' '

19 de mai de 2015

65 Anos Bem Contados: 1950-1960

Por ocasião do aniversário dos 65 anos do gibi O PATO DONALD, que ocorre em meados de julho, e às vésperas dos 55 anos de ZÉ CARIOCA, o Planeta Gibi recupera, atualiza e amplia uma de suas séries de maior sucesso, 60 Anos Bem Contados

Publicada originalmente nos primeiros meses de 2011, os 14 posts contam um pouco da história das revistas em quadrinhos da Editora Abril a partir das propagandas publicadas nas páginas de PATO e (além de exibir um ou outro comercial curioso de produtos diversos). 

Uma 15ª e inédita postagem finalizará a série, atualizando as ocorrências desde então.




As ilustrações acima compuseram um folheto promocional do pré-lançamento de O PATO DONALD (cortesia do colecionador André Luiz Aurnheimer). Não temos informação de como, quando ou onde se deu sua distribuição. O texto, repare, diz que o lançamento do gibi será no dia 11 de julho. A Editora Abril, no entanto, registra como dia 12 a data oficial do lançamento


Anúncio do lançamento de O PATO DONALD publicado na Folha da Manhã (hoje, Folha de S.Paulo), em 13/jul/1950. No dia seguinte, a mesma peça sairia em O Estado de S.Paulo. Destaque para o texto pomposo: "Aprovada pelas autoridades educacionais e eclesiásticas!"


Este folheto acompanhou O PATO DONALD #14 (ago/1951). RAIO VERMELHO foi, por certo, a primeira revista publicada por Victor Civita, precedendo O PATO em dois meses. Mas a editora então se chamava Primavera. O PATO DONALD foi a primeira publicação sob a nova razão social. Este fato, associado ao sucesso da revista, faz com que o Grupo Abril a considere seu marco inaugural


 O especial DUMBO: um dos mais raros gibis Disney foi assim anunciado em O PATO DONALD #19 (jan/1952). Formato magazine, 20 x 28 cm


Na edição #20, de fev/1952, Donald informava que sua revista passaria a circular semanalmente. Na operação, o gibi perdeu 4 páginas e teve seu formato reduzido (de 20 x 28 para 13,4 x 20,7 cm). Até hoje, o jargão para este tamanho é exatamente "formato Pato". Também se deve a O PATO DONALD a inauguração do chamado "formatinho" (13,4 x 19 cm), em jan/1980, em sua edição #1470


MICKEY é anunciado em O PATO DONALD (#44, 9/set/1952). A enxurrada de propagandas desse lançamento daria um post inteiro. A primeira delas saiu no PATO #42


Outro teaser de MICKEY (O PATO DONALD #46, 23/set/1952)


Enfim, o gibi. Ué... cadê o Mickey? Só no título, mesmo, e numa ou outra ilustração (visto em O PATO DONALD #49, 14/out/1952)


Leitores se manifestam em O PATO DONALD #68 (24/fev/1953). Daí, podemos concluir que (1) nunca se consegue agradar a todos, (2) o editor teve que dar uma torcidinha nas palavras para dizer que o gibi só "diminuiu um pouquinho" (um pouquinho = formato reduzido pela metade!), e (3) o sr. Ventura foi um dos felizardos que pôs as mãos em um MICKEY #3, hoje um dos mais raros e caros gibis do Brasil


Na mesma edição, anúncio de MICKEY #6. Branca de Neve já havia sido publicada pela Ebal, seis anos antes , em SELEÇÕES COLORIDAS


O PATO DONALD #139, 6/jul/1954: palavras cruzadas enviadas por leitor e nomes sugeridos para o "Compadre Coelho", personagem folclórico americano mostrado no longa A Canção do Sul...


 ...que foi batizado, para as HQs Disney, de Quincas, conforme o resultado do concurso aqui publicado (O PATO DONALD #168, 25/jan/1955)


Reclames diversos... em O PATO DONALD #182 (3/mai/1955), um concurso e uma das diversas propagandas feitas para a cola Duco, da Dupont


"Guarde os palitos marcados do Pirulito Kibon ou dos envoltórios das balas, doces e chocolates Kibon". Certo... e os sorvetes, cadê?! Em O PATO DONALD #195 (2/ago/1955)


"Guaraná Brahma, preparado à base de genuíno guaraná de nossas selvas":
na mesma edição


"Limpa melhor e dura... dura... dura!" Quem usou, lembra: sim, essa escova de dentes era muito dura! Anúncio com ato falho publicado em O PATO DONALD #227 (13/mar/1956)


Todos conhecem a história da simples e genial solução encontrada para aumentar as vendas de creme dental: bastava aumentar o buraco do tubo e o desperdício estaria garantido. Acima, uma foto de Kolynos muito antes dessa espertinhagem! Em O PATO DONALD #363 (21/out/1958)


Hmm... vamos ver... se atualizado pelo índice IGP-DI da Fundação Getúlio Vargas, hoje esse tal bombeiro elétrico custaria R$ 136,90. A girafinha já sairia mais em conta, por apenas R$ 38,97 (mas, também, ela só mexia mesmo a cabeça e girava a cauda...) A própria edição #418 de O PATO DONALD em que esse anúncio foi publicado, em 10/nov/1959, custaria hoje míseros R$ 1,57. E O PATO #1, então? R$ 3,21


Coca-Cola, ou melhor, Cola Tudo Duco. Agora estrelado por Pluto. Também publicado em O PATO DONALD #418


Propaganda em O PATO DONALD #432 (16/fev/1960) que se revelaria enganosa: "Sim! Zé Carioca está de volta! Você poderá vê-lo tôdas as semanas nas páginas de O Pato Donald, a partir de março!" De fato, só houve três histórias (inéditas, por Jorge Kato) e uma capa (um Zé Fraude, no #446) desde mar/1960 até a estreia do gibi do papagaio, em jan/1961. No PATO #434 (1/mar) saiu A Volta de Zé Carioca. Na semana seguinte, Você Já Foi a Brasília? Depois disso, o papagaio só voltaria na edição #440 (12/abr), com Um Papagaio das Arábias. E só


 Anúncio genérico de MICKEY em O PATO DONALD #451 (28/jun/1960): naquele mês, "a revista das grandes aventuras disneyanas" estava em sua edição #92 e ainda tinha 52 páginas. Só passaria às suas clássicas 68 em dez/64


No rodapé da página 31 de O PATO DONALD #477 (de 27/dez/1960), o anúncio da chegada de ZÉ CARIOCA... veja mais na continuação desta série


Por E. Rodrigues & Rivaldo Ribeiro
Publicado originalmente em 3/jan/2011


9 comentários:

  1. Olá! muito bem pensada essa postagem. Parabéns! Há coisas realmente memoráveis!
    Abraços! Uma boa semana.

    FabianoCaldeira.

    ResponderExcluir
  2. Simplesmente incrível. Sem palavras. Parabéns pela postagem!

    ResponderExcluir
  3. Eu diria sensacional essas raridades,parabéns!:D

    Abraço,Xandro!;)

    ResponderExcluir
  4. Eu acho que sou um pouco saudosista, embora ache que o presente ainda é o melhor lugar para se estar. Gostei muito dessa postagem é a história dos quadrinhos Disney no Brasil. Abração até mais.

    ResponderExcluir
  5. O concurso para batizar o Amigo Coelho valeria uma postagem à parte. Lembro-me de uma vez (já faz uns 25 anos) que peguei todas as edições com sugestões publicadas e fiquei catalogando os nomes mais absurdos. É algo que eu gostaria de fazer de novo Não guardei minha lista, mas havia coisas como "Cão Raivoso" ou algo parecido. Na própria parcial acima, há um "Dentuça" que não tem nada a ver, já que o coelho é masculino.

    ResponderExcluir
  6. Pois é, Alexandre. Muitos desses assuntos valeriam uma postagem inteira. Os próprios anúncios de lançamento de MICKEY, como dito no texto, por exemplo. Aos poucos podemos ir fazendo isso.

    Abs.

    E. Rodrigues

    ResponderExcluir
  7. As "autoridades educacionais e eclesiásticas" aprovaram inclusive o Lobinho enchendo o Prático de porrada? :P

    ResponderExcluir
  8. E isso porque eles eram amigos!

    ResponderExcluir
  9. "As autoridades educacionais e eclesiásticas aprovaram inclusive o Lobinho enchendo o Prático de porrada?". Pois é Rogério, antigamente se viam muitas cenas com objetos e práticas "perigosas" nos quadrinhos. Hoje está melhor? Não. Vemos depravação, desrespeito com os mais velhos e bandidagem considerada como "cultura" e "evolução" nos dias de hoje. Os quadrinhos antigos eram muito criativos por terem uma tecnologia precária.

    ResponderExcluir

ANTES DE COMENTAR, POR FAVOR, LEIA:

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de quem os escreve e não refletem necessariamente a opinião do Planeta Gibi.

Não publicamos comentários que:
• Incluam quaisquer e-mails ou links;
• Mencionem outro estabelecimento que comercialize quadrinhos.
• Incluam ofensas e palavrões;

Atenção:
Os comentários aqui postados podem ser encaminhados para os editores que, eventualmente, poderão publicá-los nas revistas; caso não concorde com isso, explicite sua negativa no próprio comentário. Obrigado.