' '

16 de mai de 2012

Disney em junho e julho: as capas

Por Rivaldo Ribeiro & E. Rodrigues

Veja aqui as capas dos gibis Disney mensais de junho, DISNEY BIG, DISNEY FÉRIAS e a prévia dos de julho. Além da excelente seleção de HQs de todas as edições, com destaque para PATO DONALD #2407 (logo mais, mais detalhes aqui). O próximo mês reserva grandes e ótimas novidades para os fãs e colecionadores das revistas Disney. Também registre-se o reajuste de preço das revistas de 50 páginas, que passaram de R$ 2,95 para R$ 3,20. A Editora Abril vinha mantendo o preço de R$ 2,95 desde agosto de 2005, quando as revistas entraram na primeira fase de setorização. As revistas TIO PATINHAS, DISNEY BIG e DISNEY FÉRIAS não tiveram reajustes. (Ainda haverá especiais e almanaques... no aguardo!)


No dia 30 de maio:





Em junho: 









E em julho:






80 comentários:

  1. Ah, ah, ah, ah, ah, ah


    É uma bobagem, mas números 13 eu não compro!!!

    ResponderExcluir
  2. No aguardo dos especiais....

    ResponderExcluir
  3. Sobre o aumento, já tava em tempo né...

    ResponderExcluir
  4. Aff... jogaram no ralo então a oportunidade de deixar as mensais de 50 com 68 páginas aproveitando o rejuste do preço?

    Pato Donald 50págs = R$ 3,20
    Cebolinha 68págs = R$ 3,50

    É pra mandar matar esse pessoal da Abril.

    ---------------------

    Quanto as capas, algumas bonitonas, outras horríveis (qualé do traço da PD2408?).

    Gostei da arte e cores de TP563, PD2407, PT13, TP564, MN14 e ZC2373.

    Minnie 13 ficou também muito simplório... As eições de Férias e BIG estão com um colorido legal, BIG com esse azul de capa como lombada ia ser coisa de outro mundo, mas insistem naquela lombada vermelho ódio...

    Depois comento mais, vou caçar algumas HQs no Inducks.

    ResponderExcluir
  5. Vc queria aumentar 36% do numero de pgs com 8,5% de aumento no preço apenas... Teria que ser 4 reais para ser uma simples e pura readequação de número de pgs.

    Cebolinha - 68 pgs - Quantas de propaganda, joguinhos, etc? Qtas de HQs efetivamente? Umas 50 tb?

    Eu considero cebolinha caro pelo número de edições que vende, tiragem e estrutura (qts de HQs e propaganda). Acho as mensais disney mais baratas (e com muito mais conteúdo!!!).

    ResponderExcluir
  6. Logo mais, aqui, uma pincelada no conteúdo das revistas mensais.

    Adiantando o expediente para o Thiago: tem Indiana Pateta fechando DISNEY BIG e, em PATETA #13, Indiana Pipps e lo scambio involontario.

    ResponderExcluir
  7. "Adiantando o expediente para o Thiago: tem Indiana Pateta fechando DISNEY BIG e, em PATETA #13, Indiana Pipps e lo scambio involontario."

    - Sim, fiquei sabendo. Em BIG a HQ que sairá é a "A Volta Do Terrível Doutor Franz" que saiu em Almanaque Disney 314 (1997). - Tenho ela. A única do Indiana Pateta que saiu no Brasil e que não tenho na coleção é o Trono Mágico. Entretanto essa é uma boa republicação... fora do arquivo digital. Então tem meus elogios.

    ResponderExcluir
  8. Sergio eu não creio que a diferença de páginas que existe numa Cebolinha para uma Pato Donald seja de propagandas ou joguinhos. Olhei no Guia dos Quadrinhos mas infelizmente lá não consta quantas páginas tem cada HQ de uma edição, então estou no escuro, mas sou capaz de comprar uma Cebolinha na banca só pra tirar isso a limpo.

    Duvido que Cebolinha tenha apenas 50 páginas de quadrinhos. Ninguem aqui tem algumas edições e que possa contar pra gente?

    Lembrando que a Pato Donald irá custar R$ 3,20 com 50 páginas, valor este que custava uma Cebolinha em Dezembro/2011 com suas 68 páginas. A Panini aumentou o preço das suas revistas em janeiro desse ano.

    Caso contrário, Donald e Cebolinha custariam a mesma coisa, com essa discrepância de páginas.

    ResponderExcluir
  9. E passou mais um mês e nada de mexerem no pacote de assinaturas. Continuamos sem poder assinar Pateta e Minnie.

    Sei que o meu pacote vence em 6 meses e não renovarei enquanto a Abril não expandir seu pacote.

    Em 2010 fazia sentido um pacote somente com as 4 mensais. Mas agora não faz mais. Com uma linha tão grande de gibis, ter uma assinatura pra 4 revistas mais me dá dor de cabeça do que qualquer vantagem que existe no sistema.

    Minnie, Pateta e até mesmo os Almanaques (que totalizam 36 edições anuais) deveriam ter seus pacotes de assinatura.

    ResponderExcluir
  10. Eu tenho, posso chegar em casa e contar, ok. Mas é por aí, umas 56 chutaria.

    Existe algo que se chama "economia de escala". Por isso, e tb por ter mais "patrocínio" (cebolinha tem mais propaganda que PD), cebolinha pode vender o mesmo número de pgs por um preço bem menor. (pode, mas nem sempre quer né...)

    ResponderExcluir
  11. Eu tô esperando a lista de Big, tô achando que n terá Barks no #15.

    ResponderExcluir
  12. Ah Sergio e PD nem sempre tem 50 páginas... já teve edições com 45 páginas de histórias, a edição de Abril mesmo:

    http://coa.inducks.org/issue.php?c=br/PD%202405

    45 páginas na lata.. ainda se Cebolinha tiver 54 páginas, são 9 páginas a mais... dá quase uma HQ do Midthun em Pato Donald. Pra mim é uma vantagem grande.

    Pato Donald com 68 da década de 90 era muito boa... cabia de tudo.

    ResponderExcluir
  13. Sim, mesmo assim o preço por página ainda é menor... e cebolinha "não é menor pq n quer", ok.

    ResponderExcluir
  14. Acho justificável o aumento, e o valor ainda está bastante aceitável. Adorei ver as novas capas (Donald de julho é capa do Rota?), várias estão fantásticas.

    Só não sei se é uma boa coisa aumentarem o preço logo agora que está esse rolo todo da setorização... Acho que pra muitos leitores vai ser meio que um pretexto para jogar a pá de cal definitiva...

    Mas concordo com o Thiago, agora era a hora de aumentar o número de páginas (ou passar alguns títulos mensais para QUINZENAIS).

    ResponderExcluir
  15. Colecionamos todas as revistas da Turma da Mônica. Todas!

    Um Cebolinha de 68 páginas por R$3,50 vs um Pato Donald por R$3,20 me parece bem fácil de se analisar.

    Mauricio tem toda uma estrutura montada, possui uma grande equipe de roteiristas e desenhistas trabalhando a todo vapor, além do que, a MSP não precisa pagar custos, altíssimos, de licença de uso de personagens, já que é dona de todos.

    Ah! Ia me esquecendo dos custos das HQs inéditas!

    Abs
    Rivaldo

    ResponderExcluir
  16. Acho que comparar as coisas da forma como o Rivaldo fez não é muito correto.

    Mauricio de Sousa não paga licença para seus personagens? Mas paga honorários para seus desenhistas e roteiristas. Tem uma folha de pagamento muito maior do que os envolvidos na Linha Disney da Editora Abril é óbvio.

    O que é mais caro? Comprar uma HQ lá de fora ou produzir aqui dentro? Se produzir fosse barato a Abril não tinha fechado o estúdio Disney.

    Ah mas é uma questão de infraestrutura, de cultura, de Mônica vender 20x mais do que Disney. Com certeza. Mas ainda assim acho esse tipo de comparação injusta aos montes.

    A Abril paga licença? Claro que paga. O Mauricio paga encargos trabalhistas para sua equipe de produção, num dos países mundiais que mais tem tais encargos nas alturas (e ainda em geral todos ganham mal).

    Custos todos possuem. Tanto a Abril quanto a MSP. Eu gostaria de saber é quanto custaria uma Pato Donald com 68 páginas.

    Acabar com esse sufoco que as mensais disney passam todo mês... com edições que não dão pra nada.

    ResponderExcluir
  17. De novo essa questão de custos... a gente não tem a menor capacidade de analisar isso. Não se sabe quanto a Abril paga de royalties à Disney, quanto se paga por HQ, se a HQ da Itália custa o mesmo que a da Dinamarca, se fica mais barato ou mais caro para a Abril a impressão, se o papel jornal (que é leiloado) foi melhor arrematado por A ou B, se as páginas de propaganda de Mauricio são vendidas pela MSP ou pela Panini (ou se são divididas), se as propagandas da Disney pertencem à Abril................... impossível tentar uma argumentação séria aqui, tantas são as variáveis das quais desconhecemos os valores. Quanto é "x" na expressão x + y - z X x ao quadrado menos raiz cúbica de w dividido por y X z = 1.546,87?

    E.Rodrigues

    ResponderExcluir
  18. Agora sim, eu concordo totalmente com vc E.Rodrigues.

    E aí eu volto pro meu raciocinio. Dito tudo isso, a Abril jogou no lixo uma oportunidade de aprimorar suas mensais aumentando um pouco as páginas. AGORA era o hora disso. Depois de 7 anos desde a ultima reforma, depois de 7 anos no mesmo preço. ERA pra mexerem agora... oportunidade perfeita.

    Ninguem sabe quanto ficaria se aumentassem? Não, ninguem sabe. Mas eu gostaria de ver isso acontecendo.

    Se Tio Patinhas custa o mesmo que uma Mônica, porque uma Pato Donald não pode custar o mesmo que um Cebolinha?

    -----

    E que papo é esse de:

    "se o papel jornal (que é leiloado) foi melhor arrematado por A ou B"

    Mas, hein?

    ResponderExcluir
  19. Na onda de canais de Tv a cabo de "ciência e história" que ficam passando só programas de leilões (caçadores de relíquia, quem dá mais, trato feito), agora até o papel dos gibis participam do leilão, rsrs.

    ResponderExcluir
  20. Essa história de custo-benefício é um porre! Principalmente vindo de quem, há tão pouco tempo, se gabava de dizer por aí que pagaria cerca de oito reais em almanaques do Pato Donald e vinte reais em Disney BIG.

    Pra mim, quadrinhos é uma coisa que eu gosto porque eu compro leio e me divirto. Não interessa se a revista vende pra uma pessoa só ou para cem mil, o que me interessa é o meu divertimento.

    Assim como também não me interessa ficar analisando estatística de páginas de HQ por causa de vinte ou trinta centavos. Há revistas por aí que são bem mais caras, sem razão para isso, e ainda vendem.

    Ao meu ver, no meu caso, esse tipo de falácia tira toda a magia de ler quadrinhos. Será que hoje em dia as pessoas não podem mais simplesmente pegar a revista e ler? Tem que ficar fazendo cálculos e teorias e suposições de como funciona ou deve funcionar a produção nesse item ou no outro...???

    Até parece que a editora é um elemento tão mau caráter assim e avesso ao seu consumidor, para ficarem sempr analisando minuciosamente cada lançamento que ela faz. Isso é muito chato!!!

    ResponderExcluir
  21. Isso que o Fabiano falou me lembra uma das primeiras matérias que li que tentava "analisar o preço dos quadrinhos". É essa aqui: http://socializando2009.blogspot.com.br/2012/03/revistas-em-quadrinhos-infantis-e-suas.html

    Ops, quem escreveu foi vc Fabiano, e ainda tirou conclusões:
    "Precisamos ficar bastante atentos a essa história toda porque, de repente, estamos sendo benevolentes demais com uma determinada empresa que pode estar simplesmente agindo com oportunismo às nossas custas, enquanto algumas outras que realmente enraizaram-se para nos agradar e lidam com a preocupação de "fazer o melhor pelo menor custo, sempre" acabam recebendo nossa ingratidão involuntária."


    Mais um trechinho de quem só quer comprar quadrinhos para ler e se divertir:

    "Como disse antes, arte é arte! O problema está no oportunismo dessa arte, quando uma empresa resolve cobrar além do que devia por ela. Recruta Zero está chegando às bancas com 68 páginas - o mesmo tanto de um Cebolinha ou Cascão, por exemplo, que custam R$ 3,50 - e com um preço de... R$ 4,50?????? Não, leitor, não digitei errado. O preço é esse mesmo: R$ 4,50!!!!!!! Eu fui um dos que se empolgou bastante com a volta do personagem e toda a turma daquele quartel. Mas, agora que a euforia foi embora, esse detalhe levou-me a pensar: tendo (a Pixel) o acabamento que dá em Luluzinha, compensa pagar um real a mais por esse novo título? Tio Patinhas custa R$ 4,95 e tem mais de 80 páginas... e é excelente neste aspecto! Cebolinha e Cascão trazem as mesmas 68 páginas e possuem também um aspecto gráfico bastante interessante.. e custam R$ 3,50. Hummm... é algo a se pensar! Não precisa colocar exatamente o mesmo preço que as demais, pois é compreensível que haja uma certa variação nesse mercado, mas o fato é: para um material que não engloba uma arte tão fora de série (como vemos no caso dos super-heróis e alguns quadrinhos mais "sérios") e nada mais traz do que republicações de algo que morreu justamente pela falta de público devido às suas próprias particularidades simplórias, para um acabamento onde veremos traços grossos e colorização aquém (é preciso conferir isso, folheando a revista!), será compreensível esse aumento de preço? Alguns podem achar que sim. Outros podem achar que não. E ainda há o time dos que simplesmente não se preocupam com isso e só vão comprando. Enfim, eis um caso a se pensar. Até que ponto vale a pena homenagear um novo título? Até que ponto o mercado editorial está colocando um custo justo ao padrão em questão?"

    QUE MUNDO ESTRANHO!!!

    ResponderExcluir
  22. Gostei demais das capas, e o aumento de preço nada mais é que justo, tendo em vista a quantidade de anos que ficou sem aumento nenhum, e quanto ao aumento das páginas acho que a gente não deve nem tentar se meter no que tange ao valor por página, como disse o E. Rodrigues, ninguem sabe qual é o valor do papel, quanto a abril paga por história, o valor que a Disney cobra e por ai vai, então chega a ficar chato essa discussão de querer saber tudo que se passa dentro da abril, concordo que deveria aumentar a quantidade de páginas, mas se não aumentou, paciência não podemos fazer nada a não ser esperar que a tão sonhada revista de inéditas venha por aí!

    ResponderExcluir
  23. Outra coisa, essa capa de junho do zé é inédita ou estou enganado? Será que as novas histórias ja começam mes que vem? Tomara!

    ResponderExcluir
  24. Diego, não (ainda não). Mas — como provavelmente tudo mundo já percebeu — Zé faz uma participação (inédita, claro) na revista do Pato Donald.
    E.Rodrigues

    ResponderExcluir
  25. Diego disse:

    "concordo que deveria aumentar a quantidade de páginas"

    - Totalmente de acordo. Apoio 100%.

    Mas tb disse:

    "mas se não aumentou, paciência não podemos fazer nada"

    - Como não? Podemos reclamar e mostrar que existe a insatisfação no meio dos que consomem as revistas. Nisso eu discordo.

    Discutir quanto deveria custar uma revista realmente não faz sentido sem termos os dados. minha unica indagação é que atualmente no mercado a concorrencia oferece uma revista com maior numero de paginas num preço maior. e que a Abril comeu bola, já que não mexe nem nas paginas e nem no preço em 7 anos e ao inves de mexer em ambos, só tenha mexido no preço.

    ResponderExcluir
  26. Diego

    A capa de ZC de julho é inédita mesmo.

    Abs
    Rivaldo

    ResponderExcluir
  27. Sr. Segiokid

    Se você bem leu a matéria, percebeu que não houve sequer uma análise com teorias e achismos, e sim uma comparação simples de apenas alguns títulos conhecidos no mercado.

    Se você leu a matéria, percebeu também que ela referia-se a uma diferença no preço da revista Recruta Zero - que é só de republicações e que vinha a custar um real mais caro do que uma do Cebolinha que é de HQs inéditas.

    É muito diferente do que entrar num site de estatística de vendas, ficar publicando seus números por aí e ficando comentando exaustivamente - a cada nova edição de um título - sobre números, custos, benefícios, vendas, quem vende mais e menos e o que deveria ser feito para tal título começar a melhorar e a vender mais.

    Eu fico impressionado como alguns leitores tem a capacidade de distorcer as coisas. Além dessa postagem, quando foi que você me viu fazendo monólogos de como a editora deveria funcionar para que tal publicação saísse assim ou assado??? De como os preços deveriam ser e o quanto eu estaria disposto a pagar por tal título, anunciando ainda sem mostrar seu preço???

    Das duas uma: ou você está agindo de má para comigo ou simplesmente está havendo um mal entendido aqui.

    ResponderExcluir
  28. A HQ que está em Pato Donald em Junho é Holandesa:

    http://coa.inducks.org/story.php?c=H+90163
    Carioca in Duckstad

    Páginas: 11
    Aparições: Huguinho Zezinho e Luisinho, Pato Donald, Tio Patinhas, Zé Carioca
    Roteiro: Frank Jonker
    Desenho: Bas Heymans
    Arte-final: Jules Coenen
    Data da primeira publicação: April 5, 2002

    Feita em 2002 e só agora que trouxeram para o Brasil. Alias essa é uma das muitas sugestões de publicações que estava rolando algum tempo atrás lá no Calisota.

    Por mim a Abril deveria publicar todo o conteúdo do Zé Holandes aqui no Brasil. Uma pena ignorarem isso. São HQs tão curtinhas... dizem as más linguas que são HQs ruins... mas a gente já tem tanta coisa ruim que chega por aqui e que ocupa muito mais espaço, ou as republicações que roupam quase todas as novas revistas que se criam, que pra mim não faria mal nenhum ver um pouco mais do Zé Holandes, ao menos é algo inédito e original...

    ResponderExcluir
  29. Não conheço essas histórias holandesas do Zé, mas também sou favorável à publicação delas, nem que em um pequeno número, para avaliação dos leitores.

    Ao menos seria material novo do personagem, que só vive de republicações há vários anos por aqui.

    E mesmo que essas holandesas sejam ruins... duvido que sejam piores do que as histórias do Zé de boné da década de 90.

    Nessa época eu tinha parado de ler Disney (voltei ano passado), mas já tive o desprazer de ler algumas histórias dessa fase do Zé em Disney Big e no Natal Disney de Ouro - são lixo puro.

    ResponderExcluir
  30. Fabiano, vc às vezes quer ser do contra de qualquer forma, e apenas mostrei que vc tb fica aí divagando sobre o que custa mais e menos e sobre quanto vc acha que deveriam custar as revistas.

    Já falei lá em cima, acho que não cabe a nós definir isso. Já reclamei sim, que acho essencial caro, que acho algumas edições caras, etc. Porém, n fico querendo divagar que revista tal é mais cara pq compra HQs italianas e a outra mais barata pq compra dinamarquesas, pq, como eu e edenilson já falamos, nada disso é ciência exata.

    Em nenhum momento tb poso de editor das HQs disney no Brasil, dizendo que as revistas têm que seguir a linha do Turcomenistão ou da Mongólia.

    Eu acho, sim, interessante, analisar números de vendas, mas é aquela história: comenta sobre o assunto QUEM QUER. De todos os achismos que temos, esse é o mais "exato", os números que se mostram por aí.

    Analisar o que a editora deve fazer já parei a muito tempo, mas dizer que a setorização f$%#@ um monte de consumidores, isso direi sempre, principalmente se vc considera que mesmo com a setorização o número de revistas vendidas é menor, a tiragem igual e muitos consumidores do próprio S/SE reclamam que as revistas n chegam mais. Mas aí n é abril, e sim a DINAP.

    ResponderExcluir
  31. Talvez a Holanda cobre por uma HQ o equivalente ao custo de 10 italianas... vai saber. Se eu fosse um editor, procuraria trazer um mix legal, mas é claro que eu (e outros, acima de mim) estaria de olho no meu orçamento.
    E.Rodrigues

    ResponderExcluir
  32. "Talvez a Holanda cobre por uma HQ o equivalente ao custo de 10 italianas... vai saber. Se eu fosse um editor, procuraria trazer um mix legal, mas é claro que eu (e outros, acima de mim) estaria de olho no meu orçamento."

    - mas aí tem o bom senso também. Zé Carioca está há mais de 10 anos sendo vendida apenas com republicações. O custo dela deve ser muito menos do que uma mensal de inéditas, mas ainda assim ela custa mesmíssima coisa.

    Vive a 10 anos reciclando suas proprias historias e ainda assim custa tanto quanto uma Mickey que todo mês tem uma HQ italiana.

    Será que ainda assim uma Zé não poderia ao menos 1/3 das edições que saem anualmente ter uma HQ supostamnente cara da Holanda? 10 anos chupando sangue dos leitores nacionais numa revista que não vê algo novo a tanto tempo.

    Ok, variaveis, custos, achismo isso e achismo aqui... mas pra mim no final tem que ter um bom senso também.

    Se o Zé Holandes é tão caro, não precisa sair aqui toda hora, mas de vez em quando não mataria. A Pato Donald de 2011 pra cá, salvo engando já vem publicando HQs holandesas, voltamos a ter esse material por aqui... não tem porque suspeitar que justamente o do Zé seja vendida pra cá a preço de caviar...

    ResponderExcluir
  33. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  34. Sr. Sergiokid, sua intenção foi sarcástica e quis mostrar algo muito além do que suas explicações de agora.

    Voltando assunto das revistas, eu só lamento que é muito lançamento em muito pouco tempo. Pra mim, está sendo difícil acompanhar.... sou meio lerdinho nesse ponto. Mas é bom ver que a Abril está aí, pondo as revistas Disney de vento em popa.

    ResponderExcluir
  35. Thiago, você está supondo que recuperar uma HQ brasileira (ou uma código S, o que dá no mesmo) custe menos do que comprar uma HQ italiana.

    ResponderExcluir
  36. Blz Fabiano, relaxa.

    Falar em sarcasmo, eu acho que nenhuma pessoa em sã consciência, com fome, pagaria o preço de um carro em um pacote de sal.

    Pq então a abril deveria pagar mais caro (hipoteticamente) por um material extremamente ruim (hqs do zé holandês) e que não mataria a fome (curtinhas e poucas por ano)???

    ResponderExcluir
  37. DISNEY JUMBO NÃO VOLTARIA EM JUNHO ???

    ResponderExcluir
  38. Ou em julho... Não pode atrapalhar MEGA DISNEY nas bancas, né?

    ResponderExcluir
  39. "Thiago, você está supondo que recuperar uma HQ brasileira (ou uma código S, o que dá no mesmo) custe menos do que comprar uma HQ italiana."


    - se custa o mesmo é um absurdo. alguma tercerizada certamente está metendo a faca na Abril e a editora sendo complecente com isso.

    Mas não vamos esquecer que nestes 10 anos, nem tudo que saiu no SZé Carioca foi 100% restaurado. A revistinha usou muita coisa do arquivo digital e vem usando até hoje... hqs que sairam no começo dos anos 2000 e que saem novamente nestes ultimos anos. Não houve custo nenhum elas...já estava tudo restaurado.

    ResponderExcluir
  40. Até dou um exemplo:

    Frankzéstein
    http://coa.inducks.org/story.php?c=B+910118

    Saiu em 2001, ou seja, já consta no arquivo digital. E saiu de novo ano passado. Custo de restauração? Zero!

    Não estou dizendo que não podia sair. Até podia, mas não dá pra pintar a mensal do Zé como uma revista que custa a mesma coisa que as outras mensais de inéditas.

    Restaura sim muita coisa, mas ainda assim eu sou a favor do time do material inédito as reciclagens.

    Espero mesmo que chegue logo essa nova fase do Zé Carioca... quero só ver a qualidade do material que está sendo criado.

    ResponderExcluir
  41. Sergiokid,

    Eu cada menos me preocupo com essa coisas... relaxa você!

    ResponderExcluir
  42. Achei justo o aumento de preço praticado! No demais, haja ansiedade, temos aqui capas de junho e julho e algumas parecem trazer histórias bem interessantes, como a do Pato Donald com o Zé Carioca ou Indiana Pateta. Minnie com a sua Caixa de Pandora também parece ser bem legal, aliás, na minha opinião, a melhor mensal está sendo a da Minnie ao lado do Mickey (com seu Casty). Quando a revista foi lançada, não imaginei que iria gostar, mas superou as minhas expectativas!

    ResponderExcluir
  43. Tantos economistas, matemáticos, e possíveis editores aptos a assumirem seus futuros cargos....

    qtos jovens talentos a Abril está perdendo de contratar!!!

    sem duvida seriam a salvação do mercado nacional:

    teríamos dezenas de almanacões com 800 pág só de material inédito todo mês.... os gibis iriam baixar de preço ao mesmo tempo em q dobrariam o nº de pág... e ainda seriam entregues na porta da casa de cada leitor!!!

    espero poder viver o suficiente pra vislumbrar esse futuro glorioso....

    ResponderExcluir
  44. deixando um pouco o papo-furado de lado....

    fiquei interessado nessa do PATO com o zá na capa:

    gosto de ver a visão (mesmo q geralmente deturpada) dos artistas estrangeiros sobre o zé.... o Don Rosa já transformou o zé num Don Juan pegando a mulherada geral (mas meio capacho do Donald): quero ver agora como farão!!!

    devo acabar cofrando essa (nem q seja só pela capa bacana)....

    ResponderExcluir
  45. Só uma curiosidade: alguém já leu as histórias do "Zé Holandês" para saber se elas são mesmo ruins, ou só estão se fiando na palavra dos editores?

    E se alguém tiver lido: como são essas históras? Aparece algum personagem do elenco de apoio (Nestor, Pedrão, Rosinha)?

    ResponderExcluir
  46. Uau,chegando agora e já as caps de junho e julho e 45 comentários...os gibis Disney são poderosos!!:D

    Sobre o aumento de preço acho justo,mas tb acho que deviam tem mais páginas,o que custa? todos acabam comprando mesmo!:p

    '(nem q seja só pela capa bacana)....'

    ^Bem vamos falar das capas que estão todas muito bonita(lindas no máximo)..mais sou mas fã de capas com chamadas(muito mais interessantes)A capa do Tio Patinhas,Minnie e ZÉ de julho estão show!(sobre as HQs de cada edição já é outra história...acredito fielmente na seleção do Maffia)!:D

    ResponderExcluir
  47. Estou tentando retomar minhas leituras Disney mas como tá difícil. Vejo todos esses lançamentos aí pelo
    Sudeste e quando vou na banca aqui em Natal/RN só encontro aqueles pacotinhos promocionais com encalhe de 2011. Assim fica difícil Ed. Abril conseguir novos leitores(compradores) de seus produtos. Já estamos em maio e nada de hqs disney ano 2012 nas bancas.

    ResponderExcluir
  48. E tem previsão pra começar com as novas histórias do ZC? E quais especiais teremos nos meses de junho e julho? Sou muito ancioso cara, não tem como hehe

    ResponderExcluir
  49. "Só uma curiosidade: alguém já leu as histórias do "Zé Holandês" para saber se elas são mesmo ruins, ou só estão se fiando na palavra dos editores?"


    eu já li algumas...

    são ruins sim, mas é aquela coisa: é um "ruim" q acaba sendo curioso de ler!!!

    como um daqules filmes toscos do "Cine Trash"... são ruins, mas eu gosto de assistir pela bizarrice em si!!!

    mesma coisa com o zé holandês... é uma realidade q nada tem a ver com a nossa, mas justamente porisso é uma leitura curiosa!!!

    eu gostaria de ver publicado aqui... mas não é algo "essencial" pra se ter na coleção!!!

    ResponderExcluir
  50. Ah, só mais uma coisa sobre o zé holandês....

    se publicassem aqui, CERTAMENTE choveriam reclamações contra a publicação do material (e a maioria delas partiriam das mesmas pessoas q hj estão pedindo pra q seja publicada)!!!

    mesmo assim, seria interessante se saísse aqui.... (só a nível de "curiosidade", volto a ressaltar)!!!

    ResponderExcluir
  51. Já saiu uma ou outra HQ holandesa do Zé em Almanaque Disney. Mas a Abril já deixou bem claro que não tem interesse de publicar esse material. Ainda mais que a produção nacional desse personagem será retomada em breve.

    Pra alguém que perguntou, os coadjuvantes são os personagens no estilo do Paul Murry, quando esse desenhou as primeiras tiras de jornal do Joe Carioca. Não tem nada de Pedrão, Afonsinho, Zé Galo, Anacozeca ou Morcego Verde. Só Rosinha e Nestor "old school", se é que você me entende.

    Eu acho engraçado como o pessoal chega a pensar "será que as inéditas serão já no mês que vem?" Beira a ingenuidade! A produção começou agora. Quando for a hora, o PG vai publicar um post informativo.

    O Maffia sempre é muito cuidadoso quando fala do retorno das histórias brasileiras. Não parece que a intenção é começar com inéditas na revista formatinho e sim preparar algo especial pra COPA para só depois engatar inéditas na revista mensal. Se as vendas engrenarem, a produção nacional volta definitivamente. Por enquanto por estúdios terceirizados, se bem que seria muito bom ver um retorno dos Estúdios Disney Abril, com o o Primaggio, Herrero, Arthur Faria Júnior, Julio de Andrade... Eles estão sempre por aí, colaborando.

    Quanto ao preço, o aumento é aceitável. Mas falar que é justo soa puxação de saco. A Abril tinha que dar algo em troca. Fazer um agrado. Lançar uma coleção de estatuetas Disney estilo Marvel da Panini. Só que em formato grande. Que nem aquelas estátuas de Exu que vendem em casas de umbanda.


    Se tivessem um hot site, poderiam fazer uma enquete do tipo "você concordaria em pagar preço X por um maior número de páginas Y?" Converse com seu público, oras. Ou então a Abril pensa "vamos fazer um hot site pra ficar conversando só com os comentaristas do blog do PG? Que são os mesmos do Calisota ou do Facebook? Puta caras chatos!" Sacanagem...

    Teoricamente, a editora iria economizar gastos com a distribuição setorizada, devido à redução da tiragem. Está certo que não temos dados suficientes para analisar, mas vale a tentativa! Se a Abril não reduziu a tiragem, o encalhe vai ser maior, então. Não seria óbvio? Mesma quantidade de revistas com distribuição piorada, vamos ver no que dá...

    De qualquer forma, é positivo que tenha uma nova geração interessada em discutir os caminhos das publicações Disney no Brasil. É uma oportunidade que ninguém dos anos 60,70 e 80 teve, pô! Alguém acha que isso é ruim? Bem vindos à Retomada Disney!

    ResponderExcluir
  52. "Não parece que a intenção é começar com inéditas na revista formatinho e sim preparar algo especial pra COPA para só depois engatar inéditas na revista mensal. "
    >>>
    Não. Começa este ano.

    ResponderExcluir
  53. "Se tivessem um hot site, poderiam fazer uma enquete do tipo "você concordaria em pagar preço X por um maior número de páginas Y?" Converse com seu público, oras."

    - Concordo 100%, pena que os dinossauros da Abril não manjam nada de internet. Estagnaram no tempo quanto a isso.

    "De qualquer forma, é positivo que tenha uma nova geração interessada em discutir os caminhos das publicações Disney no Brasil. É uma oportunidade que ninguém dos anos 60,70 e 80 teve, pô! "

    - Também concordo 100%. Os tempos são outros, só a Abrilssauro não percebe. Acho que é só publicar do mesmo jeito que faz há 60 anos aos trancos e solavancos. E ainda depois jogam a culpa nos leitores brasileiros quando dá as coisas começam a ficar ruim.

    ResponderExcluir
  54. O UOl, maior portal de internet do país, é justamente a fusão do Universo Online (do Grupo Folha) com o Brasil Online (do Grupo Abril), criado há uns trocentos anos. Nesse sentido, sim, a Abril pode ser chama de dinossauro da internet. Tá no ramo desde sempre. Thiago deve ser novinho e não viu o site da Abril Jovem na época de Marvel e DC.

    Sempre se recai aqui no mesmo ponto, essas discussões: não se trata de ter ou não ter, de ser ou não ser, mas sim de ser do jeito que Thiago quer que seja. Ora, é evidente que a única maneira de atendê-lo é ele mesmo indo trabalhar lá em posição de comando (e isso não é uma ironia, já adianto).

    Também acho que um hotsite Disney na Abril Jovem seria ultradesejável. Mas deve haver motivos para que ele não exista.

    ResponderExcluir
  55. "Também acho que um hotsite Disney na Abril Jovem seria ultradesejável. Mas deve haver motivos para que ele não exista."

    - Motivos obviamente ultrapassados e jurássicos. Se até o Planeta Gibi admite que seria algo positivo.

    E não que as coisas tem que ser do jeito que eu quero. Alias esse tipo de argumento é realizado justamente para banalizar o ponto de terceiros que discordam de como as coisas são administradas atualmente. Tipo de contra-argumento rasteiros.

    Eu somente ataco a falta de bom senso. Por isso tantos se revoltam, tantos ficam doloridos e ofendidos com as minhas criticas. Porque elas fazem todo o sentido.

    E não, eu não quero trabalhar na Abril. Sou apenas um leitor consciente da inferioridade dos produtos que adquiro por falta de opção melhor (dentro do país). Reclamo e vou continuar reclamando, seja aqui, seja por e-mail para editora, seja no forum, seja no facebook.

    Até que eu veja que a Editora Abril está realmente fazendo algo para melhorar a situação, porque até o momento 2012 foi só ladeira abaixo, editorialmente falando.

    ** E não importa como a Abril é, se é uma ramificação da Uol, se é dona da Veja, e blá blá blá. É ÓBVIO que a empresa não sabe aproveitar sua própria infraestrutura. Isso só prova isso. De que ela tem condições de colocar a linha Disney num outro nível mas não o faz por comodismo, porque não acredita na linha, porque há 60 anos publica as revistas da mesma forma e ainda não se tocou que está sendo ultrapassada por editora graúdas como a Panini.

    A verdade dói. É por isso que é mais fácil atacar o "Thiago e suas blasfemias", dizendo que ele não sabe de nada e que quer ser dono da Abril. (não, eu não quero).

    ResponderExcluir
  56. "Eu somente ataco a falta de bom senso. Por isso tantos se revoltam, tantos ficam doloridos e ofendidos com as minhas criticas. Porque elas fazem todo o sentido."

    Fazem todo o sentido apenas para você e uma meia dúzia de seus puxa-sacos, amigo. Acho que você devia respeitar mais o trabalho alheio e não ficar simplesmente atirando pedras só porque vocÊ ACHA que poderia ser assim ou assado. Você está se queimando e não está nem percebendo. Daqui há algum tempo, o que vai ser?? Não receberá uma resposta de e-mail, um contato, mais nada.... e ainda vai ficar reclamando porque não lhe dão mais atenção. É óbvio: só você sabe, só você tem a fórmula mágica para alavancar as vendas. A editora não acata suas opiniões e sugestões porque ela é retrógrada, perversa, mesquinha, não quer trabalhar direito porque quer mais é ficar de picuinha com você. Afinal, você é a pessoa que mais sabe lidar com esse paradigma de produção e vendas das revistas e a editora jamais irá saber lidar com isso tão bem quanto você. Enfim, a editora não quer trabalhar, ela gosta de por achismos e teorias na frente apenas para confrontar contigo.

    Na boa, você não acha que é muito sol pra uma pessoa só?

    É claro que a Abril tem "N" problemas por aí que devem ser melhorados, a todos nós sabemos, ninguém nega isso. Mas, você, sim, exagera demais em suas colocações que, repito, só tem bom senso pra você e uma meia dúzia de amiguinhos teus.

    ResponderExcluir
  57. E você acha que um discurso agressivo desse vai provocar exatamente o quê?

    Se fulano não compreende os meandros do negócio (como enumerei aqui diversas incógnitas, várias vezes), como é possível fulano pretender saber como administrar tal negócio?

    Algo do tipo: olha, não sei qual é o tipo de contrato com o licenciador, não sei qual é o budget do setor, muito menos os targets definidos pela companhia para ele, não sei os custos de produção, não sei como se dá, aliás, o processo produtivo, não sei o tamanho da equipe, enfim... mas eu sei que o negócio funciona se tiver 'x' revistas assim, com conteúdo assado, com distribuição 'y', com divulgação 'z'... Ora, ora...

    ResponderExcluir
  58. Vou dizer o que acho: a Abril tem falhas sim, e muitas, principalmente na distribuição. Acho inadmissível que tantos que querem receber gibis fiquem sem. Isso é um ponto.

    Outro ponto é que há pessoas competentes e que se dedicam bastante dia a dia pra fazer essa linha crescer, e elas têm conseguido. Compara com 4,5 anos atrás.

    Há falhas, sim, muitas, não acho que estamos no modelo ideal de publicações por aqui (ainda), mas acho que nos espelharmos em outros países, em outras culturas, tb n dá.

    Thiago dá muito o exemplo de uma revista grega com 160 pgs se n me engano, semanal, e diz que o Brasil deveria seguir o exemplo deles. Discordo completamente. Uma revista dessas custaria mais de 10 reais, semanalmente, com inéditas, e não acho que tenha demanda para tal, não acho que seria um projeto viável, dentro unicamente da perspectiva de quem não vê crianças e adolescentes comprarem Disney mais por aí, como antes.

    Se a cada novidade que nos trazem ficarmos enchendo o saco com os mesmos problemas de sempre acabaremos é espantando as pessoas que ainda tem a vontade de fazer as coisas acontecerem.

    ResponderExcluir
  59. "Thiago dá muito o exemplo de uma revista grega com 160 pgs se n me engano, semanal, e diz que o Brasil deveria seguir o exemplo deles. Discordo completamente. Uma revista dessas custaria mais de 10 reais"

    - Não Sergio, vc está errado. Meu exemplo é uma semanal de 96 páginas, nada de 160 páginas. E é uma quantidade que se equipara próximo a uma Tio Patinhas... então nem a 7 reais chegaria.

    Se você inflar meu exemplo assim é claro que ele vai ficar invalidade. XD

    -------

    E não acho que o Brasil precisa seguir o formato de UM país especificamente. Mas ele pode retirar muitas boas ideias do que vem sendo feito lá fora e adaptá-las ao nosso mercado.

    Não é seguir a risca, é ter bom senso, coisa que a Editora Abril não parece ter ultimamente com tantas falhas em 2012.

    ------------

    Quanto ao comentário do Plantea Gibi acima... não importa as variáveis, não importa como é e como não é.

    Uma empresa de verdade, quando quer, ela impõem melhorias e mudanças. Não da forma como um ou outro leitor quer, mas a faz de uma forma que agrade tanto a parte lucrativa, como a parte do consumismo.

    Não precisa conhecer todas as regras, não precisar ficar nessas desculpinhas "oh somos muito limitados e não podemos fazer assim e assado". Uma empresa de verdade quando quer promover uma mudança elas simplesmente FAZ. Ela se impõem e não fica se escondendo embaixo de regras e proibições.

    Comodismo, é uma palavra que uso muito por aqui e que reflete a atual linha Disney/Abril. É isso que impede que se mudem as coisas. É isso que faz a linha Disney afundar a cada década ou meia década, é isso que faz as revistas serem há 60 anos a mesma coisa.

    É falta de visão e não limitação contratual ou de mercado ou de serviço tercerizado.

    Eu estou errado? Posso estar, mas sinceramente a Abril está fazendo alguma coisa para provar que não estou?

    A setorização voltou, as revistas estão há 7 anos com o mesmo formato limitado, serviços como de assinaturas foram abandonados por anos e agora que voltou já defasou, as republicações são massivas e exaustivas, a negligencia em mateiral novo é bem claro, o papel e a impressão dos graficos continua e ficam cada vez pior, a linha não cresce, exceto material repetido.

    Sim muita coisa melhorou de 2009 pra cá, mas em contra-partida muitos outros pontos negativos ficaram ainda piores com o crescimento.

    Cresceu e não teve o cuidado em aperfeçoar aquilo que não se via quando a linha era mínima.

    Mas claro, é mais fácil culpar o leitor reclamão e do que olhar o próprio umbigo.

    ResponderExcluir
  60. E pra não dizer que sou louco, fotos tiradas por membros do Calisota, pessoas que mostram tão insatisfeitas quando eu em alguns aspectos da casa Disney/Abril:

    - HQs borradas e ambaçadas (coisa que há de um ano eu venho reclamando)

    http://i46.tinypic.com/2rh343m.jpg

    http://i45.tinypic.com/2nls7ec.jpg

    http://i49.tinypic.com/optgt5.jpg

    http://i46.tinypic.com/x4f9l5.jpg

    - Lombada de almanaques enrugadas:

    http://imageshack.us/photo/my-images/209/fotozy.jpg

    -----------

    Agora me diz UMA editora nacional que apresente esse mesmo tipo de amadorismo.

    Uma Editora como a Abril, com 60 anos de casa com esse trabalho porco de impressão e não merece ser constantemente criticada?

    Vê se você acha esse tipo de problema gráfico em um Batmna ou Homem Aranha na Panini, vê se os Almanaques da Mônica enrrugam horrorosamente como os da Disney.

    Eu coleciono mais de 20 títulos de mangás, JBC e Panini, e encadernados grossos, de 200 páginas, e não tenho NENHUM que tenha uma encadernação horrivel assim.

    "Ah mas que isso.. vamos todos tapar os olhos e deixar rolar. Coitada da Editora, ela é editora pequena, está aí no mercado a poucos anos, não tem infraestrutura pra fazer melhor..."

    pois é... e eu sou o vilão da história.

    ResponderExcluir
  61. Esqueci... outra foto, até a minha edição do especial recém lançado Historia de Patópolis veio enrugado:

    http://www.portallos.com.br/wp-content/uploads/2012/04/foto1.jpg

    Triste, muito triste.

    ResponderExcluir
  62. Essa parte física sim é um problema. Nisso o Thiago tem razão.

    Muitas HQs saem borradas, revistas enrugadas e tal. E aí não é por nada contratual né. Quando alertamos sobre a encadernação (recebi edição SEM COLA, com TODAS as páginas soltas, do site da abril) dos primeiros almanaques e das primeiras DB, que não se conseguia ler de tão enrugadas, a editora levou ao setor competente e em um instante tudo melhorou. Que não se cometam mais esses erros "atuais" com relação à parte física né.

    ResponderExcluir
  63. "A verdade dói. É por isso que é mais fácil atacar o "Thiago e suas blasfemias""
    É infantil, isso. Não, o problema não é "a verdade" (no caso, o que você considera ser a verdade). Para variar, você lê minha resposta e seleciona apenas o que considera útil (para sua tese) rebater.

    "Agora me diz UMA editora nacional que apresente esse mesmo tipo de amadorismo."
    Só pode ser piada ou má vontade! Amigo, você já viu as lombadas dos almanaques da Turma da Mônica? Bem, há uma dificuldade histórica em se conseguir uma lombada razoável (isso, desde o nº 1).

    E.Rodrigues

    ResponderExcluir
  64. Mas esse erros são atuais... as HQs borradas ali acima são da edição de MAIO de Pato Donald! História de Patópolis e o Almanaque do Tio Patinhas são do mês de Abril desse ano.

    a desculpa deve ser o preço da gráfica (quanto melhor, mais caro). ou a falta de um setor que monitore a qualidade física das revistas depois de vir da gráfica.

    ResponderExcluir
  65. "Quanto ao preço, o aumento é aceitável. Mas falar que é justo soa puxação de saco."

    Beleza: se reclama, é chato, estúpido, troll; se diz que é justo, é puxa saco. Logo, não se deve falar é nada.

    Acho justo sim, as revistas estavam desde 2005 (sete anos) sem reajuste, e os preços estão totalmente dentro do suportável/esperado.

    Absurdo é o Essencial semanalmente por 10 reais (sendo totalmente fininha a revista, com poucas histórias), o especial de futebol por 11 (sendo que metade da revista é de repeteco) etc.

    Os especiais estão inflacionados acima do desejável. As mensais por 3,20 está mais que OK.

    Não entendi se sua sugestão de estátuas foi irônica. Não tem muito a ver com o reajuste dos gibis mensais.

    ResponderExcluir
  66. Com relação ao resto, eu desanimei de criticar. Concordo em muita coisa que o Thiago diz, mas não tenho mais ânimo em falar de coisas editoriais a que não temos acesso... Cheguei num ponto em que acredito que eles farão sim mudanças: SE QUISEREM e/ou SE PUDEREM. Não adianta ficar insistindo tanto. Fica simplesmente inútil. Vou continuar reclamando das coisas que acho ruins e que poderiam ser mudadas sim (preço, setorização, encadernamento, páginas com defeito, impressão ruim etc.), mas isso de sugerir novos títulos e linhas editoriais acho que é pregar no deserto, simplesmente leva a nada.

    E uma coisa chata é que com esse desânimo generalizado (e a falta de revistas por causa da setorização) tem-se comentado MUITO POUCO das histórias, o que acho pavoroso. Outro dia mesmo criei um tópico no TexBR falando que só se comenta lançamentos/coisas editoriais e ninguém fala mais das histórias, o que pra mim é o mais importante de tudo...

    ResponderExcluir
  67. Eu adoraria comentar sobre as historias inéditas das mensais de maio, mas infelizmente a editora até agora não me mandou o pacote de maio pelo serviço de assinatura.

    Reclamei no SAC da Abril dia sete, depois de novo dia onze. Abri uma queixa no site Reclame Aqui, mas a editora pediu para aguardar que seria reenviado e até dia 21 receberia o pacote. hoje é dia 17 e até agora nada.

    Assim só me resta reclamar. Adoraria estar discutindo sobre as historias de maio, pena não poder por culpa do próprio serviço de assinatura. isso porque não é a primeira, e nem a segunda vez que isso acontece. E pela quantidade de pessoas que se queixam disso no Reclame Aqui, não acho que sou o único nessa situação com uma freqüência ridícula.

    ResponderExcluir
  68. Assinaturas (atraso no envio das revistas, estado em que elas chegam, pacotes), preço, setorização, encadernamento, páginas com defeito, impressão ruim, histórias ruins, personagens... sobre tudo isso devemos falar. O papel do consumidor é falar sobre tudo isso e muito mais, dentro do papel nosso de consumidor. Queremos quadrinhos de qualidade e, para isso, precisamos de revistas de qualidade e uma distribuição de qualidade.

    Tem muita gente reclamando de setorização mas, quando as revistas estavam sendo distribuídas em sua área, deixavam claro nas redes que não comprariam tal edição porque estava com uma orelha na capa, porque estava com um riscado na capa, porque estava dando prioridade às outras, porque não tinha tempo de ir à banca, não tinha gostado das histórias, não tinha gostado do colorido do sapato do Mickey.... resultado: veio a setorização novamente e agora, todo santo lançamento, essas pessoas dizem que se tivesse em banca, que iriam comprar mesmo que estivessem sujas, rasgadas e bla bla bla...

    Também acho que a editora Abril deveria ouvir mais esses pontos, que são tocados e retocados constantemente. Acho que eles leem, sabem, de alguma forma. A editora não está parada, de braços cruzados. Certamente, cedo ou tarde, acontecerá alguma coisa em relação a esses apontamentos. O que não pode é deixar de apontar. Inclusive sobre a setorização já que está claro que não é por falta de vendas que houve a volta da setorização porque não tem cabimento colocarem GAROTO VIVO E UFFO no Norte e Nordeste, mas não colocarem Disney.

    O que não pode (ou melhor, até pode, sim, mas não acho legal e nem respeitoso) é massacrar os editores e toda a produção como se fossem um bando de pessoas de má fé. Para isso, nem mesmo pessoas que têm uma liberdade maior de assim fazer, não o fazem. Por que nós, que não sabemos nada como funcionam as coisas técnicas, devemos fazer?

    Acho que grandes verdades são colocadas aqui, coisas muito produtivas e úteis, mas a forma como elas são despejadas é que não são boas.

    Dia desses estava relendo uma revista e vi na seção de recados uma carta de alguém que prefiro não identificar, metendo o pau na revista por causa do Pateta. Mas a coisa foi tão mal criada, tão grosseira, tão estúpida, que só me resta pensar que o editor resolveu publicá-la na íntegra por pura zoação ou medo. Pra ter uma ideia, o texto dela começa mais ou menos assim:

    "Vocês não tem vergonha na cara, não?" E depois vem toda uma gama de coisas até interessantes, porém, foram colocadas de tal forma que virou algo tão pavoroso quanto aquela montanha gigante de lixo do Mickey que mostrou em Epic Mickey.

    Exaltações são compreensíveis, é claro! Todo mundo perde a cabeça às vezes! Mas em certos casos, educação é fundamental!

    ResponderExcluir
  69. O Filipe já pode comemorar, foi só reclamar que logo depois recebi o meu pacote atrasado de maio:

    https://fbcdn-sphotos-a.akamaihd.net/hphotos-ak-snc7/p480x480/577566_370863272971024_100001420624913_1068632_422694048_n.jpg

    Vou começar a ler e amanhã já podemos conversar sobre as historias no fórum.

    ResponderExcluir
  70. Poxá se alguem da editora(tipo a carolina ou o Sr.Maffia mesmo) aparece por aqui(pois aqui é eu acho o único ponto mas visivel de fãs de Quadrinhos Disney) só para acalmar o povo..não estaria assim em muitas as reclamações!:/

    ResponderExcluir
  71. Acalmar "o povo"? Ou o Thiago? kkk

    ResponderExcluir
  72. "Acalmar "o povo"? Ou o Thiago? kkk"

    - Volto a dizer, acho totalmente desnecessário esse tipo de piada. Tentativa de banalizar as queixas e reclamações, colocando a culpa num único individuo e fazendo-o parecer troll.

    Como se eu fosse o único a mostrar insatisfação com várias coisas que estão acontecendo esse ano na linha Disney.

    Só eu mesmo? Certo...

    ResponderExcluir
  73. Digo em geral...principalmente na setorizção e assinaturas!:p

    ResponderExcluir
  74. Ops..alguem viu que chegou uns livros(R$17,90) de capa dura do Mickey e seus amigos(Pateta,Donald...)?:)

    Tipo "Onde Está o Wally?"...não identifiquei a editora(não é a abril)!:/

    ResponderExcluir
  75. Olha visitei o blog do Paulo...ele comprou e postou fotos/vejam;

    http://paulogibi.blogspot.com.br/2012/05/maniacos-por-disney-look-and-find.html

    ResponderExcluir
  76. São da Abril, sim. Quatro volumes.

    ResponderExcluir
  77. Gosto de comentar falando das capas, e a que mais gostei foi a do Pateta com Zorro e Indiana, um show. Estou tentanto me acostumar com armas junto aos personagens Disney, então acho que a capa do Zé Carioca empunhando uma pistola está apropriada ao tema. Por amor aos Quadrinhos Disney a gente muda se for preciso, faz adaptações e sempre, digo, sempre mesmo, apóia as publicações...

    ResponderExcluir
  78. Personagens Disney empunhando armas, nos quadrinhos, existe desde que o Mickey é detetive.

    E, esclarecendo pro Filipe, o aumento de preço é mínimo, claro. Não tem grandes consequências. O problema é essa sequência: Primeiro setoriza. Então, as vendas caem. Por fim, vem um aumento de preço pra compensar. Não que a setorização fosse a única e exclusiva responsável pelo aumento mas ela entra no pacote, certo?

    A brincaderia com estatuetas Disney é que a Topolino tinha o costume de distribuir carrinhos/brindes (de plástico mesmo) nas edições da Topolino. A Panini está lançando a coleção (bem cara, por sinal) de miniaturas Marvel. Só que eu acho mais legal as famosas estatuetas da DC On Line e da Marvel, com cerca de 30 centímetros. Mesmo assim, não consigo evitar de lembrar daquelas estátuas de pomba-gira, iemanjá e preto velho nas casas de umbanda.

    Se eu tivesse espaço, minha casa iria ficar parecendo um terreiro de umbamda Marvel/DC.

    ResponderExcluir
  79. Poxa, legal essa entrevista do Maffia que o PG indicou, ao universohq:

    Alguns pts importantes:
    - 600 pgs especiais com o Zé, em 2 edições, com várias HQs inéditas.

    - Especiais temáticos: velho oeste, horror, etc

    - Disney jumbo 2, que eu já sabia q rolaria

    - Novos pacotes de assinaturas

    - Confirmação de especiais em capa dura

    ResponderExcluir

ANTES DE COMENTAR, POR FAVOR, LEIA:

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de quem os escreve e não refletem necessariamente a opinião do Planeta Gibi.

Não publicamos comentários que:
• Incluam quaisquer e-mails ou links;
• Mencionem outro estabelecimento que comercialize quadrinhos;
• Incluam ofensas e palavrões; fujam do tema em questão.

Atenção:
Os comentários aqui postados podem ser encaminhados para os editores que, eventualmente, poderão publicá-los nas revistas; caso não concorde com isso, explicite sua negativa no próprio comentário. Obrigado.