' '

25 de abr de 2012

Um MEGA gibi Disney com mais de 800 páginas

Por E. Rodrigues & Rivaldo Ribeiro

Se o leitor e colecionador de quadrinhos Disney ficou impressionado com as 500 páginas de DISNEY JUMBO (cujo sucesso aponta para uma segunda edição, que deve chegar no meio do ano), surpresa: a Abril programa para o dia 16 de maio MEGA DISNEY: A MAIOR REVISTA EM QUADRINHOS DISNEY DO MUNDO, um tijolão com mais de 800 páginas, formatinho, 44 histórias em quadrinhos, por R$ 19,95. Confira capa, nossos destaques e todo o conteúdo a seguir.




MEGA DISNEY
A MAIOR REVISTA EM QUADRINHOS DISNEY DO MUNDO
Editora Abril — mai/12
edição especial, 804 páginas cor, formato 13,4 x 19 cm, lombada quadrada, R$ 19,95
Lançamento em 16 de maio
Distribuição setorizada

Entre as 44 HQs deste volume, muitas raridades que há muito tempo não eram reeditadas. A revista estava sendo planejada desde dezembro do ano passado, mas seu lançamento foi mantido em sigilo por questões editoriais.

Destaques para Sua Majestade Irreal, de Vic Lockman e Tony Strobl (publicada antes no Brasil apenas em 1969), O Dia das Bruxas, de Carlos Alberto Paes de Oliveira e Sérgio Lima (produção brasileira de 1973 publicada pela última vez em 1988), A Supercola, de Paul Murry (publicada antes apenas em 1976), A Maratona dos Enigmas, também de Lockman e Strobl (vista antes aqui apenas em 1968) e Pena Kid, O Bandidão, de Saidenberg e Herrero (publicada antes em 1976).

Súper raridade é Operação P.I. 1820, de (nada menos que) Primaggio Mantovi e Moacir Soares & Rodolfo Zalla: há quanto tempo não víamos uma HQ de Zorro nos gibis Disney? Aqui, o herói mascarado contracena com Mickey e Pateta. A HQ havia saído apenas uma vez, em MICKEY #308 (1978).

Dentre os medalhões, o megaclássico O Xerife do Vale Balaço, de Carl Barks, e Uma Carta de Casa, uma das mais emocionantes HQs Disney de todos os tempos, por Don Rosa.


Clique para ampliar:
 








105 comentários:

  1. Vai ser ótimo e pelo menos dessa vez a capa feia veio logo no inicio e não em substituição de uma capa linda rsrsrsrsrsrsrsrs

    Vou comprar!!!

    ResponderExcluir
  2. Será que dá pra ler sem estragar a revista?

    ResponderExcluir
  3. E vai chegar em Salvador algum dia? Pq JUMBO não chegou!

    ResponderExcluir
  4. Ufa, levei quase 20 minutos checando todo o sumário dessa revista. Primeiro vamos as alfinetadas, porque acho que o leitor não deve ser complacente com tudo:

    * Destas 800 páginas, a minha matemática acusou 627 PÁGINAS de material do ARQUIVO DIGITAL, ou seja, que sairam no Brasil entre 2000 até hoje. Tem uma quantidade considerável de HQs que inclusive sairam entre 2006 e 2007, o que é alarmante.

    Reconheço o esforço da Abril por resgatar histórias raras e clássicas, mas a maior quantidade de HQs são curtas, de 4 a 10 páginas desse resgate, isso explica porque essa quantidade inflada de historias do arquivo digital. Basicamente não se resgatou nada dos clássicos italianos da saudosa almanaque Disney dos anos 80 e 90. Tudo que é da Itália na revista é do arquivo digital.

    Também achei sacanagem deveras ter um pouco de tudo, mas não ter Indiana Pateta, mas esse sou eu, fã do personagem. Ponto.

    Outro ponto é que acho uma fanfarrice essa festa de Disney BIG, Disney Jumbo e agora Mega Disney para justificar essa farra de republicações!

    Se é tão fácil assim inventar uma revista de centenas de páginas pra repeteco, porque cargas d'água a gente não pode ter uma revista periódica com CONTEÚDO INÉDITO!! Viver de reciclo de HQs é fácil. Porque não incentivar material novo?

    Fica essa coisa de revistas de 500 e 800 páginas e não se cria uma bendita revista pra histórias inéditas é tremendamente uma falta de respeito com o leitor nacional. Na Europa, todos os países que publicam Disney tem pelo menos UMA revista grossa para material novo, que não tem espaço nas revistas menores. E não me venha dizer que Brasil não é igual a Europa que eu sei. Mas aqui a gente pode fazer a festa com zigalhões de republicações e não consegue abrir uma revista, nem que seja bimestral pra historias inéditas? Ah faça me o favor!!


    Dada as devidas alfinetadas, quero dizer que adorei a capa, o mickey todo assustado "caracoles, 800 páginas bicho?" Rá! Achei a lombada bacana, só lamento que não haja numeração, o que indica que a revista pode morrer logo na primeira investida (ou não).

    Certamente o preço ficou muito bom, para uma pilha de republicações. Vou comprar com certeza, mas nem por isso minhas resolvas e criticas são descartáveis.

    Também lamento que BIG, Jumbo e Mega não consigam ter uma identidade solo. É tudo igual, não existe uma influencia editorial nestes gigantes, vc abre uma e parece que tão lendo sempre a mesma coisa. Capas semelhantes e conteudo semelhante.

    Dou como exemplo a BIG italiana, que a capa identifica uma influencia dentro do conteudo. Se é escoteiros mirins, vc abre o volume e vai encontrar lá, umas tres HQs deles no começo da edição. Depois o material vai diversificando. Note que toda capa da BIG italiana dá essas diretrizes, essa pequena dica, essa atenção em dar uma atenção na apresentação, e ainda assim consegue ser um misto de conteúdos. A BIG já começa a dar sinais pra mim de cansaço, sempre abro e é a mesma coisa. Tem que ficar atento a isso gente.

    É isso, abraços e aguardo as pedradas.

    ResponderExcluir
  5. DISNEY BIG, DISNEY JUMBO e MEGA DISNEY têm uma coisa que nenhuma das revistas italianas têm: diversidade. Aqui você encontra HQs brasileiras, americanas, italianas e dinamarquesas, pelo menos. Essa questão de "quando" as HQs saíram é extremamente relativa: DISNEY ESPECIAL tinha uma janela de republicação de 4 ou 5 anos e sempre foi um sucesso (diz-se que numa época foi o melhor custo-benefício da Abril). Eu comprava DISNEY ESPECIAL e, para mim, quase tudo ali era inédito. Eu era criança. É de se perguntar quantos leitores têm coleções completas de 2000 para cá para se criticar as republicações.

    As publicações italianas (para quem não sabe: modo de dizer, so TOPOLINO traz inéditas; os outros demais 5.756.737 títulos só têm republicações) são 99% de republicação de material italiano, boa parte lançado após os anos 2000. Mesmo uma coleção luxuosa como Tesori Disney, capa dura, traz eventualmente sagas inacreditáveis (quando se pensa na enormidade de opções que eles teriam se olhassem para a produção de outros países). O Mestres Disney italiano era praticamente mais do mesmo. Classici Disney, de clássicos, só o nome (pelo menos as capas são bonitas e depois servem para ilustrar nossos gibis daqui).

    Quanto às inéditas (em maior volume), as temos semanalmente em ESSENCIAL DISNEY e, em breve, bem... cabe à editora divulgar quando julgar estrategicamente adequado.

    Abs.

    E.Rodrigues

    ResponderExcluir
  6. Thiago (e amigos)

    Papo sadio...

    Discordo de ti.

    Acabei de abrir um vinho que esperava uma ocasião, e essa merece!
    Merece mesmo cara!
    Veja só.
    Aqui no Brasil temos três gibis de hqs inéditas; Pato Donald, Mickey e Tio Patinhas - tirando as capas totalizam 176 páginas de Hqs inéditas SELECIONADAS, SELECIONADAS, SELECIONADAS.
    Aí eu te pergunto:
    Qual país do mundo tem 176 páginas mensais de Hqs inéditas de qualidade?

    O próprio Topolino, me corrijam, tem agora 164 páginas de inéditas que só se salvam 50% do material.

    http://coa.inducks.org/issue.php?c=it/TL+2929

    Nunca vi um país para reeeeeeeeeeeeeeeeeeeepublicar tanta coisa como eles, e a maioria é material de lá mesmo- vide o Disney Big deles.

    Concordo contigo no quesito histórias mais antigas, mas como só leio e a maioria ainda não li, pra mim o que vier é lucro. Acho que deveria ter mais.
    Mas sou do tipo que coleciona mais pela hq do que para completar uma coleção.

    Agora com Disney Big, Disney Jumbo e Mega Disney (se esta última tiver continuação) a editora será obrigada a trabalhar com histórias mais antigas, senão vai chegar uma hora que as republicações estarão muito próximas. Vixe, aí vira caça-níquel descarado!

    E tem mais... que tal usar uma delas para colocar material inédito com mais páginas?

    Oura coisa.
    Acabou de sair o tal Indiana Pateta no Disney Big #13! NÉ?
    Tirando uma ou outra coisa de bons roteiristas e desenhistas a Itália só publica porcaria.
    Que fiquem só por lá mesmo!


    Parabéns Editora Abril por nos proporcionar tantas maravilhas.
    Mal posso esperar pra por as mãos na História de Patópolis que deve tá demais e esse Mega Disney.

    Parabéns ao Planeta Gibi.
    Esse blog parece caixa de bombom. Vicia, vc não consegue parar.

    Perguntas

    1- Cadê Disney Jumbo #2

    2- Porque AS REVISTA NÃO TEM NÚMERO NA LOMBADA?

    3 - Cadê outro Especial do Superpato que eu li em algum lugar que teria um número 2?

    4 - É mesmo verdade que o Melhor da Disney vai voltar?

    Hasta...

    Vinicius

    ResponderExcluir
  7. E.Rodrigues você diz:

    "para quem não sabe: modo de dizer, so TOPOLINO traz inéditas; os outros demais 5.756.737 títulos só têm republicações"

    Aí você esquece de dizer que Topolino tem mais de 150 POR SEMANA... são 600 páginas de material inédito por mês.

    Quantas tem aqui? (sem contar essencial).. 50 do Donald, 50 do Mickey, 50 do Pateta, 50 da Minnie e 80 do Tio Patinhas.. não chega nem a 300 páginas.

    Sem esquecer que dessas 50 de fininhas, em geral a segunda historia é um mero tapa buraco, porque as revistas não aguentam uma saga, um série, uma HQ de 60 páginas. Aí quando isso acontece, principalmente em Mickey, publica metade numa edição e joga o fim pra daqui 30 dias (ducktales não aconteceu isso em TP? por causa de 8 páginas a mais do que a revista comporta?)

    Pois é... não tente compara a Topolino com nossas revistas. Não tem nada aqui no Brasil que se compare com ela. Ela tem espaço pra qualquer coisa. As nossas são tão magras que se couberem 3 HQs a gente tem que bater palma pelo esforço delas.

    Não é simplesmente de ter mais paginas, mas de ter espaço pra QUALQUER tipo de HQ, não apenas as de 30 ou 10 páginas pra edição ficar "bonitinha".

    E pra mim Essencial começou com o pé errado. Material inédito? Sim, ótimo, mas já veio fechado. A redação nacional não pode escolher o conteúdo, dizer "essa HQ aqui não, porque a gente tem aquela outra que é melhor e mais importante". A gente teve que aceitar o que deram... simples e pronto. Sem o poder de selecionar o conteúdo, em detrimento da importancia que certas HQs tem para sair aqui... as 100 páginas de essencial não chegam a ser de tamanha importancia.

    O que precisa é de liberdade, podem trabalhar com o MELHOR que tem lá de fora (e não somente pelo que vem no "pacote" de coleção), sem restrições de espaço em edição.

    E ainda digo... 100 páginas não é suficiente pra comportar material inédito. É preciso no mínimo 150.

    Minha opinião.

    E também questiono sobre o que vc disse sobre as republicações na Itália, porque lá é muito mais organizado que aqui. Há encadernados a roda pro qualquer tipo de leitor, é claro que há. Mas não vamos ignorar que existe I Classic Disney e I Grand Classic Disney, que trazem historicamente material separado por fases de decadas, incluindo aí material de outros países, incluindo o Brasil.

    Existe uma organização por lá, não é caótico como vc insinou. O mercado lá é diversificado para todo e qualquer tipo de publico. Inédito, classico, novato que não tem nada, luxuoso para colecionador.

    Não estou dizendo que a gente tem que se tornar isso, só estou dizendo que há negligencias fortes na linha disney, onde se infla com republicações pra novatos e pisa nos colecionadores e nos que querem e estão sedendos por materiais novos.

    Não existe uma harmonia, um equilibrio. É apenas uma conveniencia de custos de mercado. Solta-se o que é mais pratico e barato e que se dane quem não gosta disso. Todo o mercado de consumo nacional roda em torno dessa filosofia... não apenas a Abril.

    ResponderExcluir
  8. Vinicius, vc disse:

    "Qual país do mundo tem 176 páginas mensais de Hqs inéditas de qualidade?"

    - Praticamente todo país europeu que publica disney tem no mínimo uma revista mensal de 250 ou 300 páginas!! Tirando as outras fininhas, mensais ou semanais.

    - E vc ainda cita a Topolino de forma errada. 150 páginas POR SEMANA. Por mês dá mais de 600...

    Caso você tenha Facebook, recomendo que se puder, visite e acompanhar á página do Calisota, porque lá ando mostrando dia a dia, quais as revistas Disney atualmente publicadas no mundo todo, qual a periodicidade, quais são inéditas, quais são somente de republicações:

    https://www.facebook.com/CalisotaBR?ref=tn_tnmn

    Aí vc vai entender como nossas 176 páginas não dão conta de nada.

    E se você diz que 50% da Topolino é descartável, o que deve dizer das HQs das nossas mensais fininhas que saem só pra tapar buraco da edição? A mensal do Mickey sofre sempre com isso...

    ResponderExcluir
  9. Thiago,
    Topolino traz em média 120 páginas de quadrinhos (isso, vezes 4,333333 semanas por mês, dá 520 páginas inéditas).

    Como bem dito pelo Vinicius, isso é material bruto, não peneirado. Nem 40% merece ser republicado aqui (eu leio). 40% de 520 dá umas 200 páginas aproveitáveis. (Ah, sim: você deu a sua opinião. Lembre-se, agora estou dando a minha.)

    As nossas páginas inéditas são cerca de 170, 175 das mensais, mais umas 350 ou 400 de ESSENCIAL (ué, por qual motivo não pode contar ESSENCIAL? Não entendi). Então o Brasil tem mais páginas inéditas ou empata, ou por aí, com a Itália. E quando (ou antes) ESSENCIAL acabar, teremos muitíssimo mais ainda. Aguarde.

    Mas o mais importante é falar de quantidade ou de qualidade?

    Eu nem insinuei que falta critério às intermináveis seleções de republicações italianas: eu afirmei e reafirmo. Mesmo Disney Comix, que começou só com dinamarquesas e brasileiras, agora já encaixa gags italianas... uma coisa. Tem mais: tirando Topolino, alguém já viu a qualidade daqueles gibis encadernados? É uma vergonha absoluta, em se tratando de primeiro mundo, sobretudo.

    Ainda: você mesmo admitiu que ficou 20 minutos para checar o índice de MEGA DISNEY. Ou seja: parece não se tratar de trazer HQs que você tenha lido "recentemente", e sim, tecnicamente, de elas terem saído nos últimos 10 anos.

    Por fim, Vinicius disse algo importante sobre a utilização do arquivo digital: chega um momento em que a editora volta-se para a recuperação de material. DISNEY BIG começou 100% digital e agora já é 1/3 recuperação de material.

    E como tem material ótimo a ser recuperado. Nossos pontos de vista são antagônicos porque vc tem uma fortíssima predileção por HQs italianas que eu não tenho. Gosto dde variedades. E o leitor de quadrinhos Disney, ao que parece, também, porque nossos gibis historicamente sempre foram assim.

    ResponderExcluir
  10. Tiago

    É verdade. Por um momento me esqueci que o Topolino era semanal.
    Mas o material é ruim na grande maioria. Comprei uns três pra dá uma lida e não aguentei de tão fraco.

    Na década de noventa lembro que o Pato era semanal. somava 128 páginas mensai tirando as capas.

    Acho que o Tio devia voltar a ter 100 páginas com lombada quadrada e as demais 68 páginas, aí sim, não teria essa... (ah não pode falar. Me esqueci dos franciscanos virgens que frequentam o blog)... falta de espaço para hq mais longas, que de fato não são publicadas por as revistas não suportam.

    Mas se voltarmos no tempo... há bem pouco tempo esbarramos em quatro títulos mirrados que eram feitos, a meu ver, sem muito capricho só para cumprir um contrato.
    Falo de Pato Donald, Mickey, Tio Patinhas e Zé Carioca e vez na vida outra na morte um especial.

    E minha opinião é bem parecido coma do E.Rodrigues.

    só que ele escreve mais academicamente.

    abs

    Vinicius

    ResponderExcluir
  11. Existe um outro detalhe E.Rodrigues no que diz respeito as republicações italianas. Elas são organizadas e não caoticas como aqui. E não estou falando da diversidade de HQs de outros países.

    Não é esse meu ponto, eu adoro o fato do Brasil publicar HQs de quanto é lugar. O problema é a falta de filtro de apresentação.

    Pegue BIG, Jumbo e Mega... no que elas diferem além da quantidade de páginas? Nada. É o mesmo material, é a mesma bagunça.

    A Itália republica muito sim, mas de forma organizada. Seus encadernados são temáticos, seja por personagem, seja por um tema (ecologia por exemplo, na qual acho excelente), seja por evento comemorativo etc. Além desses encadernados avulsos, há republicações próprias e encorpadas criadas justamente para o colecionado, como as que citei anteriormente, como I Grand Classic e I Classic, até mesmo aquela Anni de Ouro (outro com os nomes tudo bagunçados aqui na cabeça).

    Existe uma preocupação no formato. Não é apenas pegar e socar tudo e qualquer coisa numa unica revista.

    Não tem problema fazer o que a BIG aqui faz, o problema é não ter o que ela não faz. Você pode citar o especial dos Escoteiros, do Mickey Murry, do Superpato. Mas quantas dessas saem por ano? BIG é muito mais frequente, assim como o material paçocado, caótico.

    Até mesmo Turma da Mônica possui uma linha mais clássica, que resgata historicamente o material. Tem almanaques temáticos etc. É a ausencia desse tipo de filosofia que empobresse as republicações. Falta ordem.

    Você citou Disney Especial, esse é um belo exemplo de republicação. De seguir um tema e aí não importa se a republicação é de 1 ano pra trás ou 10 anos.. o que importa é a apresentação. Percebe o que estou querendo dizer?

    -------

    E só para fechar, eu não tenho uma predisposição por HQs italianas, o que me chateia é que no que diz respeito a material estrangeiro é sempre o italiano que é chutado e ignorado. Porque o Dinamarquês é enxuto, cade em qualquer revista, até de 30 paginas cabe, mas o italiano não, precisa haver espaço, principalmente séries e saga epicas.

    Eu faço parte de uma categoria que lê mangás, marvel e DC. Eu não tenho medo de uma HQ disney de 70 páginas, pelo contrário eu adoro uma HQ enorme porque nas outras linhas que leio, as historias são assim. Não desmerecendo uma boa HQ de 10 páginas, mas não é desse tipo de quadrinhos que a linha Disney no Brasil tem carencia?

    Me entende? Não é que eu quero que HQs italianas dominem as publicações nacionais. Eu quero apenas que elas tenham o justo espaço que merecem. O que você sabem que não possuem.

    ResponderExcluir
  12. Excelente notícia! Independentemente de ser ou não material inédito, para mim, que estou retornando aos quadrinhos Disney após 30 anos, está sendo uma grata surpresa a variedade de títulos da Abril.

    Questiono, somente, a distribuição setorizada pois, até domingo, dia 22, ainda não havia chegado às bancas de Santo Ângelo, RS, o número 1 de Disney Essencial.

    Afora isso, parabéns para a Abril pela ousadia de colocar, novamente, os quadrinhos Disney em evidencia no mercado editorial brasileiro.

    Jerry

    ResponderExcluir
  13. Vinicius, pense dessa forma, acho que aí fica mais claro.

    OK, digamos que só 4 HQs por mês na Topolino é aproveitável (em geral a HQ de capa então)...

    se são 4 HQs de 30 páginas, pode ter certeza que no máximo, só 2 duas chegam no Brasil. Uma no Mickey e uma na Tio Patinhas.

    Se a HQ é de série, vc reza pra ela chegar por aqui, nem que leve 3 a 4 anos. Se a HQ é do Donald e do Peninha, as chances de não vir aumentam, porque a Pato Donald tem uma predominancia por HQs dinamarquesas.

    Se a HQ tem 60 páginas, esquece, não sai aqui porque não tem espaço em qualquer revista.

    É por isso que eu gostava de Almanaque Disney, porque com suas cento e cacetadas páginas, cabia qualquer tipo de historia.

    Se Topolino tem só 20% de material de qualidade, pode ter certeza que só 10% sai por aqui. O que me entristese muito.

    Há muito material BOM sendo ignorado. Em outros países Europeus o que é feito? Existem revistonas de 200 paginas por mês que supre isso, que coloca o material italiano todo ali, e desafoca as revistas menores com material da casa. Eu acho muito inteligente isso, porque dá ao leitor o suficiente dos dois mundos, dinamarques e italiano.

    ResponderExcluir
  14. Thiago, o fato de a Itália entuchar (exciste essa palavra) um monte de HQ sob um mesmo tema não resulta numa publicação boa. Eu coleciono I Classici. Só porque é fácil de comprar e porque a capa é bonita. Por dentro, da qualidade das histórias ao da encadernação, um desgosto só.

    DISNEY BIG, JUMBO e MEGA têm uma linha claríssima: a seleção é excelente. Aponte-me um único e mísero título italiano que chegue perto de uma dessas brasileiras. Não há. A Anni D'Oro é bem interessante, mas é uma coisa mais de livraria; tem orelhas e tudo. Ao mesmo tempo fico imaginando o que seria dito num espaço como esse se a Abril tivesse o mesmo eventual desleixo italiano, como publicar, tanto ali como na luxuosíssima Tesori, uma HQ simplesmente escaneada, sem nenhum tratamento. Isso sim, para mim, é desrespeito ao leitor e colecionador. A Abril planeja publicar (como já anunciado e reafirmado) O Mistério dos Signos em capa dura. Pois teve o cuidado de obter na Europa novos arquivos digitais (sendo que ainda possuía os filmes de quando havia publicado a saga por aqui). Eu, que contribuo como posso com a Abril para alavancar novamente os quadrinhos Disney no Brasil (quando sou solicitado e quando não sou também) acompanho o esforço (no boníssimo sentido) que a editora tem feito para ser bem sucedida nessa tarefa. Erros todos cometem, mas eu vejo muito mais acertos por aqui.

    ResponderExcluir
  15. Algumas coisas que não foram comentadas:

    1) Quem disse que as histórias da Topolino são "fracas"? Ora, ao editor não cabe julgar o que é opção dos leitores. Existem gostos e gostos. Se a história é inédita e saiu, o raciocínio é muito simples: ELA DEVE SAIR AQUI TAMBÉM. Pra vermos com nossos próprios olhos, formar nosso próprio conceito. Eu não quero que o Maffia ou sei lá quem da Abril decida o que é bom ou ruim e simplesmente resolva NÃO PUBLICAR o que acha "fraco". Eu acho MUITAS histórias dinamarquesas do Mickey que vem saindo pela mensal dele, da Minnie e do Pateta lamentáveis. Então e aí? Não quero que elas parem de sair, só que saiam italianas também, maior variedade, pois assim como eu acho essas dinamarquesas fracas deve haver mais gente que preferiria as italianas escondidas/obscuras que a Abril se recusa a publicar.

    2) Vocês estão pensando apenas em termos do que ESTÁ SAINDO, mas menos da metade (segundo levantamento do Fernando Ventura) das histórias Disney EM TODOS OS TEMPOS saíram aqui no Brasil. Ora, e o que vai acumulando mês a mês? Umas duzentas páginas (chutando pra baixo) só de Topolino, sem contar as dinamarquesas, holandesas e todas as centenas e centenas de histórias que ficariam perdidas por aí e que não são de medalhões como Barks e Rosa.

    3) Chega a ser insult(u)oso o gibi do Donald com 52 páginas mensais (quase sempre 100% da Dinamarca) e mais de 1000 (!!!) páginas de republicações em um mês e meio. Ora, cadê Donald Duplo, que tem DEZENAS de aventuras e que aqui saiu picado/fragmentado e não dá as caras há um ano??

    4) 800 páginas de republicações por 19,95. OK, bacana, e quem quer inéditas? Compre um gibi caríssimo (Essencial Disney), que é bonito mas: a) de essencial não tem nada (tem TEMAS CLÁSSICOS, o que poderia ter sido deixado mais claro, o que vi de leitores debandando da revista pela proposta "enganosa" não tá no gibi); b) custa DEZ REAIS e é finíssimo, menos de 100 páginas de histórias; apesar do acabamento bonito, o preço está MEGA (esse sim um MEGA com todas as maiúsculas!) inflacionado... Assim é fácil reclamar de quem quer inéditas! Todo o luxo e os mimos vão apenas para quem quer as velhas histórias de sempre... Me desgosta a Abril mais e mais apostando nesse filão de "só compro o que lia quando criança". Barks, Rosa e cia. são ótimos e devem sim ser sempre lidos, reverenciados e analisados, mas calma lá, né? Vamos atentar à produção inédita...

    5) Bacana especiais e tudo, mas as mensais estão SUCATEADAS. Quantidade ridícula de páginas, pouco espaço para histórias mais ambiciosas (Donald Duplo, de novo) etc.

    Enfim: vocês do PG não são exatamente a quem essas críticas deveriam ser feitas, mas este é um canal. Curto muito o trabalho de vocês e acho que sim devemos ficar felizes e gratos por os quadrinhos Disney brasileiros estarem em uma situação INFINITAMENTE melhor do que há uns cinco, dez anos. Mas há muitos erros também, poxa, e a Abril insiste em errar sempre e sempre e sempre nas mesmas coisas... Legal um gibi gigante, mas, caramba, tirando o aspecto "souvenir" ("olha só, um gibi de 800 páginas, vai ficar lindo na estante"), era mesmo necessário?? Já são centenas de páginas de republicação (Zé [enquanto não chegam as novas], almanaques, Big), e uma merreca de inéditas, em gibis grampeados feinhos de dar dó. Ora essa! Abril, aumente logo as páginas dos mensais, que AINDA SÃO (apesar de todas as tentativas em contrário) os gibis mais importantes da linha Disney no Brasil!!!

    ResponderExcluir
  16. O Filipe disse com todas as letras tudo aquilo que estou tentando e não consigo dizer.

    E.Rodrigues o fato de você não gostar do material de I Classici não o torna descartável, é como você bem disse, você particularmente não aprecia o material italiano, então por tabela, uma revista genuinamente italiana não vai ser o seu maior prazer.

    Isso não significa que ela seja uma revista horrenda. Se fosse não existiria a tanto tempo como existe. Tem que tomar cuidado com isso.

    Alias não sei qual a necessidade de diminuir as publicações estrangeiras. Em nenhum momento eu vim aqui falar de encadernados ou scans. Minha preocupação é com o material. Acho que a ideia é tentar passar o conceito de que lá fora também é uma merda certas coisas. Não nego que seja, mas lá não vende 10x mais que a gente? Nós somos peixinhos nesse mar. Eles erram aos montes, mais ainda vendem muito mais do que a gente.

    Eu também contribuo muito para divulgar e ver o mercado de quadrinhos Disney no Brasil crescer. Mas o leitor hoje em dia não é ingenuo. Ele sabe quando uma revista tem coisa errada. Ser negligente com as criticas só faz irritar o publico.

    Tem que mostrar as duas moedas. Olha isso é muito bom, olha isso é muito feio. E aí cabe ao leitor decidir. Entendo que o PG tem que se manter neutro, mas isso não signifique que canais que debatem, criam polemica e reacente a chama do colecinismo estejam indo contra o mercado.

    Acho bom apresentar, tanto as falhas como os acertos. Bem todos queremos ver o mercado disney no Brasil, mas não de qualquer jeito. Temos que prezar sempre a melhora da qualidade. E pra isso, é preciso estar ciente dos problemas.

    ResponderExcluir
  17. Peraí... quem disse que não gosto de material italiano? O conteúdo de I Classici é ruim. E isso obviamente só pode ser opinião minha.

    A minha preocupação é com a qualidade do material, não com a quantidade.

    É claro que o trabalho de um editor é filtrar o que vai publicar. Ele tem que ter sensibilidade para sacar o que vai agradar o público. Senão a revista afunda.

    Tirando meia dúzia de experts, as pessoas compram gibis para ler boas histórias, não dando a mínima para o fato de serem dinamarquesas, italianas ou americanas.

    Tanto é assim que a produção nacional era interessante (para os leitores) porque aproximava o universo Disney dos leitores, falava a língua do leitor. Se não fosse assim, bastaria a Abril jamais ter investido nisso e usado a produção dos outros países (França, Holanda, Alemanha, Itália, Dinamarca, EUA etc.).

    Eu não estou me mantendo neutro. Estou dando minha opinião de leitor e colecionador.

    Coleciono desde sempre Mauricio de Sousa. Aí, sim, mantenho-me neutro aqui. E então quase nunca posto matérias aqui sobre isso, porque a produção atual me desagrada. Muito diferente de Disney, como se pode constatar.

    ResponderExcluir
  18. Concordo com o E.Rodrigues....

    qto à necessidade de se "peneirar" o conteúdo a ser publicado aqui!!!

    às vezes o pessoal fica empolgado ao saber q no exterior sai o dobro, o triplo, ou até mais de histórias q vemos por aqui.... mas esquecem q a qualidade da maioria é SOFRÍVEL (pra usar um termo + light aqui no blog, rs)!!!

    cito como exemplo a Marvel... a Panini publica cerca de 60% de todos os títulos Marvel q saem nos EUA. E acho até q publicam MAIS do q eu publicaria no lugar deles!!!

    com a DC é a mesma coisa.... li todos os 52 "Novos" títulos pós-reboot, e sendo bem sincero, se tirar uns 10 q prestam aí já é mto (vcs verão qdo sair aqui...não perdem por esperar, rs)!!!

    portanto: creio q com a Disney não seja diferente.... e duvido mto q TODO o material italiano q permanece inédito aqui seja merecedor do papel q seria gasto em sua publicação!!!

    resumindo: tem q "peneirar" mesmo... pra manter um padrão de qualidade mínimo (já q QUANTIDADE nunca foi sinônimo de QUALIDADE - nem aqui, nem na itália, e nem nos EUA)!!!

    pra um gibi VENDER bem ele só precisa ser BOM... mas pra MANTER o leitor comprando sempre, ele precisa ser ÓTIMO!!!

    e um gibi só consegue ser ÓTIMO, com uma seleção de qualidade (ou seja: só com a fina-flor do melhor)....

    ResponderExcluir
  19. Pois é, Leo. Tem que peneirar.

    Mas quem tem que fazer isso é VOCÊ.

    Ou você compra tudo que tentam vender a você? Você não acha boas coisas que as outras pessoas acham ruins? E o vice-versa?

    Sei que você não curte Casty. Pra mim, é das melhores coisas Disney da atualidade. Pra você é uma porcaria. E aí? Se você fosse editor ia peneirar o "Chasty"? Acha isso justo com os leitores? A maior parte adora o cara. E quantos não adorariam coisas que nunca puderam ver a luz aqui?

    O leitor que decide o que quer e do que gosta. Eu não quero que ninguém decida o que devo ou não ler. Quero provar as coisas e chegar a conclusões eu mesmo.

    ResponderExcluir
  20. A função do editor é selecionar o material a ser publicado sim....

    ele é PAGO pra isso, aliás!!!

    porisso a importância de um editor ter um mínimo de "senso crítico" pra saber decidir o q presta e o q não presta....

    nem sempre eu concordo com o "senso crítico" dos editores, mas é assim q as coisas funcionam aqui (no nosso mercado nacional)!!!

    quem quiser ler e ter TUDO... basta comprar a Topolino importada então!!!

    e não falo isso de deboche, pois eu tbm compro material importado q eu sei q jamais será publciado aqui (não da Disney, mas de outros gêneros: Robocop, Druuna, Hentais, Masterworks, etc)!!!

    só fica "refém" das editoras nacionais quem quer... pois nem de cartão internacional precisa pra assinar Topolino!!!

    ResponderExcluir
  21. Eu não sou contra peneirar (um pouco) as coisas. Sei que não tem como publicar TUDO, que aí você precisa criar prioridades, o que pode sair com maior velocidade e o que vai ter que ficar "no aguardo" de uma oportunidade.

    Meu problema é o tendencionismo que pra mim existe. Se puxa-saco da escola Barks, do material da Dinamarca, se ignora 99% a Holanda, se ignora 90% do material classico inédito, se ignora fortemente tudo que a Itália cria de experimental e inovador. Pra mim parece tendencioso a linha editorial atual.

    Empurra-se pré-conceitos pro leitor, maltrata conteudo italiano aqui (Donald Duplo) pra cair no esquecimento, fazer de conta que o material dinamarques, mais curto, mais barkaniano seja melhor.

    Aí surge uma geração de novos leitores tendenciosos, que fazem careta pra qualquer novidade, que só querem mais do mesmo.

    Não estou apontando o dedo pra ninguem. Não sei dizer quem entra nessa caso, só sei que existe preconceitos bestas contra certos materiais justamente por culpa do maltrato editorial nacional.

    E esse tendencionismo é de longa data, não é algo que surgiu hoje ou ontem. Vem de bons anos de Abril.

    A Editora está meio viciada, não consegue mudar essa linha de pensamento.

    ResponderExcluir
  22. Ué, Leo, e os editores de Tex, por exemplo? Todas as histórias já saíram no Brasil. Eles são editores "de enfeite"?

    O trabalho do editor não se resume a selecionar histórias. E mesmo se resumisse, você confia totalmente no gosto dos caras??

    "quem quiser ler e ter TUDO... basta comprar a Topolino importada então!!!"

    Se você não tivesse falado que foi sem deboche, eu compararia essa frase a "não gosta do Brasil como é, mude de país!", rs.

    Como foi sem deboche eu respondo também normalmente: Topolino chega aqui cara, tributada indevidamente, com lucros exorbitantes das livrarias. Era pra custar uns 10, 12 reais, mas é vendida a 20. E quem quer importar diretamente, tem que ter cartão internacional e uma série de outras burocracias.

    Não é desculpa. Então a gente pode fechar todas as linhas de quadrinhos do Brasil e falar: "quem quiser que importe". Não é assim que as coisas funcionam!

    ResponderExcluir
  23. E agora que vi direito: Leo, você disse que não precisa de cartão internacional pra assinar Topolino?? Me conte mais disso, por favor (sem ironia, quero mesmo saber).

    ResponderExcluir
  24. A discussao ta beem interessante, to acompanhando pelo cel e amanha comento o assunto tb, pq odeio digitar no cel.

    ResponderExcluir
  25. A discussao ta beem interessante, to acompanhando pelo cel e amanha comento o assunto tb, pq odeio digitar no cel.

    ResponderExcluir
  26. A discussao ta beem interessante, to acompanhando pelo cel e amanha comento o assunto tb, pq odeio digitar no cel.

    ResponderExcluir
  27. "O leitor que decide o que quer e do que gosta. Eu não quero que ninguém decida o que devo ou não ler. Quero provar as coisas e chegar a conclusões eu mesmo."


    eu sei, Filipe...

    mas é isso q eu quis dizer:

    se a editora não publica aquilo q vc quer ler: então mande ela longe e busque em outro lugar: direto da fonte (importando)!!!

    é o q eu faço com os títulos q citei acima... qdo eu vi q jamais iriam continuar publicando "Druuna" (a deliciosa heroína de Serpieri) aqui: mandei importar e pronto: acabaram-se os meus problemas!!!

    eu seleciono tudo q eu compro sim, até pq leio diversos gêneros de gibis (menos os gibis do MS)... mas tenho q deixar alguns títulos de fora pq não cabem no orçamento $$$ ou pq eu considero fracos demais pra disputarem espaço na minha estante!!!

    qto ao "Chasty"... aí entra a questão do "bom-senso" do editor q eu te falei. Sim, detesto as histórias dele (acho tolas, infantis e superficiais), mas publicaria TUDO dele aqui, pois sei q é um artista vendável.

    se fosse pelo gosto pessoal, só teria Barks, Rosa, Murry e Canini nas bancas (além de outros mestres das antigas).... mas é óbvio q um editor não é pago pra publicar aquilo q gosta, e sim: atender a demanda do povão (da MASSA)!!!

    enfim... continuo achando q é só uma questão de não dependerem apenas da editora (pois ela nunca vai atender satisfatoriamente o gosto de cada um).

    no lugar de vcs (q anseiam por mais material inédito - independente da qualidade), eu já estaria assinando a Topolino faz horas...

    ResponderExcluir
  28. Bem, aí entra a questão da língua e da comodidade. Eu quero bons quadrinhos Disney no Brasil, pois desde criança gosto deles e não gostaria de ver esse nicho morrer aqui. Então na medida do possível a gente faz o que pode para apontar caminhos (ou tentar!) para a editora, para que ela corrija falhas que PODEM ser corrigidas...

    Casty, por exemplo, é um sucesso também no Brasil, até onde sei. Mas e cadê o cara? A Abril sumiu com as toneladas de inéditas dele... Precisa ver isso, vai tudo acumulando e no final não sai nada direito...

    ResponderExcluir
  29. Aqui a quantidade de HQs do Casty que está se acumulando:

    http://calisota.forumeiros.com/t213-andrea-castellan-casty#8113

    E até hoje nada da origem do vilão Pegadinha, que saiu numa edição do Mickey totalmente sem contexto.

    ResponderExcluir
  30. "Topolino chega aqui cara, tributada indevidamente, com lucros exorbitantes das livrarias. Era pra custar uns 10, 12 reais, mas é vendida a 20."


    Ah, bom... mas aí se vc quiser ter TUDO, vai ter q abrir a mão mesmo, hahaha!!!

    eu tbm acho caríssimo os encadernados dos "Mortos-Vivos" da HQM (34 reais por 140 pág. em P&B) e os do MOEBIUS da Editora Nemo (50 reais por 60 pág)... mas como eu quero ter esse material, eu faço o sacrifício e compro (mesmo sabendo q estou pagando um valor abusivo). Mas são ítens q eu QUERO ter na minha coleção!!!

    um colecioandor exigente não fica na dependência da boa-vontade dos editores!!!

    ResponderExcluir
  31. A Abril enlouqueceu! PARA NOSSA ALEGRIA!!!

    ResponderExcluir
  32. "E agora que vi direito: Leo, você disse que não precisa de cartão internacional pra assinar Topolino?? Me conte mais disso, por favor (sem ironia, quero mesmo saber)."


    bem, q eu saiba qq loja ou livraria q trabalhe com importados faz encomenda de qq coisa q o cliente pedir....

    eu compro minhas importadas num site americano (com cartão internacional, é claro):

    mas sei q as livrarias e lojas especializadas daqui oferecem esse serviço tbm (pq vários amigos meus pedem suas importadas através desses locais)!!!

    só q é aquela coisa: a gente paga CARO por isso, rs... (em dólar-livro)!!!

    só pra constar: eu PREFIRO gibis em português... mas em casos extrmos, apelo pro importado mesmo!!!

    PS: da Disney ando até cogitando pedir os encadernados do Floyd Gottfredson (vou esperar mais um pouco só pra ver se a Abril se manifesta qto a isso, qq coisa eu importo e pronto)!!!

    ResponderExcluir
  33. Ah, entendo. Valeu por explicar.

    Tou pensando em comprar também o Gottfredson importado. Se você achar barato por aí, me dá um toque!

    ResponderExcluir
  34. Bom, a despeito da discução aí eu adorei a novidade. Já imagino como vai ser ler esse tijolo.

    Mas...
    Não gostei da capa(pra não dizer que detestei) mas como disseram aí, é melhor mostrar logo uma feia do que anunciar uma ótima e sair com uma fraquinha.

    ResponderExcluir
  35. Fiquei tão feliz com essa notícia...A Abril tá de parabéns...

    ResponderExcluir
  36. Adorei DEMAIS essa 'MEGA' novidade!!:D

    ResponderExcluir
  37. Bela notícia, um indício que Disney Big e o primeiro número de Disney Jumbo devem ter obtido um bom resultado de vendas.

    Só acho um pena que em um tijolo como esse, com mais de 800 páginas, não tenham destinado ao menos umas 15, 20 páginas para publicação de bons personagens que há muito não vejo: Aristogatas, Banzé, Tico e Teco...

    Lembrando que personagens que a Abril hoje costuma desprezar, como o Lobão e o Quincas, estiveram presentes no Brasil desde a fundação da editora, com histórias publicadas no primeiro número de "Pato Donald"

    ResponderExcluir
  38. Puxa, gastei um tempão pra ler atentamente o post e todos os MEGA COMENTÁRIOS do novo MEGA DISNEY.

    Sobre os comentários: legal ver uma discussão saudável e democrática. Cada um tem seu ponto de vista e todos querem o bem das publicações. Eu prefiro as hqs italianas e inéditas que deveriam estar saindo aqui e não estão (mas é só meu ponto de vista).

    Minha opinião sobre o novo gibi MEGA DISNEY?

    Positivo: É um baita gibizão gostoso de ler em viagem, colocar em destaque na estante pra ler a qualquer hora. E tem o Mickey na capa (meu personagem favorito), valeu Paulo Maffia.

    Negativo: Entendo que as republicações são necessárias, neste caso. Como preencher um gibi de 800 páginas? Só mesmo com republicações do arquivo digital, por causa do custo. Seria inviável colocar hqs inéditas (e mais caras, nele). Tipo 800 páginas de inéditas? Preço R$ 800,00 alguém toparia?

    Agora a comemoração:
    OBA, FIQUEI MUITO CONTENTE COM A NOVIDADE... Vou reservar o meu em três capitais das regiões Sul e Sudeste, só pra garantir (por causa da arghhh!!! setorização)...

    Duvido que chegue aqui em Quatá no interior de SP, o DISNEY JUMBO nunca chegou... comprei em viagem para a capital.

    Abs.

    ResponderExcluir
  39. sensacional, vou comprar a minha, adorei as histórias, pra mim são praticamente todas inéditas, espero que republiquem o mistério dos signos logo em capa dura como disseram, e os magicos de mickey tambem em capa dura seria interessante para nós colecionadores, como disseram anteriormente estou com saudades das histórias do lobão e os 3 porquinhos, dentre outros que há muito não dão as caras, quanto as pessoas interessadas no floyd gottfredson eu comprei da amazon e chegou direitinho, e o preço está ótimo.

    ResponderExcluir
  40. "Súper raridade é Operação P.I. 1820, de (nada menos que) Primaggio Mantovi e Moacir Soares & Rodolfo Zalla: há quanto tempo não víamos uma HQ de Zorro nos gibis Disney? Aqui, o herói mascarado contracena com Mickey e Pateta. A HQ havia saído apenas uma vez, em MICKEY #308 (1978)."

    Falei disto em dezembro, bem na época da seleção de hqs pra este especial (que eu nem sabia dos projetos).

    http://paulogibi.blogspot.com.br/2011/12/o-superagente-secreto-operacao-pi-1820.html

    Abs

    ResponderExcluir
  41. Jesus Cristo!

    DE TODAS OS COMENTÁRIOS QUE LI NESTE BLOG, ATÉ HOJE, ESTE É O MAIS ABSURDO QUE JÁ LI ATÉ HOJE:

    "Eu não quero que o Maffia ou sei lá quem da Abril decida o que é bom ou ruim e simplesmente resolva NÃO PUBLICAR o que acha "fraco".

    Quem seria o melhor para isso?

    Até onde sabemos o sr Maffia é editor das revistas, é pago pra isso, e vem desempenhando ESSE PAPEL muito bem.
    Imagino que a Abril não pagaria um salário alto pra qualquer um fazer um trabalho desses, ela deve conhecer bem o profissionais que tem. Antes tinhamos 4 títulos, hoje já perdi a conta!

    Se ela colocasse qualquer um de nós para seleção (sem experiencia como editor) será que faríamos melhor trabalho?

    Colegas!
    Parem de reclamar!

    Vocês parecem um bando de pirralhos mimados que vivem inventando moda para para achar o que falar. Nada deixa vcs satisfeitos!

    A Abril deveria fazer como na Itália: Lá existe um revista onde o leitor escolhe hqs e capa e manda a Editora imprimir, fica exatamente do jeito que a pessoa quer. Aí todo mundo fica feliz.

    Ah sim, tem coisa errada, histórias recentes sendo reaproveitadas e muita coisa boa antiga parada.

    Penso que se fosse fácil os EUA seriamuma potencia em quadrinhos Disney. E veja só!

    Um gibi ou um editor que vai agradar a todos, em tudo, NUNCA VAI EXISTIR.

    A editora tem que agradar a maioria aboluta e vender bem, e acho que ela está acertando.

    O thiago fala tanto de HQs inéditas italianas e ignora o Essencial que é basicamente de hqs inéditas italianas (Por que Thiago?)

    Tenho a edição 342 e 378 do I Classici Disney, algumas histórias são boas, MAS NÃO ABRE NEM COMMANDIGA, é dura. Tem até balão que fica com as letras dentro do rego da revista, se fizer força a lombada racha.
    e a abril fizesse uma encadernação nojenta dessa o editor seria apedrejado.

    e tem mais!

    pode colocar como editor:
    Primagiio
    Marcelo Alencar
    Julio de andrade
    fernando Ventura
    Arthur Faria

    Vai ter sempre um insatisfeito reclamando. Disso podem ter certeza.
    Não dá pra agradar a todos.
    Nos anos 70 e 80 tenho certeza que era a mesmissima coisa, cheio de insatisfeitinhos, a diferença é que não havia internet.

    E mais:

    Thiago, vc cita que ajuda e divulgar. Acho que não.
    Na minha opinião tú faz um baita desserviço as publicações Disney, vc parece um pessoa num barco remando contra.

    Vc é um cara que tem um excelente canal de comunicação, é bem conhecido na rede, mas parece que só sabe desqualificar tudo e todo mundo. Fala como se tua opinião de andorinha fosse a verdade da maioria.

    Valoriza um pouco as coisas do Brasil sil sil sil!

    ResponderExcluir
  42. Bem, eu discordo de ti Vinicius, e já expus meu ponto de vista sobre o que você disse, então não irei repetir.

    Leitor não tem que ficar puxando o saco, não tem que dar aleluia a tudo.

    É fato concreto que o mercado tem ainda muito que melhorar. Está melhorando sim, mas não significa que a gente tenha que ser acomodado. Apenas isso.

    E só pra explicar o Essencial, eu desconsidero ela porque ela é mal feita. É um material normal, que acaba se pagando mais do que deveria. Uma coleção com um alto preço na qual não é correspondida pela selelão. Essas HQs poderia está em formatinho, em papel normal, e custando muito menos do que custa agora.

    E não é um material especial, ainda que boa parte inédito. São HQs cotidianas, enquanto se tem muito mais coisas especial e épico sem se publicar aqui.

    Mas na minha opinião Essencial melhorou muito do volume 6 pra cá. Até por isso ontem perguntei sobre a possibilidade de extender a coleção. Pois ela começou a ficar mais interessante...

    Mas ainda tem um custo-benefício todo errado... material que não precisava vir para o Brasil nessa faixa de preço. Que não merece esse tratamente de luxo quando muito mais coisas deveria ter.

    E sim, não acho que temos que ficar satisfeito com tudo. Eu sou chato, não me contento com qualquer coisa.

    ResponderExcluir
  43. Vem cá, afinal, quem é o editor das revistas Disney, se o Maffia n aparece mais como editor nas revistas, aparece apenas como colaborador. Pq a tal monica pina (é esse o nome?) leva os créditos se o maffia quem dá a cara pra bater?

    ResponderExcluir
  44. Fiz a lista de links das histórias no INDUCKS, na ordem do sumário:

    http://coa.inducks.org/story.php?c=W+DD++122-01
    http://coa.inducks.org/story.php?c=W+WDC+411-05
    http://coa.inducks.org/story.php?c=B+920357
    http://coa.inducks.org/story.php?c=B+920383
    http://coa.inducks.org/story.php?c=B+920389
    http://coa.inducks.org/story.php?c=W+OS++199-02
    http://coa.inducks.org/story.php?c=B+73208
    http://coa.inducks.org/story.php?c=I+TL+2034-2
    http://coa.inducks.org/story.php?c=B+75152
    http://coa.inducks.org/story.php?c=D%2FD+2003-017
    http://coa.inducks.org/story.php?c=B+72091
    http://coa.inducks.org/story.php?c=G+A+++1
    http://coa.inducks.org/story.php?c=B+770289
    http://coa.inducks.org/story.php?c=B+73174
    http://coa.inducks.org/story.php?c=G+A+++3
    http://coa.inducks.org/story.php?c=W+WDC+417-05
    http://coa.inducks.org/story.php?c=S+72177
    http://coa.inducks.org/story.php?c=B+73047
    http://coa.inducks.org/story.php?c=S+69127
    http://coa.inducks.org/story.php?c=S+68082
    http://coa.inducks.org/story.php?c=W+BB+++17-02
    http://coa.inducks.org/story.php?c=I+TL+2597-1
    http://coa.inducks.org/story.php?c=I+TL+2601-1
    http://coa.inducks.org/story.php?c=W+WDC+329-01
    http://coa.inducks.org/story.php?c=B+74202
    http://coa.inducks.org/story.php?c=W+DD++116-02
    http://coa.inducks.org/story.php?c=I+TL+2590-1
    http://coa.inducks.org/story.php?c=S+69120
    http://coa.inducks.org/story.php?c=W+DD++131-02
    http://coa.inducks.org/story.php?c=S+73003
    http://coa.inducks.org/story.php?c=B+760358
    http://coa.inducks.org/story.php?c=W+DD++121-04
    http://coa.inducks.org/story.php?c=I+TL+2140-1
    http://coa.inducks.org/story.php?c=B+970241
    http://coa.inducks.org/story.php?c=B+920334
    http://coa.inducks.org/story.php?c=B+880067
    http://coa.inducks.org/story.php?c=I+TL+2426-6P
    http://coa.inducks.org/story.php?c=I+M++++43-1
    http://coa.inducks.org/story.php?c=B+74151
    http://coa.inducks.org/story.php?c=B+74150
    http://coa.inducks.org/story.php?c=AR+108
    http://coa.inducks.org/story.php?c=W+OS++189-02
    http://coa.inducks.org/story.php?c=W+US+++10-02
    http://coa.inducks.org/story.php?c=D+2003-081

    ResponderExcluir
  45. Eu concordo em quase tudo do que Filipe, Thiago e outros disseram, e também questiono qual a diferença entre a "proposta" das 3 revistas: Big, Jumbo e Mega.

    O edenilson respondeu que a proposta delas era trazer ótima seleção. Ok, mas a diferença ENTRE as 3, qual é?

    Eu particularmente adorei a seleção de jumbo, por trazer "continuações". Gostei tb de jumbo, pq não...

    Sobre essencial, eu acho caríssimo pagar 10 conto por menos de 100 pgs italianas (menos conteúdo ocupa mais espaço) quando pagávamos menos (ou igual) por clássicos da literatura, com quase o dobro de páginas. Haja inflação!

    Já A historia de patópolis acho que vem com um preço bem justo.

    Poxa, realmente é um saco ter que esperar a revista do próximo mes pra saber como acaba uma história, e usar 2,3 mickey para 1 história apenas...

    Quanto ao fato de comparar inéditas brasileiras com estrangeiras, n dá né... holanda por exemplo tem muito mais páginas mensalmente, e de ótima qualidade.

    Aliás, vcs discutem qualidade como se fosse uma verdade absoluta. Uns adoram e outros odeiam casty. A seleção da abril é boa? Sim. É ótima? Não né... nada de personagens antigos e diferentes, mas 00-zero toda revista que pode colocam. Uns podem adorar, eu particularmente acho que uma seleção que pega aquele superpato do tatu e 00-zero não é boa. Mas, repito, gosto é gosto.

    Sobre inéditas e republicações no Brasil, mais uma vez indico um link de uma matéria que escrevi uma vez: http://hqsdisney.blogspot.com.br/

    No mais, acho que aqui não foi discutido o principal. Do que adianta lançar essencial, WDA, jumbo, mega, hiper, ultra, extra se... NÃO SE CONSEGUE COMPRAR OS GIBIS!!!

    Jumbo nunca chegou em muitas bancas do país, inclusive capitais e cidades não atingidas pela setorização.

    Não adianta nada do que discutimos. Não adianta ótimo preço, ótima seleção, ótima capa, ótima qualidade de tudo na revista, se ela não chega ao consumidor, e, pasmem, o consumidor NÃO CONSEGUE chegar a ela, pq de alguma maneira a abril/dinap nem vende em sua loja nem deixa lojas online venderem. Vai entender.

    ResponderExcluir
  46. Sobre essa questão da revista pra inéditas, acredito que na surdina a editora esteja planejando algo do tipo.

    Não sei qual o papel do maffia lá dentro, já que oficialmente não é de editor, mas com certeza muitas ideias e cabeças lá dentro já mudaram na sua "gestão". É uma pena que entre de repente lá depois outra pessoa que tenha uma visão diferente e que faça as coisas regredirem de novo. Meu medo maior é que essa pessoa já tenha entrado...

    Enfim, a editora tem um voto de confiança meu no quesito CONTEÚDO, devido a tantas publicações diferentes que vêm surgindo nos últimos anos, mas no quesito DISTRIBUIÇÃO não. Dessa parte eu já tô cheio de ver tanta "genialidade" nas decisões.

    ResponderExcluir
  47. Janela do disney especial de 5 anos... acho que vc se equivocou.

    Só por curiosidade, fui conferir a informação. Randomicamente (mesmo!) fui no inducks e vi a edição 98, de 1987.

    As HQs tinham sido publicadas aqui em 1954, 1956, 1959, 1962,1964,1965,1968, 1970,1972,1974,1976,1977,1978,1979,1981 e 1982

    Se não me falhe a matemática, NENHUMA dessas HQs está no período de 5 anos. Umas 3 ou 4 podem ter até sido republicada nesse período, mas a informação com certeza não bate com essa informação que vc passou, caro amigo.

    Tem mais: a seleção do DB melhorou ABSURDAMENTE, mas nem chega aos pés, a meu ver, das seleções apresentadas em disney especial. Não chega aos pés...

    Um belo exemplo é que em 180 edições (menos as republicações) quantas HQs tivemos repetidas? Umas 4,5? Se fosse hoje em dia, imagina... o número 20 já republicaria coisa do 1. É assim com os especiais (vide escoteiros) e almanaques (vide pato donald 7): repetições, sempre as mesmas...

    ResponderExcluir
  48. PG. Uma perguntinha, que acho que vcs n responderão, como algumas que faço em alguns comentários e vcs não respondem:

    Vcs sabem PORQUE a abril não republica, num amontoado de pgs assim, HQs com lobão, havita, banzé, tico e teco e outros? Basta umas 50 em 800.... Tem algum motivo contratual, vcs saberiam responder? Se for pela qualidade não é possível, pq 00-zero é publicado.

    ResponderExcluir
  49. Uma outra pergunta: Vai sair HQ do zorro? N tinha uma história que a disney tinha perdido os direitos sobre ele, ou algo do tipo?

    ResponderExcluir
  50. O Brasil não tem a menor necessidade de se produzir revistas idênticas às da Itália. Embora eu goste do material italiano e demais lugares, não desejo que a linha de produção daqui seja simplesmente igual à da Itália e nem de qualquer outro lugar.

    Tenho lido pessoas dizerem que Disney BIG está cansando porque traz sempre histórias recentes e um mesmo mix. Ora, quanto ao mix, trata-se do mix que essas mesmas pessoas tanto idolatram, sempre, quando nós, - que realmente gostamos de diversidade - lembramos de personagens que ficaram esquecidos nessas publicações recentes.

    Quanto a dizer que a revista cansa pelo teor histórico das HQs, não é verdade. Nos últimos números de Disney Big houve histórias da época de 2000 tal como outras, bastante antigas, da época da minha avó. E tem sido assim ao menos durante umas três edições, no mínimo. Há material italiano, dinamarquês, americano e até brasileiro. As revistas tão queridas da Itália não oferecem esse mix, dessa forma. No máximo, o que eles oferecem são histórias italianas com dinamarquesas. Às vezes cai uma holandesa. Isso é ruim? Não acho. Mas eu sei que não precisamos perder a nossa identidade de linha de publicações para aderir completamente à linha de publicações da Itália.

    Revistas como Disney BIG, JUMBO e MEGA servem para oferecer ao novo leitor (leram bem? NOVO LEITOR) um apanhado de HQs para ele se situar do universo Disney a um preço bem camarada, fato este que não se vê por aí em nenhum lugar do Brasil. Essa edição não é para quem já tem quase tudo de Disney. Lógico que todos podem comprar, a Editora Abril agradece, mas duvido que ela foi inspirada nesses grandes colecionadores veteranos.

    Sabem o quanto um leitor novo iria desembolsar para obter essas histórias??? Certamente, muito mais dinheiro do que está impresso nas capas dessas revistas. Esse mesmo leitor, depois de estar a par desse universo, migrará também para as mensais e coleções e revistas especiais. Suponho que essa seja a tática maior.

    Disney BIG tem sido um presente a cada edição. Disney JUMBO foi simplesmente um tesouro. Quem não tem, perdeu! E agora a Abril dá uma nova chance aos novatos de adquirir mais um material de colecionador com Disney MEGA.

    As pessoas precisam parar de reclamar só por reclamar e começar a correr atrás do que lhes interessa. E aí está, mais uma vez, uma ótima oportunidade de adquirir um belo material Disney a preço de banana.

    Qualquer editora colocaria esse exemplar a uns 30 ou 40 reais só pelo fato de ele conter "O SEGREDO DO CASTELO", a primeira HQ do Pato Donald publicada aqui no Brasil. Ela foi o início de tudo por aqui. Querendo ou não, é histórica e não podemos ignorar isso.

    Críticas são sempre bem vindas! Eu critico tanto! Mas críticas que simplesmente apontam comparações com uma linha do exterior e impondo que o Brasil deve seguir um espelho dessa linha, me desculpe, mas isso não é uma crítica construtiva.

    Crítica construtiva é falar mal e até meter o pau se há problemas gráficos de impressão, acabamento, folhas, cola, distribuição, atrasos, estado da revista, até mesmo da seleção de HQs. Mas, a partir do momento em que vemos que essas críticas tendem a se equiparar em algo do tipo: "tem que ser igual ao material de tal país", já perde-se todo o contexto produtivo, na minha visão.

    O Brasil pode não ter produção brasileira de HQs ainda, para Disney, mas sua identidade de publicações deve ser respeitada. Se nem isso tivermos mais, o que será, então? Meras cópias do que é feito lá fora? Não. Não quero isso. Já tenho muitos espelhos em minha casa, não preciso de um linha de revistas que seja mais um espelho de outras lá de fora.

    Bem vindo Disney MEGA!!!

    E a Abril tem que criar vergonha na cara e acabar de vez com essa setorização, melhorar as assinaturas e a comunicação com os internautas de plantão.

    Estou de olho, hein? Em todos vocês!!!

    Fabiano Caldeira.

    ResponderExcluir
  51. Vinicius começou a deselegância. Que pena, o papo estava indo tão bem.

    "Quem seria o melhor para isso?

    Até onde sabemos o sr Maffia é editor das revistas, é pago pra isso, e vem desempenhando ESSE PAPEL muito bem."

    Ora bolas. VOCÊ. E eu. Se você confia cegamente na seleção do Maffia e da Abril, ótimo pra você, fico feliz, você deve estar plenamente satisfeito. Só não me venha com esse ar de escândalo apontar o dedo pra mim como se o que eu falei foi absurdo. Porque não foi. Se você discorda, direito e opção sua. Mas se você já trata o oponente numa discussão com esse descaso, que posso eu fazer senão parar de discutir e te considerar alguém que simplesmente não quer debater?

    "Vocês parecem um bando de pirralhos mimados que vivem inventando moda para para achar o que falar. Nada deixa vcs satisfeitos!"

    Isso é trollagem pura e simples. Não discute nada de nada e parte pra ofensa pessoal. Tou fora, prefiro ser um pirralho mimado que dar uma de malandrão lavando roupa suja neste site. Abraço.

    No mais, Sergio disse tudo. Concordo com todas as análises e críticas (só discordando do 00-Zéro, eu acho ele engraçado, hehe).

    ResponderExcluir
  52. "Sabem o quanto um leitor novo iria desembolsar para obter essas histórias??? Certamente, muito mais dinheiro do que está impresso nas capas dessas revistas. Esse mesmo leitor, depois de estar a par desse universo, migrará também para as mensais e coleções e revistas especiais. Suponho que essa seja a tática maior."

    Acho que faz todo o sentido do mundo achar que a coleção ajudará os leitores novos a conhecerem Disney melhor ou pelo menos a economizarem, Fabiano.

    Mas discordo sobre sua otimista previsão de "migração" pra outras revistas. O leitor pagou 19,95 por 800 páginas e depois vê um gibi do Mickey com "meia história" e 52 páginas por 3 reais? Mas nunca que vai comprar... Eu nem tinha pensado nisso, mas, querendo defender a revista, acho que você apontou outro grave efeito colateral negativo...

    ResponderExcluir
  53. "O leitor pagou 19,95 por 800 páginas e depois vê um gibi do Mickey com "meia história" e 52 páginas por 3 reais? Mas nunca que vai comprar... Eu nem tinha pensado nisso, mas, querendo defender a revista, acho que você apontou outro grave efeito colateral negativo..."

    Estava pensando isso hoje de manhã. O leitor mais atendo pode pensar: pra que comprar as mensais atuais se daqui a pouco tempo vai estar tudo (do melhor) de novo na BIG e filhotes delas?

    É por isso que as vezes não é aconselhavel uma janela de republicação pequena. Desistimula a comprar o material novo, sabendo que logo ele estará em encadernados por um preço mais camarada.

    Tem que tomar cuidado com isso sim.

    ResponderExcluir
  54. Menos né Felipe??!!!

    Trollagem é uma espécie bullying virtual, quando alguém incessantemente usa palavras que podem denegrir alguém ou prejudicá-lo...

    Eu não chemei nem acusei.
    Apenas disso que, VOSSA ATITUDE DE ESTÁ SEMPRE CRITICANDO, se parece com a de pirralhos mimados.

    Se isso te ofendeu, desculpe.
    Não vi nada de mais.

    Se for assim trollagem é o que alguns de vcs fazem com Paulo Maffia e os proficionais da abril,
    desqualificando o trabalho deles
    SEMPRE, COMO SE VCS FOSSEM PHDS EM QUADRINHOS OU WHATEVER.

    Gente magoadinha... por bobeira.
    Alfinetar SEMPRE o trabalho dos outros é o que bullying virtual trollagem, ou o que?

    Vc acha que sua frase sobre não aceitar que o editor escolhas as HQs não podem prejudicar o rendimento do cara?

    Das duas uma ele não está nem aí, ou deve se sentir muito mal lendo isso.

    Essa é boa...
    A elegância continua.

    Acho que a Abril lançou essa revista PORQUE QUER FAZER UMA MARCA MUNDIAL.

    SERÁ QUE SÓ EU SINTO ISSO?

    ResponderExcluir
  55. Vou comprar principalmente pela republicação da saga do Transtorno do Morcego Verde! ;)

    ResponderExcluir
  56. "Mas discordo sobre sua otimista previsão de "migração" pra outras revistas. O leitor pagou 19,95 por 800 páginas e depois vê um gibi do Mickey com "meia história" e 52 páginas por 3 reais? Mas nunca que vai comprar."

    Oi, Filipe, tudo bem??? Depende de que tipo de leitor vc está falando. Editoras oportunistas geram leitores oportunistas. Editoras que não são oportunistas (eu acredito) não terão leitores oportunistas. As pessoas já sabem que as mensais tem histórias inéditas e que material inédito custa caro e bla bla bla... entendo seu ponto de vista, mas não vamos subestimar as pessoas.

    Uma coisa é uma coisa... outra coisa é outra coisa. Agora vocês querem que a Abril venda republicações a preços oportunistas só para entrar em equilíbrio com as mensais??? Espero que não, né?

    Abração, Filipe...rsrsrs...

    Fabiano Caldeira.

    ResponderExcluir
  57. Uma revista de 800 páginas e nada de Floyd Gottfredson. Tremenda sacanagem!!! Um dos maiores mestres Disney de todos os tempos e que nunca tem espaço nas publicações da Abril.Até quando irá tal discriminação??? Algém pode responder???

    ResponderExcluir
  58. "Vcs sabem PORQUE a abril não republica, num amontoado de pgs assim, HQs com lobão, havita, banzé, tico e teco e outros? Basta umas 50 em 800.... Tem algum motivo contratual, vcs saberiam responder? Se for pela qualidade não é possível, pq 00-zero é publicado."


    Pra vc ver como gosto é q nem cotovelo (cada um tem o seu)....

    o "AGENTE 00-ZÉRO" é uma das melhores séries produzidas no Brasil (tão bom qto e mtas vezes até melhor do q Morcego Vermelho, por exemplo)!!!

    conheço uns 3 ou 4 leitores (contando com vc) q detestam o agente... mas tbm conheço outros 7 ou 8 q adoram (eu incluso)!!!

    00-Zéro tem q continuar sendo republicado sempre q possível sim....

    seus fãs agradecem!!!

    ResponderExcluir
  59. Sergio, quem pode e deve responder suas perguntas é a Abril. O Planeta Gibi não tem nenhuma participação na seleção de histórias dessas revistas (damos palpite como todo mundo, que eventualmente é aproveitado — também como de outros leitores).

    Um ponto que eu quero enfatizar aqui é: se essas revistas de republicações não existissem (e estivessem vendendo bem) estaríamos aqui discutindo o retorno da produção nacional? E da manutenção e aumento de páginas das mensais? E haveria assinaturas (que devem ser expandidas em breve)?

    Alguém aqui se esqueceu da fase em que estávamos há pouco tempo, em que uma maravilha como Aventuras Disney teve que ser cancelada?

    Como desprezar então o resultado financeiro que os volumes de republicações traz e infla os ânimos da editora (da editora, repito; não meramente da diretoria em questão) para autorizar coisas como novos pacotes de assinaturas, edições de luxo em capa dura, e coleções de inéditas como as que estamos vendo e as que vêm por aí (como já anunciado e, afirmo, em produção)?

    Ora, sejamos mais práticos: qualquer (qualquer qualquer qualquer) companhia busca lucro; quando a Abril lança essas edições (caprichadíssimas, na minha opinião) de republicações, está-se abrindo uma janela, uma porta, para coisas que há muito nós, colecionadores Disney, sonhamos.

    Thiago disse, aqui, há alguns dias, que "duvidava" do lançamento de A História de Patópolis. Com base em quê? Se a editora anunciou, é porque iria lançar (como eu já disse em outra ocasião, 'n' fatores levam a adiamentos, nem todos necessariamente compartilháveis com os leitores, de tão técnicos que são). O gibi, muito especial, está aí. E agora?

    Só acrescento: quem está do outro lado do balcão é gente. É muito desagradável ler certas coisas. Todo mundo está tentando fazer bem e acertar. Há projetos em curso que o pessoal aqui nem imagina (e suponho que a editora só vá divulgar no último minuto, porque se algum detalhe técnico levar a algum adiamento, virá pedrada). Vamos ter um pouquinho de boa vontade. Coisas muito boas estão em curso. Vai atender a toda a diversidade de gostos que temos aqui? Decerto que não. Mas, lembrando o que tínhamos há uns três anos... é um MEGA avanço.

    Abs. a todos.

    A seguir, posts com os resumos da edições de maio.

    E.Rodrigues

    ResponderExcluir
  60. Eu mereço é um prêmio(MEGA Disney) por ler isso tudo de vcs!!! xD

    ResponderExcluir
  61. Já está na cara: vai ter uma nova série para suprir essas páginas inéditas que muitos anseiam, pois estão dando pistas disso faz tempo. Já que a Abril provavelmente não aumentará o número de páginas de Tio Patinhas, Donald e Mickey para incluir histórias mais longas (sem dividí-las) pois aumentaria o preço e talvez mudasse a atual linha editorial, uma nova publicação fará esse papel. Embora eu não duvide que a maioria dos leitores aceitaria de bom grado pagar mais caro para ter um TP, MK e até PD de lombada quadrada, a Abril fatalmente não arriscaria a esse ponto. Eles não mexem nas revistas de linha e sim, criam novas. Até quando não precisa: pra que uma Mega Disney quando esse conteúdo poderia ser uma Jumbo 2 e 3? Mas tudo bem. Só é importante frisar que, quando houver a tal nova revista de inéditas, ela não seja só para extensas sagas italianas, Donald Duplo, etc, mas também para todas as HQs dos anos 60,70,80 que até agora não saíram no Brasil. Se publicassem as HQs italianas inéditas dos anos 70/80 , iriam deixar as inéditas atuais no chinelo!

    Tem uma inédita do Sport Goofy do Cavazzano (código I TL 1695-AP) que iria fazer o Thiago esquecer o Indiana Pateta. É lamentável ver Cavazzano dos anos 80 ainda sem dar as caras por aqui.

    Eu acho correto quando a Abril lança Donald Duplo num encadernado especial, à parte do Pato Donald mensal. Agrada os leitores que querem ler novas histórias italianas sem prejudicar a linha editorial "mais dinamarquesa" da revista PD. O problema é a falta de continuidade. Quanto tempo o leitor tem que esperar pra continuar lendo? Me obriga a fazer um paralelo (exagerado) com as publicações de Akira, Sandman e Preacher. Quando as últimas edições foram finalmente lançadas no Brasil, já tinha me esquecido de tudo que li e tive que recomeçar do início. E é o que acontecerá com 100 balas que, quando chegar ao fim, vou iniciar a leitura desde o número 1.

    Estamos esperando pra ver se a série que antes seria chamada de Walt Disney Apresenta vai suprir esse ponto. Publique nela Indiana Thiago (estou brincando, porque também gosto do Indiana Pateta), Pateta Repórter, Donald Duplo e sei lá mais o que... Mentira, sei sim: anos 60 e 70 inédito (que nem as do Hubbard nas Tio Patinhas) porque os quadrinhos infanto-juvenis que nem os Disney, como todos sabemos, são atemporais! Eu, igual muitos, prezo por HQs inéditas. Mas, diferentemente de alguns, defendo que as inéditas sejam dos autores renomados! Então, inicio aqui minha campanha pessoal de que esse 2012 seja repleto de 1970!!

    E, pra finalizar, é importante que se diga o quanto é bom que nunca mais vimos histórias do Banzé, Havita, Bongo, Quincas, Ursinho Puff, Lobinho, Tico e Teco, etc. Só valia a pena o traço do Hubbard, quando desenhava alguns destes mencionados. 00-Zéro é lembrado e requisitado porque é um personagem que marcou época e, obviamente, faz parte do universo dos patos, que merece prioridade nas revistas Disney. Assim como alguns que sempre lembram da Pata Lee (embora o nome antigo Ié-Ié fosse mais charmoso). Considerar Lobão e Lobinho mais divertido e criativo do que as peripécias do 00-Zéro e da Pata Hari é uma machadada do Havita nas nossas cabeças!!

    ResponderExcluir
  62. "Preacher. Quando as últimas edições foram finalmente lançadas no Brasil, já tinha me esquecido de tudo que li e tive que recomeçar do início. E é o que acontecerá com 100 balas que, quando chegar ao fim, vou iniciar a leitura desde o número 1."


    Preacher foi um pesadelo pra qq colecionador.... levou 15 ANOS pra ser concluída no Brasil (começou lá em 1997 pela Abril e só foi concluída ano passado pela Panini - nesse meio tempo, afundou 6 editoras pelo caminho)!!!

    já "100 Balas" tá indo rápido... apesar de q serão 15 ed. aqui no Brasil (sendo q anunciaram a 9 pro mês q vem)!!!

    em tempo,

    JÁ SAIU "A HISTÓRIA de PATÓPOLIS" NAS BANCAS!!!

    antes do previsto....

    já comprei a minha, e tá uma ed. ótima (cheia de extras)!!!

    ResponderExcluir
  63. Pois é, não custava nada responder minhas perguntas, não perguntei sobre seleção, perguntei se havia algo contratual, que vcs já responderam 1.0001 vezes pra outras pessoas, em outros posts, sem sequer ser perguntado (como cito na pergunta "a")... mas enfim, sandálias da humildade pro planetagibi, rsrsrs.

    Se quiserem responder, repito:

    a) Não existia algo da abril n poder mais publicar zorro por ter perdido direitos do personagem?

    Falo isso devido a um comentário de vcs mesmo (sem ser perguntado): PLANETA GIBI, 5 de setembro de 2011 17:17 - A licença de HQs do Zorro não pertence mais à Disney. Editoras diferentes nos EUA e Europa vêm relançando o material desenhado por Alex Toth (há um álbum brasileiro, também, porém fora de catálogo). No Brasil, Primaggio também fez bastante coisa.

    Baseado nisso, pergunto se a abril conseguiu de volta esses direitos.

    2) Minha outra pergunta (q vcs tb podem saber) é se há algo CONTRATUAL que impeça a publicação de havita, lobinho e outros.

    3) A terceira pergunta é: qual o papel do maffia lá dentro atualmente. Ele é quem faz o trabalho duro, quem "aguenta" os fãs, mas aparece o nome de outra pessoa como editora. Isso me preocupa, mas espero que ele não saia de lá tão cedo.

    Eu não sei se vcs, no alto do orgulho que, infelizmente, o crescimento fez aumentar, a ponto de destratar alguns fãs, QUEREM responder minhas perguntas, pois gostaria muito de uma resposta, e nenhuma delas é ataque ou algo do tipo.

    Em nenhum momento ataquei abril, maffia ou Mega, ao contrário, elogiei. Reclamei apenas de quem acha que seleção é algo absoluto: não é, é relativo. Reclamei ainda da distribuição, que nem vcs podem esconder: É CAÓTICA.

    Se quiserem responder mais algumas perguntas "perdidas" em outros posts, como uma referência externa àquele prêmio vencido pela abril, pra entender do que se trata realmente, agradeço. Vcs só n podem achar que quando eu, Felipe, Thiago, Fabiano e outros perguntamos, seja um ataque ou coisa do tipo.

    ResponderExcluir
  64. Lucrécio, gosto cada um tem o seu: eu prefiro sim Lobinho que 00-zero. Acho que posso né? Da mesma forma, adoro o Mancha europeu e americano e odeio o idiotizado mancha brasileiro. Da mesma forma, adoro Barks, rosa, murry mas gottfredson (esquecido por aqui) nem tanto. Da mesma forma, odeio pena das selvas e não sou o maior fã do biquinho... nem do indiana pateta, mas adoro o esquálidus.

    ResponderExcluir
  65. Essa é a maior revista Disney já lançada né? Vcs sabem dizer quais se aproximariam dela?

    Existe a mega magnum alemã com 756 (mas é um juntado de 3 diferentes LTB, ou seja, é como um seleção disney encadernado ou disney especialissimo).

    Vcs saberiam dizer quais as 3 ou 5 maiores revistas "originais"?

    ResponderExcluir
  66. Sei que alguns não gostam dos personagens "alternativos" como Lobão, Quincas entre outros.

    Mas a partir do momento que a Abril despreza esses personagens mesmo em "almanacões" como Disney Big, Jumbo e Mega acaba apequenando o próprio universo Disney,que vai muito além dos patos, ratos e do Zé Carioca.

    Ninguém está pedindo uma mensal para esses personagens, mas com 1800 páginas anuais de Disney Big não há espaço para ao menos uma história por edição?

    Mil vezes ler uma história do Banzé do ter que aturar o lixo do Zé Carioca de boné dos anos 90, que além de empestear a nobre revista do personagem ainda suja eventualmente a Disney Big.

    ResponderExcluir
  67. Apenas para colocar os pingos nos "iis" e contribuir com a discussão, relembro que a Abril é apenas LICENCIADA Disney, ela "não consegue os direitos de volta" de nada.
    Se o Zorro pode ser publicado de novo, é pq a DISNEY renegociou os direitos de alguma forma: podem ser direitos só para quadrinhos, podem ser para filmes, podem ser direitos para uma vez apenas, sei lá.
    Enfim, quem poderia responder isso - se quiser e se puder - é apenas a Abril. Se ela não puder responder, só a Disney mesmo (às vezes, nem a Abril sabe o que se passa naquela megacorporação, que agora tb tem a Marvel).

    Isso tb serve para todos os outros personagens, são todos da Disney ou que ela tem contrato para usar, como Winnie The Pooh ou Peter Pan, por ex. que não são criação Disney. A Abril é apenas licenciada, ela decide o que quer publicar e faz a proposta. A Disney aceita ou não, enfia ou não alguma coisa goela abaixo (quer a Coca-Cola, tem que levar o Taí), enfim, é uma longa discussão. Às vezes termina do jeito que a Abril queria, outras do jeito que a Disney queria e assim vai, há mais de 60 anos...

    O contrato da Abril abrange as publicações e alguns personagens, como os standards, por ex. Dependendo do contrato, alguns personagens ficam de fora. Por isso que outros personagens tinham suas revistas publicadas por outras editoras.

    Nem tudo que é Disney a Abril pode publicar por não ter contrato. Um exemplo são os livros, saindo do campo de quadrinhos.

    Quanto a republicar histórias muito antigas, seja de que personagem for, isso às vezes não dá para fazer independente da questão contratual. Muitas vezes não existem mais nem os filmes originais, nem as artes e nem as revistas, de onde se poderia copiar (a um custo muito alto, mas possível).

    Um exemplo é o famigerado Disney Especial 6, Os Inesquecíveis. Não há nada mais daquela revista, em termos de originais. Para republicar o material, teria que ser copiado página a página.

    ResponderExcluir
  68. Obrigado Júlio, era esse tipo de dúvida que eu tinha mesmo. Se era "livre" ou se podia haver alguma limitação à republicação desses "outros" personagens.

    ResponderExcluir
  69. Estou adorando a discussão, mas concordo com o Planeta Gibi, é só vir uma novidade super bacana e bem em conta, que a má vontade de algumas pessoas vem junto.
    Uma coisa é fazer uma crítica que acrescenta e faz refletir, outra é encher o saco das pessoas com sua erudição sobre o que é feito lá fora.
    Se o material de lá é melhor, compre o de lá, e deixe as pesspas daqui comprarem o que mais gostam.
    A Abril está de parabéns. Sou professora e o boom de hqs Disney tem ajudado bastante, especialmente na formação de novos leitores. Antes de atirar as pedras de sua sabedoria, pense nisso.
    Faça uma crítica mas não encha o saco.

    ResponderExcluir
  70. Para constar, fiz assinatura da I Grandi Classici Disney e n gostei do material. Além de tudo, ainda tem HQs meio coloridas meio preto e branco. Pra mim é bizarro. Já as capas... lindas, as mais belas do mundo.

    ResponderExcluir
  71. Como eu disse , Sérgio, depende do contrato.

    No caso do Zorro, quando os herdeiros do criador não renovaram o contrato com Disney, aí não se podia mais publicar nenhuma HQ dele. E a empresa de licenciamento do Zorro negociou os direitos com quem quis.

    Se agora a Disney renegociou de alguma forma, não sei, mas aparentemente sim.

    Quanto aos demais personagens, Havita, Banzé, Lobão, Quincas, acredito que sejam propriedade da Disney desde sempre, exceto o Havita (me parece que há um livro americano de outro autor, não tenho certeza).

    Nesse caso,em sendo propriedade da Disney e em estando no contrato da licença atual da Abril, autorizando seu uso, a não republicação de suas histórias se deve, muito provavelmente, à inexistência dos materiais originais.

    Essa inexistência não se limita ao Brasil. Sei de casos, recentes inclusive, de determinado material que a Abril queria publicar e não havia nada disponível em nenhuma editora do mundo.

    Os originais ou se deterioraram com o tempo, ou simplesmente se perderam - caso da Western, que publicava as HQs Disney nos EUA nas décadas de 1950 a 1970, quando faliu e praticamente tudo se perdeu.

    ResponderExcluir
  72. Interessante Júlio. Só uma outra dúvida com relação a esse assunto: A Abril pode comprar HQs com esses personagens feitas pela Disney holandesa (caso ela compre histórias de lá como compra da itália e dinamarca)?

    ResponderExcluir
  73. Sérgio, não sei dizer os acordos atuais da Abril com os demais licenciados Disney.

    Mas, se forem como eram antigamente, poderia comprar. Na minha época, nós comprávamos pouco da Holanda porque o material demorava para eles prepararem e enviar, e porque era caro demais e não compensava o custo/benefício.

    ResponderExcluir
  74. Bom dia a todos!

    Não sou nenhum colecionador "old school", mas, nos anos 80, colecionei DE e AD até onde pude. Depois de uns 15 anos volto a colecionar quadrinhos Disney motivado pelo lançamento da Big em 2008. Esse meu breve histórico prova que não sou devidamente apto a entrar nessa discussão para contestar vocês (colecionadores "das antigas"), mas mesmo assim vou deixar minha humilde opinião dentro do pouco conhecimento que tenho. Sei que não vou, não posso e nem quero agradar a todos com o que vou dizer, mas vou expor assim mesmo.

    Vou considerar Novatos e Veteranos como duas espécies do gênero Leitor, para falar um pouco do que acho de tudo isso.

    Para os novatos (aqueles que leem e/ou colecionam de + ou - 2005 pra cá), tudo isso que vem sendo feito pela Abril é um verdadeiro prêmio. Principalmente para os que estão numa faixa etária acima dos 30, como é meu caso, pois por serem adultos tendem a ler mais e querer comprar mais: gostam de quantidade (não que a qualidade seja menos importante).

    Se são republicações ou não, pra mim pouco importa, pois tudo o que vier será inédito (pra mim, óbvio). E acredito (aliás, tenho certeza) que a Abril, assim como qualquer outra empresa, busca o lucro, custe o que custar. E para esse lucro se efetivar é necessário atender ao seu público da forma mais eficiente possível. Não pesquisei e nem faço ideia de qual o perfil predominante do público da Abril (ou de qualquer outra editora), mas acredito que haja uma quantidade significativa de adultos novatos. Esse perfil tem uma característica consumista que deve interessar bastante à Abril: leem muito e rápido e tem uma tendência a ser menos exigente que veteranos.

    Quanto aos veteranos, vocês têm todo o direito e razão em reclamar das republicações, se for o caso (não estou julgando o mérito do conteúdo das revistas, entendam!), mas precisam entender que a editora tem sua prioridade: o lucro! Achar que uma empresa está preocupada com a satisfação de seus clientes mais que com seu lucro é uma grande ingenuidade. Uma empresa pode até se preocupar com seus clientes, mas pensando num retorno (lucro). Em outras palavras, a editora vai investir mais onde vender mais, simples!


    Metendo um pouco o nariz onde não fui chamado...

    Já quanto a discussão a respeito das revistas italianas, dinamarquesas, americanas e brasileiras, sem querer ser chato, só há uma forma de satisfazer o gosto de cada um: quem preferir a Big italiana, compre ela; quem preferir Topolino, compre ele; quem preferir a Jumbo, compre ela...

    Eu discordo de certos comentários (nem todos) contra a Jumbo ou a Mega. Se o sujeito não gosta, simplesmente não compre, só isso! Seria muito egoísmo querer que a Abril publique apenas inéditas ou conteúdo misto e tal. Pelo que pude perceber a Abril está entendendo às necessidades tanto dos veteranos como dos novatos. Obviamente que os mais exigentes sempre irão reclamar de algo.

    O colecionadores mais exigentes, por sua vez, cometem um grande equívoco: querem colecionar qualquer coisa que apareça. Eu voltei a colecionar quadrinhos, mas sou bastante seletivo. Coleciono apenas aquilo que me agrada, ao invés de sair comprando qualquer coisa que apareça. Principalmente quando a Abril sai lançando três ou quatro coleções ao mesmo tempo. Aí eu apenas compro aquilo que, ao meu gosto e ao meu bolso, vale a pena.

    Parabéns a Abril pela variedade de quadrinhos que vem lançando!!!

    ResponderExcluir
  75. Que bom ver tantas pessoas comentando, quase sempre de forma cordial.
    Fico muito feliz ao peerceber que o retorno das revistas Disney se sustenta. O retorno da setorização foi realmente algo desanimador pelo que representa. (Moro em SP, não sou afetado - mas entendo que é um retrocesso).
    Quanto às revistas em si, fico feliz pela disponibilidade de mais material e acho que as republicações tem um lugar importante no conjunto Disney. Porém, como colecionador e pessoalmente prefiro a continuidade de títulos que a edição de novos. Sou mais favorável a perenização de Disney Jumbo que a edição de novos títulos. Até porque fica mais bonito na estante (números nas lombadas também ajudariam).
    Compreendo porem as tentativas da Abril de fazer algo novo e marcante. Respeito o bom trabalho que vem sendo feito.

    ResponderExcluir
  76. Como eu tô muito xonado por alguém muito legal, vou ser beeem light: Mas que loucura é essa! Um novo título com 800 páginas de republicações quando existem tantas hqs, não só italianas, inéditas esperando um espaço para serem publicadas?! Quando é que cartunistas modernos e brilhantes como a Silvia Ziche e o Conrado Mastantuono vão conseguir adentrar em nossos títulos Disney periódicos?! E muitas hqs italianas antigas e recentes são no mínimo razoáveis e não deveriam permanecer inéditas por aqui, inclusive do recém-falecido Rodolfo Cimino. Pra não me chamarem de puxa-saco dos italianos (talvez eu seja mesmo), tem uma subsérie do Lars Jensen chamada TNT que é muito legal e que já está no capítulo 15, se eu não me engano, mas que vem sendo ignorada por aqui...

    Enfim, só posso dar de ombros e torcer por um retorno de uma mensal grossa focada em inéditas. De qualquer forma, estou feliz com mais este tijolão que não sei onde vou guardar...

    ResponderExcluir
  77. Sou do time que está muito feliz com o lançamento.

    ResponderExcluir
  78. Só reforçando o que o Cesar disse: "números nas lombadas também ajudariam".

    Sei que o PG não tem nada a ver com as decisões da Abril, mas vocês poderiam (se souberem, é claro) me explicar porque que a Abril não coloca o número da edição na lombada da Big, Jumbo e Mega?

    Fica sem graça colocar as revistas perfiladas na estante e ter que retirá-la para ver o número, entende?

    ResponderExcluir
  79. Ué, Sergio, respondi sim. Veja aí, no início da madrugada de hoje. Eu não sei a resposta, por isso que sugeri que perguntasse à Abril.
    Abs.
    E.Rodrigues

    ResponderExcluir
  80. Quanto aos outros pontos:

    "há algo CONTRATUAL que impeça a publicação de havita, lobinho e outros."
    Não.

    "qual o papel do maffia lá dentro atualmente. Ele é quem faz o trabalho duro, quem "aguenta" os fãs, mas aparece o nome de outra pessoa como editora. Isso me preocupa, mas espero que ele não saia de lá tão cedo."

    Maffia é o editor. Mônica Pina, a quem provavelmente você se refere, não trabalha mais na Abril Jovem.

    "Eu não sei se vcs, no alto do orgulho que, infelizmente, o crescimento fez aumentar, a ponto de destratar alguns fãs, QUEREM responder minhas perguntas, pois gostaria muito de uma resposta, e nenhuma delas é ataque ou algo do tipo."

    A gente sempre fez nosso trabalho do mesmo jeito, não tem essa de "orgulho" (pareceu-me, aqui, usada no sentido de "soberba"). A palavra escrita é por vezes dura. Não há aqui um pingo de magnanimidade, posso te garantir. Especificamente neste post coloquei minhas ideias de maneira mais incisiva, sobretudo em resposta ao Thiago, porque o discurso dele é muito mais incisivo ainda (então, presume-se, ele "aguenta o tranco"). Obviamente que não temos aqui interesse NENHUM de defenestrar leitores do blog.

    Quanto à distribuição das revistas da Abril: o Planeta Gibi não comenta sobre isso porque se situa em São Paulo. Ninguém melhor do que os leitores de outras regiões para falar sobre isso.

    Quanto às "perguntas perdidas" ficamos devendo, também a outros leeitores, como Vinicius. Às vezes simplesmente nos esquecemos de responder (não temos resposta na ora e ficamos de pesquisar). Outras vezes, reencaminhamos a questão para o editor ou profissional envolvido (Sidney Gusman, Daniel Stycer, Dorival ou Maffia, Carlos Costa, mais comumente); quando a resposta vem, colocamos. Às vezes, ela não vem e, de novo, nos esquecemos de voltar ao tópico.

    E são muitas perguntas, porque leitores novos costumam ir lá nos posts antigões e também fazer perguntas, que igualmente procuramos responder, com o maior prazer.

    Pelo jeito, temos pisado na bola com você nesse quesito, mas é mero acaso, ok?

    E.Rodrigues

    ResponderExcluir
  81. INCRÍVEL esse lançamento da Abril!! Muito interessante!!

    Já é sucesso antes do lançamento!!

    Por que a Panini não faz o mesmo com os heróis Marvel? No mesmo estilo: formatinho, número de páginas, histórias interessantes ou clássicas, e preço.

    Não sei de onde tiraram que os leitores da Marvel só gostam de revistas em formato grande, isso é algo que não me importa. Tenho achado o custo x benefício das revistas Marvel, editadas pela Panini péssimo, o que me faz um ex-leitor. Se as revistas tivessem mais páginas e fossem mais baratas seriam mais interessantes. Mas, essas sagas intermináveis já encheram o saco!!

    Parabéns mais uma vez a Abril, que, aos poucos, retoma seu mercado na linha de quadrinhos.

    ResponderExcluir
  82. "Thiago, porque o discurso dele é muito mais incisivo ainda (então, presume-se, ele "aguenta o tranco")."

    - Sim, eu não tenho bronca nenhuma! Sei que sou agressivo mesmo e entendo quando me respondem no mesmo nível. E por mim de boa, até que gostei muito do nível da discussão aqui.

    Acho que é assim mesmo que tem que rolar (as vezes - toda hora cansa). Afinal esse acabou sendo um post com um rol de comentários digno de leitura!

    ResponderExcluir
  83. Já que todo mundo está nessa de fazer perguntas, será que vocês do Planeta Gibi sabem por que a Abril não coloca lombada quadrada no Tio Patinhas? Os almanaques saem todo mês com o MESMO número de páginas e o MESMÍSSIMO preço e têm lombadas quadradas...

    ResponderExcluir
  84. Filipe Chamy,

    Além dessa dúvida, eu também queria saber sobre o número da edição na lombada da Big, Jumbo e Mega.

    Vamos esperar uma resposta da PG. Mesmo que seja um "não sei", mas pelo menos respondam.

    ResponderExcluir
  85. Filipe, republicações ficam bem mais em conta do que inéditas. Tio Patinhas não tem lombada porque isso encareceria a revista. Disney Big custa 12,95; Gibiteca Disney, que teria o mesmo tamanho de Big, porém com metade de inéditas, custaria uns 50% a mais (segundo me explicou em detalhes, certa vez, funcionário da própria Abril).

    Alex, penso que as três revistas citadas não trouxeram números na lombada porque não havia intenção de serem mais do que uma edição única. Repare que com Disney Gigante e Natal de Ouro isso foi diferente; quando Gigante foi lançada, já foi anunciada como semestral (o que, infelizzmente, acabou não se concretizando). Agora, porque Big afinal não passou a colocar a numeração é uma pergunta que leitores fizeram algumas vezes ao próprio Maffia e eu não me lembro exatamente o que ele respondeu (acho que ele disse que ficaria estranho, depois de tantas edições, os números surgirem do nada).

    ResponderExcluir
  86. PG, obrigado pelos esclarecimentos. Fazer o quê né? Mas isso é "café pequeno", nada que umas etiquetas adesivas não resolva.

    Já que você explicou para o Filipe a questão do preço das republicações e tal, vou entrar na discussão do tema...

    Como eu sou um colecionador novato, não ligo pra o fato de estar saindo republicações. Pelo menos o preço está bem acessível pra mim. 800 páginas por R$ 20,00 é uma pechincha que até o Tio Patinhas pagaria pra ter. A Big mesmo é outro caso: R$ 12,95 por 300 está com um custo-benefício bem acima da Mega, mas bem abaixo da média dos almanaques (sem intenção do trocadilho). A Jumbo nem se fala. No dia em que tiver uma quantidade tal que comece a saturar de republicações da minha pequena biblioteca, eu simplesmente mudo das grossas (DB, DJ, MD) para as fininhas inéditas (PD, TP, etc...). Simples!

    Muito legal essa discussão aqui. Serviu pra mim entender algumas coisas que não sabia sobre o mundo dos quadrinhos Disney. Afinal de contas, fiquei uns 15 anos fora de maravilhoso mundo. Muita coisa mudou, mas acho que estamos numa época bem melhor que os anos 80, pelo menos em termos de preço e quantidade.

    ResponderExcluir
  87. Certo, obrigado pela resposta. Vamos torcer para que a coisa mude, mais pra frente.

    ResponderExcluir
  88. Vinicius:

    "Tenho a edição 342 e 378 do I Classici Disney, algumas histórias são boas, MAS NÃO ABRE NEM COMMANDIGA, é dura. Tem até balão que fica com as letras dentro do rego da revista, se fizer força a lombada racha.
    e a abril fizesse uma encadernação nojenta dessa o editor seria apedrejado."


    Esperamos que a Mega tenha uma lombada com a mesma qualidade da Jumbo. Por que se 800 páginas vierem do jeito que o Vinicius mencionou, aí será um tiro no pé da Abril. Mas estou confiante de que a Abril não vai dar um vacilo desses.

    ResponderExcluir
  89. Pensei que encontraria esses problemas na JUMBO, mas não. Espero que a Disney MEGA também nao tenha nenhum problema pra abrir a revista e folhear.

    ResponderExcluir
  90. Cadê os personagens secundário... como o Banzé, Havitta, Tico e Teco, Bambi, tambor, Quincas, Lobinho, Tigrão e Pooh (ursinho Puff nos bons tempos)? há anos não vemos histórias dessa turma. Mas estou feliz palo lançamento e já fiz minha reserva com o jornaleiro.

    ResponderExcluir
  91. Acho que os personagens secundários mereciam um espaço, mesmo que micro, entre as 800 páginas. Aliás, mereciam até mesmo entre as 300 da Big, embora sejam meio sem graça, mas há quem goste de um ou de outro. Eu, por exemplo, gosto de Tico e Teco e Lobinho, mas há quem prefira outros. Esses personagens geralmente compõem historinhas de 5, 6, 8 páginas em média (ou até menos). Dedicar umas 15 páginas (das 300) a pelo menos 2 historinhas dessas por edição não iria causar tanto impacto assim, eu acho.

    Lembro da época da Disney Especial em que eu ficava puto quando vinha aquelas historinhas de 5 páginas da Madame Mim, rsrsrs... Eu sempre esperava que viesse uma com 15, 20 páginas, mas nunca acontecia.

    E quanto a essa questão dos personagens secundários não aparecerem na Big, Jumbo e Mega?
    O que vocês da PG sabem e poderiam compartilhar com nós?

    ResponderExcluir
  92. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  93. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  94. Vou expor um pensamento e que ninguém tome isso pro pessoal, é só pra refletir...

    As pessoas se esquecem de que até há uns cinco anos atrás, não se encontrava mais Disney em lugar nenhum. E nem é tanto por falta de produção, pois haviam umas revistinhas bem fajutas sendo publicadas, mas a questão era que as bancas não as pegavam ou, então, pegavam e as escondiam sabe-se lá aonde, e tudo o que víamos era turma da Mônica.

    Não havia bolinha, luluzinha, recruta zero, nada que não fosse a turma da Mônica e uma tentativa desesperada de emplacar o menino maluquinho na Editora Globo. Quando o Maffia assumiu essas publicações Disney e passou a perceber que lendo o que escrevíamos podia-se chegar um trabalho melhor, as revistas foram melhorando e aparecendo aqui e ali e hoje é difícil não encontrarmos revistas Disney em alguma banca do Sul e Sudeste. Há no mínimo umas seis revistas nas bancas, todos os meses, isso não se pode negar.

    E tem mais: o trabalho dele não abriu de novo as portas das bancas daqui só para a Disney em si, mas acabou vindo uma febre de quadrinhos de igual gênero como Luluzinha, Bolinha, Recruta Zero, tiras republicadas em pocket por outras editoras como a TM, Dilbet, Garfield, Mafalda, a própria Editora On Line também investiu em outros títulos da Disney na época...

    Ah! Mas só o Sul e o Sudeste foram revitalizados!!! Sim. É verdade. Mas vocês acham que o Paulo Maffia é quem chegou pro Figueiredo e falou assim: "Sabe, Figueiredo, vamos dar um foda-se no pessoal dos demais territórios brasileiros porque eu prefiro assim." Se alguém pensa isso, é porque é muito zé mané.... que me desculpe!

    Decisões como setorização e aumento de preços não partem do Paulo Maffia (eu suponho). E suponho ainda que ele sequer pode abrir a boca contra essas decisões porque o trabalho mais difícil já foi feito e agora ele se transformou em um funcionário tão substituível quanto qualquer outro. Qualquer um de vocês, no lugar dele, também fecharia boca diante de imposição ou planejamento de departamento superior.

    Das vezes que meti o pau nas publicações e em problemas da editora Abril para conosco, la no meu blog, raramente expus o Paulo Maffia justamente por esse motivos que suponho. Meto o pau na editora Abril em si. Assim, cada departamento é que vista a carapuça. É claro que quando for evidente que o Maffia pisa na boa, meu dever também é de mostrar isso, mas na maioria das vezes a culpa não é dele.

    É impressionante esse massacre que está havendo com a linha de produção Disney. Algumas vezes é feito às claras, com um monte de pedras na mão, e outras vezes é feito de forma enfeitada, através de entrevistas, matérias e achismos pseudo-intelectuais dirigidos aos funcionários errados.

    E tem mais, se eu fosse o Paulo Maffia, mandaria algumas pessoas irem tomar no khullo. Ainda que no dia seguinte eu fosse pro olho da rua. alguns de vocês sabem que eu faria isso mesmo. Eu, naquela redação, respondendo aquelas seções de cartas das mensais, seria uma loucura... ah, ah, ah, ah.

    Como já li por aí em algum lugar: "a gente sofre, mas a gente goza..." ah, ah, ah.

    ResponderExcluir
  95. essa edição mega disney vai ser distribuição normal?ou setorizada?

    ResponderExcluir
  96. Pessoal, como eu já disse, com as novas mensais de Minnie e Pateta é q percebi quanta coisa boa estávamos perdendo (estou falando das histórias principais e não das curtinhas, selecionadas sem nenhum cuidado para tapar buraco)! Para que gastar dinheiro com o que não está agradando? Não compro Big, não compro Jumbo e não comprarei Mega! Compro apenas PD, MK, MN e PT q tem ineditas! Dos almanaques compro apenas o do Pluto e o do Peninha, mesmo tendo encontrado aí várias hqs q já saíram nas séries anteriores dos mesmos personagens ,e isso, só pq gosto desses personagens e ainda encontro uma ou outra hq q não conheço (é claro q qdo me cansar das "seleções", paro como fiz com os demais almanaques)! Enfim, a melhor resposta contra o q não gostamos, é deixar de comprar! E se a Abril não tomar cuidado, vai voltar à amargura logo, logo... O leitor pede Donald Duplo, Indiana Pateta, Mágicos do Mickey, personagens diferentes, mais páginas, mais inéditas... mas eles insistem nas republicações mal selecionadas de 2003 pra cá... e isso pq são teimosos, não querem dar o q o leitor pede, mas o q acham q está ao gosto deles! E se o leitor não é atendido, ele se manda!!!

    ResponderExcluir
  97. De que adianta isso? 800 páginas? Na metade da leitura a revista já estará arruinada, considerando as péssimas encadernações da Abril.

    ResponderExcluir
  98. Kleiton, a encadernação está ótima. Veja foto no checklist de maio. Abs.
    E.Rodrigues

    ResponderExcluir
  99. Valeu pela foto. Dei uma conferida. Realmente, a abertura parece muito boa, bem diferente do horrível almanaque Big.

    ResponderExcluir
  100. Será que a PG receberá novos gibis?? acabaram em tempo record!!

    ass: Ahundson Carneiro

    ResponderExcluir
  101. Comprei minha edição na loja PG. Passei em várias bancas de duas capitais do NE e nada desse gibi! E a Abril ainda fala que preza pela publicação em bancas... Quais bancas?

    ResponderExcluir
  102. Justiça sendo feita, recebi hoje, pelo PG, informações de que minha encomenda já foi enviada há vários dias e o código de rastreio. Aguardo a chegada e acredito que, aqui (no espaço da loja PG), pode se tornar, para muitos leitores, um ótimo espaço "on line" para comprar de quadrinhos. Grato,

    ResponderExcluir
  103. Olha, eu já comprei a minha, e, eu acho que pelo menos até o fim do ano, vão lançar o que podemos chamar de Disney Ultra,com 1.000, 1.500 páginas, dentre R$ 25,00 a R$ 30,00, e pelo que vi, o gibi é bem legível, não tem páginas "comidas" pela dobra, é como Disney Big, não li ainda, pois acabei de comprar, mas, as histórias devem ser muito boas!

    ResponderExcluir
  104. Acabei de ler. Edição sensacional. Sobretudo as últimas cem páginas. Porém, encontrei ao menos 5 erros de gramática e digitação no "Segredo do Castelo" e na última história. Errinhos que passam despercebidos por muitos, mas estão lá.

    ResponderExcluir
  105. eu queeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeero muuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuuitoooooooooo!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!! mas ele não está mais sendo vendido!
    que droooooooga!!!
    só faltava esse na minha coleção!!!

    ResponderExcluir

ANTES DE COMENTAR, POR FAVOR, LEIA:

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de quem os escreve e não refletem necessariamente a opinião do Planeta Gibi.

Não publicamos comentários que:
• Incluam quaisquer e-mails ou links;
• Mencionem outro estabelecimento que comercialize quadrinhos;
• Incluam ofensas e palavrões; fujam do tema em questão.

Atenção:
Os comentários aqui postados podem ser encaminhados para os editores que, eventualmente, poderão publicá-los nas revistas; caso não concorde com isso, explicite sua negativa no próprio comentário. Obrigado.