' '

13 de mar de 2011

Globo produz série animada do Sítio do Picapau Amarelo

Por E. Rodrigues

A Folha de S.Paulo revelou que a Globo Filmes e a produtora Mixer estão produzindo uma série animada baseada na obra de Monteiro Lobato. A primeira temporada terá 26 episódios de cerca de 11 minutos de duração cada um, com sinopses aprovadas pelos herdeiros do autor. A estreia será no ano que vem. As produtoras terão isenção de R$ 3 milhões por conta da Lei do Audiovisual. O custo total da temporada será de R$ 4 milhões. Além das diversas modalidades de merchandises, as parceiras têm os olhos no mercado internacional.


Numa casinha branca, lá no sítio do Picapau Amarelo, mora uma velha de mais de sessenta anos. Chama-se dona Benta. Quem passa pela estrada e a vê na varanda, de cestinha de costura ao colo e óculos de ouro na ponta do nariz, segue seu caminho pensando:

"Que tristeza viver assim tão sozinha neste deserto..."

Mas engana-se. Dona Benta é a mais feliz das vovós, porque vive em companhia da mais encantadora das netas — Lúcia, a menina do narizinho arrebitado, ou Narizinho como todos dizem.

Narizinho tem sete anos, é morena como jambo, gosta muito de pipoca e já sabe fazer uns bolinhos de polvilho bem gostosos.

Na casa ainda existem duas pessoas — Tia Nastácia, negra de estimação que carregou Lúcia em pequena, e Emília, uma boneca de pano bastante desajeitada de corpo. Emília foi feita por Tia Nastácia, com olhos de retrós preto e sobrancelhas tão lá em cima que é ver uma bruxa. Apesar disso Narizinho gosta muito dela; não almoça nem janta sem a ter ao lado, nem se deita sem primeiro acomodá-la numa redinha entre dois pés de cadeira.

Além da boneca, o outro encanto da menina é o ribeirão que passa pelos fundos do pomar. Suas águas, muito apressadinhas e mexeriqueiras, correm por entre pedras negras de limo, que Lúcia chama as “tias Nastácias do rio”.

Todas as tardes Lúcia toma a boneca e vai passear à beira d’água, onde se senta na raiz dum velho ingazeiro para dar farelo de pão aos lambaris. Não há peixe do rio que a não conheça; assim que ela aparece, todos acodem numa grande faminteza. Os mais miúdos chegam pertinho; os graúdos parece que desconfiam da boneca, pois ficam ressabiados, a espiar de longe. E nesse divertimento leva a menina horas, até que tia Nastácia apareça no portão do pomar e grite na sua voz sossegada:

— Narizinho, vovó está chamando!...


Assim começa Reinações de Narizinho, o livro que abre as porteiras do Sítio do Picapau Amarelo e é, seguramente, um dos melhores textos já escritos em português.

6 comentários:

  1. NoOoOossa!!! Parece que de alguma forma eu estava pressentindo o que estava por vir, isto porque esta semana fiz a primeira parte ( de duas) de um roteiro para a Turma da Monica intitulado "O Balão Mágico" e a intenção é justamente prestar uma homenagem a Monteiro colocando seus personagens para cantar e dançar aquela música que fala que vive sempre no mundo da lua para a turma da MSP.

    ResponderExcluir
  2. Já tinha visto esta notícia em outro site, mas não deixo de emocionar-me quando a leio de novo!
    Que legal! Os livros que eu tanto gosto, irão virar desenho animado!! É bom demais para ser verdade. :D

    ResponderExcluir
  3. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  4. Boa tarde! Desejo uma boa semana a todos e desejo também que esse trabalho preste, afinal, é difícil fazer algo bom de Monteiro Lobato. Lembro-me da última vez que a emissora resolveu repaginar o Sítio e ficou uma m****. Mas é só ter boa vontade que sai algo bom. Vamos ver...
    FabianoCaldeira.

    ResponderExcluir
  5. Não gostei do visual! [2]

    Pelo visto vai ser animação em flash. Tudo bem, acho que só o fato de estarem valorizando a obra de Lobato já é algo louvável, mas o visual poderia ser muuuuito melhor!

    ResponderExcluir

ANTES DE COMENTAR, POR FAVOR, LEIA:

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de quem os escreve e não refletem necessariamente a opinião do Planeta Gibi.

Não publicamos comentários que:
• Incluam quaisquer e-mails ou links;
• Mencionem outro estabelecimento que comercialize quadrinhos;
• Incluam ofensas e palavrões; fujam do tema em questão.

Atenção:
Os comentários aqui postados podem ser encaminhados para os editores que, eventualmente, poderão publicá-los nas revistas; caso não concorde com isso, explicite sua negativa no próprio comentário. Obrigado.