' '

11 de abr de 2010

Tio Patinhas #537 — abr/10

Por E. Rodrigues & José Rivaldo Ribeiro

A revista do Tio Patinhas deste mês está simplesmente imperdível, a começar pelo clássico do mestre dos patos italiano Romano Scarpa, desenhada em 1966 e inédita no Brasil — por sinal, essa aventura foi publicada até nos EUA, em Uncle Scrooge #373 (jan/08).

Mas, que nos perdoe Scarpa e seu traço peculiar, a segunda HQ do gibi rouba a cena, afinal, não é todo dia que podemos apreciar Superpato vs Morcego Vermelho numa trama inédita e hilariante. Coincidência ou não, recentemente em Disney Big #2 tivemos o trapalhão Morcego vivendo aventura semelhante, em Superpateta X Morcego Vermelho, produzida no Brasil em 1984.

Tio Patinhas #537
84 páginas — formatinho 13,4 X 19 cm — R$ 4,95


Recruta Por Acaso
Roteiro: Rodolfo Cimino. Desenhos: Romano Scarpa. Arte-final: Giorgio Cavazzano.

Ótima referência para quem curte tramas envolvendo a família Mac Patinhas. O velho muquirana descobre ser herdeiro de um de seus antepassados e voa para a Escócia para receber a herança. Ao chegar lá, descobre que só porá as mãos no tesouro se apresentar um documento — que foi destruído há muitos anos no velho Klondike. Nesta fabulosa trama, o velho quaquilionário, menos muquirana do que o habitual, mostra que ainda tem muito vigor e dá uma bela lição àqueles que desistem de seus objetivos no primeiro obstáculo.


Superpato vs Morcego Vermelho
Roteiro: Riccardo Pesce. Desenhos: Emilio Urbano.

Ainda que com traços e cores algo diferentes do "nosso Morcego", esta versão italiana segue os mesmo padrões de confusões das HQs produzidas por aqui. Atrapalhado, mas com sua eterna sede de justiça, o Morcego Vermelho precisa deter um renegado fabricante de brinquedos que usa de astúcia e maldade para destruir um lote de produtos há muito aguardados com ansiedade pelas crianças patopolenses. Entrementes, um outro herói bem mais intrépido tem a mesma ideia. Começa então uma sucessão de trapalhadas envolvendo os dois defenssores mascarados. Quem levará a melhor e o mérito?


A Colherada do Patota
Roteiro: Riccardo Secchi. Desenhos: Stefano Turconi. 

A turma de Patópolis, ainda criança, vai participar de uma partida de futebol patrocinada por Tio Patinhas, que aliás deu seu nome ao time. O principal craque, e destaque da HQ, é um garoto chamado Patota (veja-o também em Mickey #811). Mas seu passe vira alvo de disputa entre os arquirrivais Patinhas e Patacôncio que, claro, só querem tirar proveito financeiro do talento do garoto.

Em tempo: parabéns aos tradutores desta HQ, que foram brilhantes ao transpor para o português as piadas e charadas contadas por Patota (das quais só ele acha graça, a propósito). A tradução literal do italiano ficaria totalmente sem sentido em nosso idioma. Muito criativos.

Histórias:
I AT 120-A, 20 páginas, publicada primeiro em Almanacco Topolino #120, dez/66, Itália.

I PKC 54-1, 21 páginas, publicada primeiro em Paperinik Cult #54, out/09, Itália.

I TL2721-1, 35 páginas, publicada primeiro em Topolino #2721, 22/jan/08, Itália.

Capa:
Arte de Marco Rota. Publicada originalmente em Donald Duck & Co. #2009-32, 6/ago/09, Noruega.

Fonte de indexação: Inducks. Imagem adicional: Outducks.


E em maio...



Clique aqui para comprar Tio Patinhas #537 em nossa loja virtual, o Planeta Gibi Comic Shop. Ou clique aqui para comprar o Kit Disney, com os 4 gibis deste mês.

3 comentários:

  1. Desta edição de Tio Patinhas de abril só a primeira história é legal. As demais tem um desenho muito moderno,muito ruim pra ler. E a história do Donald menino não tá com nada!

    ResponderExcluir
  2. O gibi é legal e vale a pena, mas, também não gostei dessa história da turma criança. Estilizada demais, e fora do padrão Disney.

    ResponderExcluir
  3. Só uma palavra: Imperdivel!
    Adorei o gibi.

    ResponderExcluir

ANTES DE COMENTAR, POR FAVOR, LEIA:

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de quem os escreve e não refletem necessariamente a opinião do Planeta Gibi.

Não publicamos comentários que:
• Incluam quaisquer e-mails ou links;
• Mencionem outro estabelecimento que comercialize quadrinhos;
• Incluam ofensas e palavrões; fujam do tema em questão.

Atenção:
Os comentários aqui postados podem ser encaminhados para os editores que, eventualmente, poderão publicá-los nas revistas; caso não concorde com isso, explicite sua negativa no próprio comentário. Obrigado.