' '

23 de mai de 2012

ESSENCIAL DISNEY #13 — As Grandes Viagens do Tio Patinhas

Por E. Rodrigues & Rivaldo Ribeiro

Uma criança que começou a ler com quadrinhos Disney já conheceu as areias escaldantes de um deserto, já esteve entre tribos ameaçadoras de selvas distantes, encarou o frio implacável das cercanias do Polo Norte, aventurou-se pelo mar, pelo ar e até pelo espaço... ao lado de Donald, Huguinho, Zezinho e Luisinho, acompanhando Tio Patinhas em formidáveis buscas por tesouros, disputas com Patacôncio e Mac Mônei, perseguido pelos Metralhas e Maga Patalójika... E essa criança possivelmente sonhou em se tornar um arqueólogo, um astronauta, um navegador ou (quem sabe até) um afortunado com disponibilidade para conhecer de perto alguns desses lugares fantásticos. Bem, se nada isso foi permitido (ainda) a esse leitor, ao menos ele pode continuar viajando nas aventuras de Tio Patinhas, como essas aqui apresentadas, todas inéditas no Brasil, em ESSENCIAL DISNEY #13.        


As Grandes Viagens do Tio Patinhas

Por Júlio de Andrade, Filho. O pato mais rico do planeta parece ter nascido com rodinhas sob os pés. Desde sua criação, em 1947, o Tio Patinhas trocou rapidamente o status de personagem secundário pela condição de protagonista do universo Disney, graças ao seu caráter único, sua adoração pelo dinheiro e sua incansável predisposição para a aventura. Com esse espírito irrequieto, o quaquilionário já percorreu cada canto do globo (e foi além!) em busca de negócios lucrativos e, mais frequentemente, à caça de fabulosos tesouros. Riquezas históricas, mitológicas, lendárias ou até derivadas de meros boatos, tudo motiva o velho unha-de-fome a trancar os três acres cúbicos de patacas e pedras preciosas, que abarrotam sua caixa-forte em Patópolis, para então empreender excursões rumo a cenários exóticos, inóspitos e, não raro, perigosos.

Esse leque de destinos nada bucólicos inclui os desertos mais escaldantes, montanhas íngremes e acidentadas, as entranhas derretidas da Terra, as maiores profundidades oceânicas e as rotas desconhecidas do espaço sideral — lugares ocupados por etnias diversas e culturas não menos curiosas. De fabricantes de terremotos a deuses greco-romanos, de feiticeiros ancestrais a extraterrestres com preocupações ambientalistas, de advogados sem escrúpulos a monstros selvagens, uma extensa fauna antropozoomórfica se interpõe no caminho do desbravador. A própria origem de seu patrimônio monetário confirma essa vocação para os grandes desafios: a pepita que rendeu a ele o primeiro milhão foi garimpada nas neves do Klondike, numa corrida do ouro em que escroques, pilantras, assassinos, ladrões e estelionatários ditavam as regras. Nesse contexto, que alguns críticos ranzinzas consideram excessivamente realista para os quadrinhos Disney, Patinhas MacPatinhas, adepto do trabalho duro e honesto, sempre destoou de seus pares.

O magnata, no entanto, não costuma viajar sozinho. Como parceiros praticamente fixos, ele elegeu seus sobrinhos mais próximos. Embora esse ancião rabugento relute em admitir, tem plena confiança nos trigêmeos Huguinho, Zezinho e Luisinho, que sempre contribuem com informações importantes para a missão. O velho Tio também não abre mão da companhia do Pato Donald, parente inábil e trapalhão, porém fiel, que geralmente fornece o alívio cômico às tramas. E que se submete a salários abaixo de mínimos.

A abordagem das grandes viagens, inaugurada por Carl Barks (1901- 2000) na década de 1950, foi incorporada ao repertório de outros autores, que habituaram os leitores a procurar tramas recheadas de riscos e emoções nos gibis do Tio Patinhas. Três dessas aventuras, inéditas no Brasil, escritas pelos italianos Rodolfo Cimino e Osvaldo Pavese, estão presentes neste volume. Assim sendo, faça as malas e embarque imediatamente com a Família Pato rumo ao desconhecido. Na bagagem, a arte de mestres como Giorgio Cavazzano e Massimo De Vita. Bon voyage!



As Montanhas Transparentes
Roteiro: Rodolfo Cimino
Desenhos: Giorgio Cavazzano
Produzida em outubro de 1971
Esta narrativa — rara e até hoje inédita no Brasil — conduz o Tio Patinhas e seus sobrinhos a uma ilha distante onde uma cordilheira quase invisível oculta e protege uma convidativa reserva de ouro. Munido da velha e tradicional picareta, ferramenta inseparável de seus tempos de garimpo, o magnata descobre que esforço na escavação não será suficiente para abrir espaço na rocha em direção ao metal reluzente. Para alcançar seu objetivo, o pão-duro precisará desvendar um antigo enigma lançado por xamãs de uma aldeia nativa. 


A Cabra dos Incas
Roteiro: Osvaldo Pavese
Desenhos: Massimo De Vita
Produzida em junho de 1972
O secular casaco que veste o Tio Patinhas sofre avarias irreparáveis, fruto do desgaste pelo uso. Tudo indica que o avarento terá de desembolsar algumas patacas para renovar o guarda-roupa. Só que os patinhos trigêmeos mencionam a lã supostamente indestrutível de um animal venerado pelos incas — uma cabra azul pertencente a uma linhagem que todos julgam desaparecida. O zilionário, então, duvidando da extinção da cabra, aposta na possibilidade de fabricar um sobretudo com os fios longevos dela — o que significaria, na prática, nunca mais ter de comprar outro traje. Mais uma grande aventura essencial e inédita no Brasil.


O Jade Imperial
Roteiro: Rodolfo Cimino
Desenhos: Giulio Chierchini
Produzida em agosto de 2002
Terras isoladas por mares tropicais abrigam a Dama dos Negócios, uma peça chinesa de jade com poderes premonitórios, capaz de apontar os melhores investimentos e as aplicações mais rentáveis do mercado de capitais. Ao saber da novidade, o Tio Patinhas decide sair de férias — uma desculpa esfarrapada para mais uma grande aventura — e convoca para acompanhá-lo sua comitiva habitual, que fica ainda melhor com a presença do mordomo Batista e do simpático robô Zé Sucata, personagem criado em 1999 e que é apresentado pela primeira vez aos leitores brasileiros nesta HQ inédita.



Editora Abril, coleção em 20 volumes semanais, 100 páginas cor, formato 14,7 x 20,7 cm, R$ 10,00
Editor: Paulo Maffia
Introduções das HQs: Júlio de Andrade, Filho / Rivaldo Ribeiro / Marcelo Alencar

Desde que surgiram, nos anos 1930, os quadrinhos Disney foram sendo construídos com personagens e situações marcantes que imprimiram lembranças indeléveis em nossa memória. Formou-se em torno de cada um deles – Mickey, Donald, Patinhas e tantos outros – uma mitologia tão rica e complexa que ela passou a ser automaticamente reconhecida aos olhos do mundo. Com o passar do tempo, tornou-se desnecessário explicar a quem quer que fosse que Mickey namora a Minnie, que seu melhor amigo é o Pateta e que ele tem embates colossais com dois vilões que amamos odiar: Mancha Negra e João Bafo-de-Onça. Igualmente dispensável tornou-se apresentar Donald – sujeito irritado, azarado, que não consegue manter um emprego – ou o Tio Patinhas, sempre acossado pelos terríveis Irmãos Metralha, pelo milionário rival Patacôncio e, principalmente, pela Maga Patalójika, determinada a roubar a primeira moeda do velho muquirana para fazer com ela um amuleto e transformar-se assim na bruxa mais poderosa do mundo. Nesta nova grande coleção da Editora Abril, reunimos os assuntos prediletos que orbitam o universo Disney. Assim, ao se deparar com títulos como Tio Patinhas versus Maga Patalójika, Os Problemas Domésticos do Pateta e Os Infinitos Azares do Pato Donald, você sabe exatamente o que esperar: histórias que mostram a natureza dos personagens, os hábitos, o comportamento recorrente, as brigas, as rixas, os desafios, os laços de família e amizade. A cada volume, um novo tema. Em cada tema, uma formidável compilação de histórias em quadrinhos, clássicas e inéditas, que, acreditamos, serão tão preciosas para você quanto a Número Um é para o Tio Patinhas ou o 313 para o Pato Donald. Mais que preciosas, essenciais. 

A COLEÇÃO:
#1 — 9/mar: Tio Patinhas Versus Maga Patalójika
#2 — 9/mar: Donald e seus Sobrinhos
#3 — 16/mar: Os Problemas Domésticos do Pateta
#4 — 23/mar: Tio Patinhas e a Moeda Número Um 
#5 — 30/mar: Mickey e Minnie
#6 — 6/abr: Donald e seus Primos
#7 — 13/abr: Mickey Versus Mancha Negra
#8 — 20/abr: As Grandes Aventuras do Superpateta
#9 — 27/abr: Tio Patinhas Versus Irmãos Metralha
#10 — 4/mai: Mickey Versus João Bafo-de-Onça
#11 — 11/mai: Donald e Margarida
#12 — 18/mai: Os Passatempos Malucos do Pateta
#13 — 25/mai: As Grandes Viagens do Tio Patinhas
#14 — 1/jun: Mickey e Pluto
#15 — 8/jun: Os Infinitos Azares do Pato Donald
#16 — 15/jun: Pateta e seus Antepassados
#17 — 22/jun: Tio Patinhas Versus Patacôncio
#18 — 29/jun: Donald e seu Carro 313
#19 — 6/jul: O Detetive Mickey
#20 — 13/jul: Donald e seus Empregos que Não Duram







15 comentários:

  1. Eu estou com essa edição desde terça. Acho que dentre todas lançadas até o momento com o Tio Patinhas é a melhor.

    Há uma certa nostalgia, uma certa diversidade, ainda que o volume tenha apenas 3 HQs, são três histórias com plots diferentes.

    Acho essa dinamica melhor do que os primeiros volumes do muquirina, que reunem ele contra os mesmos vilões em todas as HQs, ou as tramas (no caso da moedinha) acabam sendo parecidas entre si. Acaba deixando os volumes mais enjoativos.

    ResponderExcluir
  2. Como a seleção de histórias do Essencial Disney já vem pronta, não sei se no Brasil continuará o interesse de publicação de antigas inéditas. Esperamos que sim, pra mostrar que elas não devem nada às histórias "moderninhas".

    Acho que Jumbo e Mega provam que há interesse em histórias do passado, da parte dos leitores. E que os clássicos devem ser revisitados, com variedade de autores e estilos. Que a Abril resgata Hqs antigas para republicação é notório. O que espero é que a mesma esteja disposta a pagar por inéditas antigas.

    Vou perguntar para a Abril se é o preço que se paga por histórias americanas e italianas dos anos 70 é igual ou um pouco maior do que comprar material que acabou de sair do forno italiano e dinamarquês. Imagino que seria mais barato, se não fosse pelo processo de digitalização que as histórias antigas devem passar, dando mais trabalho. Esse é um dado interessante para tentar entender a linha editorial também!

    ResponderExcluir
  3. Excelente a seleção desta edição..principalmente pelas HQs mais antigas!!:D

    ResponderExcluir
  4. Lucrécio, vejo que a Abril publica as antigas quando elas estão digitalmente disponíveis na Itália ou Dinamarca.

    ResponderExcluir
  5. Foi lendo Tio Patinhas e suas viagens que aprendi a colecionar moedas e cédulas, a gostar de história e geografia. O Tio Patinhas não é só o pato mais rico do mundo, ele é um grande empreendedor e a vida financeira de Patópolis deve muito a ele, e ao seu tino pra negócios. Muitas fábricas e lojas em Patópolis, bem como os produtos vendidos nessas lojas, vem das indústrias Patinhas, e isso também se estende para todo o Estado de Calisota, e na verdade, para todo o mundo. Acredito que muitos milionários do mundo real gostariam de ser como o Tio Patinhas, de ter um império consolidado e ao mesmo tempo viver grandes aventuras. Por essas e outras, Essencial Disney nº 13 - As Grandes Viagens do Tio Patinhas, é simplesmente imperdível. Merece todos os elogios, aliás merece mais, merece aplausos onomatopéicos: clap! clap! -clap!

    ResponderExcluir
  6. "Lucrécio, vejo que a Abril publica as antigas quando elas estão digitalmente disponíveis na Itália ou Dinamarca."

    Há poucas chances então, de se publicar inéditas antigas italianas, por exemplo, ou americanas, se elas n estiverem digitalmente disponíveis???

    ResponderExcluir
  7. Bem, difícil é encontrar uma HQ italiana significativa que não tenha sido republicada de 2000 para cá. Existe, claro, mas é incomum.

    ResponderExcluir
  8. "Bem, difícil é encontrar uma HQ italiana significativa que não tenha sido republicada de 2000 para cá. Existe, claro, mas é incomum."

    ???
    E tudo o que foi feito antes disso?
    Não sou especialista no assunto, mas acho que pode ter muito material intessante de épocas anteriores.

    ResponderExcluir
  9. Lucrécio e Sergio estão se referindo justamente a HQs antigas (presume-se, de década de 1980 para trás).

    ResponderExcluir
  10. Exemplo: gottfredson. Tem nos arquivos digitais italianos ou dinamarqueses? creio que pouca coisa, né?

    ResponderExcluir
  11. Na verdade, falei uma besteira imensa em meu último comentário: esqueci de Gli anni d'oro di Topolino, que republica todas as tiras do gottfredson na itália. Tava só com a coleção americana na cabeça. SORRY

    ResponderExcluir
  12. Esse essencial me lembra algumas das edições da saudosa TP Especial, que sempre trazia grandes HQs com os patos envoltos em grandes aventuras!!!

    ResponderExcluir
  13. Estou lendo agora o ED nº13 com o Tio Patinhas. Tá bom demais... Quem mora nas regiões onde a publicação não chega deve partir mesmo para as lojas virtuais. Não dá para ficar de fora de uma coisa dessas...

    ResponderExcluir
  14. E aqui em Teresina Pi ainda não chegou nem o número 1

    ResponderExcluir

ANTES DE COMENTAR, POR FAVOR, LEIA:

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de quem os escreve e não refletem necessariamente a opinião do Planeta Gibi.

Não publicamos comentários que:
• Incluam quaisquer e-mails ou links;
• Mencionem outro estabelecimento que comercialize quadrinhos;
• Incluam ofensas e palavrões; fujam do tema em questão.

Atenção:
Os comentários aqui postados podem ser encaminhados para os editores que, eventualmente, poderão publicá-los nas revistas; caso não concorde com isso, explicite sua negativa no próprio comentário. Obrigado.