' '

28 de dez de 2010

Cebolinha 50 Anos, o álbum

Por E. Rodrigues

O livro Cebolinha 50 Anos, lançado na última semana pela Panini, forma um belo par com a edição especial do cinquentenário de Bidu, lançada em 2009. Seguem o mesmo padrão lombada, contracapa, quantidade de páginas, formato e conteúdo. As diferenças: Cebolinha traz uma breve, porém representativa, galeria de capas e curiosidades. O papel também é melhor. Em compensação, nada de fac-símile do gibi de estreia, como ocorreu com Bidu. Seria compreensível (Cebolinha #1 foi reeditado em 2007 dentro da Coleção Histórica) se não fosse o preço: 40% maior agora. Ainda assim, vale muito a pena. 



Capa e contracapa de Cebolinha 50 Anos:
Panini — 164 páginas — formato álbum — capa dura — R$ 56,00



Capas históricas: difícil engolir que a capa de estreia na Globo tenha sido pensada para reiniciar a série... Assim como a Mônica #1 da Globo, ambas provavelmente teriam sido as mesmas se a Abril tivesse renovado o contrato de Mauricio...




...Diferentemente de Cebolinha #1 da Panini (e, de resto, de todas as demais edições de estreia na editora italiana): um capricho evidente

Já a capa do primeiro almanaque pela Abril é histórica. Das outras editoras, não.

A série As Melhores Piadas, da Abril, não só superou a quantidade de edições inicialmente prometidas pela editora como continuou quando da mudança para a Globo.

Já o livro As Melhores Tiras, da Globo, é colorido —diferentemente de outras coleções no estilo— e já raríssimo (a série também tem volumes dedicados a Mônica e Cascão).

Gibizinho começou com quatro edições por mês, cada uma com um personagem diferente, e com numeração intercalada com títulos de outras produtoras (Chaves, Chapolim, Xuxa, A Turma do Arrepio, Leandro & Leonardo, Paquitas e Sergio Mallandro —sim, é isso mesmo que você está lendo!). Pouco mais de um ano depois, na edição #27, passou a se chamar apenas Gibizinho da Mônica (#27 é o que veio na capa; na verdade, já se estava na edição #69 —qualquer dia desses explicamos melhor).



Raridade absoluta: imagem da capa da Folhinha de S.Paulo #1, do início da década de 1960. A capa mostrada de Bidu, com Cebolinha levado por balões de gás, é da edição #5. Cebolinha também esteve na capa do #6 e na de Almanaque de Zaz Traz (todas do final dos anos 1950 e início de 60, da Editora Continental)





Bom apanhado: partindo das HQs clássicas, passando pelo traço contemporâneo e chegando à HQ inédita, em estilo mangá: esquema similar ao visto em Bidu 50 Anos


Leia mais sobre os 50 anos de Cebolinha e veja mais capas clássicas (inclusive as aqui citadas, da Editora Continental) clicando aqui

6 comentários:

  1. Legal...tenho que ter um desse,hehe!!:D

    ResponderExcluir
  2. Tenho uma dúvida: esse formato álbum é de que tamanho em cm, exatamente?

    ResponderExcluir
  3. Cebolinha 50 anos mede 19,5 x 28 cm.

    Abração.

    ResponderExcluir
  4. Enfim...conseguir o meu!:p

    Uma maravilha!Abçs!;)

    ResponderExcluir
  5. Alguem sabe algum site que ainda venda esse livro?

    ResponderExcluir

ANTES DE COMENTAR, POR FAVOR, LEIA:

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de quem os escreve e não refletem necessariamente a opinião do Planeta Gibi.

Não publicamos comentários que:
• Incluam quaisquer e-mails ou links;
• Mencionem outro estabelecimento que comercialize quadrinhos;
• Incluam ofensas e palavrões; fujam do tema em questão.

Atenção:
Os comentários aqui postados podem ser encaminhados para os editores que, eventualmente, poderão publicá-los nas revistas; caso não concorde com isso, explicite sua negativa no próprio comentário. Obrigado.