' '

1 de dez de 2010

Edição #400 de Uncle Scrooge — e outras belas capas

Por E. Rodrigues

Quando a Boom! Studios assumiu nos EUA a publicação dos quadrinhos Disney e anunciou as sagas italianas Mágicos de Mickey e Ultraheróis, muitos concordaram que para angariar novos leitores fazia-se bem apostar em material contemporâneo e deixar os clássicos descansarem um pouco. Pouco mais de dois anos depois, a editora decide rechear suas revistas de Barks, Rosa, Murry, Gottfredson... Isso, associado às alarmantes baixas vendas dos gibis Disney por lá, dá o que pensar. Em compensação, sobra bom gosto nas capas e conteúdo anunciados. Os americanos não sabem o que estão perdendo.





Uncle Scrooge #400 deve chegar em fevereiro, depois de 58 anos em circulação errática. A edição comemorativa, com o dobro de páginas e três capas diferentes, traz a HQ de Cavazzano que homenageia Carl Barks (recentemente editada por aqui, em Disney Big #5). Daan Jippes comparece com a continuação do clássico de Barks O Toque de Midas, Obsessão (no Brasil, publicada ano passado em Tio Patinhas #530). E a edição se completa com três gags de uma página de autoria de Barks, publicadas originalmente em Uncle Scrooge #1 (na verdade, Dell Four Colour #386, de mar/52) — vale registrar que essas páginas tivemos o prazer de acompanhar aqui em O Melhor da Disney #5 (out/04). A capa de Don Rosa é inédita nos EUA, a de Daan Jippes é exclusiva, e a ilustração da Deluxe Edition, abaixo, é de você-sabe-quem!





Donald Duck and Friends #363 vem com uma daquelas capas que não podem faltar em nenhuma coleção.  A ilustração de Don Rosa para a HQ O Mistério do Lago, de Barks, já foi capa de ao menos dois gibis americanos (diferentemente do que afirma o release da Boom! — o pessoal na editora não deve ser familiarizado com o Inducks). Essa história, a propósito, foi uma das 'vítimas' da fase Zé Fraude do gibi do papagaio (retocada por Jorge Kato).

Seguindo a linha 'Classics Are Back', em comemoração aos 70 anos de Walt Disney's Comics and Stories, o gibi de Donald traz ainda um remake de Daan Jippes (inédito no Brasil) para outra trama de Barks, Uma Aventura em Nada de Nada (a original saiu aqui em O Melhor da Disney #31).

Como se não bastasse, o brasileiro Carlos Mota, capista frequente de nossos tradicionais gibis, assina com Geoffrey Blum a dinamarquesa Saga of Captain Duckburg — uma HQ que faz referência (de novo) a Barks (no megaclássico Perdidos nos Andes). ATUALIZADO: esta HQ estará em Pato Donald #2390, de janeiro.



Uma capa variante traz uma pintura a óleo do Homem dos Patos, Slow Boat to Duckburg, diga-se de passagem, uma capa 'bem rara'. Já o remake desta obra de Barks foi publicada em vários países, no Brasil em Pato Donald #2038.


Já a própria homenageada, a Walt Disney's Comics and Stories, traz estampada na capa de sua edição #716  a ilustração de Don Rosa que vimos aqui em Mestres Disney #4. De recheio, Daan Jippes desenha o roteiro de Barks para Vida de Pato (vista aqui tanto em Pato Donald 70 Anos como em O Melhor da Disney #31), e Nem Só Com Sorte Se Cava A Vida, também do mestre dos mestres, que aqui saiu pela última vez em O Melhor da Disney #25.



Mickey Mouse and Friends #305 traz capa e história de Paul Murry, com roteiro de Carl Fallberg, O Caçador de Diamantes, que não saía nos EUA desde 1953 — e é publicada em uma só edição, lá, pela primeira vez. No Brasil, a HQ também é bem rara: saiu com layout remontado e somente duas vezes, a última em Disney Especial #23 (jun/76), quando o gibi tinha 260 páginas. Quando ganhou reedição, oito anos depois, a revista tinha 'só' 228 páginas, e O Caçador de Diamantes foi eliminada.


Outras capas de gibis Disney, pela Boom!, para fevereiro:


Chip 'N' Dale Rescue Rangers #01 Retailer Exclusive Cover






Capa variante de Darkwing Duck #8, de janeiro, que ainda não havíamos postado aqui




Em fevereiro, novo arco se inicia, também a cargo de Ian Brill e James Silvani

3 comentários:

  1. É sempre assim: Quando a novidade espanta a freguesia, o jeito é voltar para a tradição. E volta-se a dar destaque aos já muito e justamente destacados Carl Barks e Don Rosa. 'Disney Hero's Squad' e 'Wizards of Mickey' são duas boas e longas sagas e talves os leitores Disney americanos não estejam acostumados com histórias sequenciais. Bem, o estilo italiano de fazer hqs disney é único, assim como foi o brasileiro, e talvez não consiga agradar muito os leitores americanos. Latinos e anglo-saxões nem sempre acham graça nas mesmas coisas, né?

    ResponderExcluir
  2. Lembremos que a Gemstone publicava HQs europeias (em grande parte) em Mickey e Donald, e deixava para Uncle Scrooge e WDCS os clássicos. Pois MM e DD foram os primeiros a serem cancelados, a despeito de custarem muito menos do que os outros, que duraram mais alguns anos.

    A Boom! já começou com grandes sagas italianas e HQs longas dinamarquesas. De início, um sucesso. Destinou aos clássicos edições especiais em capa dura. Foram as primeiras a ser canceladas. Agora, os clássicos voltam aos gibis de linha.

    Resumindo: como deve ser difícil ser editor! Não tenho o menor ideia de como funcionaria melhor ou pior.

    ResponderExcluir
  3. [A Boom! já começou com grandes sagas italianas e HQs longas dinamarquesas. De início, um sucesso. Destinou aos clássicos edições especiais em capa dura. Foram as primeiras a ser canceladas. Agora, os clássicos voltam aos gibis de linha.]

    É, realmente você está certo. Não existe uma lógica no comportamento dos leitores de hqs Disney. A DC e a Marvel, embora com vendas pífias nos EUA, ainda conseguem vendas razoáveis, mas a debandada de leitores dos hqs Disney por lá tem só aumentado, mesmo com o primoroso trabalho que vem sendo desenvolvido pela BOOM! com estas hqs.

    ResponderExcluir

ANTES DE COMENTAR, POR FAVOR, LEIA:

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de quem os escreve e não refletem necessariamente a opinião do Planeta Gibi.

Não publicamos comentários que:
• Incluam quaisquer e-mails ou links;
• Mencionem outro estabelecimento que comercialize quadrinhos;
• Incluam ofensas e palavrões; fujam do tema em questão.

Atenção:
Os comentários aqui postados podem ser encaminhados para os editores que, eventualmente, poderão publicá-los nas revistas; caso não concorde com isso, explicite sua negativa no próprio comentário. Obrigado.