' '

30 de jun de 2011

DuckTales inédito fica para 2012

Por E. Rodrigues

ATUALIZAÇÃO: informação extra: ALMANAQUE DO TIO PATINHAS #4 (out/11) deve trazer uma seleção de HQs clássicas de DuckTales. Mais detalhes em breve.
Para garantir a publicação de arcos completos, a Abril decidiu iniciar a publicação das novas HQs de DuckTales somente no ano que vem. À sua disposição, a editora tem até o momento apenas os dois primeiros capítulos, de um total de quatro que fecham uma aventura completa. A precaução tem fundamento: a editora americana Boom!, que produz esse material, tem passado por reestruturação que, no limite, parece indicar o fim de todos seus títulos Disney.


Capa da esperada (por mais de um motivo) DUCKTALES #5 (set/11), por James Silvani


Depois de um início de impressionante vigor, com títulos aos borbotões de três linhas Disney, a clássica, a Pixar e os Muppets, com produção 100% inédita e exclusiva para essas duas últimas, e a aposta em quadrinhos inéditos para a série animada do Disney Afternoon DARKWING DUCK (cujo sucesso incentivaria a editora a investir também em RESCUE RANGERS e nos próprios DUCKTALES), vieram os seguidos maus sinais.

Primeiro, os volumes de quadrinhos clássicos com capa dura dedicados a Donald, Mickey e cia. foram todos cancelados. O mesmo fim tiveram os encadernados capa dura dos arcos produzidos pela Boom! e dos compilados por ela de materiais italiano e dinamarquês.

Depois, os títulos spinoffs WIZARDS OF MICKEY e ULTRAHEROES foram encerrados tão logo seus arcos iniciais se completaram (nas oitavas edições). DONALD DUCK amargava os piores números de vendas dentre as publicações Disney da editora, que resetara arriscadamente o título com a interminável saga do agente DonaldDuplo (interminável para um gibi mensal de 22 páginas, que fique claro), desconhecendo a receptividade dos leitores americanos para material que lhes fosse tão incomum. 

As oportunistas capas variantes (apesar de belíssimas) foram minguando, até ficarem restritas às edições iniciais e comemorativas.

Os títulos Pixar e suas minisséries foram escasseando até restar somente THE INCREDIBLES, que foi cancelada faltando um arco de quatro partes que concluísse a ideia da aventura originalmente concebida. Tudo para, imediatamente em seguida, a Disney comunicar que a licença havia sido passada para a Marvel (que publicaria uma espécie de revista mix da Disney-Pixar — com reedição das HQs há pouco lançadas pela Boom!).

Destino similar teve a linha Disney-Muppets, cujo último título foi cancelado quando novo arco já começava a ser produzido — restando, por ora, inédito e inacabado.

RESCUE RANGERS, o título de aventuras de Tico e Teco, está sendo encerrado agora, logo após a conclusão de seu segundo arco (#8).

O penúltimo golpe foi o sumiço dos títulos clássicos das listas de lançamentos previstos a partir de julho — falamos aqui das ultratradicionais WALT DISNEY'S COMICS AND STORIES, UNCLE SCROOGE, MICKEY MOUSE e DONALD DUCK.

Bem, e o que sobrou? O que podemos esperar de Disney pela Boom!, neste momento?

Até agora, a editora vem respeitando (com atrasos aqui e ali, não incomuns a ela, desde sempre) o calendário de lançamentos de encadernados, como os primeiros volumes prometidos das HQs de Don Rosa com Donald e de WDCS ARCHIVES.

DARKWING DUCK #15 está à venda nas comic shops. No #16 se encerra seu quarto arco. Das listas de lançamentos futuros, o título não consta. Suas assinaturas são vendidas somente para o pacote que vai, justamente, do #13 ao 16.

DUCKTALES, objeto primeiro deste nosso texto, acaba de ter seu #2 lançado (a edição de estreia se esgotou e promete-se reimpressão). Num suposto #5 (de setembro) começaria a previamente divulgada (para comic shops) aventura com a participação de Darkwing Duck. Essa edição, porém, não consta da página de DUCKTALES no site da editora.  

Um voto de desconfiança a Boom! merece por ter interrompido as vendas de assinatura de 12 números de DUCKTALES: tal assinatura começava necessariamente pela edição #1. Ora, a editora deve ter vendido algumas dessas assinaturas. Porque interrompê-la agora, se seu site continua informando que a edição inicial do pacote é a #1? No caso dos outros títulos, as assinaturas paravam de ser comercializadas tão logo a editora decidia cancelá-los — como constatávamos depois, claro.

Para uma micro editora, que passa por reestruturação com redução de staff e registra o histórico que resumimos aqui, incluindo a saga não finalizada de THE INCREDIBLES, o material inédito e inacabado de THE MUPPETS e a suspensão de venda de assinaturas... fácil concluir: prudente está sendo a Abril.

Veremos se a Marvel conseguirá fazer melhor, já que parece estar aí o futuro dos gibis tradicionais Disney nos EUA. A Boom! não se pronuncia sobre o destino dos quatro títulos clássicos. Mas, em seu fórum oficial respondeu prontamente com um seco "não!" à pergunta de um membro se DARKWING DUCK seria cancelado por causa dessa coisa com a Marvel.



Outra capa de DUCKTALES #5 divulgada pelo artista James Silvani em seu blog




Silvani também mostrou a capa da última (que se tem notícia por ora) edição de DARKWING DUCK, o #16

3 comentários:

  1. Triste isso, né? De qualquer forma eu ainda planejo ter os encadernados do Darwing Duck, Ducktales e Rescue Rangers completos.

    Mas convenhamos que o formato dos quadrinhos Disney nos EUA são uma frustação sem tamanho. Vide oq ue fizeram com Donald Duplo. Enquanto os italianos ficam com uma topolino de mais de 170 paginas semanais de quadrinhos, os EUA ficam com estas revistinhas mensais de 22 paginas. Aí não tem quem tenha saco.

    Ainda que os especiais encadernados americanos sejam belíssimos. As coleções de luxo valem a pena... mas a Boom não ia conseguir viver apenas disso.

    -----

    Agora voltando ao Brasil, independente do atraso, não faria mal algum a Abril pegar algumas pérolas inéditas do Ducktales feitas nos anos 90 e republicar no Tio Patinhas enquanto isso. Seria ótimo!

    ResponderExcluir
  2. Buááá...fazer o que né?

    O jeito é esperar;

    "Abril pegar algumas pérolas inéditas do Ducktales feitas nos anos 90 e republicar no Tio Patinhas enquanto isso. Seria ótimo!"

    ^Concordo muitissimo com a ideia do Thiago!;)

    ResponderExcluir
  3. HQs Disney para os norte-americanos se resume a dobradinha Barks/Rosa. A Boom! foi corajosa, porém ingênua ao superestimar a boa vontade de seus leitores para com hqs produzidas fora dos EUA. Êta povo marrento!

    ResponderExcluir

ANTES DE COMENTAR, POR FAVOR, LEIA:

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de quem os escreve e não refletem necessariamente a opinião do Planeta Gibi.

Não publicamos comentários que:
• Incluam quaisquer e-mails ou links;
• Mencionem outro estabelecimento que comercialize quadrinhos;
• Incluam ofensas e palavrões; fujam do tema em questão.

Atenção:
Os comentários aqui postados podem ser encaminhados para os editores que, eventualmente, poderão publicá-los nas revistas; caso não concorde com isso, explicite sua negativa no próprio comentário. Obrigado.