' '

2 de ago de 2010

Nietzche em quadrinhos: Assim Falava Zaratustra

Por E. Rodrigues

A Devir tem mais um lançamento destinado ao público adulto. Em Assim Falava Zaratustra — Dos Céus aos Quadrinhos, a paulistana Thaís dos Anjos adapta a obra clássica de Nietzsche para os quadrinhos. Tarefa espinhosa, dado o caráter controverso e complexo dos textos do filósofo, de crítica à moral judaico-cristã — e não recomendados, desde logo, àqueles que temem abalos em sua fé. A conferir. Prefácio de Luiz Gê.


Assim Falava Zaratustra — Dos Céus aos Quadrinhos
Adaptação de texto e arte de Thaís dos Anjos
Devir — 112 páginas coloridas em couché — formato magazine 21 x 28 xm
capa cartonada com orelhas — R$ 49,90

Press release:

Assim Falava Zaratustra — Dos Céus aos Quadrinhos é uma adaptação da obra clássica do filósofo alemão Friedrich Wilhelm Nietzsche para a história em quadrinhos, onde o protagonista da história, Zaratustra, cria forma, apresentando ao leitor suas principais características psicológicas e seu maior propósito - o de transmitir a verdade e anunciar a vinda do Super Homem.

Após viver 30 anos isolado e meditando no topo das montanhas, Zaratustra desce ao encontro dos homens para anunciar-lhes a verdade. O que resultará grandes frustrações ao longo de seu percurso, como a não aceitação da sociedade, e tomá-lo como um doidivanas, insano e com forte traços de messianismo. Fazendo com que a cada obstáculo encontrado, ele reavaliasse sua persuasão ou método de aproximação.

O texto trata de questões extremamente atuais, com a discussão sobre existência de um ser superior e os limites do conhecimento humano.

Trecho do prefácio de Luiz Gê para a obra (em negrito, citações de Nietzsche):

O Zaratustra, versão Thaís dos Anjos, vem se posicionar em um outro nível ao ultrapassar o caráter esquemático e necessariamente assaz fragmentado desses manuais. Ela o interpreta expressivamente e não meramente através de um discurso verbal racionalizado. Sua intenção não é realizar um manual, mas checar a possibilidade de tradução do discurso original para o formato narrativo verbo-visual dos quadrinhos. Escreve com sangue e aprenderás que sangue é espírito. Na sua interpretação gráfica, mistura nanquim e café... porque a transfusão de sangue da madrugada, às vezes, é com café, 'não é fácil reconhecer o sangue alheio', que neste caso, ora percorre as veias da artista, ora as do desenho, num mesmo sistema circulatório. Posso estar enganado, mas achei muito bom lê-lo me emocionando. Será que nada é impossível na mulher?

Sobre a autora:

Designer, ilustradora, paulistana. Thaís dos Anjos nasceu em 1985 e sempre adorou contar casos e histórias, motivo este que a fez querer expressar-se no canto, na dança, na arte... Thaís tem alma inquieta e sempre busca novos desafios e possibilidades. O que a torna livre para experimentar e migrar de uma linguagem para outra, de maneira sutil e inovadora com muita personalidade e humor.

Formada em Desenho Industrial, pela Universidade Presbiteriana Mackenzie, trabalhou nas áreas de moda, cenografia e artes plásticas. É designer da revista Playboy desde de 2006, onde apaixonou-se por fotografia e design editorial.

Sempre fã e admiradora de histórias em quadrinhos, foi no período da faculdade que despertou e realizou seus primeiros traços em HQ. O que leva até hoje como fonte de plena diversão e inspiração.

2 comentários:

  1. Interessante, mas cadê a capa da revista Star Wars # 19, já que a revista já se encontra em todas as bancas ?

    Banzé

    ResponderExcluir
  2. Banzé, tá bem aqui em cima, olha.

    ResponderExcluir

ANTES DE COMENTAR, POR FAVOR, LEIA:

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de quem os escreve e não refletem necessariamente a opinião do Planeta Gibi.

Não publicamos comentários que:
• Incluam quaisquer e-mails ou links;
• Mencionem outro estabelecimento que comercialize quadrinhos;
• Incluam ofensas e palavrões; fujam do tema em questão.

Atenção:
Os comentários aqui postados podem ser encaminhados para os editores que, eventualmente, poderão publicá-los nas revistas; caso não concorde com isso, explicite sua negativa no próprio comentário. Obrigado.