' '

29 de mar de 2009

Num mês de março distante...

Por E. Rodrigues & José Rivaldo Ribeiro

1953: Fantasma é lançado pela RGE. Segue publicado até outubro de 1986, edição 371. Depois, com a mudança de nome da RGE para Editora Globo, a numeração é reiniciada.

1968: a RGE lança, inicialmente em formato americano, os gibis Riquinho, Bolota, Brotoeja e Tininha. Em 1975, por volta das edições de número 95, passam para formato Pato.

1975: a Bloch lança O Incrível Hulk e O Poderoso Thor.


1979: a Abril lança a Série Almanaque, estrelando: Cascão. A partir daí, diferentes personagens ganhariam almanaques, mas com numerações independentes. Curiosidade para colecionador: o expediente de Almanaque do Cascão nº 1 diz que o gibi é, incorretamente, de fevereiro.

1981: a revista Mickey estreia sua nova fase com 84 páginas e novo logotipo que dura até a edição 609.

1988: na onda do sucesso da série animada da TV, a Abril lança o gibi DuckTales. Pensado para durar apenas 7 edições, tem sua publicação esticada até o nº 25.

1998: a Globo finalmente conclui a aclamada série Akira, com a publicação da 38ª edição. O mangá enfrentara um hiato de mais de 4 anos entre o lançamento das edições 33 e 34.

2002: Witch, uma criação da Disney Itália, é lançada pela Abril (hoje no nº 85).

2003: a Abril lança o primeiro dos 23 números que levou às bancas de Os Simpsons, em formato americano.

2004: sai a primeira da edição de Almanaque Turma de..., de Mauricio de Sousa, pela Globo. Revezam a numeração sequencial os personagens Tina, Penadinho e Astronauta. Curiosidade para colecionador: o nº 2 traz, por engano, o nº 1 de novo na capa.

2005: a Abril lança uma revista em quadrinhos, com passatempos e brindes, voltada para meninas: Princesas Disney (hoje no nº 49).

Nenhum comentário:

Postar um comentário

ANTES DE COMENTAR, POR FAVOR, LEIA:

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de quem os escreve e não refletem necessariamente a opinião do Planeta Gibi.

Não publicamos comentários que:
• Incluam quaisquer e-mails ou links;
• Mencionem outro estabelecimento que comercialize quadrinhos;
• Incluam ofensas e palavrões; fujam do tema em questão.

Atenção:
Os comentários aqui postados podem ser encaminhados para os editores que, eventualmente, poderão publicá-los nas revistas; caso não concorde com isso, explicite sua negativa no próprio comentário. Obrigado.