' '

19 de jan de 2012

DISNEY NA COZINHA (glup!) inclui quadrinhos

Por E. Rodrigues

Quem acompanha este blog com frequência já deve ter percebido nossa falta de empolgação com a maioria das revistas híbridas que incluem quadrinhos Disney. E se uma coleção interminável (e dispendiosa) como LOUÇAS DISNEY (Planeta DeAgostini) se torna uma "obrigação" de colecionador por incluir em cada edição uma (única) página de quadrinhos, ao menos ali tem-se ilustrações e curiosidades do personagem destaque da semana (os mais obscuros por aqui quase que invariavelmente vêm com sérios inconvenientes de tradução, aliás). E...

DISNEY NA COZINHA, lançamento da Editora Alto Astral, fica num patamar mais baixo ainda de interesse aos colecionadores de quadrinhos. O acabamento é bom, o preço é razoável, o miolo é couché, as cores são vibrantes, os personagens são em sua maioria velhos nossos conhecidos... Mas os desleixos de tradução de nomes se repetem. 

Nesse ponto, a calhar, a Disney Brasil deveria zelar por uma uniformização. Seria isso mais simpático do que essa perseverança com que a empresa vem tratando da substituição de nomes brasileiros e consagrados por aqueles em inglês — todos sabemos: Pooh, TinkerBell, Minnie com dois "nn", Kermit... e, quem garantiria que não, em breve, Daisy, Goofy e por aí.

Os quadrinhos de DISNEY NA COZINHA são apenas duas páginas. Desinteressantes e sem inspiração, sequer arremedam um roteiro, como melhor tentam aqueles publicados nas outras revistas Disney da mesma editora (DISNEY GAME e suas variações de título).

E já que chegamos até aqui, seguem-se algumas imagens para suas próprias considerações.




DISNEY NA COZINHA #1 — jan/2012
Editora Alto Astral
Formato magazine, 36 páginas cor, capa e miolo em couché,R$ 5,99










5 comentários:

  1. Com licença, vou discordar (sem querer polemizar). Infantilizar os personagens Disney não é de todo ruim. Quem é o público alvo dessa publicação? Os pequeninos. E eles logo crescerão e irão para os Quadrinhos Disney tradicionais que nós adultos amamos. Ainda não comprei, mas vou comprar e deixar na coleção. Como Disney Game, essa será mais uma edição "diferenre" de quadrinhos Disney para mim. E se um dia sumirem das bancas como aconteceu com a Disney da On Line, se tornarão moscas brancas para nós colecionadores. Quanto às Louças Disney, concordo totalmente. Abs. Paulo.

    ResponderExcluir
  2. Que nojo!
    Detesto este tipo de publicação.

    Adoro Disney, mas porcaria não é comigo.

    ResponderExcluir
  3. Vocês dois tem que entender que esse tipo de publicação é para um público alvo muito específico: crianças cozinheiras. E não vocês, marmanjos.

    ResponderExcluir
  4. Com licença também...
    Não sou colecionadora,mas sou educadora. Saibam vocês que este tipo de revista motiva uma professora de Alfabetização.Trata-se de um gênero literário denominado " Leitura Instrucional".
    Postei a revista em meu blog pedagógico como sugestão literária.Quer procedimento mais lúdico para os pequeninos?
    Certamente para os leitores adultos mais exigentes esta é mais uma publicação medíocre...

    ResponderExcluir
  5. A crítica foi para (1) a falta de cuidado na tradução, tratando com descaso os nomes brasileiros dos personagens, como Donald Menino e (2) a péssima qualidade da HQ incluída, já que se há uma casa que pode bater no peito e se orgulhar da qualidade geral de suas HQs, essa é a Disney (e, talvez, só ela).
    Abs.
    E.Rodrigues

    ResponderExcluir

ANTES DE COMENTAR, POR FAVOR, LEIA:

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de quem os escreve e não refletem necessariamente a opinião do Planeta Gibi.

Não publicamos comentários que:
• Incluam quaisquer e-mails ou links;
• Mencionem outro estabelecimento que comercialize quadrinhos;
• Incluam ofensas e palavrões; fujam do tema em questão.

Atenção:
Os comentários aqui postados podem ser encaminhados para os editores que, eventualmente, poderão publicá-los nas revistas; caso não concorde com isso, explicite sua negativa no próprio comentário. Obrigado.