' '

16 de set de 2010

Vendas decepcionantes da Disney nos EUA

Por E. Rodrigues

Basta um passar de olhos pela lista dos 300 gibis mais vendidos nos EUA e logo se entende o motivo dos cancelamentos promovidos pela Boom!, de Disney Hero Squad a Wizards of Mickey, e pelo fim das capas múltiplas: baixas vendas. Uncle Scrooge, por exemplo, estreou pela editora novata com o dobro de sua vendagem atual, estimada em apenas 3,6 mil cópias pela distribuidora Diamond. Devemos dizer aqui que os números não refletem a excelente qualidade das revistas, com algumas capas exclusivas e seleção interessante de HQs.


Abaixo, lista dos gibis Disney publicados pela Boom! entre os 300 mais vendidos. O propalado sucesso de Darkwing Duck, como se constata, só se sustenta se comparado por baixo. E indica o porquê da editora apostar em outro sucesso do Disney Afternoon, Rescue Rangers, e de encher Uncle Scrooge com HQs de DuckTales (também do popular  programa de tv americano dos anos 1990).

208 DARKWING DUCK #3 $3.99 BOO 6,355 copies
257 INCREDIBLES #12 $2.99 BOO 4,240 copies
269 MUPPET SHOW #9 $2.99 BOO 3,699 copies
270 UNCLE SCROOGE #394 $2.99 BOO 3,610 copies
279 TOY STORY #5 $2.99 BOO 3,397 copies
281 WALT DISNEYS COMICS & STORIES #709 $2.99 BOO 3,224 copies
282 CARS ADVENTURES OF TOW MATER #1 $2.99 BOO 3,208 copies
289 DONALD DUCK AND FRIENDS #357 $2.99 BOO 3,055 copies



Na lista das 300 graphic novels, números impressionantes (no mau sentido, infelizmente). Não à-toa, as edições em capa dura foram todas canceladas. Para este ano não há previsão de lançamento sequer do tradicional especial de Natal.

128 UNCLE SCROOGE AROUND THE WORLD IN 80 BUCKS TP $9.99 BOO 740 copies
139 MUPPET SHOW TP VOL 04 FAMILY REUNION $9.99 BOO 656 copies
158 WALL-E TP VOL 02 OUT THERE $9.99 BOO 590 copies

Para efeito de comparação, na lista de gibis mais vendidos a primeira posição é ocupada em agosto por Brightest Day #7, da DC Comics, com 93,5 cópias estimadas. Scooby-Doo! aparece em 262º lugar, com pouco mais de 4 mil exemplares.

De um modo geral, as vendas americanas de agosto estão entre as mais baixas de todos os tempos. Parte do fracasso atribuiu-se ao aumento de preço, de 2,99 para 3,99 dólares. O assunto vem sendo discutido nos blogs e sites americanos especializados em quadrinhos.

13 comentários:

  1. Sem comentários....
    Abaixem o preço e venderão mais.

    FabianoCaldeira.

    ResponderExcluir
  2. Lamentável...

    Infelizmente estas coisas acontecem.

    Aliás, se Abril publicasse edições em capa dura no Brasil, estas provavelmente não venderiam também, nem se fosses edições restritas a livrarias, creio eu...

    Acho que o único lugar do mundo onde Disney nestes moldes vende bem é na região Nórdica (Itália também?), principalmente na Noruega...


    Abçs.


    Matheu$

    ResponderExcluir
  3. Será, Matheus? Acho tão difícil adivinhar o que vende ou não. Sei que Disney Big é o único (ou um dos pouquíssimos) que tem vendas ascendentes no Brasil. Eu acho (só acho) que a Abril simplesmente não trabalha com essas tiragens baixíssimas. Qual será a tiragem de um Evangelho Segundo Lobo, por exemplo?

    ResponderExcluir
  4. Isso é culpa da própria Disney que não promove os personagens e aventuras dos quadrinhos em outros meios de entretenimento. Enquanto a turma de Patópolis não ganhar um desenho animado na TV para que a nova geração os conheça, os quadrinhos nos EUA e até no Brasil não vão emplacar.

    É claro que Scooby-Doo vende mais, a warner não para de produzir a série animada já faz mais de 30 anos!!

    A Disney precisa acordar e ver que o mundo dos quadrinhos da disney, precisa migrar para outros mídias... porra eles tem canais e estudios proprios, o que custa produzir uma série animada, assim como foi com ducktales na década de 90?... tem tanta porcaria que o canal produz, que uma animação assim, dificilmente seria um fracaso.

    ResponderExcluir
  5. Vale ressaltar que antes da Disney entrar pela BOOM, dificilmente se via um título Disney nesta lista das 300... de vez em quando aparecia Uncle Scrooge... e o preço das revistas era de U$ 7,99...

    ResponderExcluir
  6. Eu também acho que a Abril não trabalha com tiragens baixas...

    Na Dinamarca, por exemplo, eles só tem 5 milhões e meio de habitantes, a metade do número de habitantes de São Paulo capital, e a tiragem de algumas edições são baixíssimas, em função do número de habitantes, mas as revistas de lá vendem muito bem...

    Tanto que uma vez, um amigo dinamarquês me falou que "todo dinamarquês ou já leu, lê, ou lerá Disney um dia", ou seja, lá, o apelo é grnade, e aqui no Brasil nem tanto...

    Aliás, esses dias venho trocando alguns emails com o Don Rosa, e ele disse que ficaria encantado em vir ao Brasil, se fosse convidado por algum festival de quadrinhos. Infelizmente, aqui não há nenhum que tenha um foco maior em Disney, e se tivesse, talvez não atraísse tanta gente, apenas se a Abril fizesse muuuita propaganda! Pena que ele disse que viria para cá, mas não queria nada com a Abril apenas a chance de criticá-los publicamente.

    Puxa, quanta coisa!

    Abçs.


    Matheu$

    ResponderExcluir
  7. Claudio, acho que a Boom errou ao trazer essas sagas intermináveis para as revistas mensais. Imagine... Donald Duplo contado em 1 ano... Fiasco absoluto garantido. Tanto que no retorno de Mickey Mouse, por exemplo, ela já vai começar a contar histórias em apenas 2 partes (assim como em US, DD e WDCS).

    ResponderExcluir
  8. O comentário do Thiago faz sentido...Afinal de contas, a propaganda não é a alma do negócio? Lembro de quando menino, até na revista Veja saía anúncio de gibis.E o lançamento da revista da Margarida mereceu até nota nesta revista, inclusive com propagenda nas rádios! Hoje em dia,então, com a internet,o retorno com certeza seria muito bom. Acorda Disney e Abril!!

    ResponderExcluir
  9. Não por acaso que Veja traz anúncio de Clássicos da Literatura Disney praticamente toda semana. Às vezes dois anúncios na mesma revista, e também na Veja São Paulo.

    ResponderExcluir
  10. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  11. Fiquei muito triste com a notícia de que a 'Boom' não tem conseguido reerguer os personagens Disney nos EUA, especialmente porque esta editora tem executado um brilhante trabalho com estes personagens por lá. Concordo totalmente que os personagens de 'Patópolis' precisam urgentemente ser promovidos fora das hqs. Sempre sonhei em ver, e não estou brincando ou fazendo média, Donald, Patinhas e seus familiares, amigos e inimigos estrelarem uma série animada. Ok, "Ducktales" foi uma série televisiva dedicada aos 'patos', mas não era exatamente focada na Família Pato.

    ResponderExcluir
  12. Seria um caminho correto (Mauricio de Sousa está sempre trabalhando nessa linha). Mas a Disney tem interesse em investir em algo que promova quadrinhos? Quando Lasseter assumiu a direção de animação de toda a Disney, quando da compra da Pixar, decidiu que voltariam a ser produzidos os curtas animados com personagens clássicos, para exibição nos cinemas. Pois depois de Pateta e Como Montar seu Home Theater (que é excelente), cadê o resto? Lá se foram quase três intermináveis anos e nada.

    ResponderExcluir
  13. Qual seria o motivo da falta de estímulo do Sr. Lasseter que o fez desistir de continuar a fazer curtas com a Turma de Patópolis? Será que o mundo anda cínico demais para que se aprecie uma antiga família de patos ou um ratinho certinho e sua namorada igualmente certinha?

    ResponderExcluir

ANTES DE COMENTAR, POR FAVOR, LEIA:

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de quem os escreve e não refletem necessariamente a opinião do Planeta Gibi.

Não publicamos comentários que:
• Incluam quaisquer e-mails ou links;
• Mencionem outro estabelecimento que comercialize quadrinhos;
• Incluam ofensas e palavrões; fujam do tema em questão.

Atenção:
Os comentários aqui postados podem ser encaminhados para os editores que, eventualmente, poderão publicá-los nas revistas; caso não concorde com isso, explicite sua negativa no próprio comentário. Obrigado.