' '

16 de out de 2011

ZÉ CARIOCA #2364 e 2365 — out e nov/11

Por Rivaldo Ribeiro & E. Rodrigues

ZÉ CARIOCA de outubro tem uma curiosidade extra: a Abril convidou Carlos Mota para redesenhar a capa que ele mesmo havia feito para a edição de dez anos atrás (compare abaixo). A edição tem histórias de terror, adequadas ao mês de Halloween, mas também Morcego Vermelho (noutra hilária HQ clássica) e Comando Laser — assim como na edição de novembro, que destaca Nicanor, Corações Algemados (série Zé na TV) e Urtigão sendo espionado por Peninha para uma reportagem que prepara com Donald para A Patada.


OUTUBRO
ZÉ CARIOCA #2364
Começamos com Uma Noite de Assombrar, onde Rosinha conhece uma fantasma que só ela consegue ver e ouvir. Credo! Depois, no clima, Frankzéstein. Em seguida, Pateta e Mickey contra Dr. Estigma numa aventura da série Comando Laser: a cidade inteira de Patópolis desapareceu. O que poderá ter acontecido? E antes de encerrar com O Arremessador de Jacas, outra história excelente com o Morcego Vermelho, que precisará de muita inteligência e perspicácia para enfrentar O Explosivo Kid Namite ou seja, está perdido!

Roteiros e arte de feras como Eli Leon, Herrero, Arthur Faria Jr., Gérson Teixeira, Gustavo Machado, Ivan Saidenberg e Irineu Soares Rodrigues.

VISITANTES ILUSTRES
Seres vindos de planetas e galáxias bem distantes já visitaram nossos amigos, seja em missão de paz ou mesmo com o intuito de dominar nosso planeta, causando muita confusão na vila. Dentre vários contatos imediatos, destacamos alguns assustadores e outros bem hilários, todos na Vila Xurupita.

Em Paz, Amor e Disco Voador (de Renato Canini, ZÉ CARIOCA #1119, abr/73), a recém criada Vila Xurupita recebe pela primeira vez a visita de seres vindos do espaço. Zé e Nestor são abduzidos por extraterrestres e levados para o Planeta Pop, onde criaturas nada temíveis vivem no estilo paz e amor. A sorte é que eles também são obedientes, o que facilita a fuga e retorno de nossos amigos.

A segunda visita de seres assim não teve abdução. Foi até amistosa, tendo em vista a fama dos visitantes. O rei B-A-H e sua tripulação, que apareceram antes aterrorizando Patópolis em A Invasão de Morcegos Vermelhos (TIO PATINHAS #96, jul/73), voltam à Terra, mais precisamente na Vila Xurupita, na HQ Contatos Imediatos no Terceiro Degrau (ZÉ CARIOCA #1401, set/78). e Nestor ficam novamente frente a frente de seres interplanetários que só queriam cogumelos e acabam criando uma grande confusão na vila. Porém, os bichos os atinge com um raio do esquecimento e se vão embora, talvez com intuito de retornar... a HQ, como o título deixa entrever, faz menção ao blockbuster dirigido por Steven Spielberg Contatos Imediatos do Terceiro Grau, que estreara há poucos meses e levava multidões aos cinemas do mundo todo.

Os ETs Estratércio e Florismundo visitaram a Terra pela primeira vez em O Super-Super (ZÉ CARIOCA #499, mai/61), quando o papagaio ainda morava em Patópolis. Na trama, Zé é atingido acidentalmente por um raio que lhe confere incríveis poderes de super-herói que lhe permite inclusive voar e proteger dos criminosos a cidade. A dupla voltaria, agora visitando a Vila Xurupita, em Surge o Supergalo (ZÉ CARIOCA #1971, abr/93). Dessa vez, quem ganha super poderes é o chato do Zé Galo, mas isso é outra história...

A Arte do Descanso (ZÉ CARIOCA #1978, jul/93) mostra que a fama de preguiçoso de Zé Carioca atravessou as galáxias. ETs visitam o malandro e o levam para seu planeta para tomarem aulas de como descansar e como aprender a não fazer nada. Por fim, ele é tão bem sucedido nessa empreitada que se dá mal: como todos só querem descansar, todo o trabalho sobre para Zé — que foge de volta rapidinho.




NOVEMBRO
ZÉ CARIOCA #2365
Seis histórias compõem esta edição. Destaque para Corações Algemados, da série Zé na TV. Neste episódio, o papagaio entrevista um ladrão em seu programa.

Donald e Peninha estão novamente procurando encrenca, ou melhor, um tema para reportagem da Patada. Mas, de novo, vão até o sítio tentar entrevistar o velho Urtigão. O surpreendente é eles não serem recebidos a chumbo, como de costume, hm... Massa, Sô! foi indicada a melhor HQ no 16º Prêmio Abril de Jornalismo, 1991.

Além de mais HQs com a turma da Vila Xurupita, a edição ainda traz Comando Laser e o Prisioneiro do Futuro, e Morcego Vermelho numa Perseguição!

Roteiros e arte a cargo de Roberto Fukue, Arthur Faria Jr., Verci de Mello, Antonio de Lima, Aluir Amâncio, Júlio de Andrade Filho e Herrero. 

OS ALTER EGOS DO ZÉ
O Morcego Verde é o alter ego mais conhecido do papagaio. Fruto de sua admiração pelo Morcego Vermelho, surgiu em ZÉ CARIOCA #1217 (mar/75, por Canini). A partir dali, o herói trocou de uniforme algumas vezes e foi ganhando apetrechos. No final de 1994, porém, o Morcego Verde entrou numa nova fase onde até seu estilo mudou. Protagonizando as hoje cult O Cavaleiro das Dívidas e A Piada Sem Sal (entre outras paródias de HQs de Batman), ele ressurgiu mais implacável em suas perseguições a foras-da-lei e, bem, a seus detratores e cobradores!

Foi nas paródias, por sinal, que Zé Carioca viveu muitos momentos hilariantes. Na década de 1970, Ivan Saidenberg e Renato Canini produziram a HQ Zé das Selvas (ZÉ CARIOCA #1319, fev/77), retomando um personagem criado por Waldir Igayara de Souza e usado para gags de uma página, publicadas anos antes. Zé das Selvas foi muitas vezes confundido erronamente com Robinzé e Tarzé das Selvas.

Robinzé Crusoé, do final dos anos 1960, mostrou o papagaio abandonado numa ilha. Após encontrar um nativo, passa a agir como o próprio Robinson Crusoé, náufrago ilustre do romance homônimo de Daniel Defoe. Tarzé da Selva (ou das Selvas; uma sátira a Tarzan) surgiu em A Selva Endoidou (ZÉ CARIOCA #1994, mar/94). Na história, o papagaio contracena com figuras populares como Saci Pererê, Robin (parceiro de Batman), Lobão (dos Três Porquinhos) e Robinhúdi (paródia de Robin Hood).

Zé também teve seu momento Zorro em duas ocasiões. Em A Marca do Zé (ZÉ CARIOCA #1369, fev/78), vestiu-se de Zorro para um baile à fantasia e acabou enfrentando a Anacozeca. Já em Um Herói Tupiniquim (ZÉ CARIOCA #2165, out/00), El Zézorro, pra lá de estiloso, dá as caras em um único quadro da HQ de Zé das Selvas, porém com destaque.

Vestindo roupas de lata,  Zé Cariocop apareceu imitando o personagem de cinema Robocop em Problemas de Energia (ZÉ CARIOCA #2042, jan/96), mas tudo não passava de historinha para fazer seus sobrinhos dormir. Em Robozé (ZÉ CARIOCA #2000, jun/94), os cobradores da Anacozeca tiveram bastante dor de cabeça quando seu incrível robô-cobrador foi destruído pelo desconhecido Robozé, que usou de astúcia e de suas incalculáveis dívidas para fundir a máquina inimiga: Robozé determinou algo impossível ao robô-cobrador: que calculasse suas dívidas!



Editora Abril, revista mensal, ano LI, 52 páginas cor, formato 13,4 x 19 cm, R$ 2,95
Editor: Paulo Maffia
Indexação: Inducks


Um comentário:

  1. Puxa aprendi bastante sobre o Zé Carioca nessa postagem. Não sabia de certos detalhes e algumas coisas eu lembrava vagamente... Gozado como a memória da gente pode ser reativada. Nos anos 70 e 80 lia muito gibi Disney e TM. Mas a gente não tinha como saber de muita coisa, não havia internet... Hoje vivemos uma era privilegiada na informação, e as novas gerações às vezes nem se dão conta disso... Obrigado pela postagem completa... Abs. Paulo.

    ResponderExcluir

ANTES DE COMENTAR, POR FAVOR, LEIA:

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de quem os escreve e não refletem necessariamente a opinião do Planeta Gibi.

Não publicamos comentários que:
• Incluam quaisquer e-mails ou links;
• Mencionem outro estabelecimento que comercialize quadrinhos;
• Incluam ofensas e palavrões; fujam do tema em questão.

Atenção:
Os comentários aqui postados podem ser encaminhados para os editores que, eventualmente, poderão publicá-los nas revistas; caso não concorde com isso, explicite sua negativa no próprio comentário. Obrigado.