PG (além do sr. e-mail que mandarei pra Abril).

    Sinceramente é uma falta de respeito o que está acontecendo com as republicações e especiais Disney por aqui. Tá um pior que o outro. Uma falta de respeito com material de qualidade.

    Tá na hora de começar a cortar cabeças lá no departamento da Abril Jovem... ninguém está vendo esses absurdos? Afff... ridículo.

    Tão triste ver 128 páginas de uma revista que custa 16 reais jogados no lixo... E lá na Itália a Topolino com sua belíssima Saga Olímpica em Londres. Pra gente, só restolho e restolho da última Olímpiada ainda. Cretinagem isso.

    ResponderExcluir
  10. Volto a frisar, escutem o Braincast que sugeri no segundo comentário desse post.

    Lá diz por cima como o pessoal da Superinteressante ao menos pensa no futuro e de forma moderna para com seu público. Façam o comparativo com o que vem sendo feito na linha Disney que continua na idade da pedra, fadada a nunca crescer enquanto conviver com dinossauros.

    O podcast do Brainstorm é muito claro nesses aspectos ser dinossauro ou se adequar aos tempos de hoje em dia?

    Aí não precisa apelar pra republicar coisa que saiu "ontem".

    ResponderExcluir
  11. Thiago, o diretor da Super é diretor dos quadrinhos Disney tb, ok? Abs.

    ResponderExcluir
  12. O que vem depois de Essencial Disney?

    ResponderExcluir
  13. Tenho uma edição especial do Tio Patinhas, quem quer comprar?

    ResponderExcluir

ANTES DE COMENTAR, POR FAVOR, LEIA:

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de quem os escreve e não refletem necessariamente a opinião do Planeta Gibi.

Não publicamos comentários que:
• Incluam quaisquer e-mails ou links;
• Mencionem outro estabelecimento que comercialize quadrinhos;
• Incluam ofensas e palavrões; fujam do tema em questão.

Atenção:
Os comentários aqui postados podem ser encaminhados para os editores que, eventualmente, poderão publicá-los nas revistas; caso não concorde com isso, explicite sua negativa no próprio comentário. Obrigado.