' '

30 de mar de 2010

Lançamento: A Máquina do Tempo, clássico de H.G.Wells, em quadrinhos

Por José Rivaldo Ribeiro

Nem bem saiu O Corcunda de Notre Dame, e nos próximos dias já estará à venda o terceiro número de Clássicos em Quadrinhos, título da On Line Editora.

A Máquina do Tempo foi adaptada do romance de H.G. Wells por Terry Davis, com arte de José Alfonso Ocampo Ruiz, e publicada originalmente pela Stone Arch em 2008.

Davis, escritor e educador, também adaptaria para Stone Arch outro clássico de Wells, O Homem Invisível. Ruiz, por sua vez, é responsável pela arte de algumas outras adaptações dessa série, como Drácula, Hércules e 20 Mil Léguas Submarinas.


Herbert George Wells (1866-1946) publicou A Máquina do Tempo em 1895. E em cada ano seguinte lançou obras que hoje são clássicos da ficção científica: A Ilha do Dr. Moreau, O Homem Invisível e A Guerra dos Mundos — todas adaptadas para o cinema pelo menos duas vezes cada.

Há algum tempo, A Máquina do Tempo foi às telas com Guy Pearce e direção de Simon Wells. Mas foi melhor aproveitada em 1960, quando George Pal (As 7 Faces do Dr. Lao) dirigiu Rod Taylor no papel principal. Taylor pôde ser visto há pouco em Bastardos Inglórios, de Tarantino. Com extensa carreira, de seu currículo consta até a dublagem de Pongo, em A Guerra dos Dálmatas (1961 — renomeado para 101 Dálmatas na era do vídeo). Protagonizou também Os Pássaros, de Hitchcock (1963), entre muitos outros.


Clássicos em Quadrinhos #3 tem formato americano e 72 páginas coloridas. Em nossa loja virtual poderá ser adquirido com 20% de desconto.

Um comentário:

  1. Nao gostei ! traco pesado e adaptacao muito influenciado pela versao cinematografica de 2002 (em minha opiniao a pior - a dos anos 60 deu um show !)

    ResponderExcluir

ANTES DE COMENTAR, POR FAVOR, LEIA:

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de quem os escreve e não refletem necessariamente a opinião do Planeta Gibi.

Não publicamos comentários que:
• Incluam quaisquer e-mails ou links;
• Mencionem outro estabelecimento que comercialize quadrinhos;
• Incluam ofensas e palavrões; fujam do tema em questão.

Atenção:
Os comentários aqui postados podem ser encaminhados para os editores que, eventualmente, poderão publicá-los nas revistas; caso não concorde com isso, explicite sua negativa no próprio comentário. Obrigado.