' '

24 de mar de 2010

Originais de HQs brasileiras de Luluzinha à venda no eBay

Por E. Rodrigues

Dentre a grande variedade de arte original de quadrinhos oferecida no eBay, fãs de Luluzinha podem encontrar até mesmo HQs produzidas no final dos anos 1980 pelos estúdios da Abril.

HQ brasileira original, publicada em Luluzinha #159 (set/87). Clique para ampliar e tente identificar os artistas anotados no cabeçalho.

Há pelo menos duas delas, originais, com todos os detalhes de produção — bastante curiosos, a propósito, para quem nunca viu. Cada set está sendo vendido por cerca de 60 dólares — uma pechincha, comparando com os valores cobrados pela arte original de capas como Pink Panther #1 ou de Spectacular Spider-Man #1, por exemplo.

HQ brasileira e inédita que fechou Luluzinha #163 (jan/88). Clique para ampliar.

Nessa fase da revista, a produção original americana já havia sido praticamente toda publicada por aqui (nos EUA, o título já se encontrava cancelado desde 1984). Luluzinha, assim como Bolinha, vivia então de republicações e de uma HQ brasileira inédita por revista — depois, a quantidade de produções nacionais aumentou e as reedições diminuíram.

A HQ inédita merecia chamada de capa

No expediente, nomes bem conhecidos, como Leandro Luigi Del Manto, Napoleão, Watson Portela, Primaggio, Luiz Podavin, Ernesto Miyaura... todos aqueles nossos amigos secretos, da época em que tínhamos tão poucos gibis que líamos incansável e repetidamente tudo — até os expedientes das revistas, para aproveitar cada detalhe! Clique para ampliar.

Leia mais sobre Luluzinha em nossos posts sobre seus 75 anos e também quando do lançamento de seu 7º encadernado pela Devir, no final do ano passado — e por falar nisso, está prevista a publicação de mais três volumes daquela série ainda neste ano.

11 comentários:

  1. Natan é o Natanael Aleixo Soares e o Acácio é o Acácio Ramos, roteirista e "personagem" Disney.

    ResponderExcluir
  2. Interessante também que está sendo oferecida por um vendedor americano. O material viajou bastante! ;-)

    PS: não citou a Editora Abril, mas "Distribuidora Record".

    resiak@zipmail.com.br

    ResponderExcluir
  3. Puxa, me lembrei que quando criança realmente lia o expediente de todos os gibis. Até hoje leio...rsrs. E detalhe: por que será as atuais revistinhas da Disney não tem a data completa de publicação (mês e ano) no expediente? A gente fica meio perdido...

    ResponderExcluir
  4. Caro anonimo.
    Que raio de link é esse que não funciona?
    Já tentei de tudo.

    resiak@zipmail.com.br

    ResponderExcluir
  5. Alan

    É por causa da distribuição setorizada.

    As revistas não vêm com a data de publicação desde agosto de 2005, quando esse sistema começou. Fazem isso pra não dar na vista dos leitores das regiões Norte, Nordeste e Centro-Oeste.

    Deixe-me contar em detalhes:

    Inicialmente o que em agosto/2005 foi publicado no Sul/Sudeste, só chegou ao restante do país em novembro do mesmo ano. E assim sucessivamente, ou seja, sempre três meses de atraso.

    No ano de 2007 começou a baixaria total. De abril até junho daquele ano, os gibis Disney não chegaram às bancas. Isso sem nenhum aviso prévio. Enfim, em julho, vêm os famigerados "pacotinhos", que consistem em kits QUADRIMESTRAIS (de 4 em 4 meses) com 4 edições das revistas, neste caso publicadas originalmente em jan/fev/mar/abr de 2007. Isto é, o pacote incluía 4 números, o mais antigo era de 6 MESES atrás e o mais "recente" era de 3 MESES atrás. Em compensação, o preço era promocional.

    Esse formato de 4 edições continuou em nov/07 e mar/08. Em maio de 2008, os pacotes passaram a ser bimestrais, e ficaram vindo com 2 edições apenas. Novamente preço promocional, e novamente a edição mais recente no pacote era a de 3 meses atrás. É assim até hoje.

    Quando começou o sistema atual de 2 edições, me ARRETEI e parei de tentar retomar minha coleção de gibis de linha. Estava cambaleando com os kits de 4 revistas, e depois dessa me dei conta que não vale a pena comprar regularmente um produto, se o fabricante não tem consideração com o consumidor. A editora Abril não é mais a mesma de 20 anos atrás.

    Nas regiões "excluídas", a sensação que dá é que os gibis Disney não fazem parte do planejamento editorial da Abril. Os pacotinhos, mesmo com preços promocionais, passam ideia de descaso e precariedade. As páginas vêm amareladas e as revistas, por vezes, riscadas.

    Mas nem tudo está perdido. Tenho esperança que a trma de Patópolis mude de casa daqui a alguns anos. E mesmo que isso não ocorra, o leitor pode ficar certo que o problema é administrativo, não gerencial. A seleção de histórias é primorosa, e devemos dar graças a deus que estão sendo publicadas as edições "extra" e "férias". Com um preço competitivo, aumenta-se a chance de novos leitores conhecerem o universo Disney.

    Eita, acabei fazendo uma dissertação... :P tem nada não

    ResponderExcluir
  6. Sinceramente acho horrível a seleção de histórias. Eu voto pela saída de Paulo Maffia porque ele não manja nada de Disney.

    ResponderExcluir
  7. Mesmo em um post da Luluzinha o pessoal gosta mesmo é de falar de Disney!

    ResponderExcluir
  8. E tambem do Paulo Maffia, que pare ce ter um admirador secreto, que ainda não teve coragem de se declarar.

    ResponderExcluir
  9. Puxa Fulano, obrigado pelos esclarecimentos. E fiquei muito chateado em saber desta situação digamos calamitosa da Abril. Só me faz ter mais saudades de meus tempos de criança, quando os gibis chegavam em todas as bancas do Brasil. Mas nem tudo está perdido...pode ser mesmo que a Família Disney mude de casa, o que é uma pena...Vamos ter esperança não é mesmo?
    Abraço amigo!!

    ResponderExcluir
  10. na verdade, enquanto a família Civita existir, os personagens Disney NUNCA "mudarão de casa". As revistas Disney são mantidas exatamente não por dar lucro, mas por questão de tradição.

    Em alguns raros casos apenas acho que tais revistas dão lucro.

    Agora, se vocês acham que está ruim com a Abril, quero ver outra editora pegar os personagens Disney...aí sim a coisa desanda de vez!

    ResponderExcluir
  11. E as estórias da Lulu & Bolinha produzidas aqui no Brasil pela equipe da Abril nos anos 80, seguiam o mesmo estilo visual do Irving Tripp.

    ResponderExcluir

ANTES DE COMENTAR, POR FAVOR, LEIA:

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de quem os escreve e não refletem necessariamente a opinião do Planeta Gibi.

Não publicamos comentários que:
• Incluam quaisquer e-mails ou links;
• Mencionem outro estabelecimento que comercialize quadrinhos;
• Incluam ofensas e palavrões; fujam do tema em questão.

Atenção:
Os comentários aqui postados podem ser encaminhados para os editores que, eventualmente, poderão publicá-los nas revistas; caso não concorde com isso, explicite sua negativa no próprio comentário. Obrigado.