' '

4 de abr de 2012

ESSENCIAL DISNEY #6 — Donald e Seus Primos

Por E. Rodrigues & Rivaldo Ribeiro

Peninha foi criado pelo americano Dick Kinney, por volta de 1963. Gastão, pelo Homem dos Patos Carl Barks, em 1947. De personalidades bastante distintas, ambos são eficientes em explodir os nervos do primo Donald (bem, convenhamos que isso não é lá muito custoso). Nesta edição de ESSENCIAL DISNEY o leitor encontrará uma amostra dessas dificuldades de convivência, sempre cercadas de muito bom humor. Além das produções italianas, uma curtinha holandesa. Confira aqui apresentação, resumo e imagens das HQs.  


Donald e Seus Primos

Por José Rivaldo Ribeiro. No Brasil, Gastão e Peninha são os primos mais conhecidos do Pato Donald. Ambos são habitualmente eficientes quando o assunto é atazanar a vida do pobre pato. Mas de maneiras diferentes, assim como bem distintas são suas personalidades. Gastão abusa de sua infalível sorte, pendendo até para uma certa arrogância e futilidade. Já Peninha, amalucado e eventualmente desleixado, não raro coloca o primo nas maiores enrascadas, mas sempre na pura inocência.

Gastão foi criado pelo mestre Carl Barks e estreou nos quadrinhos em janeiro de 1948 com A Visita do Primo Gastão (republicada no Brasil em AVENTURA DISNEY #39, de 2008). De conhecido temperamento mercurial, o ponto de fervura de Donald é atingido nas sucessivas investidas do primo na conquista da Margarida. Esta, por sinal, mais de uma vez cedeu ao charme do cara de pau, sobretudo para fazer ciúmes a Donald. Barks mencionou certa vez que sua mulher (chamada pelo apelido de Garé) não gostava de Gastão por considerar injusta a maneira como ele sempre levava a melhor sobre o primo. Mas sua popularidade indica que o leitor, assim como Donald, nunca se cansou de esperar por um milagre nos desfechos das histórias, por mais improvável que parecesse uma reviravolta na sorte de um e habitual azar de outro. A HQ que fecha este volume é um exemplo perfeito de como essa mágica é possível, mesmo quando a sorte de Gastão se mantém infalível. Essa torcida pelo lado mais fraco é que, provavelmente, elevou a popularidade do ganso por aqui, onde chegou a estrelar alguns números da revista EDIÇÃO EXTRA, além de seus próprios almanaques. Na televisão, Gastão também pode ser visto no seriado animado DuckTales, Os Caçadores de Aventuras.

A popularidade de Peninha no Brasil pode ser medida pela quantidade de revistas que o personagem estrelou aqui. Atualmente, ele possui seu próprio almanaque semestral. Sua natural vocação para as trapalhadas foi utilizada pelos artistas brasileiros na criação de um sem número de variações e alter egos estapafúrdios e engraçadíssimos, como Morcego Vermelho, Pena Kid e Pena das Selvas. Até um sobrinho ele ganhou aqui, o Biquinho. Peninha foi criado em 1963 pelo americano Dick Kinney, com vistas no mercado internacional de quadrinhos Disney. Talvez por esse motivo, o personagem nunca atingiu a mesma fama nos Estados Unidos, tampouco apareceu em nenhuma animação. Em 1964, sua primeira HQ foi publicada em alguns países. Escrita por Kinney e desenhada por Al Hubbard, Fome para Fortalecer mostrava um pato em estilo beatnik, algo hippie. Esse debut foi republicado no Brasil em AVENTURAS DISNEY #7, de 2006. Na mesma história, estreou o gato de estimação de Donald, o Ronrom, que já nasceu sofrendo nas mãos estabanadas, mas sempre bem intencionadas, de Peninha.

Kinney decidiu pôr Peninha para trabalhar poucos anos após sua estreia. Junto com Donald, ambos passaram a integrar, muitas vezes com Margarida, a redação do jornal A Patada, de Tio Patinhas. Uma profusão de histórias surgiram daí, quase sempre mostrando o resultado desastroso provocado pela "equipe" desqualificada — claro, contratada apenas em razão da sovinice de Patinhas. A segunda história desta edição ilustra uma rara exceção nos furos (no mau sentido) da dupla. Mas o leitor vai notar que isso só é possível por causa da intervenção de Gastão, justamente.

E já que trabalhar para o Tio Patinhas não garante o futuro de ninguém, o jeito é arregaçar as mangas de vez em quando e por as mãos na massa. Exatamente é o que fazem Donald e Peninha na HQ da página 55, ao abrirem a Confeitaria Dois Patos. Um sucesso absoluto e inesperado. Será?


 
Bombeiros
Roteiro: Giorgio Pezzin
Desenhos: Franco Valussi
Produzida em julho de 1991

Donald deseja tornar-se bombeiro para impressionar Margarida. Para sua sorte (e azar de todos), ele consegue! Sua falta de qualificação, no entanto, terá que ser compensada com a contratação de outro bombeiro de apoio. E logo o atrapalhado Peninha é que formará essa dupla. Confusões a perder de vista. Esta HQ foi publicada antes em PATO DONALD 2038 (1994), remontada em 24 páginas. Aqui temos sua versão integral, pela primeira vez, e com cores e tradução novas.
 
A União faz a... Foto
Roteiro: Massimo Marconi
Desenhos: Paolo Mottura
Produzida em julho de 1990

Na redação do jornal A Patada, Donald e Peninha exercitam sua atividade mais comum por lá: o ócio! Tio Patinhas interrompe o marasmo cobrando-lhes fotos sensacionalistas, na tentativa de alavancar as vendas do jornal, que estão de mal a pior. Um fracasso nessa tarefa vai significar a demissão de ambos. Gastão, em aparente fase de má sorte, surgirá providencialmente para salvá-los e, para variar, obter lucro daí. HQ publicada antes em TIO PATINHAS 313 (1991). 
 
Mestres Confeiteiros
Roteiro: Bruno Sarda
Desenhos: Alessandro Perina
Produzida em abril 2000

Difícil imaginar Donald e Peninha como empresários bem sucedidos. Pois nesta história, inédita no Brasil, a dupla funda a Confeitaria Dois Patos, que vai de vento em popa e mal consegue dar conta de tantas encomendas, já que a fama de exímios confeiteiros logo se espalha pela cidade. Após serem requisitados até mesmo para eventos internacionais, os primos são contratados para preparar as guloseimas de um acontecimento histórico para cidade de Patópolis. Parece que os dias de azar ficaram para trás. Parece...
 
A Verdade Dói
Roteiro: Jan Kruse. 
Desenhos: Mau Heymans
Arte-final: Comicup Studio
Produzida em junho 2004

Em duas páginas (inéditas no Brasil), Margarida deixará Donald atordoado: ser sincero é sempre recomendável? Parece que não. E Gastão tirará proveito disso.

O Desafio Musical
Roteiro: Andrea Denegri
Desenhos: Ottavio Panaro
Produzida em dezembro 2002

Mais uma história inédita no Brasil. Desta vez, Donald e Gastão se enfrentam num programa de televisão para ver quem possui mais conhecimentos musicais. E não é que o primo sortudo decide estudar o assunto com afinco? Normalmente contando apenas com a sorte, aqui ele decide fazer a lição de casa. Mas uma lição que Donald se recusa a assimilar é que contra o dom de Gastão nada é possível. E talvez o primo azarado tenha motivos para isso.



Editora Abril, coleção em 20 volumes semanais, 100 páginas cor, formato 14,7 x 20,7 cm, R$ 10,00
Editor: Paulo Maffia
Introduções das HQs: Júlio de Andrade, Filho / Rivaldo Ribeiro

Desde que surgiram, nos anos 1930, os quadrinhos Disney foram sendo construídos com personagens e situações marcantes que imprimiram lembranças indeléveis em nossa memória. Formou-se em torno de cada um deles – Mickey, Donald, Patinhas e tantos outros – uma mitologia tão rica e complexa que ela passou a ser automaticamente reconhecida aos olhos do mundo. Com o passar do tempo, tornou-se desnecessário explicar a quem quer que fosse que Mickey namora a Minnie, que seu melhor amigo é o Pateta e que ele tem embates colossais com dois vilões que amamos odiar: Mancha Negra e João Bafo-de-Onça. Igualmente dispensável tornou-se apresentar Donald – sujeito irritado, azarado, que não consegue manter um emprego – ou o Tio Patinhas, sempre acossado pelos terríveis Irmãos Metralha, pelo milionário rival Patacôncio e, principalmente, pela Maga Patalójika, determinada a roubar a primeira moeda do velho muquirana para fazer com ela um amuleto e transformar-se assim na bruxa mais poderosa do mundo. Nesta nova grande coleção da Editora Abril, reunimos os assuntos prediletos que orbitam o universo Disney. Assim, ao se deparar com títulos como Tio Patinhas versus Maga Patalójika, Os Problemas Domésticos do Pateta e Os Infinitos Azares do Pato Donald, você sabe exatamente o que esperar: histórias que mostram a natureza dos personagens, os hábitos, o comportamento recorrente, as brigas, as rixas, os desafios, os laços de família e amizade. A cada volume, um novo tema. Em cada tema, uma formidável compilação de histórias em quadrinhos, clássicas e inéditas, que, acreditamos, serão tão preciosas para você quanto a Número Um é para o Tio Patinhas ou o 313 para o Pato Donald. Mais que preciosas, essenciais. 

A COLEÇÃO:
#1 — 9/mar: Tio Patinhas Versus Maga Patalójika
#2 — 9/mar: Donald e seus Sobrinhos
#3 — 16/mar: Os Problemas Domésticos do Pateta
#4 — 23/mar: Tio Patinhas e a Moeda Número Um 
#5 — 30/mar: Mickey e Minnie
#6 — 6/abr: Donald e seus Primos
#7 — 13/abr: Mickey Versus Mancha Negra
#8 — 20/abr: As Grandes Aventuras do Superpateta
#9 — 27/abr: Tio Patinhas Versus Irmãos Metralha
#10 — 4/mai: Mickey Versus João Bafo-de-Onça
#11 — 11/mai: Donald e Margarida
#12 — 18/mai: Os Passatempos Malucos do Pateta
#13 — 25/mai: As Grandes Viagens do Tio Patinhas
#14 — 1/jun: Mickey e Pluto
#15 — 8/jun: Os Infinitos Azares do Pato Donald
#16 — 15/jun: Pateta e seus Antepassados
#17 — 22/jun: Tio Patinhas Versus Patacôncio
#18 — 29/jun: Donald e seu Carro 313
#19 — 6/jul: O Detetive Mickey
#20 — 13/jul: Donald e seus Empregos que Não Duram







8 comentários:

  1. Uma pena apenas que a Abril não tenha conseguido encaixar na edição a história "O Pêndulo De Ekou", que saiu em Almanaque Disney 260 de 1993.

    Sempre tive curiosidade de ler essa aventura com o Donald, Peninha e Gastão, mas é uma revista rara e uma HQ que jamais foi republicada.

    http://coa.inducks.org/issue.php?c=br/AD++260#b

    ResponderExcluir
  2. Tenho acompanhado todas desde o Número #1, aliás, tem banca aqui que nem receberam, bancas grandes em Copa só receberam duas unidades, ou uma.

    Queria parabenizar mais uma vez o Julio de Andrade pelos excelentes textos.
    Nesse dos primos achei massa as curiosidades da matéria.

    Você se equivocaram colocando o nome do José Rivaldo, ou ele escreveu este volume mesmo?
    Veja, não estou criticando, é que desde o #1 estou acompanhando os textos do Julio.

    Abraço

    ResponderExcluir
  3. Thiago.

    Não quero esquentar discussão.
    Mas outro dia você disse:

    "Mas se eu quero algo antigo ou vou num museu, vou numa biblioteca, vou num sebo.

    Se eu quero algo novo, comteporaneo, vou numa livraria, vou no cinema, comprou uma revista nova na banca."

    Essa história que você pede realmente merece republicação.
    Mas Almanaque Disney #260 - na minha opinião - não é nada rara, você pode acha-la em sebos facilmente ou no Mercado Livre.

    Também tem numa loja virtual que é aqui do Rio, mas você vai ter que vender o almoço a janta e o café da manhã para poder comprar.

    PS: Planeta citei o Mercado livre pq vi que vocês não tem na loja.

    abraço a todos

    ResponderExcluir
  4. Vinicius, o texto é de Rivaldo, mesmo. No próximo, também. Depois volta Júlio por duas edições, e assim por diante.
    Abs.
    E.Rodrigues

    ResponderExcluir
  5. Vinicius, aparentemente você não entendeu direito o contexto do outro debate, né? Mas tudo bem, isso acontece.

    A coisa que rolou tinha angulos e visões sobre outros tipos de publicações e artistas dentro do polo (e puxa-saquismo) da Abril.

    Alias, perceba que esse Essencial 4 tb tem republicações. Antigas, mais raras e porém válidas. E não estou reclamando delas.

    Enfim, não vou me extender porque já expressei tudo que queria na oportunidade passada. Quem ainda não entendeu, só posso lamentar.

    abraços.

    ResponderExcluir
  6. Inventei uma historieta para explicar a inusitada capa, onde os primos "cavalgam" um rino. O Donald e o Peninha foram para a África fazer uma reportagem investigativa sobre uma curiosa tribo africana de patos negros que aprendeu a domesticar os ferozes rinocerontes e os usa como se cavalos fôssem. Que façanha, não? O Gastão foi junto porque descobriu, após um interminável papo com o Professor Ludovico, que na mesma região da África onde vive essa tribo peculiar existe um trevo de cinco folhas, que, segundo a crença da região, poderia aumentar ainda mais a sua sorte.

    ResponderExcluir
  7. Eu quero essencial disney no planetagibi...

    ResponderExcluir
  8. Resenha dessa edição:

    Ponto positivo: Uma hq de Mau Heymans!

    Ponto negativo: A hq só tem duas páginas.

    ResponderExcluir

ANTES DE COMENTAR, POR FAVOR, LEIA:

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de quem os escreve e não refletem necessariamente a opinião do Planeta Gibi.

Não publicamos comentários que:
• Incluam quaisquer e-mails ou links;
• Mencionem outro estabelecimento que comercialize quadrinhos;
• Incluam ofensas e palavrões; fujam do tema em questão.

Atenção:
Os comentários aqui postados podem ser encaminhados para os editores que, eventualmente, poderão publicá-los nas revistas; caso não concorde com isso, explicite sua negativa no próprio comentário. Obrigado.