' '

13 de ago de 2010

Exposição 60 Anos da Revista Pato Donald começa neste domingo

Por José Rivaldo Ribeiro

Com palestras de Raphael Montero (sobre arte sequencial) e de Paulo Maffia (Carl Barks e Quadrinhos Disney), começa neste domingo a exposição 60 Anos da Revista Pato Donald, na Gibiteca da Biblioteca Nair Lacerda, no centro de Santo André (Grande SP). O programa inclui estande da Editora Abril, exposição de revistas do colecionador Adriano Rainho, workshop com Paulo Mansur, mesa de RPG, quiz, cineclube, feira de trocas, espaço infantil e mais (vide programação completa a seguir). Estaremos lá!


Pato Donald #1472 (25/jan/80): a segunda edição em formatinho, com capa dobrável


Press release:

Gibiteca de Santo André comemora 60 anos da revista Pato Donald no Brasil
Abertura terá palestra de Paulo Maffia, da Editora Abril


Ele sabe ser folgado, esquentado e azarado, mas conquistou corações de fãs em todo o mundo. Em 2010, completam-se seis décadas da chegada do gibi Pato Donald ao Brasil e, para deleite dos aficcionados, a Gibiteca de Santo André preparou uma mostra com a retrospectiva do personagem.


O gibi do pato que só usa roupa de marinheiro é a revista em quadrinhos de maior longevidade ainda em publicação no país. A primeira edição saiu em 12 de julho de 1950.


Para comemorar a data, a exposição 60 Anos da Revista Pato Donald será aberta neste domingo (15) e poderá ser visitada até o dia 30 de outubro com entrada gratuita. A mostra, realizada com apoio da Editora Abril — Núcleo Abril Jovem, terá revistas relacionadas ao personagem pertencentes ao acervo da Gibiteca, além de material do colecionador andreense Adriano Rodrigues Rainho.


A abertura, que será realizada no Saguão do Teatro Municipal de Santo André, conta com programação imperdível durante todo o dia. As atividades começam às 9h com a sessão Cineclube: Cronologia do Donald. Às 10h haverá a palestra História da Arte Sequencial, com Raphael Montero. Em seguida será feita a primeira mesa de RPG (role-playing game ou jogo de interpretação de personagens) e um quiz (jogo de perguntas e respostas).


Às 14h, Paulo Maffia, jornalista responsável pela seleção, pesquisa e edição das revistas em quadrinhos Disney no Brasil, ministrará a palestra Carl Barks e Quadrinhos Disney. Finalizando as atividades, haverá a segunda mesa de RPG, outra sessão do Cineclube e um workshop de desenho com Paulo Mansur.


Durante todo o dia os participantes poderão visitar estandes da Editora Abril, feira de troca de revistas em quadrinhos e o Espaço Infantil, com pintura de desenhos, jogos e contação de histórias.



#1468 (28/dez/79): a última com 32 páginas e capa em papel jornal.
Também a última em Formato Pato e a última O Pato Donald.


Histórico

Pato Donald foi a primeira publicação da Editora Abril e é uma das revistas mais antigas em circulação contínua no Brasil. Os primeiros 21 números saíram em formato magazine. A partir do nº 22, passou para o formato 13,5 X 21 cm, então exclusivo (e que ficou conhecido como 'FP', ou 'Formato Pato', depois adotado por diversas editoras).


Em janeiro de 1961, passou a dividir sua numeração com a então lançada Zé Carioca. A partir daí, Pato e revezavam-se todas as semanas nas bancas, com Pato Donald ficando com a numeração par e Zé Carioca, com a ímpar. Na edição nº 1470, outro marco: a revista ganhou uma capa em papel couché e teve seu formato reduzido em dois centímetros, inaugurando o logo popular 'formatinho', depois copiado por quase todas as demais publicações de quadrinhos, inclusive das demais editoras.


Em junho de 1985, no nº 1751, a revista voltou a ter numeração independente. Em julho deste ano, nos 60 anos da revista, chegou às bancas sua 1748ª edição (na capa, nº 2384). (Fonte: Planeta Gibi.)


#1470 (11/jan/80): inauguração do formatinho nos quadrinhos.
E, sim, funcionava: bastava passar um ferro na capa para estampar a camiseta!


Gibiteca

Desde 2001, a Biblioteca Nair Lacerda, da Prefeitura de Santo André, mantém sua Gibiteca, um espaço voltado exclusivamente aos quadrinhos e temas afins disponibilizados para leitura e lazer do público em geral. Conta com acervo de aproximadamente 15 mil exemplares entre revistas em quadrinhos, livros, revistas, fanzines e jornais.

Além disso, seu espaço, que recebe mensalmente cerca de 600 visitantes, é dedicado a palestras, workshops, exposições e encontros de fãs. Também oferece oficinas permanentes de HQ, desenho e ilustração e fanzines.

Programação da abertura da exposição:
9h – Abertura e Cineclube: Cronologia do Donald
10h – Palestra História da arte sequencial, com Raphael Montero
11h – Mesa de RPG e quiz
14h – Palestra Carl Barks e quadrinhos Disney, com Paulo Maffia (Editora Abril) e mesa de RPG
15h – Cineclube: Cronologia do Donald e workshop de desenho com Paulo Mansur.

Durante todo o dia:
- Estandes da Editora Abril
- Feira de troca de revistas em quadrinhos
- Espaço infantil (pintura de desenhos, jogos, contação de histórias)


O Pato Donald #1 original, de 12/jul/50:
O mais antigo gibi em circulação no Brasil


SERVIÇO:

Exposição 60 Anos da Revista Pato Donald
Abertura: dia 15, às 9h.
Local: Saguão do Teatro Municipal de Santo André (Praça IV Centenário, s/nº – Centro – Santo André).
Visitação: até 30 de outubro de 2010, de segunda a sexta-feira das 8h às 18h e sábados das 8h às 12h.
Local: Gibiteca da Biblioteca Nair Lacerda (Praça IV Centenário, s/nº – Centro – Santo André).
Informações: (11) 4433-0763.

Entrada gratuita.

3 comentários:

  1. Legal a materia..e vivas para o gibi do Pato Donald!!\O/

    ResponderExcluir
  2. Opa..vou estar lá com certeza \o/

    ResponderExcluir
  3. Puxa, seria tão bom se a exposição viesse para a Bahia também!

    P.S.: Eu tenho a revistinha #1468! Não sabia que era a última em formato pato... raridade! =D

    ResponderExcluir

ANTES DE COMENTAR, POR FAVOR, LEIA:

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de quem os escreve e não refletem necessariamente a opinião do Planeta Gibi.

Não publicamos comentários que:
• Incluam quaisquer e-mails ou links;
• Mencionem outro estabelecimento que comercialize quadrinhos;
• Incluam ofensas e palavrões; fujam do tema em questão.

Atenção:
Os comentários aqui postados podem ser encaminhados para os editores que, eventualmente, poderão publicá-los nas revistas; caso não concorde com isso, explicite sua negativa no próprio comentário. Obrigado.